Archive for the ‘Copa do Brasil 2013’ Category

Copa do Brasil – Grêmio 0x0 Corinthians (Grêmio 3×2 nos pênaltis)

October 24, 2013

Como era de se imaginar, o jogo de ontem foi bem diferente do da semana passada válido pelo brasileirão. Foi uma típica partida de Copa, tensa, truncada, peleada. Renato voltou a escalar o time no seu heterodoxo 4-3-3, enquanto Tite optou por uma escalação mais defensiva do que a usada na partida de ida, escalando Edenilson no meio campo (aparentemente para bloquear a passagem de Alex Telles). Os atacantes de ambas equipes tinha pouco espaço para criar, e as oportunidades dependiam das chegadas dos jogadores de trás. O Grêmio tinha um leve domínio, e como não consegui fazer rodar a bola, acabou concentrando suas ações pela direita, na dobradinha Ramiro e Pará. Foi dali que surgiram as principais situações. Na melhor delas, Kleber entrou na arena pela diagonal na ponta direita e chutou forte, o rebote do goleiro Walter caiu nos pés de Vargas, mas o chileno pegou mal na bola, que saiu demasiadamente alta.
A tensão aumentou no segundo tempo, uma vez que a sensação de que o time que marcasse primeiro sairia classificado foi ficando cada vez mais forte. Corria-se cada vez menos riscos, e o Grêmio não teve vergonha de dar chutão e forçar a bola aérea. O Corinthians sempre posicionava os seus 11 jogadores dentro da área nos lances de bola parada. Numa das raras vezes que o tricolor conseguiu pegar a zaga adversária fora de lugar, Vargas entrou livre pela direita  e desperdiçou a melhor oportunidade do jogo. Sheik entrou bem na partida, incomodou a defesa do Grêmio (que já estava compreensivelmente cansada) mas logo foi expulso ao discutir com Vargas. Elano igualmente ingressou com ritmo forte no jogo, mas não conseguiu movimentar o placar. Assim o jogo foi para os pênaltis.
E na série de cobranças transpareceu a frieza de Dida e a displicência de Alexandre Pato, no que o Grêmio avançou para as semifinais.

Em 20 de outubro de 2013:

Luis Henrique Benfica – Renato, e como só a vitória interessa quarta-feira e o Vargas, tá provado aí, faz gols, ele tem uma grande chance de começar o jogo?
Renato Portaluppi – Ah, eu quero esfriar minha cabeça. Já falei pra vocês agora… Não! Não é só vitória que passa o Grêmio não, a gente pode ganhar nos pênaltis também.
Benfica – Mas aí vai matar o pessoal do coração
RenatoBom, você que é colorado então, imagina. Não adianta ficar secando não. O importante é que nós temos oportunidade, a gente vai fazer de tudo, de uma maneira ou de outra, pra passar de fase
Benfica – Aí baixou o nível né, Renato? Você é melhor que isso
Renato – Não, não, não baixei o nível, não. Você tá querendo escalar meu time. Por favor leva na brincadeira


Uma das coisas mais legais é ouvir os sons do estádio após um jogo emocionante. É o momento da torcida ganhadora se fazer ser ouvida. Não acho certo que os torcedores tenham que competir com o sistema do som do estádio nessa hora (Isso que eu gosto muito de AC-DC e considero “Highway to hell”  um dos maiores clássicos do rock). E já faz um tempo que os anúncios do intervalo são feitos em um volume absurdo. Ontem até o próprio MC Jean Paul parecia desconfortável com a situação. Entendo que se queira aumentar as atrações da partida, mas acho que esse não é o melhor caminho.
Público interessante na Arena ontem. É de se supor que muitos sócios deixaram de ir em função da chuva que caiu sobre Porto Alegre (36% do público presente era de sócios contribuintes; e essa categoria, na média da Arena em 2013, costuma ser responsável por 50% do público) . E talvez tenha sido o maior problema que o temporal causou no jogo, porque o gramado resistiu muito bem.
É interessante notar que os “lampejos” de caldeirão na Arena são cada vez mais frequentes.

 

Fotos: Fabiano do Amaral (Correio do Povo), Tiago Baldasso, UOL (Vipcomm) e Jefferson Bernardes (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 0x0 Corinthians Corinthians
(Grêmio 3×2 nos pênaltis)

GRÊMIO: Dida; Pará, Rhodolfo, Bressan e Alex Telles; Souza, Riveros (Elano – 41’/2°T) e Ramiro; Vargas, Barcos e Kleber
Técnico: Renato Portaluppi

CORINTHIANS: Walter; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos (Igor – 5’/2°T); Ralf e Guilherme (Emerson Sheik – 26’/2°T); Edenílson, Douglas (Danilo – 17’/2°T) e Romarinho; Alexandre Pato
Técnico: Tite

Copa do Brasil 2013 – Quartas de Final – jogo de volta
Data: 23/10/13, quarta-feira, 21h50min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 35.684 (33.503 pagantes)
Renda: R$ 1.820.728,00
Árbitro: Paulo Henrique Godói Bezerra-SC
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago -MG e Fabricio Vilarinho Silva-GO
Cartões amarelos
: Kleber, Barcos, Vargas (GRE) Ralf (COR)
Cartões vermelhos: Vargas (GRE) e Emerson Sheik (COR)
Cobranças de pênalti: Barcos (defendido), Danilo (defendido), Alex Telles (trave), Edenílson (defendido), Pará (gol), Alessandro (gol), Elano (gol) e Kleber (gol) e Pato (defendido)

Copa do Brasil – Corinthians 0x0 Grêmio

September 26, 2013

Assim que a bola rolou no Pacaembu deu pra notar a atmosfera diferente de um jogo de Copa, de um confronto de mata-mata. Esses primeiros 90 minutos foram bastante tensos, numa partida disputada e, acima de tudo, truncada. Escalado com 3 atacantes de ofício, na prática o Grêmio atuava num 4-5-1, povoando o meio campo e fechando as passagens do Corinthians. Assim, as poucas situações criadas surgiram de chutes de longa distância e cruzamentos (num deles, Rhodolfo salvou em cima da linha, em outro Guerrero marcou, mas juiz marcou impedimento, que eu achei que existiu). De resto a primeira etapa se resumiu a faltas, simulações e discussões.
O jogo fluiu um pouco mais no segundo tempo, mas seguiu sendo muito duro. O Corinthians conseguiu se aproximar da área gremista, mas pouco incomodou Dida. O Grêmio passou a contar com maior possibilidade de contra-ataque, mas não conseguiu encaixar o penúltimo toque. As oportunidades continuaram a ser ocasionadas em arremates de fora da área, como no falta que Vargas bateu e Cássio fez boa defesa. De tal modo, o placar em branco acabou sendo justo pelo que os dois times fizeram em campo.

Eu considero o 0x0 fora de casa um bom resultado. Com saldo qualificado ele se torna “o pior dos melhores resultados”, mas ainda assim é um resultado positivo.

Na minha opinião Rhodolfo ignorou a bola e  fez pênalti no Sheik no segundo tempo. Mas nada foi mais ridículo do que o cartão que o Souza levou em um lance em que na verdade foi ele que sofreu a falta. 
Eu costumo gostar mais quando o Grêmio usa a camisa tricolor com calção branco e meia azul. Remete ao mundial de 1983 e a Copa do Brasil de 2001.
É curioso como os esquema escolhidos por Renato ajudam a quebrar alguns preconceitos. O seu 3-5-2 com 3 volantes nunca foi uma tática excessivamente defensiva e o ontem o time jogava com 3 atacantes, mas não ficou demasiadamente exposto. Vargas e Kléber voltaram bastante na marcação, o que complicou bastante os avanços do Corinthians. Um prova disso é que Emerson Sheik, que foi a figura mais ligada do adversário, sempre recebia um combate longe do área gremista, e raramente bateu de frente com o lateral direito e teve pouquíssimas situações de mano-a-mano com os zagueiros. O time neutralizou bem o adversário, ainda que tenha perdido bastante na ligação, criatividade e transição rápida na hora de sair pro jogo.

Fotos: Ari Ferreira (Lance) Ricardo Matsukawa (Terra), Danilo Verpa (Folha de São Paulo)

Corinthians Corinthians 0x0 Grêmio Grêmio

CORINTHIANS: Cássio, Edenilson, Gil, Paulo André e Igor; Ralf e Maldonado (Ibson – intervalo); Danilo, Douglas (Romarinho – 31’/2°T) e Emerson Sheik; Guerrero (Alexandre Pato – 15’/2°T).
Técnico: Tite
GRÊMIO: Dida; Pará, Rhodolfo, Bressan e Alex Telles; Souza, Ramiro, Riveros e Vargas (Paulinho – 32’/2°T); Kleber e Barcos (Elano – 36’/2°T).
Técnico: Renato Portaluppi
Quartas de Final – Jogo de Ida – Copa do Brasil 2013
Data: 25/9/2013, quarta-feira, 21h50min
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Público:  29.341 (28.355 pagantes)
Renda: R$ 921.633,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio S. Santiago e Kleber Lúcio Gil
Cartões amarelos: Danilo, Guerrero, Gil, Emerson Sheik, Danilo Fernandes (COR) Barcos, Souza, Paulinho e Elano (GRE)

Copa do Brasil – Grêmio 2×0 Santos

August 29, 2013

Guardadas as devidas proporções, a situação do jogo de ida se repetiu, mas com o os atores invertidos. O time da casa (dessa vez o Grêmio) se mostrava ansioso e pouco criativo, enquanto o time visitante (Santos) parecia mais consciente em campo, tendo as melhores chances para marcar. E mais uma vez os visitantes desperdiçaram essas chances e os mandantes souberam aproveitar as suas raras oportunidades para ganhar o jogo. A diferença é que dessa vez se tratava do jogo de volta, logo foi uma partida muito mais tensa, mais peleada e mais truncada. 
Com o Santos recuado, o Grêmio teve dificuldade para propor o jogo. Faltava espaço para que o meio campo pudesse repetir a movimentação e troca de passes vista nos últimos jogos. Sem muito poder de infiltração o time dependia do recuo dos atacantes para buscar o jogo, e isso desacelerava as jogadas de ataque. Mesmo com imensa vontade, o Grêmio tinha sérias dificuldades para sair jogando e acabou proporcionando diversos ataque para o Santos. Por sorte Gabriel se colocou em posição de impedimento aos 21 minutos do primeiro tempo quando recebeu o passe de Thiago Ribeiro dentro da área. Por sorte o mesmo Gabriel errou o gol depois de aproveitar o recuo mal feito por Bressan, aos 7 minutos do segundo tempo. E por “sorte” o Grêmio conta com um jogador da qualidade do Souza no seu time, jogador que apanhou a bola na defesa, encontrou Barcos no ataque e apareceu dentro da área para concluir o passe do argentino. O 1×0 fez bem ao Grêmio, mas o jogo seguiu nervoso e parecia se encaminhar para os pênaltis, só que aos 42 minutos Pará e Maxi Rodriguez fizeram boa tabela e a bola chegou a Werley, que teve imensa tranquilidade para tirar de Aranha e marcar o 2×0 necessário para a classificação.

O Grêmio conseguiu o resultado positivo e a classificação. O esquema vem rendendo bem, principalmente fora de casa, mas o jogo de ontem mostrou que é preciso pensar em alternativas para quando o time precise de maior criatividade na frente. 

Acho muito legal que o Grêmio tenha feito uma redução e promoção nos ingressos, mas o estádio deveria estar preparado para isso. Pouco antes da bola rolar havia uma grande fila para compra/retirada de ingressos e boa parte das bilheterias estava fechada. E é inadmissível que se formem filas nas rampas e nos portões de acesso (alguns deles estavam misteriosamente fechados) num jogo de menos de 30 mil espectadores.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Ricardo Rimoli (Lance)

Grêmio 2×0 Santos

GRÊMIO: Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan; Pará, Souza, Ramiro (Gabriel – 46’/2ºT), Riveros (Maxi Rodríguez – 17’/2ºT) e Alex Telles; Kleber e Barcos (Yuri Mamute – 48’/2ºT).
Técnico: Renato Portaluppi
SANTOS: Aranha; Galhardo, Gustavo Henrique, Durval e Mena; Alison, Renê Júnior (Neto – 34’/2ºT), Cícero e Montillo (Léo Cittadini – 24’/1ºT); Gabriel (Everton Costa – 23’/2ºT) e Thiago Ribeiro.
Técnico: Claudinei Oliveira
Copa do Brasil 2013 – Oitavas de final – jogo de volta
Data: 28/08/13, quarta-feira, 21h50
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público Total: 26.960 (25.871 pagantes)
Renda: R$ 967.346,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo-MG e Fabiano da Silva Ramires-ES
Cartões amarelos: Renê Júnior, Gustavo Henrique, Cícero (SAN) Souza, Kleber, Maxi Rodríguez (GRE)
Cartões vermelhos: Galhardo (após o apito final)
Gols: Souza, aos 10, e Werley, aos 42 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil – Santos 1×0 Grêmio

August 22, 2013

Santos e Grêmio fizeram um jogo bem enfadonho ontem na Vila Belmiro. Renato permaneceu com o 3-5-2 com três volantes e nenhum meia. O desempenho não foi tão bom quanto as partidas anteriores, lembrando mais o jogo contra o Bahia, uma vez que o tricolor truncou o jogo, não permitindo que o adversário criasse ao mesmo tempo que era igualmente pouco incisivo no ataque. Oportunidades mesmo só ocorreram no segundo tempo. O Grêmio se mostrava um pouco melhor em campo e teve as melhores chances. Barcos e Kleber chegaram perto de abrir o marcador em conclusões de cabeça. Souza quase superou o goleiro Aranha ao apanhar um rebote. Mas quem acabou marcando foi o Santos, já aos 36 minutos, quando Montillo fez jogada pela ponta esquerda e cruzou para Gabriel colocar no canto de Dida.

O 1×0 acabou sendo um vantagem muito maior do que o Santos merecia. Por ter sido derrotado fora de casa sem marcar gols o Grêmio acaba ficando numa situação complicada para o jogo de volta. Complicada, mas plenamente reversível.

Oscilações nas atuações no time de futebol são normais. Era improvável que o time fosse manter essa sequência de vitórias até o final do ano. O triste é que pela segunda vez no ano o Grêmio foi a Vila Belmiro, enfrentou um arremedo de equipe do Santos, foi levemente superior e mesmo assim não saiu de lá com a vitória.

Vejo muitas críticas ao Bressan. Muita delas podem ser atribuídas a triste necessidade que parte da torcida gremista tem de querer achar um bode expiatório em cada derrota. Mas algumas das críticas são válidas. Acho importante ressaltar que ele caiu de rendimento a partir do momento que foi atuar de stopper, tendo que por vezes ir até linha lateral para combater um adversário, algo que não fazia no 4-4-2.

O Grêmio, com 3 volantes e 3 zagueiros, mostra alguma solidez defensiva, mas não poderia ter permitido que Montillo encontrasse tanto espaço e conseguisse acionar Gabriel livre dentro da área na jogada do gol santista.

É muito estranho que o Durval tenha recebido somente cartão amarelo pela entrada que deu em Barcos. Foi a mesma punição que outros atletas sofreram por faltas bem menos violentas. Ademais, a regra prevê cartão vermelho para o jogador “culpado de jogo brusco grave“.

Kleber mais uma vez jogou bem. Parecer ter consolidado a volta as boas atuações. Ainda assim acho que ele pode render um pouco mais, sendo mais decisivo.

 

Fotos: Ivan Storti (Lance e Santos FC)

Santos 1×0 Grêmio

SANTOS: Aranha; Galhardo (Alan Santos – 39’/2ºT), Edu Dracena, Durval e Mena; Alison, Marcos Assunção (Leandrinho – Intervalo), Cícero e Montillo; Thiago Ribeiro e Neílton (Gabriel – 23’/2ºT). Técnico: Claudinei Oliveira
GRÊMIO: Dida; Bressan, Rhodolfo e Werley; Pará, Ramiro (Lucas Coelho – 40’/2ºT), Souza, Riveros (Guilherme Biteco – 31’/2ºT) e Alex Telles; Kleber (Matheus Biteco – 36’/ºT) e Barcos.
Técnico: Renato Portaluppi
Copa do Brasil 2013 – Oitavas de final – Jogo de ida
Data: 21/8/2013, quarta-feira, 19h30min 
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Público total: 6.195
Renda: R$ 173.547,00
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Cartões amarelos: Montillo, Edu Dracena, Durval, Neílton, Gabriel, Barcos, Bressan, Kleber
Gol: Gabriel, aos 36 minutos do segundo tempo.