Archive for the ‘Copa do Brasil 2016’ Category

Copa do Brasil 2016 – Grêmio 1×1 Atlético-MG

December 8, 2016

img_6889img_6890

Deu tudo tão certo pro Grêmio ontem que até o gol sofrido foi espetacular. Pra ser mais justo, o correto seria dizer que o time do Grêmio fez com que as coisas dessem certo. O time fez um grande resultado no primeiro jogo em Belo Horizonte e o time soube jogar com essa vantagem na partida de volta. O tricolor teve paciência, marcou forte, deixou a iniciativa para o adversário sem abdicar totalmente do ataque. A equipe de Renato pode não ter controlado totalmente a posse da bola, mas certamente controlou o relógio. O Atlético não encontrou muitas alternativas, o Grêmio se manteve bem posicionado, passando a ter espaços para contra-atacar até que aos 43 minutos Everton fez boa jogada, passou por Marcos Rocha e cruzou para Bolaños fazer o gol do título. A festa no estádio foi tão grande que um bom número de pessoas sequer viu o golaço de Cazares, que encobriu Marcelo Grohe com um chute de trás da linha do meio de campo. Mas aí isso não mais importava. O 1×1 servia tanto quanto o 1×0. O troféu não sairia mais da Arena e o jejum tricolor estava sendo encerrado.

img_6729-copia
img_6836img_6837

Maior prova do acerto da marcação do Grêmio ontem reside no fato de que o jogador do Atlético com mais finalizações na partida foi o Leandro Donizete.

A dupla de zaga foi mais uma vez muito bem. Pratto teve pouquíssimo espaço. Mas o melhor em campo na minha opinião foi Walace. Impressionante o vigor dele no meio de campo. Fez vários desarmes e seguiu puxando contra-ataques até o finzinho do jogo.

img_6834img_6848img_6850

Muito legal o clima de decisão e de festa no estádio, com direito a volta das bobinas. É um grande avanço que se tenha chegado numa final, com que quebra de recorde de público, sem cenas de superlotação ou desconforto nas arquibancadas. Contudo, pela primeira vez eu me senti inseguro ao ingressar no estádio. Havia uma certa aglomeração na frente dos portões que dão acesso a geral. Era possível ver muita gente tentando forçar uma entrada sem ingresso. E  os seguranças (alguns deles com spray de pimenta na mão) e organizadores pouco faziam uma vez que estavam todos posicionados após as catracas.

É curioso que esse período de 15 anos sem grandes títulos tenha se encerrado com dois jogos tão “tranquilos” (A final esteve muito longe de ser agônica). O certo é que o fim do jejum liquidou uma série de teorias, ao mesmo tempo muitas outras teses serão criadas a partir de agora. Eu espero que essa taça traga um pouco de tranquilidade e leveza para o Grêmio. Que o troféu não seja usado para tentar apagar erros do passado, e sim como  motivação para o clube continuar evoluindo.

img_6906
img_6924
img_6970

Grêmio 1×1 Atlético-MG

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Wallace,Maicon, Ramiro (Jaílson, 33’/2ºT), Douglas (Bolaños, 41’/2ºT) e Everton; Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete (Cazares, 24’/2ºT) e Júnior Urso (Maicosuel, intervalo); Luan (Lucas Cândido, 30’/2ºT), Robinho e Lucas Pratto.
Técnico: Diogo Giacomini

Data: 07/12/2016, quarta-feira, às 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre -RS
Público: 55.337 (52.233 pagantes)
Renda: R$ 5.105.964,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA/SP)
Auxiliares: Marcelo Van Gasse (FIFA/SP) e Kleber Lúcio Gil (fIFA/SC)
Cartões amarelos: Marcelo Grohe e Bolaños (GRE); Erazo e Fábio Santos (CAM)
Gols: Bolaños, aos 43 minutos do  segundo tempo e  Cazares aos 44 minutos do segundo tempo.

Copa do Brasil 2016 – Atlético-MG 1×3 Grêmio

November 24, 2016

31169207526_c3bce9eeeb_k

Pouco antes do jogo começar, Renato, já na beira do campo, disse que seu time trataria de jogar quando tivesse a bola. E foi exatamente isso que o Grêmio fez. Desde o início da partida o tricolor parecia mais consciente em campo, tendo mais controle e mais volume de jogo. Claro que o domínio gremista também se explica pela falta de compactação e lentida na transição defensiva do Atlético, que praticamente atuou num 4-2-4.  Os volantes gremistas, que sabem propor o jogo, raramente foram importundados pelos jogadores de frente do Galo, e por aí começou a vitória do Grêmio. Aos 29 minutos o Grêmio teve tempo para trocar passes e posiçoes no campo de ataque. Pedro Rocha inverteu seu posicionamento com Luan e correu pelo meio, entre os dois zagueiros do adverário para receber bom passe do capitão Maicon. Com um toque o camisa 32 tirou o zagueiro Gabriel da jogada e ficou cara a cara com Victor para fazer o 1×0. O Grêmio chegou a levar um susto na bola que Marcelo Grohe se obrigou a fazer grande defesa no chute de Junior Urso, mas o tricolor seguiu melhor e seguiu tendo as melhores chances.

O Atlético não conseguiu se reencontrar durante o intervalo e logo aos 9 minutos do segundo tempo o Grêmio chegou ao 2×0. Pedro Rocha aproveitou a falta batida rapidamente por Douglas, passou pelos zagueiros e mais uma vez tocou na saída de Victor. A breve reação do Galo passou mais pela injusta expulsão de Pedro Rocha (e pelo raro erro de Geromel que deixou Gabriel livre na área para marcar o 2×1) do que por uma melhora no futebol apresentado pelos mandantes. E os 45 minutos, Geromel arrancou pela ponta direita e cruzou para Everton fazer o 3×1, o que é um placar mais condizente com o que se viu durante os 90 minutos.

ramon-lisboa-superesportes-1ramon-lisboa-superesportes-2

Renato foi muito lúcido e muito tranquilo na coletiva. Só discordei quando ele afirmou que a expulsão do Pedro Rocha foi justa. O juiz deixou de dar cartão em faltas muito mais duras do que a que rendeu o segundo amarelo para o Pedro Rocha.

Por falar na expulsão, gostei da postura dos demais atletas que foram pressionar o árbitro no momento em que ele mostrou o vermelho para Pedro Rocha.

O  patrocínio da 4all quase passou despercebido, em compensação o da Havan ficou totalmente superdimensionado, maior do que o Banrisul. É pouco crível que as duas marcas tenham pago o mesmo valor para uma exposição tão diferente.

Muito legal o clima amistoso nas cercanias do Mineirão. Espero que isso se repita na Arena no dia 30.

Nunca é demais salientar que os três gols do Grêmio foram marcados por jogadores oriundos da categoria de base.

jefferson-botega-zh
Fotos: Ramon Lisboa (Super Esportes), Lucas Uebel (Grêmio.net) e Jefferson Botega (Zero Hora)

Atlético-MG 1×3 Grêmio

ATLÉTICO-MG: Victor, Carlos César, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Leandro Donizete, Junior Urso (Marcos Rocha, 26’/2ºT), Cazares (Clayton, 13’/2ºT) e Maicosuel (Hyuri, 26’/2ºT); Robinho e Lucas Pratto
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Edílson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Jailson, 43’/2ºT), Douglas (Everton 35’/2ºT) e Pedro Rocha; Luan (Fred, 47’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

Copa do Brasil 2016 – Final – Jogo de ida
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Data: 23 de novembro de 2016, quarta-feira, 21h40min
Público: 50.586 (47.944 pagantes)
Renda: R$ 4.082.175,00
Árbitro: Péricles Bassols (PE)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (RJ) e Nadine Camara Bastos (SC)
Cartões amarelos: Gabriel, Hyuri; Edílson, Pedro Rocha, Marcelo Grohe
Cartão vermelho: Pedro Rocha, aos 21 minutos do 2º tempo
Gols: Pedro Rocha, aos 29 minutos do primeiro tempo, e aos nove minutos do segundo tempo. Gabriel, aos 36, e Everton, aos 45 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil 2016 – Grêmio 0x0 Cruzeiro

November 3, 2016


Mesmo jogando em casa, o Grêmio ignorou os apelos vindos das arquibancadas cheias e adotou uma postura pragmática, praticamente não se expondo durante os 90 minutos que faltavam para chegar a final. O tricolor fez o que tinha de fazer para manter a boa vantagem que conquistou no Mineirão. Ao assim proceder, o time pode ter eventualmente frustrado quem queria ver um jogo mais movimentado, mas o fato do Cruzeiro ter tido somente uma chance clara de marcar (o chute no travessão de Ariel Cabral aos 22 minutos) dá uma boa mostra da maturidade que os atletas gremistas demonstraram na partida.

Kannemann e Geromel mais uma vez transmitiram muita segurança. E Maicon voltou a ter uma atuação parecida com as que tinha em 2015.

img_6229b
IMG_6225.JPG

Sei que a gangorra é um elemento importante da rivalidade, mas não consigo entender porque alguém se dispõe a ir até o estádio para passar o jogo inteiro preocupado com o resultado da partida do co-irmão que se desenrolava simultaneamente. E não foram poucas pessoas que fizeram isso. Dava pra notar claramente no estádio a diferença no ânimo de boa parte da torcida conforme saiam os gols de Atlético e Inter.

Considerando o horário não imaginava que o publico total fosse chegar tão próximo do público do último Gre-Nal. E esse foi o quinto maior público pagante nos 80 jogos que o Grêmio fez em casa desde a primeira edição da Copa do Brasil.

img_6240img_6241

Deu pra notar vários assentos vazios nas cadeiras gramado, apesar de ter sido anunciado que só haviam ingressos para os camarotes.

Média de público do Grêmio no ano: 23.430 (21.286 pagantes)
Média de público do Grêmio na Copa do Brasil 2016: 30.954 (28.160 pagantes)

img_6309img_6310

Grêmio 0x0 Cruzeiro

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Jailson, 28’/2ºT), Douglas (Rafael Thyere, 46’/2ºT) e Pedro Rocha (Éverton, 12’/2ºT)); Luan
TÉCNICO: Renato Portaluppi

CRUZEIRO: Rafael, Lucas Romero, Léo, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Ábila, 21’/2ºT) e De Arrascaeta (Rafael Sóbis, 14’/2ºT) ; Alisson e Willian (Alex, 29’/2ºT)
TÉCNICO: Mano Menezes

Copa do Brasil 2016 – Semifinal – Jogo de volta
Data: 2 de novembro de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 52.363 (47.687 pagantes)
Renda: R$ 1.708.865,00
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (FIFA-SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)

Copa do Brasil 2016 – Cruzeiro 0x2 Grêmio

October 27, 2016

2016-mineirao-lucas-uebel-32016-mineirao-lucas-uebel-2

Apesar da notória e reconhecida má temporada do Cruzeiro, foi surpreendente a tranquilidade que o Grêmio teve para jogar no Mineirão. Passados os primeiros quinze minutos, que foram de pressão do time da casa, o tricolor tomou conta do jogo e chegou, com justiça, aos 2×0. Luan fez um golaço aos 19 do primeiro tempo e Douglas fechou o placar em um contra-ataque aos 16 minutos da segunda etapa.

O primeiro gol foi uma obra não só pela definição do Luan, mas também pela troca de passes que antecedeu a conclusão. O Grêmio rodou a bola com 8 jogadores no campo de ataque, com os dois laterais projetados, abrindo o campo. É certamente uma herança dos conceitos implementados por Roger.

Já no segundo gol é preciso chamar a atenção para a recuperação de Ramiro (que fez a assistência para Douglas) como um meio campista mais ofensivo, o que inegavelmente é um mérito do Renato.

 
2016-mineirao2016-mineiraoc2016-mineiraod
Essa foi a maior vantagem que o Grêmio conseguiu jogando a primeira partida fora de casa em uma semifinal da Copa do Brasil. Em 1997 o tricolor venceu o Corinthians por 2×1 no Morumbi. Essas duas foram as  únicas vezes que o Grêmio venceu nas 8 ocasiões  que jogou o primeiro jogo da semifinal como visitante (um total de 3 vitórias em 12 jogos como visitante em semifinais).

Eu sigo sem entender porque o Grêmio está usando a meia preta do ano passado e porque os goleiros estão usando a quarta camisa “de linha” de 2015.

2016-mineirao-lucas-uebel-1
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Washington Alves (Cruzeiro)

Cruzeiro 0x2 Grêmio

CRUZEIRO: Rafael; Lucas (Alisson, no intervalo), Leo, Bruno Rodrigo e Edimar; Denilson (Alex, aos 25min do 2ºT), Lucas Romero, Robinho e Arrascaeta; Rafael Sobis (Willian, aos 21min do 2ºT) e Ramón Ábila.
Técnico: Mano Menezes

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Wallace, Maicon (Jailson, no intervalo), Ramiro,Douglas e Pedro Rocha (Everton, aos 24min do 2ºT); e Luan (Kaio, aos 41min do 2ºT).
Técnico: Alexandre Mendes (Renato Portaluppi suspenso)

Copa do Brasil 2016 – semifinal – Jogo de ida
Data: 26/10/2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Público: 53.452 (50.715 pagantes)
Renda: R$ 1.606.821,00
Árbitro: Péricles Bassols(FIFA/PE)
Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (SC) e Nadine Câmara Bastos (SC)
Cartão Amarelo: Kannemann, aos 7min do 2ºT
Gols: Luan, aos 19 minutos do 1º tempo; Douglas, aos 16 minutos do 2º tempo

Copa do Brasil 2016 – Palmeiras 1×1 Grêmio

October 20, 2016

29807989063_f856c75f4f_o
a-2

Tendo saído em vantagem no jogo de ida, o Grêmio adotou uma postura mais reativa diante do Palmeiras no Allianz Parque. No primeiro tempo o time sofreu certa pressão dos mandantes, com direito a bola na trave, mas também teve chance de marcar em contra-ataques, como no lance que Pedro Rocha chutou para fora depois de tabelar com Douglas.

Logo no início do segundo tempo o Grêmio sofreu um gol, mais uma vez em jogada de escanteio, que Thiago Martins aproveitou para marcar de cabeça. Mas o tricolor soube reagir e aproveitou os espaços que surgiram após a expulsão de Allione. O time mostrou paciência para “abrir o campo” e  rodar a bola (legado da passagem de Roger) até os 30 minutos do segundo tempo, quando Everton empatou a partida.

29809092454_f5c3d2dece_o30353612771_3469f2f252_o

Não acho legal que o treinador seja expulso, mas acho que Renato fez bem em reclamar do juiz. O jogo simplesmente não andava após o cartão vermelho mostrado para o atleta do Palmeiras.

Tanto o Bruno Grassi como o estreante Léo usaram a camisa preta de linha do ano passado (com uma faixa por cima do patrocínio da Tramontina) e a meia preta de treino do ano passado. Mas as questões inexplicáveis de fardamento não foram exclusividade do lado tricolor. É difícil entender porque o Palmeiras optou por usar azul justamente contra o Grêmio.
sergio-barzaghi-gazeta-pressFotos: Palmeiras, Lucas Uebel (Grêmio.net) e Sergio Barzaghi (Terra)

Palmeiras 1×1 Grêmio

PALMEIRAS: Jailson; Fabiano (Jean, aos 19’/2ºT), Edu Dracena, Thiago Martins e Egídio; Thiago Santos, Gabriel e Cleiton Xavier (Erik, aos 21’/2ºT); Allione, Gabriel Jesus e Lucas Barrios (Zé Roberto, aos 24’/2ºT).
Técnico: Cuca

GRÊMIO: Bruno Grassi (Léo, aos 21’/2ºT); Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Miller Bolaños, aos 27’/2ºT); Douglas e Pedro Rocha (Everton, aos 15’/2ºT); Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

Copa do Brasil 2016 – quartas de final – jogo de volta
Data: 19/10/2016, quarta-feiram 21h45min
Local: Allianz Parque, São Paulo – SP
Público: 29.991 pagantes
Renda: R$ 1.697.841,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Bruno Boschilia (FIFA-PR) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Edu Dracena (PAL), Pedro Geromel, Everton, Edílson e Douglas (GRE)
Cartão vermelho: Allione (19’/2ºT)
Gols: Thiago Martins aos 5 do 2ºT e Everton aos 30 minutos do 2º tempo

Copa do Brasil 2016 – Grêmio 2×1 Palmeiras

September 29, 2016

 

2016-gremio-2x1-palmeiras-copa-do-brasil-2

Esse jogo de ontem foi bem diferente do empate em 0x0 do dia 11 de setembro. Um belo exemplo da diferença entre um mata-mata e campeonato de pontos corridos. Foi uma partida bem menos estudada, com as equipes correndo mais riscos e sendo mais diretas nas suas ações. O Grêmio fez um primeiro tempo muito bom, tendo volume de jogo, criando situações e abrindo 2×0 (num golaço de Ramiro e com Pedro Rocha pegando o rebote da cabeçada de Geromel).

O gol de pênalti (sofrido por Gabriel Jesus e convertido por Zé Roberto) acabou sendo uma ducha de água fria no entusiasmos tricolor. O Grêmio tentou retomar o ritmo inicial, mas aos poucos os dois times começaram a diminuir a intensidade, quase como se estivessem pensado no jogo de volta.

 
2016-gremio-2x1-palmeiras-copa-do-brasil-6 2016-gremio-2x1-palmeiras-copa-do-brasil-7

Ramiro fez um golaço e foi melhor em campo. Acho interessante que Renato tenha colocado ele para jogar na segunda linha do meio de campo, fazendo uma função parecida com a que ele fez no Gre-Nal dos 4×1.

O juiz foi muito confuso no jogo. Maior prova disso foi o lance que ele marcou falta no recuo de Roger Guedes para o goleiro Jailson, mas deixou que a barreira ficasse em distância muito inferior a exigida pela regra.

Gabriel Jesus é um jogador muito promissor. Mas é impressionante como ele reclama durante o jogo. E igualmente impressionante é conivência da arbitragem com esse comportamento. Lembrei do artigo do Tim Vickery no qual ele dizia que no futebol brasileiro as estrelas são excessivamente protegidas pela arbitragem.

O Grêmio disputou 15 jogos em casa por quartas de final de Copa do Brasil. A média de público nessas fase é de 29.259 pagantes. Público de ontem ficou um pouco abaixo dessa média.
2016-gremio-2x1-palmeiras-copa-do-brasil-12016-gremio-2x1-palmeiras-copa-do-brasil-3
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Cesar Greco (Palmeiras)

Grêmio 2×1 Palmeiras

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Ramiro (Rafael Thyere, aos 44’/2ºT, Douglas e Pedro Rocha (Guilherme, aos 34’/2ºT); Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

PALMEIRAS: Jailson; Fabiano, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel (Leandro Pereira, no intervalo), Moisés, Tchê Tchê e Dudu (Rafael Marques, aos 43’/2ºT); Róger Guedes (Barrios, 38’/2ºT) e Gabriel Jesus
Técnico: Cuca

Copa do Brasil 2016 – Quartas de Final – Jogo de ida
Data: 28 de setembro de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Público total: 26.589 (24.471 pagantes)
Renda: R$ 723.201,00
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva
Assistentes: Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn
Cartões amarelos: Kannemann, Marcelo Grohe, Walace; Fabiano, Mina, Vitor Hugo
Gols: Ramiro, aos 32 minutos do 1º tempo, Pedro Rocha, aos 44 minutos do 1º tempo;
Zé Roberto (de pênalti), aos 5 minutos do 2º tempo

Copa do Brasil 2016 – Grêmio 0x1 Atlético-PR (Grêmio 4×3 nos pênaltis)

September 24, 2016

29843825375_be42c219d1_k

O Grêmio teve mais uma atuação inconstante. A chegada de Renato (ainda) não fez com o que os jogadores retomassem a tranquilidade. O time pareceu sentir o clima pesado no estádio e acabou perdendo de 1×0 (gol de André Lima) no tempo normal. Nos pênaltis, Marcelo Grohe “se recuperou” do erro no gol do Atlético e defendeu 3 cobranças, garantindo a classificação tricolor.

Como bem lembrou o meu amigo Snel, essa série de pênaltis foi tão bizarra quanto aquele Grêmio x Guarany do Paraguai na Libertadores de 1997.

Sempre que foi necessário fazer disputas de pênaltis na Arena as cobranças foram feitas na goleira do lado oposto da geral. Dessa vez da pra ver claramente o desgaste na grama na marca do pênalti.

 

29216631633_8155d6c8c7_k
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 0x1 Atlético-PR

(Grêmio 4×3 nos pênaltis)
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace e Maicon; Luan, Douglas e Pedro Rocha (Batista, 26’/2º); Henrique Almeida (Guilherme, 17’/2º).
Técnico: Renato Portaluppi

ATLÉTICO-PR: Weverton; Thiago Heleno, Paulo André e José Ivaldo; Léo, Otávio, Hernani, Pablo (João Pedro, 34’/2º) e Nicolas; Luan (Juninho, 43’/2º) e André Lima (Marcos Guilherme, 13’/2º).
Técnico: Paulo Autuori

Copa do Brasil 2016 – Oitavas de Final – Jogo de volta
Data: 21 de setembro de 2016, quarta-feira, 19h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 13.909 (12.321 pagantes)
Renda: R$ 339.795,00
Árbitro: Vinicius Furlan (Asp.FIFA-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Asp. FIFA) e Gustavo Rodrigues de Oliveira (SP)
Cartões amarelos: Henrique Almeida
Gol: André Lima aos 29 minutos do primeiro tempo
Pênaltis: Maicon (gol); Thiago Heleno (gol); Edílson (gol); João Pedro (errou); Walace (errou); Otávio (errou); Douglas (errou); José Ivaldo (errou); Luan (errou), Hernani (gol);
Marcelo Oliveira (gol); Marcos Guilherme (gol); Kannemann (errou); Weverton (errou)
Guilherme (gol);  Paulo André (errou)

Copa do Brasil 2016 – Atlético-PR 0x1 Grêmio

August 25, 2016

Kannemann Hugo Harada Gazeta do Povo

O Grêmio conseguiu grande resultado ao vencer o Atlético Paranaense em Curitiba, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A vantagem tricolor se deve muito a atuação do primeiro tempo, onde a equipe gremista mostrou muita movimentação das suas peças ofensivas e teve um bom toque de bola no gramado sintético da Arena da Baixada. Bolaños fez o único gol da partida logo aos 6 minutos, aproveitando uma assistência “de letra” de Douglas. No segundo tempo o Atlético pressionou em inúmeros levantamentos, mas a chance mais clara foi do Grêmio, quando Bolaños se aproveitou da linha de impedimento mal feita e chutou por cima quando ficou cara a cara com Weverton.
fernando freire globo esporteluan Hugo Harada Gazeta do Povo

Não lembro de alguma ocasião que o Grêmio tenha sido eliminado na Copa do Brasil após ter vencido o primeiro jogo fora de casa (Verdade também que foram poucas vezes que o Grêmio venceu o primeiro jogo fora de casa contra adversários mais graduados, lembro da vitória contra o Corinthians no Morumbi em 1997 e contra o Fluminense no Maracanã em 2010).

Foi muito interessante acompanhar o esquema usado pelo Grêmio no primeiro tempo. É possível dizer que o time jogou num 4-3-3, ou num 4-6-0, ou num 4-2-3-1 com Ramiro, Douglas e Luan na linha mais avançada do meio, com Bolaños na frente ou mesmo dizer que o time jogou num 4-4-2 com losango no meio. Certo que é os jogadores se movimentaram bastante e assim o Grêmio conseguiu se impor.

Kannemann teve uma estreia discreta, porém segura. Tentou sempre simplificar as jogadas.

Já disse e repito: Não acho legal ver o Marcelo Grohe jogando com o uniforme do ano passado com o patrocínio da Tramontina tapado por uma faixa.
Rodolfo Buhrer lance
Fotos:Hugo Harada (Gazeta do Povo)  Rodolfo Buhrer (Lance),

Atlético-PR 0x1 Grêmio

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani e Rafael Galhardo (João Pedro, Intervalo); Marcos Guilherme (Juninho, Intervalo), Luan (Giovanny, 27’/2ºT) e André Lima
Técnico: Paulo Autuori

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson e Ramiro; Douglas, Miller Bolaños (Everton, 37’/2ºT) e Luan (Kaio, 46’/2°T)
Técnico: Roger Machado

Copa do Brasil 2016 – Oitavas de Final – Jogo de ida
Data: 24/8/2016, Quarta–feira, 19h30min
Local: Arena da Baixada, Curitiba-PR
Público: 16.336 (14.300 pagantes)
Renda: R$ 321.995,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG)
Auxiliares: Emerson A. de Carvalho (FIFA-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA-SP)
Cartões amarelos: Thiago Heleno (CAP); Marcelo Oliveira (GRE)
Gol: Miller Bolaños, aos 6 minutos do 1º tempo