Archive for the ‘Brasileirão 1987’ Category

Brasileirão 1987 – Santos 1×0 Grêmio

September 21, 2019
1987 santos arivaldo chaves zero hora

Foto: Arivaldo Chaves (Zero Hora)

No Brasileirão de 1987, Santos e Grêmio se enfrentaram num sábado à noite, no Pacaembu. E os mandantes venceram pelo placar mínimo.

A derrota acabou com uma série de 32 jogos de invencibilidade do tricolor (a derrota anterior havia acontecido jogo contra o Juventude em 26 de maio daquele ano).

1987 santos placar b

Foto: Nelson Coelho (Placar)

No jogo de sábado o Grêmio começou bem, mas sofreu o gol aos 32min e se perturbou. O gol de Edelvan foi marcado depois de falhas sucessivas do time gaúcho, culminando com Mazaropi, que reclamou falta no lance.” (Correio do Povo, 5 de outubro de 1987)

1987 santos placar c

Foto: Nelson Coelho (Placar)

1987 santos correio do povo

Foto: Correio do Povo

SANTOS GANHA SUA PRIMEIRA PARTIDA

O Santos conseguiu sua primeira vitória na Copa União ao derrotar o até então invicto Grêmio, por 1 a 0, sábado à noite, no Pacaembu, região central de São Paulo. O Grêmio não perdia desde maio deste ano e defendia uma invencibilidade de mais de trinta partidas. Com muita aplicação na defesa, a equipe do Santos soube como chegar ao gol e garantir a vitória.

O único gol da partida foi marcado no primeiro tempo pelo ponta esquerda Edelvan, que fazia seu segundo jogo pelo Santos desde que fui emprestado pelo Ipiranga, da Bahi.a Num contra-ataque pela direita, o atacante Osmarzinho cruzou, o centroavante Luiz Carlos dividiu com o goleiro Mazaropi e Edelvan aproveitou a sobra para marcar aos 32 minutos. Os jogadores do Grêmio reclamaram de falta no goleiro, mas o juiz carioca Pedro Carlos Bregalda —muito gordo e apitando sem sair da faixa de meio campo— confirmou o gol.

Jogo disputado

A partida foi bem disputada. O Grêmio esteve mais tempo de posse da bola, especialmente através de Valdo, mas encontrou pela frente uma defesa bem armada, com destaque para o goleiro uruguaio, Rodolfo Rodriguez.

O Santos mostrou-se mais perigoso no ataque, embora com falhas na complementação das jogadas. No segundo tempo, o Grêmio optou pelo jogo ofensivo e por pouco não acabou surpreendido em várias oportunidades por contra-ataques do Santos.

A fraca campanha do Santos e o mau tempo (na noite de sábado a temperatura era de 13 graus) fez com que a partida tenha tido público de apenas 4.936 pagantes.

Depois da partida, o técnico Candinho, do Santos, anunciou que na próxima quarta-feira, no Rio de Janeiro, Carlos Alberto substituirá o centroavante Luis Carlos na partida contra o Botafogo. O centroavante está cumprindo suspensão automática por ter sido expulso de campo anteontem.” (Folha de São Paulo, 05 de outubro de 1987)

1987 gaucha santos1987 guaiba santosSantos 1 x 0 Grêmio

SANTOS: Rodolfo Rodriguez, Ijuí, Davi, Pedro Paulo e Luisinho, Celso, Glauco Mendonça (Nildo) e Glauco; Luis Carlos, Osmarzinho e Edelvan (César Ferreira).
Técnico: Candinho

GRÊMIO: Mazaropi, Alfinete, Henrique, Luís Eduardo e Casemiro, Amaral, Cristóvão e Bonamigo (Cuca); Valdo, Lima e Jorge Veras (Darci)
Técnico: Luis Felipe Scolari

Brasileirão 1987 – 1ª fase – 5ª rodada
Data: 03 de outubro de 1987, sábado, 21h00min
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 4.916 pagantes
Renda: Cz$ 512.450,00
Árbitro: Pedro Carlos Bregalda (RJ)
Auxiliares: Elson Pessoa e Theodoro de Castro Lino
Cartão amarelo: Luisinho
Cartões vermelhos: Luis Carlos e Amaral
Gol: Edelvan, aos 32 minutos do 2º tempo

Brasileirão 1987 – Grêmio 4×0 Goiás

September 14, 2019
1987 gremio 4x0 goias cuca edison vara zh

Foto: Edison Vara (Zero Hora)

 

No Brasileirão de 1987, o Grêmio goleou o Goiás por 4×0 no Olímpico. Dois fatos marcaram esse jogo.

– Cuca fez todos os gols da noite. E esse segue sendo até hoje o recorde de gols de um jogador do Grêmio em uma partida de Campeonato Brasileiro. Segundo matéria do UOL, Cuca, notório supersticioso, permaneceu usando a chuteira que calçou nesse jogo por um longo período da sua carreira.

– Foi a última partida do Grêmio antes da estreia do fardamento com patrocínio da Coca-Cola (em um clássico Gre-Nal 4 dias depois).

 

1987 gremio 4x0 goias cuca paulo nunes cp

Foto: Paulo Nunes (Correio do Povo)

 

GOLEADA CONSAGRADORA PARA CUCA
Fez quatro gols no Goiás mas o Grêmio não melhorou na tabela, pois o Atlético venceu.

Se a goleada de ontem à noite, no Olímpico, não foi suficiente para deixar o Grêmio em boa situação no grupo A, já que o Atlético também venceu, serviu para a torcida vibrar de novo com o time e, principalmente, conhecer melhor o futebol de Cuca, autor de todos os gols da goleada de 4 a O sobre o Goiás.

O jogador do Juventude – emprestado ao Grêmio com passe fixado em 10.800 OTNs, aproximadamente Cz$ 4,6 milhões* – entusiasmou os torcedores. Mais que isso, ajudou a equipe a recuperar o moral e a confiança para os próximos jogos da Copa União.

Antes de Cuca começar a brilhar, Lima era o grande destaque em campo, ao lado de Darci. Mas, a partir dos 35min, o jogo passou a ser todo de Cuca. Lima bateu falta com um chute forte, a bola encontrou a trave e voltou para Cuca, que empurrou para as redes fazendo 1 a O. Cinco minutos depois, Darci centrou para Cuca, que desviou de cabeça para o canto esquerdo. Cuca correu para abraçar Luís Felipe.

No segundo tempo, aos 17min, Cuca ampliou para 3 a 0. Aos 23min, mais uma vez Cuca fez a torcida vibrar, desviando de cabeça um escanteio batido por Cláudio Freitas, que estreou bem. Cansado, Cuca deixou o campo antes do final, sob os aplausos consagradores da torcida.” (Correio do Povo, Sexta-feira, 9 de outubro de 1987)

* esse valor atualizado para agosto de 2019 corresponderia à um pouco menos de R$ 900.000,00

 

CUCA: “Os quatro gols foram uma contingência da partida. Importante é estar integrado ao esquema do time. A verdade é que nunca tinha feito quatro gols numa só partida.” (Jornal do Brasil, 12 de outubro de 1987)

1987 gremio 4x0 goias cuca ronaldo bernardi zh

Foto: Ronaldo Bernardi (Zero Hora)

 

CUCA FAZ QUATRO GOLS E GRÊMIO ARRASA GOIÁS
O meia teve atuação espetacular, mas saiu lesionado no joelho

Parecia que a falta de gols nunca iria acabar. No entanto, Cuca marcou quatro contra o Goiás, que não fez nenhum, e o Grêmio recuperou-se das más atuações anteriores. Agora, o time de Luís Felipe tem oito pontos ganhos na tabela de classificação do Grupo A, mas continua em segundo lugar, atrás do Atlético, que venceu o São Paulo por 1 a 0. Entretanto, a equipe gaúcha enfrentou problemas iniciais para superar o Goiás. Até os 35 minutos do primeiro tempo, o jogo foi ruim, com muitos passes errados e um completo congestionamento no meio-campo.

Faltava entrosamento aos jogadores do Grêmio. A vitória chegou devido ao esforço, à fragilidade do adversário e à grande noite do meia-direita Cuca.

A etapa inicial, até o primeiro gol, foi pobre em termos de jogadas bem elaboradas e lances de gol. O apático Cláudio Freitas chutou uma vez com perigo contra o goleiro Eduardo e Lima, em condições de marcar, experimentou duas vezes, sozinho, mas aconteceu a defesa. Na verdade, o Grêmio não conseguia colocar a bola no chão, trocar passes e pensar a construção de ataques eficientes, até porque o centroavante Lima, mais uma vez, estava abandonado no setor de frente. Somente quando Cuca resolveu subir mais e encostar no centroavante é que houve o crescimento do Grêmio.

Na segunda etapa, çom a expulsão de Jorge Batata logo aos 4 minutos, o trabalho ficou facilitado para os atacantes do Grêmio. Mesmo assim, até os 15 minutos, a pressão foi do Goiás. Porém, como o Grêmio virou em vantagem, com os dois gols de Cuca, aos 35 e aos 40 minutos do período inicial, as preocupações eram menores. Havia mais tranquilidade para estabelecer uma goleada. O que ninguém esperava, certamente, é que Cuca fosse se colocar com um só jogo entre os principais goleadores da competição. Mas foi assim. O meio-campista fez mais dois: aos 16 e aos 23 minutos. Depois saiu lesionado, substituído por Fernando. ” (Juremir Machado da Silva, Zero Hora, Sexta-feira, 9 de outubro de 1987)

za

O PLACAR

CUCA, 1 a 0, para o Grêmio, aos 35 minutos do primeiro tempo. Lima bateu a falta da frente da grande área, a bola bateu no poste direito e voltou: Cuca concluiu de primeira e abriu o marcador.

CUCA, 2 a 0, para o Grêmio, aos 40 minutos do primeiro tempo. Darci levantou e Cuca desviou de cabeça para ampliar.

CUCA. 3 a 0, para o Grêmio, aos 16 minutos do segundo tempo. Darci construiu a jogada e lançou Cuca dentro da área, o meio-campista dominou e bateu com precisão no canto direito.

CUCA, 4 a 0, para o Grêmio, aos 23 minutos do segundo tempo. Valdo cobrou o escanteio e Cuca entrou no primeiro poste para marcar de cabeça e fazer o último gol de seu time na partida.” (Zero Hora, Sexta-feira, 9 de outubro de 1987)

1987 gremio 4x0 goias gaucha

 “FELICIDADE DO MEIA, ANSIOSO PARA JOGAR O PRIMEIRO GRE-NAL

No vestiário, depois de ter marcado quatro gols e deixado o jogo antes do seu final por causa de urna pancada no joelho, Cuca pensava no futuro:

— Quero fazer uma boa campanha para continuar aqui no Grêmio.

Entusiasmado com os gols que marcou, recebendo um rádio de presente da equipe “Anhanguera”, de Goiás, por ter sido escolhido pela emissora como melhor jogador na partida, Cuca, porém não perdeu a humildade:

— Fiz os gols, mas o mérito é de toda a equipe. Se continuar no Gre-Nal, vou fazer força para ajudar o time como neste jogo; se não continuar, vou torcer pelos meus colegas para que sejam bem-sucedidos.

Esta foi a primeira vez que Cuca marcou quatro gols num só jogo. Ele recordou que quando estava no Juventude, chegou a marcar três num jogo do Gauchão, mas quatro é inédito, primeira vez:

— Senti uma felicidade enorme com a sorte de hoje. A felicidade só não é completa, porque o São Paulo não venceu o Atlético. Mas o Atlético será nosso exemplo no segundo turno.” (Zero Hora, Sexta-feira, 9 de outubro de 1987)

1987 gremio 4x0 goias ingressos

Grêmio 4×0 Goiás

GRÊMIO: Mazaropi; Alfinete, Henrique, Luís Eduardo e Casemiro; Bonamigo, Cuca (Fernando) e Cláudio Freitas; Valdo, Lima (Cristovão Borges) e Darci
Técnico: Luis Felipe Scolari

GOIÁS: Eduardo Heuser; Flávio, Gomes, Ronaldo Castro e Jorge Batata; Uidemar, Fagundes e Péricles (Palinha); Formiga, Sabará e Niltinho
Técnico: Zé Mário

Brasileirão 1987 – 1ª Fase – 6ª Rodada
Data: 08 de outubro de 1987, quinta-feira, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 7.934 pagantes
Renda: Cz$ 856.600,00
Árbitro: Hélio Cosso (MG)
Auxiliares: Márcio Freitas e Alahil Bolívar
Cartões Amarelos: Uidemar e Luís Eduardo
Cartão Vermelho: Jorge Batata (4/2ºT)
Gols: Cuca aos 35 e aos 40 minutos do primeiro tempo e aos 16 e 23 minutos do segundo tempo

Brasileirão 1987 – Inter 0x1 Grêmio

July 20, 2019
grenal luciane grabin diario do sul

Foto: Luciane Grabin (Diário do Sul)

No Brasileirão de 1987, o Grêmio venceu o clássico Gre-Nal do Brasileirão no Beira-Rio com um gol de Jorge Veras, num frango histórico de Taffarel (o primeiro gol que ele levou naquele campeonato).

Essa partida marcou a estréia do patrocínio da Coca-Cola no fardamento tricolor (no co-irmão a marca americana só foi aparecer no início de 1989).

grenal luciane grabin diario do sul v

Foto: Luciane Grabin (Diário do Sul)

GRÊMIO TRANSFERE A DECISÃO PARA SÁBADO

Incensado como o grande jogador do Internacional na atualidade, considerado o melhor goleiro do Brasil, Cláudio Taffarel acabou se tornando realmente o personagem que todos esperavam que ele fosse no Gre-Nal de ontem pela Copa União. Ele, no entanto, tornou-se a figura da partida pela circunstância que todo goleiro faz questão de evitar, uma falha clamorosa. Pois foi justamente num “frango” do goleiro colorado que o Grêmio venceu de 1 a O, gol de Jorge Veras, aos 20 minutos do segundo tempo, mantendo-se na luta pela vaga do grupo A, com dez pontos, dois a menos que o líder Atlético Mineiro.

E é justamente o jogo do Atlético, no sábado, contra o Fluminense em Belo Horizonte que decide a sorte da dupla Gre-Nal neste turno da Copa União. Pois se houver empate, o Atlético ganha a vaga e facilita a classificação do Inter, que enfrenta no domingo o Corinthians em São Paulo precisando de um empate apenas — em caso de derrota, haverá um jogo extra no Beira-Rio. Se o Fluminense vence, a equipe mineira dá condições do Grêmio lutar por uma vitória contra o São Paulo e se igualar em número de pontos com o Atlético, provocando um jogo extra em Belo Horizonte. E o Inter fica na obrigação de vencer o Corinthians.

A derrota do Inter para o Grêmio só não foi mais catastrófica para a equipe de Ênio Andrade, porque o Fluminense, que tem um ponto a menos que o líder do grupo B, perdeu ontem surpreendentemente no Maracanã para o Bahia por 1 a O. Outro resultado surpresa na rodada foi a vitória do Botafogo por 2 a O no Morumbi, sobre o São Paulo.

O jogo em Porto Alegre teve um grande público, o maior da Copa União até agora: 52.347 pessoas pagaram ingresso, gerando a renda de 6.299.900 cruzados. E a partida foi cheia de circunstâncias próprias do clássico Gre-Nal. Houve “frango” de goleiro, Jorge Veras autor do gol atuou apenas 15 minutos (entrou aos 17 do segundo tempo e saiu aos 32) Lima e Norberto foram expulsos por se envolverem numa discussão infantil e Luis Fernando, uma das grandes expectativas do Inter, teve participação discreta, bem marcado por Amaral, além de, no fim do primeiro tempo, ter saído lesionado com gravidade, sendo dúvida para o próximo jogo.

O gol marcado por Jorge Veras é o quarto do ponteiro esquerdo — atualmente reserva — em Gre-Nal e acabou com a invencibilidade do Inter na Copa União — sobrou apenas o Atlético Mineiro — e quebrou o jejum de 860 minutos de Taffarel sem sofrer gols. O goleiro colorado, ao sair do estádio foi aplaudido pelos torcedores de seu clube, numa demonstração de confiança. Mas os aplausos maiores da noite foram para Jorge Veras, autor do gol, e Mazzaropi, que sem ter o cartaz do goleiro adversário, fez defesas importantes e decisivas, uma atuação digna dos grandes dias de Taffarel.” (Higino Barros, Diário do Sul, 13 de outubro de 1987)

TAFFAREL: “Era uma bola fácil. Tão fácil que pensei em pegar ela e puxar rápido o contra-ataque. Foi excesso de confiança, admito, e acabei tomando um “frango”, prejudicando o time.”

JORGE VERAS: “Eu entrei na área, livrei-me de Luís Carlos e chutei forte no canto. É claro que o Taffarel é um dos melhores goleiro do Brasil, mas não é imbatível. Pena que tenha sido contra ele, mas era necessário. De qualquer forma é mais um aspecto que me entusiasma, pois é maravilhoso marcar gols em grandes equipes e excelentes goleiros.”

TAFFAREL ARIVALDO CHAVES

Foto: Arivaldo Chaves (Zero Hora)

TAFFAREL ARIVALDO CHAVES B

Foto: Arivaldo Chaves (Zero Hora)

GRÊMIO MANDA EM OUTRO CLÁSSICO
Venceu o Inter numa falha incrível de Taffarel e acabou com a invencibilidade colorada na Copa União

E quem manda na aldeia e mesmo o Grêmio Foi o decimo Grenal da temporada e o goleiro Taffarel colaborou decisivamente para a quinta vitoria gremista. Foi aos 18min30s do segundo tempo, quando Jorge Veras cruzou da esquerda. Taffarel tentou repor a bola, rapidamente, em jogo e ela foi parar no fundo das redes.

Incentivado por uma grande torcida, bem que o Inter tentou obter a vitória no primeiro tempo. Afinal, pegou pela frente um adversário com cinco homens no meio-campo — apenas Lima estava na frente – procurando até se defender, mais do que atacar. Gilberto Costa deu vários chutes a gol. Paulo Mattos perdeu grande chance, quando Mazaropi fez a defesa na hora certa e nem o gol do Bahia sobre o Fluminense deu mais força ao Inter. O jogo era ruim, com muitos erros nos passes.

No segundo tempo, o Inter voltou sem Luis Fernando, com lesão muscular, e houve as expulsões de Norberto e Lima. Felipe ousou: escalou Veras no lugar de Darci, deu um atacante para o time e teve sorte. Veras marcou o gol da vitória para o desespero dos colorados. O Inter, então, foi à frente. Mas desorganizadamente, enfrentando a barreira de zaga adversária, especialmente o futebol seguro de Luis Eduardo.

E, no final, em um contra-ataque, por muito pouco Valdo não ampliou a vantagem. O ano termina sem uma vitória, sequer, do Inter sobre o Grêmio no Beira-Rio. E com uma flagrante vantagem dos tricolores nos clássicos locais. Agora, só o Atlético está invicto na Copa União. ” (Correio do Povo, terça-feira, 13 de setembro de 1987)

GRÊMIO DERROTA O INTER EM ERRO DO EX-INVICTO TAFAREL

O Grenal, nervoso, que poderia ter sido decisivo, acabou marcado pela falha do até então invicto goleiro Tafarel. O chute do Jorge Veras, que jogou apenas 15 minutos, sequer foi forte, Tafarel chegou a segurar a bola, mas deixou que ela escapasse e desse a vitória ao Grêmio.

A partida em si foi equilibrada, com raros momentos de brilhantismo. O Grêmio começou melhor, mas o Inter logo reagiu. Tanto que Mazaropi fez as mais difíceis defesas de jogo, principalmente em chutes de Gilberto Costa.

Depois do gol do Grêmio, o nervosismo tomou conta de todos os jogadores. Norberto e Lima discutiram e esboçaram um arremedo de briga. Foram expulsos. Os minutos finais mostraram o Inter, em seu campo, fazendo tudo para conseguir o empate, que lhe daria uma vantagem ainda maior sobre o Fluminense (tem um ponto, o mesmo que já tinha).” (Jornal do Brasil, 13 de outubro de 1987)

TAFAREL FALHA E GRÊMIO VENCE O INTERNACIONAL

PORTO ALEGRE — O Grêmio manteve as suas esperanças de chegar ao título no turno do Campeonato Brasileiro, pelo Grupo A do Módulo Verde da competição, ao vencer ontem à noite o Internacional, no Beira-Rio, pelo placar de 1 a 0, gol de Jorge Veras no segundo tempo. Com esse resultado, o Grêmio passa a somar agora 10 pontos ganhos. Na primeira colocação encontra-se o Atlético Mineiro, com 12.

O Grêmio decidirá a sua classificação na última rodada do turno contra o São Paulo, no Estádio Olímpico, torcendo para uma derrota do Atlético na partida contra o Fluminense, no Mineirão. O clube carioca, aliás, também manteve as suas esperanças de chegar ao título no Grupo B com a vitória do Grêmio. O Flu tem nove pontos ganhos contra 10 do internacional, que na última rodada enfrenta o Corintians no Pacaembu.

A derrota significou para o Inter a perda da sua invencibilidade no Campeonato Brasileiro, que tem agora o Atlético Mineiro como o único invicto na competição. Outro dado da derrota do Colorado: o gol de Jorge Veras representou o fim da invencibilidade do goleiro Tafarel, que ainda não havia tomado gol no campeonato, num total de 605 minutos. E. como manda a tradição, num frangaço do goleiro.

O Inter teve o jogo na mão no primeiro tempo. Entretanto, quando seus atacantes não chutavam para fora surgia o goleiro Mazaropi. O jogador do Grêmio, aliás, foi o grande nome do jogo nesta etapa, com defesas verdadeiramente sensacionais. A melhor oportunidade do Inter neste período foi aos 42 minutos, com Paulo Matos desperdiçando uma ótima oportunidade para marcar. A partida no segundo tempo manteve o panorama, com o Inter pressionando o Grêmio se fechando para sair em contra-ataques. E foi numa descida pela esquerda que o gol da vitória saiu, aos 20 minutos Jorge Veras recebeu a bola pela esquerda e chutou despretensiosamente. O goleiro Tafarel, até então com uma atuação irrepreensível no campeonato, aceitou, engolindo um verdadeiro “peru“. ” (Jornal dos Sports, 13 de outubro de 1987)

GRÊMIO: Mazaropi; Alfinete, Henrique, Luís Eduardo e Casemiro; Amaral, Bonamigo e Cuca; Valdo, Lima e Darci (Jorge Veras e depois Cristovão Borges)
Técnico: Luis Felipe Scolari

INTERNACIONAL: Taffarel; Luís Carlos Winck, Aloísio, Nenê e Laércio; Norberto, Gilberto Costa  e Luís Fernando (Manu); Heider, Amarildo e Paulo Mattos
Técnico: Ênio Andrade

Brasileirão 1987 – 1ª Fase – 7ª Rodada
Data: 12 de outubro de 1987, segunda-feira, 18h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Público: 52.347 pagantes
Renda: Cz$ 6.299.900,00
Árbitro: José Roberto Wright
Assistentes: Aloísio de Oliveira Viug e Everaldo Almeida Silva
Cartões Amarelos: Amaral, Alfinete, Gilberto Costa e Valdo
Cartões Vermelhos: Lima e Norberto
Gol: Jorge Veras, aos 18 minutos do segundo tempo