Archive for the ‘Campeonato Brasileiro 2015’ Category

Brasileirão 2015 – Grêmio 3×1 Avaí

September 27, 2015

O Brasileirão é uma competição chata. Não fosse isso suficiente, é também uma competição, por muitas vezes, desonesta. Apesar disso, tem sido muito legal acompanhar as partidas do Grêmio no campeonato, apesar das limitações e oscilações da equipe tricolor. Isso porque o time de Roger apresenta um padrão de jogo, onde claramente se vê que os atletas repetem em campo o que foi treinado durante os treinamentos.
Os dois primeiros gols foram um belo exemplo disso. Aos 12 minutos, Pedro Rocha saiu da ponta esquerda e aproveitou que Edinho, Luan, Giuliano e Galhardo trocavam passes para atravessar o campo e receber a bola no lado direito, aonde fez a assistência para Giuliano abrir o marcador. 11 minutos mais tarde foi possível ver Edinho orientando que Galhardo avançasse para o campo de ataque (infelizmente ainda não encontrei imagens dessa ação na internet). A movimentação do lateral abriu espaço para o volante gremista tabelar com Pedro Rocha, projetando-se a frente para enfiar a bola para Giuliano fazer o 2×0. 
No segundo tempo, o Avaí chegou a descontar com André Lima (para alegria do “futuro Mark Chapman tupiniquim” e pra tristeza de quem não gosta de flauta), mas o Grêmio ampliou com um golaço de Maxi Rodriguez (na sua jogada mais característica) e só não chegou a uma goleada porque seus avantes foram um tanto individualistas nas várias oportunidades que tricolor teve de marcar um quarto gol.

Repito o que já escrevi aqui anteriormente: Se levarmos em conta as peças que Roger tem a sua disposição, Pedro Rocha não pode ser reserva. Nenhum dos outros concorrentes a titularidade é capaz de repetir a mesma movimentação, fazendo com que a equipe gremista tenha intensa  troca de posicionamento entre os seus homens de frente do Grêmio.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Diego Guichard (Globo Esporte)

Grêmio Grêmio 3×1 Avaí Avaí

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Bressan, Erazo e Marcelo Hermes; Walace, Edinho, Giuliano, Luan (Moisés, 46’/2º) e Pedro Rocha (Everton, 28’/2º); Bobô (Maxi Rodriguez, 13’/2º). 
Técnico: Roger Machado
AVAÍ: Vagner; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Emerson e Romário; Claudinei, Eduardo, Rudnei (Anderson Lopes, int), Everton Silva (Roberto, 31/2º) e Renan Oliveira; Léo Gamalho (André Lima, 13’/2º). 
Técnico: Gilson Kleina. 

28ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 26/09/2015, sábado, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 15.164 (13.251)
Renda: R$ 420.226,00 
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo e Vicente Romano Neto
Cartões amarelos: Claudinei (AVA), Emerson (AVA), Eduardo Neto (AVA); Edinho (GRE);
Gols: Giuliano, aos 12 minutos e aos 23 minutos do primeiro tempo; André Lima, aos 20 minutos do segundo tempo; Maxi Rodríguez, do Grêmio, aos 30 minutos do segundo tempo;

Advertisements

Brasileirão 2015 – Palmeiras 3×2 Grêmio

September 21, 2015

Fazia tempo que eu não via o Grêmio jogar tão mal (Desde a partida contra o São Paulo no 1º turno). É claro que o time fez partidas ruins nesse meio tempo, mas em nenhuma delas cometeu uma quantidade tão grande de erros elementares. O Palmeiras não precisou fazer nada de excepcional para fazer três gols em, o que até então era, uma das melhores defesas do campeonato. 
Logo aos 3 minutos, numa falta erguida na área, o goleiro Tiago saiu atrasado do gol, conseguindo  acertar somente a cabeça de Vitor Hugo, enquanto a bola cabeceada pelo zagueiro palmeirense já estava no fundo das redes. O Grêmio fazia uma partida desorientada. O maior símbolo disso foi a atuação de Bressan, que parecia desentrosado com o seu companheiro Erazo, fazendo com o que existisse um enorme buraco na zaga tricolor. Ainda assim, Luan empatou o jogo aos 20 minutos, aproveitando passe de Douglas após boa roubada de bola de Marcelo Oliveira no campo de ataque. O Grêmio teve chance de virar a partida ainda no primeiro tempo, mas aos 31 minutos voltou a cometer uma série de equívocos na sua defesa, dando muito tempo espaço para o lateral Lucas cruzar a bola na área, onde Barrios saltou sozinho para desempatar a partida.

O segundo tempo foi um pouco menos movimentado, mas o Grêmio seguiu errando. Aos 13 minutos, o sistema defensivo gremista permitiu que Gabriel Jesus, no alto do seus 1m75, ajeitasse uma bola no peito para Rafael Marques marcar o 3×1. Roger tentou fazer sua equipe reagir com algumas alterações (Everton mais uma vez entrou bem no jogo), mas o máximo que o tricolor conseguiu foi um gol de desconto, já aos 40 minutos, em um pênalti bem batido por Luan.

Não compartilhei do entusiasmo do narrador e do comentarista que transmitiram o jogo pela TV. O jogo foi movimentado, mas isso não significa que tenha sido de alto nível. Me parece que o grande número de gols e oportunidades ocorreram muito mais por erros e fragilidades das defesas do que por méritos na construção de jogadas pelos ataques.
Tanto Tiago quanto Roger  falaram abertamente sobre a falha do goleiro no lance do primeiro gol. Me parece a atitude mais correta. Reconhecer o erro é o primeiro passo para corrigi-lo e até aqui, isso não tinha sido feito de forma tão direta.
Ao contrário do que o Roger afirmou depois do jogo contra o Goiás, o Grêmio mudou sim o seu batedor de penalidades (Luan tem um aproveitamento de 66% nas cobranças em 2015, contra 33% de Douglas)

O ingresso para torcida Palmeirense em Porto Alegre custou R$ 60. Já o ingresso para a torcida gremista em São Paulo custou R$ 80.  Não consigo achar normal essa diferença. A diretoria do Grêmio deveria tentar proteger seu torcedor e fazer valer o princípio da reciprocidade.

Fotos: Ernesto Rodrigues (Correio do Povo) e Cesar Greco (S.E. Palmeiras)

Palmeiras Palmeiras 3×2 Grêmio Grêmio

PALMEIRAS: Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio, intervalo); Tiago Santos, Arouca (Amaral, 33’/2ºT), Rafael Marques, Robinho (Allione, 37’/2ºT) e Gabriel Jesus; Lucas Barrios
Técnico: Marcelo Oliveira
GRÊMIO: Tiago; Lucas Ramon (Bobô, 34’/2ºT), Bressan, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Moisés, Pedro Rocha (Yuri Mamute, 11’/2ºT), Douglas e Fernandinho (Everton, 11’/2ºT); Luan. 
Técnico: Roger Machado
27ª Rodada– Campeonato Brasileiro 2015
Data: 18/09/2015, sábado, 18h30min
Local: Estádio Pacaembu, São Paulo-SP  
Público: 23.983 (21.257 pagantes)
Renda:  R$ 971.475,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO) 
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Bruno Raphael Pires (GO) 
Cartões Amarelos: Arouca, Thiago Santos (PAL); Bressan, Lucas Ramon, Marcelo Oliveira, Moisés Gols: Vitor Hugo, aos 3 minutos,  Luan, aos 20 minutos e Barrios, aos 31 minutos do primeiro tempo. Rafael Marques, aos 13 minutos e  Luan (de pênalti), aos 40 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2015 – Classificação e Aproveitamento na 26ª Rodada

September 19, 2015

No Campeonato Brasileiro de 2015 o Grêmio conquistou 48 pontos nas primeiras 26 rodadas, tendo um aproveitamento de 61,54%.
 Na era dos pontos corridos com 20 times somente em 2008 e 2012  o clube conseguiu um aproveitamento superior a este: 

Em 2014 o Grêmio fez 43 pontos nos primeiros 26 jogos (55,13% de aproveitamento)
– Em 2013 o Grêmio fez 48 pontos nos primeiros 26 jogos (61,54% de aproveitamento)
– Em 2012 o Grêmio fez 49 pontos nos primeiros 26 jogos (62,82% de aproveitamento)

– Em 2011 o Grêmio fez 36 pontos nos primeiros 26 jogos* (46,15% de aproveitamento)
– Em 2010 o Grêmio fez 36 pontos nos primeiros 26 jogos (46,15% de aproveitamento)
– Em 2009 o Grêmio fez 39 pontos nos primeiros 26 jogos (50,00% de aproveitamento) 
– Em 2008 o Grêmio fez 50 pontos nos primeiros 26 jogos (64,10% de aproveitamento) 
– Em 2007 o Grêmio fez 41 pontos nos primeiros 26 jogos (52,56% de aproveitamento) 
– Em 2006 o Grêmio fez 45 pontos nos primeiros 26 jogos (57,69% de aproveitamento) 

 Se o Corinhtians mantiver o atual aproveitamento de 69% atingirá a marca de 78 pontos.  Pra superar os alvinegro o Grêmio teria que somar 31 pontos nas últimas 12 rodadas (86% de aproveitamento). Veja abaixo como foi o aproveitamento do Grêmio nessa reta final em anos anteriores:

– Em 2014 o Grêmio fez 18 pontos nos últimos 12 jogos (50,00% de aproveitamento)
– Em 2013 o Grêmio fez 17 pontos nos últimos 12 jogos (47,22% de aproveitamento)
– Em 2012 o Grêmio fez 22 pontos nós últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)
– Em 2011 o Grêmio fez 12 pontos nos últimos 12 jogos (33,33% de aproveitamento)
– Em 2010 o Grêmio fez 27 pontos nos últimos 12 jogos (75,00% de aproveitamento)
– Em 2009 o Grêmio fez 16 pontos nos últimos 12 jogos (44,44% de aproveitamento)
– Em 2008 o Grêmio fez 22 pontos nos últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)
– Em 2007 o Grêmio fez 17 pontos nos últimos 12 jogos (47,22% de aproveitamento)
– Em 2006 o Grêmio fez 22 pontos nós últimos 12 jogos (61,11% de aproveitamento)

Contudo, se o Grêmio conseguir manter o atual aproveitamento, ele tem grandes chances  de se classificar para a Libertadores de 2015. Desde 2003 o mínimo que um time teve que fazer de aproveitamento para classificar para a Libertadores foi 52% e o máximo foi 60% (O último classificado para a Libertadores teve 53% em 2003, 57% em 2004, 55% em 2005, 53% em 2006, 53% em 2007, 57% em 2008, 54% em 2009, 55% em 2010, 52% em 2011, 58% em 2012, 53% em 2013 e 60% em 2014. Sendo que em 2003, 2006, 2007 e 2011 o quinto colocado se classificou para a Libertadores)

*Jogo contra o Santos foi adiado para 5 de outubro
 

Fontes: Folha de São Paulo. Correio do Povo e  Bola na Área.

Brasileirão 2015 – Atlético-PR 1×2 Grêmio

September 17, 2015

A jogada que o São Paulo tão bem bloqueou no domingo acabou fluindo diante do Atlético Paranaense em Curitiba. Foi justamente no recuo do atacante para criar espaço para entrada do homem do meio que o Grêmio começou a vencer o jogo no Couto Pereira. Aos 32 do primeiro tempo, Luan recebeu de Fernandinho na frente da área e limpou bem a marcação antes de dar um belo passe para Douglas, que da marca do pênalti tirou do goleiro e fez o 1×0. Com a vantagem no marcador o Grêmio passou a ter mais espaço para contra-atacar, se aproveitando da situação incomoda do time da casa. Logo aos 2 minutos do segundo tempo, Giuliano encontrou Luan entrando por trás da zaga, e o camisa 7 não desperdiçou o passe , tocando na saída de Weverton. O Atlético chegou a descontar aos 32 minutos, através de Ewandro, que concluiu uma boa jogada de Otávio, mas acabou tendo pouco tempo para buscar um empate.

Giuliano já é um dos líderes em assistências do Brasileirão.
O Footstats divulgou ontem que Luan é o “mais desarmado do Brasileiro Serie A 2015, 212 vezes“. Penso que a informação ficaria mais completa se eles também divulgassem que Luan é o jogador que mais faltas sofreu durante a competição.

Até entendo que parte da torcida do furacão questione o seu treinador por algumas decisões tomadas. Mas Milton Mendes jamais poderia ser criticado por ter escolhido essa sensacional combinação de paletó, camisa e gravata.

Eu não tenho nada contra a ideia do “Naming Rights”. Acho que, se bem trabalhada, pode gerar uma parceria legal entre clube e patrocinador. Mas confesso que tenho dificuldade em imaginar por que uma marca tem interesse em associar o seu nome com essa ampliação tosca do Couto Pereira.

Fotos: Guilherme Artigas (Lance), Gustavo Oliveira (C.A.P), Geraldo Bubniak (Banda B) e Hugo Harada (Gazeta do Povo)

 Atlético-PR Atlético-PR 1×2 Grêmio Grêmio

ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Vilches, Wellington e Roberto (Sidcley, 22’/2ºT); Otávio, Deivid (Daniel Hernández, 5’/2ºT), Hernani, Marcos Guilherme e Ytalo (Ewandro, 45’/1ºT); Walter.
Técnico: Milton Mendes
GRÊMIO: Marcelo Grohe (Tiago, 40’/1ºT); Galhardo (William Schuster, 28’/2ºT), Erazo, Bressan, Marcelo Oliveira; Edinho, Walace, Giuliano, Douglas (Bobô, 26’/2ºT) e Fernandinho; Luan.

Técnico: Roger Machado

26 ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 16/09/2015, quarta-feira, às 21h00min
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba-PR
Público: 15.300 (13.619 pagantes)
Renda:  R$ 280.500,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Helton Nunes (SC) e Rosnei Hoffmann Scherer (SC)
Cartões amarelos: Otávio (CAP); Tiago e Edinho (GRE).

Gols: Douglas, aos 32 minutos do primeiro tempo; Luan, aos 2 minutos e Ewandro, aos 32 minutos do segundo tempo.

Brasileirão 2015 – Grêmio 1×2 São Paulo

September 14, 2015
O futebol brasileiro é complicado. Na quarta-feira todo mundo se empolgou com o grande jogo disputado em Itaquera. Hoje foi o dia de voltar a realidade. Pouca bola rolando, muito amorcegamento, muita catimba e arbitragem horrorosa.
O Grêmio, talvez surpreendido pela postura do São Paulo, fez um jogo demasiadamente nervoso, apressando desnecessariamente a construção das suas jogadas. Aos 34 minutos, Galhardo sofreu falta na frente da área. Sandro Meira Ricci colocou a barreira muito próximo a balta e Douglas chutou em cima de um são paulino. No contra-ataque o Grêmio teve várias chances de interromper a jogada, mas assim não o fez e a bola chegou até Alexandre Pato, que limpou a zaga antes de chutar para abrir o marcador.

O time de Roger não se acertou no intervalo. Pelo contrário, parece ter voltado ainda mais ansioso do vestiário. O São Paulo teve chances e poderia ter liquidado a partida muito antes, não tivesse tão comprometido em administrar a sua vantagem com anti-jogo (o auge disso foi a um momento que o auxiliar Milton Cruz deixou o reservado, saiu da área técnica e foi até a metade do campo só para ganhar alguns segundos em uma substituição, tudo isso com a devida complacência do árbitro). Desse modo o jogo se arrastou até o período de acréscimos, quando finalmente, em mais um contra-ataque, Rogério ampliou para o o São Paulo. Dois minutos depois Everton aproveitou a bola que passou por Bobô e descontou para o Grêmio.

Sigo achando que substituir Maicon e Pedro Rocha por Edinho e Fernandinho acaba por alterar demais a mecânica de jogo do Grêmio.

Juan Carlos Osorio posicionou Breno a frente dos seus outros dois zagueiros, justamente no espaço que Douglas e Luan buscam para criar as jogadas. Até aqui o São Paulo foi o time que menos chances proporcionou ao ataque gremista.

Acho que o Presidente Romildo fez bem em questionar a qualificação e capacitação da arbitragem nacional. Um dos bandeirinhas de hoje (Carlos Berkembrock) estava visivelmente fora de forma e aparentava ter grande dificuldade em se movimentar para acompanhar as jogadas.

Quase 47 mil pessoas e ainda se viam muitos lugares vazios na Arena. Uma pena que os transtornos no trânsito da saída do campo sigam sendo os mesmos de dois anos atrás. Foram feitas pouquíssimas iniciativas para melhor o fluxo da região.

Tem certas coisas que eu, mesmo me esforçando muito, não consigo entender. Hoje, perto das 16h, quando as equipes já estavam em campo, uma das rampas do setor leste estava fechada enquanto ainda haviam filas nas demais entradas.

Grêmio Grêmio 1×2 São Paulo São Paulo
GRÊMIO: Bruno Grassi; Galhardo, Rafael Thyere, Erazo e Marcelo Oliveira; Edinho, Walace (Pedro Rocha, 38’/2ºT), Giuliano, Douglas (Everton, 30’/2ºT)  e Fernandinho (Bobô, 12’/2ºT); Luan. 
Técnico: Roger Machado
SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Matheus Reis (Wesley, 20’/2ºT); Breno, Thiago Mendes, Carlinhos (Rogério, 15’/2ºT), Ganso e Michel Bastos (Reinaldo, 34’/2ºT); Alexandre Pato. 

Técnico: Juan Carlos Osorio

25ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 13 de setembro de 2015, domingo, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 46.915 (44.227 pagantes)
Renda: R$ 1.846.273,00
Arbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-SC)
Assistentes: Kléber Lúcio Gil (FIFA-SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Rafael Thyere, Walace, Edinho (Grêmio); Bruno, Matheus Reis, Michel Bastos (São Paulo)
Gols: Alexandre Pato, aos 34 minutos do primeiro tempo; Rogério aos 45, e Everton, aos 48 minutos do segundo tempo.

Brasileirão 2015 – Corinthians 1×1 Grêmio

September 10, 2015

O futebol apresentado em Itaquera foi condizente com a posição dos times na classificação do Brasileirão. Foi uma grande partida, devidamente comparada a um jogo de xadrez por muitos dos espectadores. No primeiro tempo, o Grêmio fez forte marcação sobre os volantes e saída de bola corintiana, impedindo que os mandantes dominassem o meio de campo. Os 45 minutos iniciais foram de muito estudo, poucos erros e, por consequência, poucas oportunidades. Prova disso é Vagner Love e Bobô praticamente não foram acionados nesse período.
No segundo tempo o Grêmio passou  não só a marcar no campo de frente como também a ficar com a bola mais próximo da meta defendida por Cássio. Aos 13 minutos, depois de uma jogada bem trabalhada, Walace acionou Marcelo Oliveira dentro da área, que por sua vez cruzou rasteiro para Bobô completar para as redes. O tricolor seguiu atacando, tendo inclusive um gol bem anulado cinco minutos mais tarde. Contudo acabou levando o empate aos 21 minutos, quando Jadson deu um lançamento longo para  área e Renato Augusto aproveitou a indecisão da defesa gremista para, de cabeça, marcar o 1×1. O Grêmio sentiu o golpe e passou a ceder espaços (quase levou a virada aos 28, não fosse a espetacular defesa de Tiago) mas seguiu brigando e tendo oportunidade de marcar o segundo (como na bola que sobrou pra Douglas na marca do pênalti aos 39) até o final do jogo.

O Grêmio somou 4 dos 6 pontos disputados contra o atual primeiro colocado Corinthians. Assim como aconteceu em outros anos, não é exatamente o confronto direto que afasta o tricolor da liderança. 
Não gosto muito de ficar “desconstruindo” os gols que o Grêmio leva, mas o fato é que a bola lançada por Jadson ficou bastante tempo “viajando no ar” antes de chegar em Renato Augusto. É difícil avaliar se o corte deveria ser feito pelo zaga ou pelo goleiro. De certo a falta de entrosamento dessa defesa (Quantas vezes Tiago, Galhardo, Thyere e Bressan jogaram juntos?) acabou tendo seu peso no lance.
Bastante curiosa a neblina que apareceu no Itaquerão durante a partida. Não lembro de nada parecido com isso desde o jogo contra o Juventude em Caxias pelo Brasileirão de 2001

Fotos: Daniel Augusto Jr (Agência Corinthians), Ernesto Rodrigues (Folha) Alan Morici (Lance), Ale Cabral (UOL) e Daniel Teixzeira (Estadão)

Corinthians Corinthians 1×1 Grêmio Grêmio

CORINTHIANS: Cássio, Edílson, Felipe, Edu Dracena e Guilherme Arana (Yago 15’/1ºT); Ralf, Marciel (Danilo – 29’/2ºT), Jadson, Renato Augusto e Malcom (Rildo – 16’/2ºT); Vagner Love.
Técnico: Tite
GRÊMIO: Tiago, Galhardo, Pedro Geromel (RThyere 39’/1ºT), Bressan e Marcelo Oliveira; Edinho, Walace, Douglas e Giuliano; Pedro Rocha (Yuri Mamute 37’/2ºT) e Bobô (Vitinho 37’/2ºT).
Técnico: Roger Machado.
24ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data : 9/setembro/2015, quarta-feira, às 22h
Local: Arena Corinthians, em São Paulo-SP
Público30.126 pagantes
Renda:  R$ 1.635.173,50 
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Alessandro  Rocha de Matos (BA) e Kleber Lucio Gil (SC)
Cartões amarelos: Edinho, Bressan e Tiago (Grêmio) 
Gols: Bobô, aos 13 minutos do 2º tempo e  Renato Augusto, aos  21 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2015 – Grêmio 2×1 Goiás

September 8, 2015

O Grêmio começou bem o jogo diante do Goiás e já aos 33 minutos do primeiro tempo teve tudo para encaminhar uma vitória tranquila quando Felipe Macedo deu um chute no tornozelo de Bobô dentro da área e  Sandro Meira Ricci marcou o pênalti e expulsou o zagueiro esmeraldino. Só que Douglas mandou a cobrança na trave e pouco depois Bruno Henrique abriu o marcador para os visitantes, se aproveitando de uma saída desastrada do goleiro Tiago.
O segundo tempo prometia ser tenso, mas logo aos 6 minutos saiu o empate gremista, quando Bobô caiu pelo lado esquerdo de ataque e deu um cruzamento rasante para dentro da área, onde estavam Everton, Giuliano e Douglas, sendo que este último foi quem completou para as redes. O Grêmio seguiu pressionando e já com diversas modificações, chegou ao gol da virada aos 37 minutos, quando Mamute foi trazendo a bola da direita para o centro do campo para buscar um companheiro do lado oposto. Everton, que entrava na diagonal pela lado esquerdo, se aproveitou do corte mal feito pelo defensor do Goiás, ajeitou a bola com o pé direito e mandou por baixo de Renan com o pé esquerdo.

Douglas esteve muito bem na partida. Não se omitiu do jogo depois do erro, deu bons passes,  fez gol e apareceu dentro da área para tentar um segundo. Mas não dá pra ignorar o fato de que ele errou seu quarto pênalti em seis cobranças feitas em 2015. É compreensível que o treinador fale em ter confiança no seu atleta durante a coletiva, mas os números obrigam que se repense o cobrador de penalidades.
Segundo jogo seguido que Bobô sai da área para fazer uma assistência.
Melhor partida do Everton na temporada. Achei muito estranho o “arquivamento” dele no primeiro semestre.
Em 2015 o Grêmio vai terminar o Brasileirão sem tomar gol do Zé Love, o que eu considero um grande avanço em relação ao ano passado.
Eu não consigo pensar em ninguém menos emocionalmente preparado para jogar futebol profissional do que o atual goleiro do Goiás.

Fotos: Diego Guichard (Globo Esporte) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 2×1 Goiás Goiás

GRÊMIO: Tiago; Lucas Ramon (Yuri Mamute, 25’/2ºT), Pedro Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon (Willian Schuster, 23’/2ºT), Giuliano, Douglas e Everton (Moisés, 40’/2ºT); Bobô.
Técnico: Roger Machado
GOIÁS: Renan; Gimenez, Felipe Macedo, Fred e Diogo Barbosa; Rodrigo, Patrick (Murilo Henrique, 40’/2ºT) e David (Ygor, 41’/2ºT); Erik (Alex Alves, 37’/1ºT), Zé Love e Bruno Henrique
Técnico: Julinho Camargo

24ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 6/9/2015, domingo, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Público: 29.184 (27.176 pagantes)
Renda: R$ 1.027.226,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-SC)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Eduardo Conçalves da Cruz (MS)
Cartões amarelos: Felipe Macedo, Patrick, Gimenez e Bruno Henrique; Douglas e Marcelo Oliveira
Cartões vermelhos: Felipe Macedo, (aos 34 do 1ºT)
Gols: Bruno Henrique, aos 43 minutos do primeiro tempo; Douglas, aos 6 minutos e Everton  aos 37 minutos do segundo tempo.

Brasileirão 2015 – Figueirense 0x2 Grêmio

September 4, 2015

Impressionante como o Grêmio tem se dado bem nos seus últimos jogos em Florianópolis. Ontem o time conseguiu se reabilitar com uma vitória diante do Figueirense, mesmo tendo uma série de desfalques.
Logo aos 6 minutos, Maxi Rodriguez bateu escanteio e Bobô cabeceou livre para fazer o 1×0. O gol ajudou muito o Grêmio, que pode ter maior tranquilidade para adotar uma postura mais reativa. No restante da primeira etapa o Figueirense teve mais iniciativa, chegou a ter algum volume de jogo, mas não teve chances tão claras de empatar.
No início do segundo tempo o tricolor levou dois grande sustos: Aos 6 minutos Rafael Bastos deu um belo corte em Walace dentro da área mas exagerou na força na conclusão, chutando por cima do travessão. Aos 12 minutos Marcão aproveitou o presente dado pro Bressan, driblando o goleiro Tiago e empurrando a bola para o gol vazio, mas o zagueiro gremista se recuperou no lance, colocando a bola para escanteio após um providencial carrinho. Depois disso o Grêmio se reencontrou em campo e passou a valorizar mais a posse de bola. Como consequência, acabou marcando o segundo gol num bonito contra-ataque, com assistência de Bobô para Pedro Rocha, que apareceu sozinho dentro da área para finalizar.

Além da permanência no G4 o resultado serve para dar confiança grupo de atletas do Grêmio, visto que muito se questionava a capacidade de reposição na hora que surgissem os desfalques.

Pedro Rocha tem uma média de gols muito boa para um jogador de frente que joga aberto pelo lado do  e ainda tem a responsabilidade de acompanhar o lateral adversário. Não pode ser reserva, especialmente se levarmos em conta as peças que Roger tem a sua disposição.
Não foi a primeira oportunidade que o goleiro Tiago entrou em campo com uma camisa de jogador “de linha”. Dessa vez eu não gostei muita da combinação do gradiente da terceira camisa com o calção azul.

Fotos: Anderson Pinheiro (Mafalda Press), Marco Santiago (Notícias do Dia) e Figueirense FC

Figueirense Figueirense 0x2 Grêmio Grêmio

FIGUEIRENSE: Alex Muralha; Leandro Silva, Bruno Alves, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Dener, Paulo Roberto, Fabinho e Rafael Bastos; Dudu (Marcão, 37’/1ºT) e Clayton 
Técnico: René Simões.
GRÊMIO: Tiago; Galhardo, Pedro Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Edinho, Giuliano, Maxi Rodríguez e Fernandinho (Pedro Rocha, 23’/1ºT), Bobô (Vitinho, 38/2ºT) 
Técnico: Roger Machado

22ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015

Data: 03 de setembro de 2015, quinta-feira, 21h00min
Local: Orlando Scarpelli, Florianópolis – SC
Público: 11.258 (10.823 pagantes)
Renda: R$ 258.850,00
Árbitro: Raphael Claus (FIFA-SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA-SP) e Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)
Cartões amarelos: Dener, João Vitor, Leandro Silva e Thiago Heleno (FIG); Bressan, Galhardo, Edinho e Pedro Rocha (GRE).
Gols: Bobô, aos 6 minutos do 1º tempo; Pedro Rocha, aos 32 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2015 – Grêmio 0x0 Coritiba

August 31, 2015

Parece ser um consenso que o Grêmio sentiu demais o ritmo da partida, o que em parte ajuda a explicar o 0x0 no placar. O tricolor teve mais iniciativa e teve as chances mais claras de marcar, mas os atletas do Coritiba terminaram a partida com muito mais “perna”, ensaiando um sufoco perto da meta defendida por Marcelo Grohe nos minutos finais.

E todo esse cenário passa muito pelo confronto da Copa do Brasil que aconteceu 62 horas antes no mesmo estádio. O Coxa saiu eliminado mas “descansou” muitos dos seus titulares. O Grêmio optou por usar a força máxima para garantir a classificação no mata-mata e acabou pagando o preço no Brasileirão.

Saindo da questão física e entrando no aspecto tático é preciso registrar que sem Maicon o Grêmio roda menos a bola no meio campo e sem Pedro Rocha o ataque tem menos movimentação e troca de posições, o que acaba alterando um tanto a forma do time jogar.

Na partida de estreia no Brasileirão, a análise do comportamento da torcida do Grêmio frente ao horário das 11h do domingo ficou prejudicada pela partida ter sido marcada para um dia das mães, após uma derrota na final do gauchão. Mas ontem ficou evidente que esse horário agrada aos gremistas tanto quanto os demais torcedores do Brasileirão. Foi o terceiro melhor público da Arena no ano.

E fica a pergunta: O Grêmio sentiu o ritmo por que jogou as 11h ou por que vem numa sequência de partidas a cada 3 jogos?

Acho pertinente que o clube questione a distribuição das equipes na grade de horários da TV, mas é preciso cuidado para que não se deixe de analisar todas as causas da queda de rendimento da equipe.

Fotos: Fábio Gomes (Lance) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 0x0 Coritiba Coritiba
GRÊMIO: Marcelo Grohe, Galhardo (Lucas Ramon, 25’/2ºT), Geromel, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace (Bobô, 37’/2ºT), Edinho, Giuliano, Douglas e Fernandinho (Pedro Rocha, 22’/2ºT); Luan.
 Técnico: Roger Machado
CORITIBA: Wilson; Leandro Silva, Walisson, Juninho e Carlinhos; João Paulo, Cáceres (Thiago Galhardo, 8’/2ºT), Lucio Flavio e Ruy (Rodrigo Ramos, 39’/2ºT); Rafhael Lucas (Evandro, 18’/2ºT) e Henrique Almeida
Técnico: Ney Franco

21ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 30/8/2015, domingo, 11h00min
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre – RS
Público: 46.000 (43.549 pagantes)
Renda: R$ 1.913.943,00.
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA-SP)
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Cartões amarelos: Erazo, Douglas, Edinho e Lucas Ramon; Henrique Almeida, Ruy, Thiago Galhardo e Wallison Maia

Brasileirão 2015 – Ponte Preta 0x0 Grêmio

August 24, 2015

A brincadeira repetida ontem era que a melhor figura do Grêmio em campo foi a trave de Marcelo Grohe. O que ajuda a mostrar que o 0x0 no Moíses Lucarelli não foi mau negócio para o tricolor, muito embora Braian Rodriguez tenha desperdiçado uma chance claríssima de “cometer um crime” aos 46 minutos do segundo tempo.
Assim como já tinha acontecido em Curitiba na quarta-feira, o time apresentou sinais de cansaço e não conseguiu voltar a ter o mesmo desempenho que teve contra Inter e Atlético-MG. A entrada de Fernandinho no lugar de Pedro Rocha não trouxe mais vigor a equipe e a Ponte Preta acabou dominando as ações, tendo inúmeras conclusões e colocando duas bolas na trave.

O Grêmio esteve pior na partida do que o seu adversário, mas mesmo assim conseguiu segurar um empate. Devemos valorizar isso. Problema é somar apenas 2 pontos em 6 disputados com a Ponte (que, com todo o respeito, não tem as mesmas pretensões do Grêmio no Campeonato).

Acredito que todo mundo tem o direito de se indignar com algum lance errado na partida. Mas não consigo aceitar que um funcionário/prestador de serviço do clube chame, publicamente, um atleta do Grêmio de “merda” e “Filho da Puta“. O fato da direção ter escolhido trazer para dentro da instituição um sujeito com esse tipo de pensamento em relação aos guris da base me entristece muito mais do que a má atuação em Campinas.

Fotos: Victor Hafner (A.A. Ponte Preta)

Ponte Preta Ponte Preta 0x0 Grêmio Grêmio

PONTE PRETA: Marcelo Lomba, Rodinei, Renato Chaves, Pablo e Gilson; Fernando Bob e Elton; Felipe Azevedo, Bady (Leandrinho, 24’/2ºT) e Biro Biro (Keno, 33’/2ºT); Borges (Diego Oliveira, 8’/1°T)
Técnico: Doriva
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Galhardo, Geromel, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon (Edinho, 2’/2ºT), Douglas, Giuliano e Fernandinho (Pedro Rocha, 32’/2ºT); Luan (Braian Rodríguez, 12’/2ºT)
Técnico: Roger Machado

20ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2015
Data: 23/08/2015, domingo, às 11h00min
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP
Público: 8.612 pagantes
Renda: R$ 145.880,00
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Auxiliares: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Cartões amarelos: Biro Biro (PON); Marcelo Grohe (GRE)