Archive for the ‘Engenhão’ Category

Brasileirão 2018 – Fluminense 0x1 Grêmio

September 30, 2018




44119324165_c374f1b1fd_o

O golaço de Everton, no último lance da partida, foi uma recompensa para o torcedor gremista que assistiu a mais de 90 minutos de um modorrento jogo de futebol.

E o gol deixou claro que o Grêmio sentiu muito falta do Everton no último Gre-Nal e possivelmente irá sentir a sua ausência no jogo contra o Palmeiras. A maldita “data FIFA” poderá decidir o campeonato.

Não canso de dizer o quanto eu gosto dessa combinação de camisa azul celeste com calção preto e meia preta. A propósito, nessa década o Grêmio enfrentou o Fluminense no Rio de Janeiro em 13 oportunidades, registrando 5 vitórias, 5 empates e 3 derrotas. Em 4 das 5 vitórias o Grêmio utilizou essa combinação de uniforme. Com essa combinação de uniforme, o Grêmio tem 4 vitórias e uma derrota jogando contra o Flu no Rio desde 2010 (Com camisa azul, são 4 vitórias e 2 derrotas)

30057799857_2c442735dd_k
Fotos: Nayra Halm (Band Sports/Fotoarena/Estadão Conteúdo) , Thiago Ribeiro (Lance/AGIF), Jotta de Mattos (Grêmio) e Mailson Santana (Fluminense F.C.)

Fluminense 0x1 Grêmio

FLUMINENSE: Júlio César; Ibañez, Gum (Marcos Jr., 35’/2º) e Digão; Léo (Mateus Norton, 25’/2º), Richard, Dodi, Sornoza (kayke, 37’/2º) e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Paulo Miranda, Bressan e Marcelo Oliveira; Maicon, Kaio e Jean Pyerre (Thonny Anderson, 10’/2º); Alisson, Douglas (Thaciano, 34’/2º) e Pepê (Everton, 19’/2º)
Técnico: Renato Portaluppi

27ª Rodada – Brasileirão 2018
Data: 29/09/2018, Sábado, 16h00min
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro – RJ
Público: 8.721 (7.922 pagantes)
Renda: R$ 552.190,00
Árbitro: Raphael Claus (FIFA-SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse e Danilo Manis (FIFA-SP)
Cartões amarelos: Leonardo Gomes eAlisson
Gol: Everton, aos 47 minutos do 2º tempo

Advertisements

Libertadores – Fluminense 0x3 Grêmio

February 21, 2013

 

Era grande a expectativa para esse confronto com o Fluminense. A derrota para o Huachipato já colocava o Grêmio em situação complicada no grupo. As projeções indicavam que seria preciso recuperar pontos fora de casa e o jogo do Engenhão era, em tese, o mais difícil. Mas talvez fosse justamente o que Grêmio precisava. Sob o comando de Luxemburgo o tricolor gaúcho costuma se portar bem como visitante nos grandes jogos. Sua dificuldade parece ser maior contra equipes retrancadas.
Claro que houve uma grande mudança de postura, de atitude do Grêmio, mas o bom desempenho se explica também pela característica da partida. O Fluminense gosta de um jogo franco, e dessa vez não foi diferente, tendo tentado ir para cima da defesa gremista desde o início do jogo. E o Grêmio, bem posicionado (ocupou a frente da área e ofereceu os lados para o adversário), conseguiu travar o Flu. A bola não chegava em Fred. Logo a superioridade gremista foi aparecendo, uma vez que eram azuis as melhores chances. O gol saiu aos 32 minutos, num escanteio em que o lateral Bruno se preocupou tanto em agarrar Barcos que se esqueceu da bola e marcou contra. 1×0 foi o placar da primeira etapa.
Abel mexeu no seu time no para o segundo tempo. Deco voltou no lugar de Vagner, mas o domínio gremista só aumentou. O Fluminense tentou forçar o jogo aéreo, mas a defesa do Grêmio esteve muito bem, tanto por cima, como também por baixo. Com isso foram surgindo oportunidades de contra-ataque e o Grêmio as soube aproveitar. Barcos e Vargas se entenderam na frente e o placar foi dilatado. André Santos fez o segundo aos nove e Vargas marcou o terceiro aos 24. O Fluminense praticamente não mostrou reação e no final se ouvia a torcida do Grêmio saudando a troca de passes dos seus atletas com o clássico “olé”

 

 

O resultado paralelo foi bom e tudo voltou a estaca zero. As chances de classificação voltam a ser boas e ainda é possível pensar na primeira colocação do grupo. Mas é preciso um pouco de cautlea. hoje o Grêmio pulou da lanterna para o 1º lugar. Não é improvável que o inverso possa acontecer na última rodada.

 

Barcos foi um monstro. Ganhou todas as bolas que disputou. Foi bem na funçao de pivô e soube sair da área para buscar jogo e criar jogadas. Uma atuação impecável.

Fernando foi outro destaque. Marcou, combateu e organizou a saída de jogo do Grêmio. Talvez o desempenho dele nessa partida não sirva para comprovar que Luxemburgo tenha errado na escalação contra o Huachipato, mas é uma boa mostra de que não é tão simples tirar o Fernando do time titular.

O gol foi um detalhe, mas André Santos mostrou significativa melhor em relação ao futebol apresentado na semana passada. Contudo, parece ainda carecer de melhor condição física.

 

A nosso favor é muito bonito, mas o bandeirinha nao pode errar um impedimento como o do lance do segundo gol.

 

Contra o Huachipato, Vargas pouco contribuiu jogando centralizado e mais recuado do que o Elano. Hoje ele se posicionou mais adiantado e aberto pela direita, rendendo bem mais assim.

Pode ser questão de memória afetiva/seletiva, mas esse uniforme com camisa celeste e calções e meias pretas sempre me traz boas recordações

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Alexandre Cassiano (O Globo) e Nelson Perez (Fluminense)

Fluminense Fluminense 0x3 Grêmio Grêmio

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Leandro Euzébio, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, e Wágner (Deco – Intervalo); Wellington Nem (Thiago Neves – 17’/2ºT), Fred e Rafael Sobis (Samuel – 18’/2ºT).  
Técnico: Abel Braga
GRÊMIO: Dida; Pará, Werley, Cris e André Santos; Fernando, Souza (Adriano – 35’/2ºT), Elano (Marco Antônio – 33’/2ºT) e Zé Roberto; Vargas (Welliton – 37’/2ºT) e Barcos.  
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

2ª Rodada – Fase de Grupos – Libertadores 2013
Data: 20/02/2013, quarta-feira, 22h00min
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Público: 18.947 pagantes
Renda: R$ 747.550,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira (Fifa/SP)
Assistentes: Márcio Santiago (Fifa/MG) e Fabrício Vilarinho (Fifa/GO)
Cartões amarelos: Anderson (FLU); Elano e Zé Roberto (GRE)
Gols: Barcos (32min/1ºT), André Santos (9min/2ºT) e Vargas (24min/2ºT)

Brasileirão – Fluminense 2×2 Grêmio

October 18, 2012

 

Infelizmente eu não consegui ver nada do jogo de ontem. Pelos relatos me parece claro que o Grêmio fez boa partida, tendo criado várias situações de gol.
Na teoria o empate fora de casa é bom resultado. Para o momento que vive no campeonato talvez o Grêmio precisasse mais que isso, mas diante de todas as circunstâncias o 2×2 não pode ser encarado com mau negócio.
E vamos combinar que não é por causa do aproveitamento contra o Fluminense que o Grêmio não ocupa a primeira colocação do campeonato. Aliás, é curioso o fato de que o “melhor time da competição” só tenha feito 1 dos 6 pontos possíveis contra o terceiro colocado. Sempre ouvi dizer que os pontos corridos são o suprassumo da justiça e da meritocracia. Deveria ser a fórmula infalível. Mas essa é uma outra discussão. Por enquanto fica a seguinte pergunta:  Pelo que se viu nos 180 minutos do Engenhão e do Olímpico, é possível dizer que o Fluminense é melhor que o Grêmio?

 

Fotos: Cleber Mendes (Lance) e Nelson Perez (Fluminense. F.C.)

Fluminense 2×2 Grêmio

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho e Jean; Wágner (Thiago Neves – Intervalo), Deco e Rafael Sobis (Marcos Júnior 34’/2ºT); Fred 

Técnico: Abel Braga.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando (Marquinhos 18’/2ºT), Marco Antônio, Elano (Léo Gago 27’/2°T) e Zé Roberto; Leandro (Marcelo Moreno 18’/2ºT) e Kleber

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
31ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2012
Local: Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-: 17/10/2012, quarta-feira, 19h30min
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)
Público:  35.217  (30.215 pagantes)

Renda : R$ 783,325.00
Cartões amarelos: Jean (FLU); Anderson Pico (GRE)
Cartão vermelho: Marcelo Moreno 19’/2ºT (GRE)
Gols: Elano (9min/2ºT),  Digão (13min/2ºT),  Sobis (17min/2ºT) e e Zé Roberto (40min/2ºT)

Brasileirão – Fluminense 5 x 4 Grêmio

November 17, 2011

Eu não me canso de dizer isso: O campeonato brasileiro não é sério.

Não é possível que um árbitro faça o que fez no jogo de ontem e a competição siga em frente, como se nada tivesse acontecido.

Grêmio e Fluminense poderiam ter feito um bom jogo de futebol. Poderiam, mas o juiz Francisco Carlos Nascimento estragou tudo.

E não foi em uma marcação isolada. Não foi em dois momentos, não foi em lances de interpretação. Foi durante a partida inteira, favorecendo o time da casa em todas marcações possíveis.

Mesmo sem ter objetivo maior no campeonato e mesmo estando desfalcado, o Grêmio esteve bem na partida. Foi superior ao Fluminense, mostrando um bom e tranquilo toque de bola. O Grêmio sempre quis jogo, sempre tentou o ataque. Merecia e deveria ter tido melhor “sorte”.

Não é a primeira vez que o Grêmio entrou em campo para cumprir tabela, mostrou diginidade e foi vergonhosamente roubado.

A lista de erros da arbitragem ontem é por demasiado longa: Poderia começar por um carrinho que Lúcio levou dentro da área quando o jogo ainda estava 0x0. Tem uma falta clara em Gabriel, perto da meia lua, ainda no primeiro tempo. Tem o impedimento de Fred no segundo gol do Fluminense (feito em momento vital da partida). Tem o pênalti de Marquinho. Tem uma falta em Leandro na área carioca. Tem o discutível pênalti feito por Adílson, com os ainda mais discutíveis cartões dados a Fernando e Lúcio. Tem a falta e L.Eusébio e Brandão no último gol (com a expulsão deste) e termina com um toque de mão no ataque do Fluminense que quase resultou num sexto gol.

Todos esses erros favoreceram o time da casa. Pra piorar, o juiz da partida tomou algumas atitudes estranhas. Tais fatores complicam a tese da mera “incompetência” do juiz.

Não dá pra compactuar com isso. Não dá pra achar normal que atletas que estavam somente cumprindo tabela se revoltem a ponto de querer abandonar a partida.

Assim como não é possível aceitar um narrador tão bairrista a ponto de deixar envergonhados torcedores do co-irmão. Uma equipe de jornalistas que não se sabe se efetivamente são burros ou apenas fazem de conta para passar bem. De uma transmissão que ignora replays em lances polêmicos.

E quem deveria fazer algo faz vista grossa. Investe-se milhões em atletas, técnicos, gramados, câmeras e tudo acaba sendo decidido por gente de baixíssimo nível. E um filho da puta que não olha o jogo resolve (mais uma vez) dar uma de engraçadinho

Fotos: Dhavid Normando (Terra) e UOL

Fluminense 5 x 4 Grêmio

 

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Mariano, Elivélton, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Marquinho (Matheus Carvalho, 34’/2ºT) e Deco (Souza, 40’/2ºT; Rafael Sobis (Rafael Moura, 34’/2ºT) e Fred
Técnico: Abel Braga.
Link
GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Gilberto Silva (Saimon, 21’/2ºT), Rafael Marques e Gabriel; Fernando, Adilson, Marquinhos (Leandro, 26’/2ºT), Douglas e Lúcio (Miralles, 45’/2ºT); Brandão.
Técnico: Celso Roth.


35ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2011
Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 16/11/2011, quarta-feira, 20h30min
Público: 11.395 ( 8.904 pagantes)
Renda: R$ 155.560,00
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Cartões Amarelos: Fernando, Lúcio, Marqunhos, Rafael Marques (GRE); Matheus Carvalho (FLU)
Cartões Vermelhos: Brandão (GRE)
Gols: Fluminense: Fred (24min/1ºT, 8min, 33min e 36/2ºT), Rafael Sobis (16min/2ºT); Grêmio: Rafael Marques (16min/1ºT), Marquinhos (46min/1ºT), Brandão (29min/2ºT), Adílson (30min/2ºT)

Brasileirão – Fluminense 2 x 0 Grêmio

October 29, 2010

Em um país sério, Héber Roberto Lopes jamais seria juiz de futebol. Em um campeonato com o mínimo de decência, Héber Roberto Lopes seria afastado após “errar” da dessa forma no minuto derradeiro de um jogo. Uma imprensa séria não criticaria um dirigente por falar o óbvio. Mas, infelizmente, esse tipo de pensamento no Brasil ainda é encarado com mera utopia.

Héber roubou no varejo e no atacado. Usou do velho “descritério” na marcação de faltas. Matou o time do Grêmio e deu seu grande golpe ao ignorar o pênalti escandaloso, de concurso, de Leandro Eusébio em Jonas, aos 19 minutos do segundo tempo.

Duas garfadas nos dois últimos jogos que nos alijaram da disputa pelo título e muito provavelmente do G3. O Grêmio cresceu no campeonato e não demorou muito para que velhos fantasmas voltassem a aparecer nesta reta final.

Na Copa do Brasil o Grêmio conseguiu passar por cima da arbitragem e venceu o Fluminense por duas vezes. Ontem não foi possível.

O Grêmio não fez uma grande partida, mas certamente não merecia perder. Não foi menos time em campo do que o Fluminense. A equipe começou um pouco titubeante, mas sempre indo ao campo de ataque. Aos poucos, ia equilibrando o duelo, mas sofreu um duro golpe no gol marcado na bela jogada de Conca. A partir daí só deu Grêmio, que ensaiou uma pressão e quase empatou numa jogada de linha de fundo de Jonas. No início do segundo tempo o Grêmio levou outro susto, no chute de Júlio Cesar. Logo reagiu e teve sua melhor chance de ampliar, mas André Lima errou cabeçada após bom cruzamento de Lúcio. O Grêmio teve a bola no campo de ataque, próximo da área adversária, mas pouco conseguia concluir. A não marcação do pênalti e a profusão de cartões que vieram na seqüencia praticamente acabaram com as chances de recuperação do Grêmio na partida.

Achei muito estranha a demora do Sportv em reprisar o lance do pênalti. Assim como no jogo contra o Santos, foi preciso que o treinador provocasse a répoter no campo para que fosse exibido o replay da falta na transmissão. Faltou pouco para que se repetisse o que foi feito em Flamengo 2 x 0 Grêmio em 2007, onde um lance de pênalti pro Grêmio jamais foi repetido.

 

Renato pode até ter cometido uma deselegância com o time adversário, mas não falou nenhuma inverdade. Além da notória e decantada competência, da rabugice cômica, os títulos de Muricy também foram marcados por arbitragens amigas.

Não gostei da solução dada pelo treinador para as ausências de Rochemback e Adílson. Do ponto de vista tático, o time perdeu em poder de marcação, Vilson deixou de fazer a cobertura do Gabriel para jogar centralizado e não houve um ganho na saída de bola com a entrada de mais um meia. Souza não vive seu melhor momento e não deveria ter começado o jogo, mas acho um pouco exagerado atribuir a ele a derrota.

Mais uma vez, achei exagerada a importância dada as questões referentes ao Twitter. Não se pode superdimensionar coisas ditas no calor do momento, na emoção do jogo. A torcida, o clube e a imprensa tem assuntos mais importantes para discutir.

Fotos: Cleber Mendes (Lance), Alvaro Riveros (Terra) e Ricardo Paes (UOL)

Fluminense 2 x 0 Grêmio

Conca 19´
Conca 81´

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum e Leandro Euzébio; Carlinhos, Diguinho (Belletti, 42’/2ºT), Fernando Bob (Valencia, 32’/2ºT), Marquinho, Conca e Julio Cesar (Thiaguinho, 34’/2ºT); Washington.
Técnico: Muricy Ramalho.

 

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Paulão e Fábio Santos (Gilson, 29’/2ºT); Vilson, Souza (Diego Clementino, 35’/2ºT), Douglas e Lúcio; Jonas e André Lima (Júnior Viçosa, 26’/2ºT).
Técnico: Renato Portaluppi

 

32ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2010
Local: Estádio Engenhão, Rio de Janeiro – RJ
Data: 28/10/2010, quinta-feira, 21h00min
Público: 15.397 (13.592 pagantes)
Renda: R$ 214.485,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gílson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Cartões amarelos: Washington, Diguinho, Gum, Ricardo Berna (FLU); Rafael Marques, Souza, Douglas, André Lima, Gilson (GRE)
Gols: Conca, aos 19min do 1º tempo, e aos 36min do 2º tempo