Archive for the ‘Ceará’ Category

Brasileirão 2020 – Ceará 1×1 Grêmio

August 13, 2020

 

 

 

 

 

 

Acho estranho o Grêmio reclamar do excesso de jogos logo após não ter topado fazer a final do Gauchão em um jogo único.

Está no livro Guardiola confidencial” de Martí Perarnau:As ligas são ganhas nas últimas oito rodadas, e são perdidas nas oito primeiras.”

 

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Felipe Santos (Ceará SC)

CEARÁ: Fernando Prass; Samuel Xavier (Eduardo, 42/2ºT), Luiz Otávio, Lacerda e Alyson; William Oliveira (Fabinho, 37/2ºT), Charles; Mateus Gonçalves (Bergson, 42/2ºT), Fernando Sobral e Leandro Carvalho (Jacaré, 26’/2T); Cléber (Rafael Sobis, 42/2ºT)
Técnico: Guto Ferreira

GRÊMIO: Paulo Victor; Orejuela, David Braz, Rodrigues e Bruno Cortez; Lucas Silva (Thiago Neves, 26/2ºT), Darlan; Alisson, Thaciano (Ruan, 43/2ºT), e Pepê; Isaque (Patrick, 37/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

02ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: 12 de agosto de 2020, quarta-feira, 21h30min
Local: Estádio Castelão, em Fortaleza -CE
Árbitro: Caio Max Augusto
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz e Helcio Araujo Neves
VAR: Ana Paula da Silva Oliveira
Cartões amarelos: Fernando Prass
Gols: Cléber, aos 43 minutos do 1º tempo; Thaciano, aos 26 minutos do 2º tempo

Brasileirão 1972 – Ceará 0x0 Grêmio

August 11, 2020

O Grêmio também não conseguiu derrotar o Ceará no “Presidente Vargas”. Oberti, no lance em foco, saiu para dar vez a Mazinho, mas o placar ficou no zero.” (Correio do Povo, 26 de setembro de 1972)

No Brasileirão de 1972, Ceará e Grêmio se enfrentaram no Presidente Vargas em partida válida pela 1ª fase.  As duas equipes avançaram a fase seguinte, na qual foram eliminadas

“GRÊMIO 0X0 CEARÁ SÓ AGRADA A DALTRO

Fortaleza (Correspondente) — O jogo entre Grêmio e Ceará só agradou ao técnico Daltro Menezes, que considerou o empate de 0 a 0 como “uma vitória que nos deu um ponto”. Para o técnico do Ceará e para as 18 484 pessoas que pagaram para ver a partida (entraram 1750 penetras o resultado foi negativo. A renda somou Cr$ 117 788,00.

O Grêmio dominou o primeiro tempo e o Ceará o segundo, mas durante todo o jogo ninguém ameaçou fazer gol. O juiz, com bom trabalho, foi o paulista Vilmar Serra. Um torcedor saiu ferido na cabeça por uma garrafa atirada a esmo, nas gerais — e o público saiu frustrado pela falta de gols, que não aconteceram por causa da excelente atuação das duas defesas. 

SEM PRESSÃO

Os dois times formaram assim: Ceará — Hélio, Artur, Nagel, Mauro e Paulo Tavares; Edmar e Joãozinho (Élcio); Jorge Costa, Samuel, Erand (Belo) e Dacosta. Grêmio — Jair, Espinosa, Ancheta, Beto e Everaldo; Jadir e Negreiros; Carllnhos, Lairton (Paulo Sérgio), Oberti (Mazinho) e Loivo.

O primeiro tempo pertenceu aos gaúchos, que dominaram o meio de campo e impuseram o seu próprio jogo, na base do toque de bola e de lançamentos em profundidade. Esse domínio, porém, só ia até a entrada da área dos cearenses, cuja defesa impedia qualquer penetração, pelo miolo ou pelas extremas.

Na primeira fase, só houve duas jogadas perigosas: aos 21 minutos, Erandi chutou em cima de Jair, depois de uma falha da zaga gremista; aos 40, Oberti penetrou livre, mas chutou fraco, nas mãos de Hélio.

No segundo tempo Daltro Menezes tirou Oberti e colocou Mazinho, que entrou para atuar recuado, buscando o jogo. O Ceará cresceu de produção e passou a tomar conta do meio de campo, impondo também o seu estilo, à base da velocidade. A defensiva gremista, com Ancheta e Beto em boa forma, cortava, no entanto, todas as investidas. O domínio dos locais — como acontecera com o Grêmio no primeiro tempo — acabava na entrada da área do adversário.

Nessa etapa, como no primeiro tempo, só duas boas jogadas aconteceram: aos 14 minutos, Erandi cruzou da linha de fundo, Ancheta falhou e Samuel Ia marcar, mas Beto pós a comer; aos 30, Espinoza cruzou com violência e o goleiro Hélio falhou, mas Mazinho chegou tarde para o arremate. O Grêmio ainda tirou Lairton para colocar Paulo Sérgio, sem resultado prático. O Ceará trocou Joãozinho por Élcio, que foi jogar na frente, passando Samuel a armar o jogo. Essa alteração também em nada influiu. Aos 40 minutos, Erandi saiu contundido, entrando Belo em seu lugar.” (Jornal do Brasil, segunda-feira, 25 de setembro de 1972)

“DO 0X0 GREMISTA EM FORTALEZA À VITÓRIA DO INTER SOBRE O VASCO

FORTALEZA (De João Carlos Belmonte) — O Grêmio, na primeira partida da excursão pelo Nordeste, empatou com o Ceará no pequeno e temível Estádio Presidente Vargas sem abertura de contagem. O zero no final contentou as duas equipes, embora o Grêmio tivesse, em duas oportunidades, a chance de chegar à vitória. Se no 1.° tempo os gaúchos não fizeram golo, foi porque Lairton, após receber uma bola perfeita de Oberti, afobou-se na hora da conclusão. Lairton tinha espaço para avançar mais e poderia, até, forçar uma penalidade máxima.  Mas ele preferiu chutar tão logo ficou frente a frente com o goleiro Hélio.

No primeiro tempo essa foi a única real situação de golo dos gremistas. O Ceará pouco ameaçou, pois encontrou uma defesa bem postada, exceção de Everaldo, que eliminou as jogadas dos ponteiros da equipe, os irmãos da Costa. O ponteiro Jorge Costa quando vencia Everaldo, e venceu muitas vezes, não podia dar seqüência ao lance, pois recebia, as marcações de Jadir e Beto.

Espinosa foi perfeito na marcação a Da Costa, mas o ataque do Grêmio não foi bem porque Oberti não obedeceu a instrução do treinador Daltro Menezes para que jogasse mais pela direita e, em conseqüência disso, o Grêmio ficou praticamente sem jogada pela direita e Carlinhos foi quase um assistente privilegiado.

No segundo tempo, para corrigir o erro, Daltro retirou Oberti e colocou 3,1azinho, outro brigador. Mas aos poucos o Grêmio começou a cair de produção na meia-cancha. Negreiros, na tentativa de acompanhar a correria de Edmar e Joãozinho, já não voltava com regularidade. Saiu Lairton que não jogava bem no 2º tempo e Paulo Sérgio equilibrou, mesmo acionando lento e errando passes. O Ceará, ao invés de reforçar a defesa e meia-cancha, preferiu o goleador Hélcio, retirando Joãozinho e recuando Samuel.

 Ivonísio queria com Hélcio (goleador do último campeonato baiano) dar mais força ao ataque, mas como Ancheta e Beto estiveram perfeitos, de nada adiantou a modificação do técnico cearense. Da maneira como se dispuseram no gramado, dificilmente os dois times conseguiram marcar. No 2º tempo a melhor oportunidade gremista. Mazinho perdeu uma boa chance, num cruzamento da direita em que Hélio falhou.

Nada mais aconteceu a não ser a festa de Daltro e Ivonisio — os treinadores — pelo empate que eles mesmos propuseram durante 90 minutos de partida. Só que para o Grémio por jogar na casa do adversário, o zero foi bem melhor. […]” (Correio do Povo, terça-feira, 26 de setembro de 1972)

“OBERTI ESTÁ PERDENDO A POSIÇÃO

FORTALEZA (De João Carlos Belmonte, enviado especial) Daltro está, pensando como resolver o problema de Oberti que, parece, está se agravando de jogo para jogo, com a desobediência do argentino às ordens do treinador do Grêmio. Domingo último, durante 45 minutos, o técnico gritou para que Oberti viesse para, o lado direito a fim de que Carlinhos não ficasse sem jogada na ponta direita:

— Já falei com o Oberti e perguntei como é que poderíamos resolver isso. Ele me disse que sabe jogar pela direita, mas acontece que na hora da partida ele vai para o lado esquerdo e junta-se a Lairton.

A possibilidade de Lairton ficar na direita, indo Oberti para a esquerda, dificilmente será tentada pelo ‘treinador Daltro Menezes:

— Isso não dá para fazer, porque o Lairton é o jogador para cabecear as bolas que o Carlinhos ou Espinosa levantam para a área.

Então, Daltro vai conversar com os 3 jogadores — Oberti, Mazinho e Lairton — para ver como é que resolverá o problema. Pelo que pensa o treinador — “quero Oberti jogando pela direita” — tudo indica que se o argentino continuar entrando pela esquerda, ele é que acabará saindo do time.

 — O Oberti é um grande jogador mas contra o Ceará foi muito mal, prejudicou o andamento dos lances. O coitado do Carlinhos ficou isolado na ponta direita, sem receber nenhum passe.

A alteração gremista para o logo de amanhã à noite em Natal só será decidida hoje pelo Daltro, pois o técnico diz que precisa pensar muito no assunto antes de tomar a decisão de afastar Oberti do time. Pode ser até que Daltro mantenha o argentino, dando-lhe outra oportunidade para que ele confirme o que diz par, o ténico: ‘Sei jogar pelo lado direito”.

A outra modificação na equipe, Daltro nem precisa pensar ou conversar com os jogadores: Carlos Alberto entra e sai Jadir. A doença de Carlos Alberto — pretesto para afastá-lo da partida de domingo — não é problema para o jogo de amanhã. A defesa, segundo o ‘treinador, não sofrerá nenhuma alteração.” (Correio do Povo, terça-feira, 26 de setembro de 1972)

Ceara 0 x 0 Grêmio

CEARÁ: Helio; Artur, Nagel, Mauro e Paulo Tavares; Edmar e Joãozinho (Elcio); Jorge Costa, Erandi (Belo), Samuel e Da Costa
Técnico: Ivonísio Mosca

GRÊMIO: Jair; Valdir Espinosa, Ancheta, Beto e Everaldo; Jadir e Negreiros; Carlinhos, Oberti (Mazinho), Lairton (Paulo Sergio) e Loivo
Técnico: Daltro Menezes

Brasileirão 1972 – 1ª Fase – 5ª Rodada
Data: 24 de setembro de 1972, domingo
Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza-CE
Publico: 19.484
Renda: Cr$ 117 788,00
Juiz: Vilmar Serra

Brasileirão 1971 – Grêmio 1×0 Ceará

October 9, 2019

O primeiro confronto entre Grêmio e Ceará no Rio Grande do Sul aconteceu em jogo válido pela primeira fase do Brasileirão de 1971. Vitória gremista no Olímpico, graças ao gol marcado por Torino.

1971 Ceara guaiba

SÓ UM GOLO DE TORINO NUM JOGO MUITO FÁCIL PARA OS GREMISTAS
Dos favoritos de sábado, apenas o Grêmio conseguiu um resultado totalmente positivo. Ganhou do Ceará Sporting de 1×0 (golo de Torino), um marcador bastante escasso mas que não disse o que foi o predomínio tricolor em campo. No outro jôgo noturno da sabatina, o Atlético Mineiro não passou de 2×2 com o Santa cruz, em pleno “Magalhães Pinto”, empate que teve cheiro de vitória para o campeão pernambucano. Domingo, Corintians, Palmeiras e Vasco, mesmo jogando como visitantes, somaram mais dois pontos, o que estava nas previsões. Os empates entre Fluminense x Botafogo e São Paulo x Cruzeiro devem ser considerados como resultados normais.” (Correio do Povo, 28 de setembro de 1971)

1971 Ceara ingressos

Grêmio 1 x Ceará

GRÊMIO: Jair; Valdir Espinosa, Ari Ercilio, Beto Bacamarte e Everaldo; Torino e Gaspar; Flecha, Caio, Scotta e Loivo
Técnico: Otto Glória

CEARÁ: Helio; Mauro Cruz, Mauro Calixto, Nagel e Carlindo; Artur e Edimar (Magela 18/2ºT); Gilberto, Luciano (Marco Aurelio 30/2ºT), Erandir e Vitor

Brasileirão 1971
Data: 25 de setembro de 1971, sábado, 21h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Renda: Cr$ 28.138,00.
Árbitro: Romualdo Arppi Filho
Auxiliares: Jeferson de Freitas e Airton Bernardoni
Gol: Torino, aos 22 do 1° tempo

Brasileirão 2019 – Ceará 2×1 Grêmio

May 21, 2019

Campeonato Brasileiro/Serie A - Gremio x Ceara.

Quinta partida sem vitória tricolor no Brasileirão 2019. Com o futebol apresentado no Castelão, seria muito difícil o Grêmio sair com os três pontos do Ceará.

Campeonato Brasileiro/Serie A - Gremio x Ceara.

Ceará 2×1 Grêmio

CEARÁ: Richard (Diogo Silva, intervalo); Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e João Lucas; Fabinho, Ricardinho e Thiago Galhardo (Pedro Ken, 30/2°T); Leandro Carvalho (Rick, 17/2°T), Bergson e Fernando Sobral.
Técnico: Enderson Moreira

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Michel e Juninho Capixaba(Pepê, 38/2°T); Rômulo (Marinho, 25/2°T) e Matheus Henrique; Alisson (Felipe Vizeu, 31/2°T), Thaciano e Everton; André.
Técnico: Renato Portaluppi

05ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2019
Data: 19/05/2019, Domingo, 19h00min
Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Público: 17.506 pagantes
Renda: R$ 183.016,00
Árbitro: Igor Junio Benevenuto/MG
Assistente 1: Felipe Alan Costa de Oliveira/MG
Assistente 2: Ricardo Junio de Souza/MG
4º Árbitro: Adriano Barros Carneiro/CE
Árbitro de Vídeo: José Cláudio Rocha Filho/SP
Assistente de Árbitro de Vídeo 1: Gilberto Rodrigues Castro Junior/PE
Assistente de Árbitro de Vídeo 2: Clovis Amaral da Silva/PE
Cartões amarelos: Juninho Capixaba, Matheus Henrique, Everton, Alisson, Marinho, Pepê; João Lucas, Pedro Ken, Fabinho;
Gols: Ricardinho, aos 10 minutos; Michel, (contra) aos 23 minutos e Everton, aos 30 minutos do primeiro tempo

Brasileirão 1973 – Ceará 0x0 Grêmio

May 19, 2019
ceara01 damiao ribas cp

Foto: Damião Ribas (Correio do Povo)

Em 1º de novembro de 1973 o Grêmio enfrentou pela primeira vez o Ceará em Fortaleza pelo Brasileirão. Ao que tudo indica foi um enfadonho 0x0.

Um dado curioso é que na delegação do Grêmio estava Luiz Watanabe, campeão do mundial de Karatê em 1972. O karateca fora convidado pelo preparador físico Coronel Mário Doernt para auxiliar a resolver problemas de distensões nos atletas gremistas.

ceara02 damiao ribas cp

Foto: Damião Ribas (Correio do Povo)

EMPATE FOI BOM PARA O GRÊMIO

[…]
1.º TEMPO

No começo, o Grêmio tinha a intenção de segurar o jogo, esperando que o Ceará, muito entusiasmado e correndo muito, diminuísse o ritmo. Mas o Grêmio não conseguia por causa de um erro de marcação, especialmente de Mazinho, que reclamando muito de uma dor no joelho não acompanhava a correria de Edmar, jogador mais atrasado do meio-campo do Ceará mas o mais perigoso, porque partia de trás, livre, criando boas jogadas.

Por isso, o Grêmio tinha problemas para controlar o trabalho do Ceará, e se prejudicava no ataque — Marinho, com muita lentidão, demorava a dar continuidade às jogadas, e Tarciso, bem à frente, nunca conseguia vantagens sobre a defesa adversária, só perturbada em duas ocasiões, por dois chutes de Tarciso que, entretanto, nem chegaram a atingir o golo. Hélio, o goleiro do Ceará, no primeiro tempo fez apenas uma intervenção, pelo alto, sofrendo falta, o que invalidou lance.

2.° TEMPO

Para o tempo final, era normal que o Grêmio tomasse maiores precauções com seu meio-campo, procurando acertar melhor a sua movimentação. E parcialmente isso foi conseguido — o Grêmio apurou o ritmo, passou a jogar com mais velocidade. E encontrando o Ceará um pouco desordenado, m resultados pareciam que seriam bons, com o Grêmio assumindo o controle da partida, e até criando jogadas de ataque, com Jorge Tabajara, aproveitando a falta de um ponteiro-direito, subindo para o apoio e ajudando Loivo, que assessorado, cuidou mais do meio, apoiando Tarciso e lura que entrou em lugar de Mazinho.

Mas dois lances perigosíssimos contra o golo de Picasso, por volta dos 15 minutos, mudaram a fisionomia da partida — no primeiro, os irmãos Da Costa ensaiaram a cobrança de uma falta, Da Costa chutou, Picasso pegou com enorme dificuldade. E em seguida, Erandi, com tudo para marcar, só não conseguiu pela extraordinária participação de Picasso que mesmo não segurando firme, evitou o golo tocando para fora.

O Ceará melhorou, mas o Grêmio, mais acertado no meio-campo continuou um pouco melhor, com lura criando jogadas menor organizadas. O Grêmio até conseguiu duas chances excelentes através de lura, muito bom jogador, tocando a bola com objetividade, e numa delas Tarciso foi deslocado, na hora do chute, de onde surgiu a maior reclamação do Grêmio, a de que houve pênalte neste lance era que Tarciso, depois de combinar com lura, estava pronto para o chute. Dimas, na hora da conclusão, chutou o pé de apoio, Tarciso chutou uma perna na outra e caiu, perdendo o golo. O juiz, entretanto, não marcou nada.

O jogo acabou terminando em zero a zero, e mesmo que o Grêmio reclamasse, foi um bom resultado, porque o time, apesar das mudanças, não chegou a um rendimento satisfatório no meio de campo e no ataque.” (Correio do Povo, sexta-feira, 2 de novembro de 1973)

ceara jorge tabajara damiao ribas cp

Foto: Damião Ribas (Correio do Povo)

watanabe cp
ceara guaiba

CEARÁ: Hélio; Marinho, Artur, Dimas e Carlindo; Edmar e Serginho; Antônio Carlos (Erandi), Samuel, Jorge Costa e Da Costa.
Técnico: William Pontes

GRÊMIO: Picasso; Cláudio, Ancheta, Beto Bacamarte e Jorge Tabajara; Carlos Alberto, Paulo Sérgio e Mazinho (Iura); Carlinhos, Tarciso e Loivo.
Técnico: Carlos Froner

Campeonato Brasileiro de 1973
Data: 1º de novembro de 1973, quinta-feira, 21h00min
Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza-CE
Renda: Cr$ 70.577,00
Árbitro: Oscar Scolfaro
Auxiliares: Ovidio Silva e Edson Carneiro

Brasileirão 2018 – Grêmio 3×2 Ceará

September 24, 2018

Gremio x Ceara

Foi um jogo bastante movimentado, apesar do gramado pesado. O Grêmio errou bastante na defesa, mas criou bastante e nunca deixou de acreditar na vitória, que venho num golaço de falta de Luan.

E o Grêmio está a 4 pontos do líder (4 pontos que ficaram pelo caminho na Vila Capanema, na Ilha do Retiro, em São Januário…)

Thonny Anderson estava escalado como centroavante. Fez gol de centroavante. Mas no  posicionamento médio apareceu mais recuado do que Luan, Everton e Ramiro.

Antes dessa partida O Grêmio tinha jogada cinco vezes na Arena nesse horário de domingo às 11 horas.  A média de público nesses cinco jogos era de 32.220 (29.852 pagantes). Com o jogo de hoje a média passou para 33.337 (31.008 pagantes)

– Média de público da Arena na temporada 2018:
24.476 (22.371 pagantes)

– Média de público do Grêmio no Brasileirão 2018:
23.945 (21.957 pagantes)
Gremio x Ceara
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 3×2 Ceará

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Kaio, aos 40/2ºT) e Cícero; Ramiro (Pepê, aos 17/2ºT), Luan e Everton; Thonny Anderson (Thaciano, aos 27/2ºT).
Técnico: Renato Portaluppi

CEARÁ: Everson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Edinho (Robinho, aos 31/2ºT), Richardson, Juninho Quixadá (Felipe Azevedo, aos 31/2ºT) e Calyson; Leandro Carvalho (Pedro Ken, aos 13/2ºT) e Arthur
Técnico: Lisca

26ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 23/9/2018, domingo, 11h00min
Local: Arena Grêmio, Porto Alegre (RS)
Público: 38.924 (36.789 pagantes)
Renda: R$ 1.523.542,00
Árbitro: Dewson Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Helcio Araujo Neves (PA) Luís Diego Nascimento Lopes (PA)
Cartões amarelos: Ramiro, Geromel, Luan (GRE) Tiago Alves (CEA)
Gols: Luiz Otávio aos 12, Geromel aos 20, Arthur aos 26 e Thonny Anderson aos 43 minutos do primeiro tempo; Luan aos 23 minutos do segundo tempo.

Brasileirão 2018 – Ceará 0x1 Grêmio

May 28, 2018

40588930790_86d6a99d20_k
Everton foi protagonista do jogo. Foi ele que colocou bola na trave no primeiro tempo. Foi ele que sofreu dois pênaltis (um não marcado e outro marcado como falta fora da área) e foi ele que arrancou em alta velocidade, partindo do campo de defesa do Grêmio e indo até a área o Ceará, de onde cruzou para Thonny Anderson fazer o único gol do jogo.

40588931110_4c302aaef8_k
Sigo com a impressão que a Umbro não fez (e nem irá fazer) uma meia azul para 2018. A de 2017 tem um tom um pouco mais fraco/claro do que o calção e camisa azul dessa temporada, o que deixa a combinação estranha (mas ainda melhor do que a combinação de camisa e calções azuis com meia branca).

2018 ceara-x-gremioFotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Lyvia Rocha (Tribuna do Ceará)

Ceará 0x1 Grêmio

CEARÁ: Éverson, Samuel Xavier, Rafael Pereira (Valdo, no intervalo), Luiz Otávio e Romário; Juninho, Richardson e Ricardinho (Douglas Coutinho, aos 23’/2°T); Felipe Azevedo (Hyuri, no intervalo), Elton e Wescley
Técnico: Jorginho

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Leonardo Moura (Lima, aos 12’/2°T), Bressan, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon (Thonny Anderson, aos 34’/2°T), Jaílson, Ramiro, Cícero e Everton; André (Thaciano, aos 19’/2°T)
Técnico: Renato Portaluppi

07ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 27/05/2018, domingo, 19h00min
Local: Arena Castelão, Fortaleza – CE
Público: 15.743 (14.012 pagantes)
Renda: R$ 128.138,00
Árbitro: Wagner Reway (FIFA-MT)
Assistentes: Alessandro  Rocha de Matos (FIFA-BA) e Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)
Cartões amarelos: Ramiro, Everton; Richardson, Samuel Xavier, Élton
Gols: Thonny Anderson aos 35 minutos do 2° tempo

20 anos da Copa do Brasil 1994 – Ceará 0x0 Grêmio

August 7, 2014

Num 7 de agosto, Ceará e Grêmio disputaram o primeiro jogo da final da Copa do Brasil 1994 em Fortaleza. Felipão tomou todos os cuidados para não repetir o erros cometidos por Palmeiras e Inter, que foram surpreendidos pelo Vozão.

O técnico gremista não poderia contar com o lateral Ayupe, tendo que improvisar André Vieira no setor. Já o falante técnico Dimas Filgueiras teve os desfalques do goleiro Chico e do lateral-esquerdo Claudenésio. O Grêmio estava invicto na competição e o Ceará não havia sofrido nenhum gol jogando em casa. E assim as coisas permaneceram depois dos primeiros 90 minutos disputados em um Castelão hiperlotado.

“O time comandado por Dimas Filgueiras que contava, dentre outros, com os cearenses Ivanoé, Ronaldo Salviano, Airton, Claudemésio, Ivanildo e Jaime, desperdiçou a chance do título no jogo de ida contra o Grêmio, ao perder inúmeras chances de gol. Na ocasião, o Castelão recebeu um público pagante oficial de 53.915. Entretanto, duas horas antes do jogo, em comum acordo, a Federação Cearense de Futebol (FCF) e a Polícia Militar (PM), ´para evitar uma catástrofe´, mandou abrir os portões, já que não tinha como dar vazão à entrada dos torcedores e, assim, milhares entraram sem pagar. Vale lembrar que o Castelão, com sua capacidade anterior, estava completamente repleto.” (Diário do Nordeste, 09/08/2009)

“Assim, o que se viu ao longo dos 90 minutos foi um jogo disputado no meio-campo, com raros lances de área. O goleiro Danrlei praticamente não foi exigido. Já o goleiro Ivanoé trabalhou um pouco, evidenciando a maior potencialidade do Grêmio. Aos 29 minutos, por exemplo, Pingo ficou livre para marcar, mas Ivanoé saiu rápido e defendeu” (Correio do Povo – 8 de agosto de 1994)

“Para Luís Felipe era importante que o Grêmio tivesse feito um gol, o que deixaria o time mais tranquilo para a decisão. “Nós sabemos que o Ceará é perigoso fora de casa. Por isso pedi mais ousadia no segundo tempo. O time teve algumas chances, mas o gol não veio. De qualquer modo o resultado foi bom e justo. O resultado de 0 a 0 diz o que foi o jogo”, admitiu o treinador, que espera o apoio da torcida no Olímpico” (Correio do Povo – 8 de agosto de 1994)


“No intervalo, irritado, Luiz Felipe não mudou o time, mas exigiu mais ousadia do meio e ataque. “Não podemos ter medo deles”, justificou. A intenção era conter as saídas de jogo adversárias e fazer pelo menos um gol, que quase ocorreu aos quatro minutos. Agnaldo desperdiçou excelente oportunidade.” (Zero Hora – 8 de agosto de 1994)

“O centroavante Nildo, que conseguiu estar bem colocado em alguns lances de ataque, considerou boa a atuação do ataque. “Nós fomos sempre superiores a eles, é uma questão de esperar a quarta-feira, o título será nosso”, garantiu.” (Zero Hora – 8 de agosto de 1994)

“O presidente Fábio Koff ficou irritado com a renda apresentada no borderô do Estádio Castelão. “É uma agressão virem nos dizer que só havia 53 mil pessoas em um estádio com capacidade de 120 mil lugares”; reclamou. “A renda do Olímpico vai definida amanhã (hoje)”, ironizou. A Associação dos Cronistas Esportivos do Ceará (ACEC) entrará com um pedido na Justiça para que seja feita a recontagem dos ingressos do jogo de ontem.” (Zero Hora – 8 de agosto de 1994)

“A torcida fez a sua parte: Compareceu em grande número, animou a festa com ôla mexicana e vibrou, o quanto pôde. Em campo, o Ceará não correspondeu, mostrando um futebol medroso e esperando as investidas do Grêmio. A tática alvinegra era não sofrer gols e o objetivo foi alcançado, repetindo as atuações contra Palmeiras e Linhares, quanto também empatou em 0x0, frustrando o torcedor que queria ver futebol. (Jornal O Povo – Marconi Alves – – 8 de agosto de 1994)

1ºtempo

2º tempo

 Fontes: Correio do Povo, Diário do Nordeste, Folha de São Paulo, Globo Esporte, O Povo e Zero Hora


Ceará 0x0 Grêmio

CEARÁ: Ivanoé; Ronaldo, Aírton, Vitor Hugo e Ivanildo; Mastrillo, Zé Ricardo (Claudemir) e Elói (Cafu); Catatau, Jerônimo e Sérgio Alves
Técnico: Dimas Filgueiras

GRÊMIO: Danrlei; André Vieira, Paulão, Agnaldo e Roger; Pingo, Jamir, Émerson e Carlos Miguel; Fabinho e Nildo
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Final – jogo de ida – Copa do Brasil 1994
Data: 7/8/1994, domingo, 17:00
Local: Estádio Castelão, em Fortaleza
Público: 53.915 pagantes
Renda: R$ 139.789,00
Árbitro: Antônio Pereira da Silva-GO
Auxiliares: Marques Dias da Fonseca-GO e Vanderlei Maia da Silva-GO
Cartões Amarelos: Jamir