Archive for the ‘Flamengo’ Category

Brasileirão 2021 – Grêmio 2×2 Flamengo

November 24, 2021
https://i.imgur.com/9DXZA8I.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Estivesse o Grêmio numa situação mais tranquila/corriqueira, essa busca do empate com 10 dez jogadores seria um fato a ser comemorado.

O estranho é que em boa parte do primeiro tempo o Grêmio jogou como se estivesse numa situação corriqueira.

A expulsão do Jhonata Robert é bastante questionável. Eu tenho minhas dúvidas se ele chegou a fazer falta em Vitinho no lance do segundo amarelo. E com certeza ele não deu ou tentou dar cotovelaço conforme sinalizou o juiz ao mostrar o cartão vermelho.

Eu não marcaria o pênalti de Gustavo Henrique em Ferreirinha no primeiro tempo. Mas dá pra lembrar que por muito menos foi marcado um pênalti para o Santos contra a Chapecoense.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

https://i.imgur.com/MxO6ari.jpg

Foto: Alexandre Vidal (Flamengo)

https://i.imgur.com/j1FNtEa.jpeg

Grêmio 2×2 Flamengo

GRÊMIO: Gabriel Grando; Rafinha (Vanderson, 20’/2ºT), Ruan, Geromel e Cortez; Thiago Santos  (Victor Bobsin, 15’/2ºT) e Lucas Silva (Alisson, 20’/2ºT); Jhonata Robert, Campaz (Douglas Costa, 27’/2ºT) e Ferreira; Diego Souza (Borja, 15’/2ºT)
Técnico: Vagner Mancini

FLAMENGO: Hugo Souza; Rodinei, Gustavo Henrique (Bruno Viana, intervalo), Léo Pereira e Renê (Ramon, 33’/2ºT); João Gomes e Thiago Maia; Kenedy, Diego (Arrascaeta, 12’/2ºT) e Vitinho (Piris da Mota, 33’/2ºT); Vitor Gabriel (Pedro, 24’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

2ª Rodada (jogo atrasado) – Brasileirão 2021
Data: 23/11/2021, terça-feira, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre RS)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Alex dos Santos (SC)
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Cartão amarelo: Lucas Silva e Campaz e Renê e Kenedy
Cartão vermelho: Jhonata Robert aos 14 minutos do 2º tempo
Gols: Vitinho, aos 12min e aos 28min, Borja, aos 29min, Ferreira aos 36min do 2º tempo.

Brasileirão 1996 – Grêmio 3×1 Flamengo

November 23, 2021
https://gremio1983.files.wordpress.com/2021/11/6e25d-19962bflamengo2bbrasileirao2bzh.jpg

Foto: Zero Hora

Como eu disse na semana passada, foi nessa partida contra o Flamengo que Zé Alcino foi titular pela primeira vez na campanha do Brasileirão de 1996.

Interessante notar que José Mitchell (do Jornal do Brasil) apesar de chamar o atacante do Grêmio de Zé “Alcindo”, observou corretamente que o novo camisa nove tricolor atuava mais pelos lados do campo, tendo Paulo Nunes passado mais para o centro do ataque.

https://gremio1983.files.wordpress.com/2021/11/1146c-gremio2b3x12bflamengo2bcp.jpg

Foto: José Ernesto (Correio do Povo)

PAULO NUNES VIVE NOITE DE `MATADOR´

Marcou todos os gols na vitória de 3 a 1 sobre o Flamengo, no estádio Olímpico, formando dupla endiabrada com Zé Alcino

Quando marcou seu terceiro gol, Paulo Nunes correu para a beira do gramado, ajoelhou-se diante da torcida, fez o sinal-da-cruz e depois ergueu os olhos e as mãos para o céu. Com seus três gols, Paulo Nunes levou o Grêmio a vencer o Flamengo por 3 a 1, ontem à noite, no Olímpico, e, de quebra, mostrou que é o verdadeiro sucessor do matador Jardel e reassumiu a artilharia isolada do Campeonato Brasileiro com 11 gols.

Para chegar a essa posição, Paulo Nunes contou ontem com uma parceria que não vinha tendo nas últimas partidas: Zé Alcino. E foi exatamente dos pés de Zé Alcino que saiu o passe para o gol que abriu o caminho da vitória. Aos 5 minutos, ele invadiu a área pela direita e cruzou na medida para o goleador gremista simplesmente encostar para a rede. O Grêmio começava a recuperar a tranqüilidade abalada. Aos 19 minutos, Zé Alcino cruzou, Goiano errou e a bola sobrou para Paulo Nunes, que dominou e chutou com categoria.

Na arquibancada, a torcida fazia a sua festa, aplaudindo os jogadores a cada lance. Além dos dois atacantes, Carlos Miguel e, especialmente, Émerson davam o ritmo do jogo. No sistema defensivo, tudo perfeito, inclusive com André Silva revelando qualidades até para ser mantido. Aos 35 minutos, Zé Alcino dominou pelo meio e enfiou para o endiabrado Paulo Nunes, que entrou livre, driblou o goleiro e fez 3 a 0.

No segundo tempo, o Grêmio reduziu seu ritmo. Carlos Miguel foi poupado. Entrou João Antônio. O Flamengo passou a pressionar. Num contra-ataque, aos 9 minutos, Zé Alcino fez bela jogada individual e quase marcou o quarto gol. Aos 19, Athirson entrou pela direita e bateu cruzado para fazer 3 a 1. Logo depois, Luciano foi expulso injustamente pelo árbitro, que passou a errar muito. Mesmo com um a menos, o Grêmio garantiu a vitória.” (Correio do Povo, quinta-feira, 10 de outubro de 1996)

“O JOGO: O Grêmio foi superior ao Flamengo no primeiro tempo e definiu a vitória cedo, em mais uma ótima apresentação de Paulo Nunes.” (Tabelão Placar 96)


“Mais do que o jogo de Paulo Nunes, autor dos três gols do Grêmio, a partida marcou o ajuste final de Luiz Felipe no time. Com a entrada de Zé Alcino no lado direito do ataque, ele resolveu os problemas ofensivos da equipe
.”(Zero Hora, segunda-feira, 16 de dezembro de 1996)

https://gremio1983.files.wordpress.com/2021/11/c8dc9-19962bflamengo2bpioneiro.jpg

OUTRO VEXAME DO FLA

De novo, o carrasco foi também ex-rubro-negro, Paulo Nunes, autor dos três gols da vitória do Grêmio

PORTO ALEGRE — O Flamengo parece ter-se acostumado a perder, como temia o presidente Kleber Leite. Ontem, no Estádio Olímpico, sofreu sua terceira derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro (está em 12° lugar, com 20 pontos ganhos), escapando inclusive de ser goleado no primeiro tempo. O Grêmio ficou nos 3 a 1, porque o Flamengo jogou com raça no segundo tempo, quando conseguiu seu gol, marcado por Atirson, um dos poucos que se salvaram.

Paulo Nunes, mais um ex-jogador rubro-negro (como aconteceu com Edmundo, no domingo), foi o responsável pelo terceiro pesadelo do Flamengo. O atacante marcou três gols, poderia ter feito mais, se não tivesse saído por cansaço, e assumiu a liderança isolada da artilharia com 11 gols.

A derrota deixou a dúvida: o que tem sido pior no time do Flamengo? A sua frágil defesa, que até três rodadas era a menos vazada e agora contabiliza 11 gols sofridos em três jogos? O meio-campo, em que a criatividade não existe? Ou o ataque, que parece não ter entrado em campo nos últimos jogos? Bebeto, por exemplo, voltou a jogar muito mal.

Ontem, no Olímpico, a combinação desses fatores negativos foi responsável por mais uma derrota. Aos 5min, numa bola perdida num dos muitos passes errados de Iranildo no meio-campo, o Grêmio partiu para o rápido contra-ataque, em três toques. Dos pés de Emerson para Zé Alcindo, que cruzou para Paulo Nunes marcar 1 a 0, completamente livre. Paulo Nunes (pelo meio) e Zé Alcindo (pela ponta direita) se movimentavam e confundiam os zagueiros.

O Flamengo não conseguia ficar com a bola. O Grêmio, muito superior, não deixava o adversário jogar e ainda neutralizava as jogadas com seguidas faltas. O time de Joel ainda conseguiu perder um gol feito (Marques, livre, demorou para chutar), até que Paulo Nunes se aproveitou de um chute errado de Zé Alcindo para fazer 2 a 0, aos 19min. Gol de pura sorte.

Paulo Nunes ainda tinha mais para mostrar. Aos 35min, recebeu a bola em seu próprio campo, partiu em velocidade sem ser combatido, driblou Zé Carlos e tocou para o gol vazio: 3 a 0 no placar, três gols de Paulo Nunes e o 11º o do novo artilheiro do Brasileiro.

Tudo ou nada — Sorte do Flamengo que o primeiro tempo terminou — o Grêmio perdeu duas oportunidades para ampliar, para desespero do técnico Joel Santana. “Vamos voltar com tudo para o segundo tempo. Perdido por três, perdido por seis”, gritava Joel na saída de campo para o vestiário.

Joel fez mais do que gritar: trocou Atirson e Gilberto de lado. Em uma de suas primeiras jogadas como lateral-esquerdo, Atirson driblou dois adversários e chutou cruzado para marcar um bonito gol, aos 15min. Luciano foi expulso, o Grêmio ficou com um jogador a menos e o Flamengo tentou então reagir. Na base da raça, depois de duas substituições que nada acrescentaram (os atacantes Marcos e Jacinto no lugar de Gilberto e Marques), o Flamengo procurou o segundo gol. Quase conseguiu com Mancuso, que chutou no travessão.

O Flamengo, que teve de amargar mais uma derrota, volta a jogar domingo contra o Paraná, no Maracanã, com o presidente Kleber Leite ratificando sua confiança na comissão técnica rubro-negra. “O Joel Santana é um dos três melhores técnicos do Brasil. Está mantido no cargo e tem o meu apoio”.  (José Mitchell, Jornal do Brasil, quinta-feira, 10 de outubro de 1996)

https://gremio1983.files.wordpress.com/2021/11/6983c-jornal2bdo2bbrasil.jpg

https://i.imgur.com/jSrSKF7.png

GRÊMIO: Danrlei; Marco Antônio, Luciano, Adílson e André Silva; Mauro Galvão, Goiano, Émerson e Carlos Miguel (João Antônio); Paulo Nunes (Wágner) e Zé Alcino (Aílton)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

FLAMENGO: Zé Carlos; Gilberto (Marcão), Juan, Júnior Baiano e Athirson; Márcio Costa, Mancuso, Fábio Baiano e Iranildo (Pingo); Marques (Jacinto) e Bebeto
Técnico: Joel Santana

14ª Rodada – Primeira Fase – Brasileirão 1996
Data: 09 de outubro de 1996
Árbitro: Dalmo Bozzano (SC)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Público: 12.505 (8.833 pagantes)
Renda: R$ 86.741,00
Cartões Amarelos: Émerson, Goiano e Marco Antônio (G); Júnior Baiano, Mancuso e Jacinto (F)
Cartão Vermelho: Luciano (G)
Gols: Paulo Nunes (G), 5, 19 e 35 minutos (1° tempo); Athirson (F), 15 minutos (2° tempo).

Brasileirão 2021 – Flamengo 0x1 Grêmio

September 20, 2021
https://i.imgur.com/IwE4Rb0.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://pbs.twimg.com/media/E_uWLC1X0AcfDcw?format=jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://i.imgur.com/E81Yw1G.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Parece que o Flamengo gastou toda sua malandragem na quarta, quando poderia perder por até 3 gols.

Teve alguma justificativa para o Grêmio ter jogado com a camisa branca?

https://i.imgur.com/cA9oS2i.jpg

Foto: Marcelo Cortes (CR Flamengo)

https://i.imgur.com/eb6G2uE.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://i.imgur.com/xlLy9uL.jpg

Foto: Marcelo Cortes (CR Flamengo)

FLAMENGO: Diego Alves; Isla (Matheuzinho, 32’/2ºT), Rodrigo Caio, Léo Pereira e Renê; Willian Arão e Andreas Pereira (Thiago Maia, 47’/2ºT); Everton Ribeiro (Pedro,  19’/2ºT), Vitinho (Bruno Henrique, 19’/2ºT) e Michael (Kenedy 32’/2ºT); Gabigol.
Técnico: Renato Portaluppi

GRÊMIO: Gabriel Chapecó (Brenno, 7’/2ºT); Vanderson, Ruan, Rodrigues e Rafinha (Cortez, 36’/2ºT); Thiago Santos; Alisson (Diogo Barbosa, 47’/2ºT), Lucas Silva (Mateus Sarará, 36’/2ºT), Villasanti e Ferreira (Léo Pereira, 36’/2ºT); Borja.
Técnico:Luiz Felipe Scolari.

21ª rodada — Brasileirão 2021
Data: 19/09/2021, domingo, 20h30min
Local: Maracanã, Rio de Janeiro, RJ
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
VAR: Braulio da Silva Machado (SC)
Cartão amarelo: Borja, Thiago Santos, Vanderson e Mateus Sarará (Grêmio) e Isla, Bruno Henrique e Rodrigo Caio
Gol: Borja, aos 47 minutos do 1º tempo

Copa do Brasil 2021 – Flamengo 2×0 Grêmio

September 16, 2021
https://i.imgur.com/ZE0f79m.jpg

Foto: Marcelo Cortes (CR Flamengo)

Foto: Marcelo Cortes (CR Flamengo)

Quando o jogo ainda estava 0x0, Jhonata Robert chutou uma bola em cima do Rodrigo Caio e pediu pênalti. Não teve replay, muito menos VAR. E o Sandro Meira Ricci fez de conta que não saber do que os jogadores estavam reclamando. Segundo o minuto a minuto do Terra e da Gazeta Esportiva esse lance aconteceu aos 18 minutos do segundo tempo. Eu me prestei a ver o compacto do jogo no SporTV, mas edição feita simplesmente pulou dos 14 para os 25 minutos do segundo tempo.

Foto: Staff Images (CBF)

Foto: Staff Images (CBF)

 

FLAMENGO: Gabriel Batista; Matheuzinho, Rodrigo Caio (Gustavo Henrique, 27’/2ºT), Léo Pereira e Renê; Thiago Maia (João Gomes, 35’/2ºT) e Andreas Pereira; Everton Ribeiro, Vitinho (Lázaro, 14’/2T) e Michael; Gabigol (Pedro, 14’/2T)
Técnico: Renato Portaluppi

GRÊMIO: Brenno; Rafinha, Paulo Miranda (Rodrigues, 24’/2ºT), Kannemann e Diogo Barbosa; Fernando Henrique; Léo Pereira, Mateus Sarará (Lucas Silva, 15’/2ºT), Villasanti e Jhonata Robert (Everton, 24’/2ºT); Borja (Diego Souza, 24’/2ºT)
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Copa do Brasil 20201 – Quartas de final Jogo de volta
Data: 15 de setembro de 2021, Quarta-feira, 21h30min
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Público: 6.446 (6.277 pagantes)
Rebda: R$ 794.095,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Renê e Thiago Maia (Flamengo); Kannemann, Rafinha, Borja, Rodrigues e Brenno (Grêmio)
Gols: Pedro (de pênalti), aos 33 minutos e aos 42 minutos do segundo tempo

Copa do Brasil 2021 – Grêmio 0x4 Flamengo

August 29, 2021

Foto: Alexandre Vidal (C.R. Flamengo)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Olhando pelo momento vivido pelas equipes o favoritismo do Flamengo era inegável. Diante desse quadro era de se imaginar que uma vitória gremista passaria por uma atuação com pouco ou nenhum erro.

Infelizmente o time cometeu um erro grosseiro no início dos segundo tempo, quando um escanteio mal batido pelo Flamengo passou baixo pelo primeiro pau e atravessou a área até chegar em Bruno Viana, que fez um 1×0. Foi um erro que custou caro, pois o Grêmio havia feito um bom primeiro tempo e sentiu demais o golpe. Depois disso o time se jogou de forma atabalhoada ao ataque e sempre esteve mais próximo de levar um segundo gol do que de empatar. Nos últimos 15 minutos de jogo o time não só levou o segundo, como também o terceiro e o quarto.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Foto: Lucas Bubols (Globo Esporte)

Grêmio 0x4 Flamengo

GRÊMIO: Gabriel Chapecó; Vanderson, Rodrigues, Kannemann e Rafinha; Thiago Santos (Diego Souza, 25’/2ºT); Douglas Costa (Ferreira, 28’/1ºT), Lucas Silva (Campaz, 13’/2ºT), Villasanti e Alisson (Luiz Fernando, 25’/2ºT); Borja
Técnico: Luiz Felipe Scolari

FLAMENGO: Diego Alves; Isla, Gustavo Henrique, Bruno Viana e Filipe Luís; Willian Arão e Diego (Matheuzinho, intervalo); Everton Ribeiro (Vitinho, 31’/2ºT), Arrascaeta (Thiago Maia, intervalo) e Bruno Henrique (Michael, 41’/1ºT); Gabigol (Rodinei, 41’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

Data: 25 de agosto de 2021, Quarta-feira, 21h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Lucas Silva, Luiz Fernando e Ferreirinha (Grêmio); Diego e Gabigol (Flamengo)
Cartões vermelhos: Vanderson (Grêmio); Isla (Flamengo)
Gols: Bruno Viana, aos 7 minutos do segundo tempo; Michael, aos 39min do segundo tempo; Rodinei, aos 45min do segundo tempo; Vitinho (de pênalti) aos 51min do segundo tempo

Brasileirão 2020 – Grêmio 2×4 Flamengo

January 31, 2021

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

 

Que situação bizarra em que o Grêmio se meteu. O pior resultado para essa noite era um empate.

 

Foto: Alexandre Vidal (C.R. Flamengo)

Foto: Alexandre Vidal (C.R. Flamengo)

Grêmio 2×4 Flamengo

GRÊMIO: Vanderlei; Victor Ferraz, Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Maicon, 17’/2ºT), Matheus Henrique; Alisson (Everton, 17’/2ºT), Jean Pyerre (Pinares, 28’2ºT), Ferreira (Luiz Fernando, 17’/2ºT); Diego Souza (Isaque, 40/2ºT).
Técnico: Renato Portaluppi

FLAMENGO: Hugo Souza; Isla, Willian Arão, Gustavo Henrique e Filipe Luís; Gerson, Diego (João Gomes, 25’/2ºT), Everton Ribeiro (Vitinho, 34’/2ºT), Arrascaeta (Pepê, 42’/2ºT); Bruno Henrique e Gabigol (Pedro, 42’/2ºT).
Técnico: Rogério Ceni

23ª Rodada (jogo atrasado) — Brasileirão 2020
Data: Quinta-Feira, 28/01/2021, 20h0min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Diego Souza, Kannemann, Matheus Henrique, Pinares e Diogo Barbosa (Grêmio); Gustavo Henrique, Vitinho e Bruno Henrique (Flamengo)
Gols: Diego Souza, aos 39min do primeiro tempo, Éverton Ribeiro, aos 12min do segundo tempo; Gabigol, aos 14min do segundo tempo; Arrascaeta, aos 20min do segundo tempo; Diego Souza, aos 39min do segundo tempo e Isla, aos 47min do segundo tempo

Brasileirão 1988 – Grêmio 0x0 Flamengo

January 27, 2021

Foto: Nico Esteves (Placar)

Grêmio e Flamengo já se enfrentaram antes em um dia 28 de janeiro. Foi pelo Brasileirão de 1988, que, assim como a atual edição, começou em um ano e só foi ser finalizado no seguinte.

Naquela ocasião houve uma parada de mais de um mês entre o fim da fase da classificação, em meados de dezembro, e o início dos mata-mata. Na sua preparação para o jogo, o Flamengo recebeu a visita da  Rainha do seu Baile Vermelho e Preto, Monique Evans, enquanto o maior agito na concentração tricolor em Gramado foi uma conta não paga em um clube da cidade serrana.

Como é possível ver nos textos transcritos abaixo, o Presidente Paulo Odone não gostou nenhum pouco do fato do jogo ter sido marcada para as 16 horas de um sábado em plena temporada de veraneio no Rio Grande do Sul. Buscando evitar um baixo público, o mandatário gremista tentou barrar a transmissão pela TV Globo e reduziu consideravelmente o preço dos ingressos. A redução se mostrou uma medida acertada, uma vez que mais de 53 mil pagantes se fizeram presentes no Olímpico naquela tarde.

Em campo o Grêmio não conseguiu sair do 0x0, resultado mais favorável ao Flamengo, que tinha a vantagem de jogar por empate numa prorrogação numa eventual igualdade após o fim do tempo regulamentar da segunda partida.

Acho bem curiosa a numeração usada pela equipe tricolor nesse período. Na foto a abaixo podemos ver o lateral-esquerdo Airton com a camisa 5, enquanto a camisa  4 ficou com o meio-campista Cristóvão Borges.  Por falar em Cristovão, já comentei antes no twitter que gosto muita dessa braçadeira com os dizeres “CAPITÃO” usada por eles nesse jogo.

 

Foto: Nico Esteves (Placar)

 

Foto: Nico Esteves (Placar)

EMPATE DEIXA FLA MAIS PERTO DA SEMIFINAL

A torcida rubro-negra comemorou o resultado como se fosse uma vitória, num jogo disputado c equilibrado, apesar do calor. E o empate em 0 a 0 com o Grêmio, em Porto Alegre, deixou o Flamengo numa situação muito confortável na busca da classificação para as semifinais do campeonato Brasileiro. O próximo jogo das duas equipes será na quinta-feira à noite, no Maracanã, quando uma vitória no tempo normal basta ao time do Rio.

O Flamengo começou com mais fôlego. Zinho arriscava dribles e Bebeto lançava sempre para Sérgio Araújo na direita, sem que houvesse maior perigo nas finalizações. O Grêmio buscava marcar o adversário no meio-campo e encontrou pelo setor direito do ataque o caminho mais fácil para atingir a área do Flamengo, através de jogadas de Alfinete, Jorginho e Serginho. Foram nos escanteios cobrados por Jorginho que o Grêmio levou maior perigo à meta de Zé Carlos e, se não houve um gol neste primeiro tempo, isso se deve à sucessão de erros de Jorge Veras na pequena área e na presença quase milagrosa de Aldair, que desarmou o adversário em praticamente todas as investidas.

No segundo tempo, o Flamengo novamente começou com mais garra e, até os 12 minutos, conseguiu cinco escanteios a seu favor. A partir daí, o técnico Minelli ordenou que a defesa de fechasse ainda mais, abafando outras investidas rubro-negras. Pelo Flamengo, as jogadas de maior perigo foram aos 15 minutos, quando Zico cobrou uma falta na intermediária num belíssimo lançamento para Sérgio Araújo que, da meia-lua, deu um chutão sobre o travessão. E aos 41, quando Jorginho, após jogada de Renato (que substituiu Zico) buscou a linha de fundos, cruzou para a pequena área, mas Sérgio Araújo novamente errou o chute, cara a cara com Mazaropi. Nos minutos finais, os dois times alternaram jogadas de perigo, mas Zé Carlos e Mazaropi conseguiram manter o marcador. “ (Jornal do Brasil, domingo, 29 de janeiro de 1989)

 

 

TELÊ NÃO CANTA VITÓRIA

Porto Alegre — O empate teve sabor de vitória para o Flamengo, que agora conta com a vantagem de jogar em casa, na próxima quinta-feira, por mais um empate para se classificar. Por isso, quando faltavam dez minutos para terminar o jogo, a torcida rubro-negra ja cantava a vitória do seu time.

Fim de partida, e o alívio substituiu o cansaço da equipe, que saiu de campo com a sensação de que o pior tinha passado. Zico, substituído no início do segundo tempo, achou que faltou às duas equipes, além de gols, preparo físico. “Depois das férias, os times voltam sem aquele ritmo de jogo rápido”, acrescentou.

 O técnico Telê Santana foi talvez o único no Flamengo que não sentiu nenhum gosto de vitória com o empate. “Nós viemos a Porto Alegre para ganhar. É claro que o resultado nos favoreceu, mas eu sempre disse que íamos atacar”, salientou.

O Flamengo soube administrar o nervosismo do Grêmio, empurrado por sua torcida, e foi inteligente. Soube segurar o jogo no final, tanto que quem mais trocou passes nos últimos minutos foi o goleiro Zé Carlos com a defesa. Ainda assim, Telê prefere atribuir a falta de conclusões, de um lado e de outro, ao preparo físico ainda deficiente dos jogadores. “O calor atrapalha e a torcida do Grêmio também pressionou muito o nosso time”.

Uma coisa Telê garante: o Flamengo será um time ofensivo na quinta-feira. “Não podemos pensar no empate só porque ele nos classifica, ainda mais jogando com a nossa torcida junto.” Essa é exatamente a maior preocupação do treinador do Grêmio, Rubens Minelli, ou seja, o ataque do Flamengo no Maracanã.

O técnico do Flamengo acha pouco tempo até o próximo jogo para que o time alcance preparo físico satisfatório, mas está confiante na vitória, até porque a partida será a noite, com temperatura mais amena.“ (Jornal do Brasil, domingo, 29 de janeiro de 1989)

 

 

PÚBLICO, CONSOLO GREMISTA

“Perdemos gols que não poderíamos perder”, lamentou o treinador Rubens Minelli, sintetizando as opiniões entre os gremistas no final da partida com o Flamengo. Cuca, o melhor atacante do Grêmio, perdeu dois gols, mas a partida de ontem mostrou que, para quinta-feira, no Maracanã, o Grêmio continua’ com o mesmo problema: não tem centroavante nem agressividade no ataque.

O lateral-esquerdo Airton, que prometia uma grande atuação contra seu ex-clube, foi apenas regular. Ele admitiu que o time gaúcho “não teve tranquilidade para marcar, mas em decisão não se pode brincar”. Embora lamentando o empate, o presidente do Grêmio, Paulo Odone, estava eufórico com a presença de 53.842 pagantes no Estádio Olímpico, que proporcionaram uma renda de NCz$ 34.346,40, mesmo sendo sábado à tarde. Ele acha que o público deu uma “lição e um depoimento ao vivo” e pensa, seriamente, cm manter os preços baixos, pelo menos nas gerais (NCz$ 0,20) e arquibancadas (NCz$ 0,50).

O Grêmio cobrou preços mais baixos, inclusive inferiores à tabela da Sunab, em protesto à decisão da CBF de marcar a partida para uni sábado, quando normalmente a maioria dos porto-alegrenses está na orla atlântica. Com os preços baixos, o Estádio Olímpico apresentou uma das maiores lotações dos último três anos.“(Jornal do Brasil, domingo, 29 de janeiro de 1989)

 

 

FLAMENGO JOGA POR NOVO EMPATE NO RIO

Porto Alegre – Emygdio Felizardo –  Enviado Especial – Deu 0 a 0 no primeiro jogo das quartas-de-final da Copa União. Na verdade, Flamengo e Grêmio não realizaram boa atuação ontem à tarde no Olímpico, em Porto Alegre, cometendo muitos erros, principalmente nas finalizações, e frustraram o grande número de torcedores que praticamente lotou as dependências do estádio. O resultado foi justo e beneficiou o time carioca que terá o direito de decidir sua passagem para a semifinal quinta-feira, no Maracanã, com a vantagem de dois empates — no tempo normal e na prorrogação — para eliminar o Grêmio.

O Flamengo, começou o jogo em ritmo quente, bem distribuído em campo, mostrando eficiência na marcação e partindo rápido nos contra-ataques, com os lançamentos para as pontas, onde encontrava muita liberdade para trabalhar a bola, principalmente pelo lado direito, com Sérgio Araújo. Desta forma, o time carioca foi dominando as ações, mas apresentando erros nos cruzamentos.

Aos poucos, no entanto, o Grêmio foi crescendo em campo, equilibrando o jogo e depois conseguindo reverter a situação, passando de dominado para dominador. Com a subida de produção do time gaúcho, foram surgindo falhas gritantes no sistema de marcação do Flamengo, a partir do meio-campo. O Grêmio pressionou muito após os 20 minutos e esteve muito próximo de sair para o intervalo com a vantagem no placar.

As principais investidas dos gaúchos na primeira etapa surgiram pelo lado direito, através de boas combinações entre Jorginho e Alfinete. Nas cobranças de escanteios, o Grêmio deixou o  Flamengo em grandes apuros, com a defesa atabalhoada, escapando de sofrer gol pela grande fase de Aldair. Na frente, o Flamengo também foi muito prejudicado pelas precipitações de Sérgio Araújo nas finalizações.

Os melhores momentos ao primeiro tempo pertenceram ao Grêmio, aos 12 e 20 minutos. No primeiro, Jorginho cobrou falta, Leonardo falhou e Cuca bateu por cima, da entrada da pequena área. O segundo foi em um corner. A defesa do Flamengo não interceptou mas o ataque do Grêmio também bobeou.

Na etapa complementar, o Grêmio voltou a ficar com as melhores chances de gols. Uma aos 13 minutos, com Cuca chutando fraco em cima de Zé Carlos, depois de boa investida pela esquerda, e outra aos 24, numa falha de Aldair. Aos 41 minutos, Sérgio Araújo, na pequena área, perdeu a maior oportunidade do Flamengo. No finalzinho do jogo aconteceram dois bons momentos — um para cada lado —, mas Zé Carlos e Mazaropi seguraram o 0 a 0.” (Emygdio Felizardo, Jornal dos Sports, domingo, 29 de janeiro de 1989)

 

 

ATUAÇÕES

 

FLAMENGO

Zé Carlos — Falhou em dois lances no primeiro tempo, quando saiu mal em cobranças de escanteios. Mas na etapa complementar fez boas defesas, sendo a melhor delas aos 44 minutos. Nota 7

Jorginho — Esteve muito bem na marcação e com boas Investidas de apoio. No entanto, foi prejudicado pela afobação de Sérgio Araújo, correndo muitas vezes à toa. Nota 7

Aldair – Só falhou em um lance no segundo tempo, que quase acaba sendo fatal. No restante, esteve firme, justificando sua convocação para a Seleção Brasileira. Nota 8

Rogério — Outra boa atuação. Cobriu muito bem a falha de Aldair. Nota 7.

Leonardo — Ficou em sérios apuros com as investidas de Alfinete e Jorginho. Mas acabou dando conta do recado. Nota 7

Delacir — Novamente mostrou combatividade. Mas apresentou falhas, cometeu faltas desnecessárias e errou passes. Nota 4

Ailton — Esteve um pouco melhor que Delacir. Também é limitado. Nota 5

Zico — O problema estomacal o deixou muito abatido. Atuou mais no sacrifício e, por isso, não rendeu tudo o que sabe. Além disso, esteve afastado do time por contusão. Nota 6.

Renato entrou com disposição e deu bom chute a gol. Nota 6

Sérgio Araújo — Atrapalhou o ataque do Flamengo. Esqueceu o espirito de companheirismo. Nota 4

Bebeto — Lutou muito durante os 90 minutos. A individualidade de Sérgio Araújo também o atrapalhou. Nota 7

Zinho — Começou bem e depois caiu um pouco. Mas, ainda assim, preocupou a defesa. Nota 7.

 

GRÊMIO

Mazaropi — Os arremates de longa distância do Flamengo facilitou sua atuação. Mas também mostrou boa saída do gol, se antecipando aos atacantes adversários. Nota 7

Alfinete – No início foi envolvido por Zinho, mas foi se firmando na marcação e apoiou com eficiência, trabalhando bem com Jorginho. Nota 7

Trasante — Um zagueiro multo duro. É bom tanto nas bolas altas quanto rasteiras, mas abusa das faltas Nota 6

Luís Eduardo — No mesmo nível de seu companheiro. Também bate muito. Nota 6

Aírton — Deixou Sérgio Araújo muito solto durante a maior parte do tempo. Com isso, poderia comprometer toda a defesa do Grêmio, se o ponta não fosse “fominha”. Nota 4

Bonamigo — Um jogador habilidoso, que sabe fazer lançamentos. No entanto, andou pipocando algumas vezes. Nota 6

Sérginho — Se movimentou bem em campo, criando espaços e lançando. Na hora que procurou finalizar mostrou deficiência. Note 6

Cristóvão — Também trabalhou multo no meio-campo do Grêmio. Lutou com disposição e criou bons lances de ataque. Nota 7

Jorginho — Puxou os principais contra-ataques do Grêmio e criou pânico para a defesa do Flamengo nas cobranças de escanteios. Nota 8

Cuca — Lutou multo e perdeu vários gols. Nota 6

Jorge Veras — Veloz mas não demonstrou multa qualidade técnica. Nota 6.

 

ARBITRAGEM

O árbitro Romualdo Arpi Filho cumpriu à risca as determinações que foram Impostas pelo presidente da nova Cobraf, Áureo Nazareno. Antes do início da partida, o árbitro chamou os dois capitães e pediu que transmitisse aos jogadores que seria rigoroso na arbitragem e que não admitiria jogo violento. Por isso o jogo começou com cinco minutos de atraso. Na partida o árbitro Romualdo Arpi Filho, só deixou de dar um cartão ao zagueiro Trasante, que na passagem de uma bola segurou o atacante Bebeto. Aplicou cartão amarelo em Delacir e Luiz Eduardo, com muita segurança e conseguiu levar o Jogo até o seu final com multa tranqüilidade. Os seus auxiliares poucos trabalho tiveram demonstrando, que o de modo geral, trio de arbitragem esteve muito bem. “ (Jornal dos Sports, domingo, 29 de janeiro de 1989)

Foto: Sérgio Sade (Placar)

 

VETO A TELEVISÃO TEVE MOTIVO POLÍTICO

Os motivos que levaram o presidente do Grêmio, Paulo Odone, a criar toda a celeuma contra a TV Globo, ameaçando, inclusive, a impedir a transmissão do jogo de ontem no Estádio Olímpico, foram, na verdade, de fundo político. Isso, porque a Oposição vem conseguindo um grande crescimento, tornando-se cada vez mais forte para a próxima eleição que apontará o novo presidente do clube.

O pleito somente acontecerá 20 dias após a última participação do Grêmio nesta Copa União. A finalidade do dirigente no período pré-eleitoral é também unificar o clube e a torcida, para reconquistar o prestígio da atual administração e ganhar novo voto de confiança nas urnas. A atitude do presidente ainda teve além do cunho político, a intenção de motivar o espetáculo no Estádio Olímpico. Paulo Odone sabe que nos finais de semana. Porto Alegre torna-se uma cidade vazia, com as viagens para o litoral e que, por este motivo, a polêmica sobre a marcação da data para o televisionamento tornou-se a única maneira de despertar uma maior motivação para que o público comparecesse em bom número a fim de incentivar o time gremista na primeira batalha pela classificação nas quartas-de-final.” (Jornal dos Sports, domingo, 29 de janeiro de 1989)

 

 

Grêmio 0x0 Flamengo

GRÊMIO: Mazaropi, Alfinete (Fábio), Trasante, Luiz Eduardo e Aírton; Bonamigo, Cristóvão e Cuca; Jorginho, Serginho e Jorge Veras
Técnico: Rubens Minelli

FLAMENGO: Zé Carlos, Jorginho, Aldair, Rogério e Leonardo; Delacir, Aílton e Zico (Renato Carioca); Sérgio Araújo, Bebeto e Zinho
Técnico: Telê Santana

Brasileirão 1988 – Quartas de final – jogo de ida
Data: 28 de janeiro de 1989, sábado, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 53.842 pagantes
Renda: NCz$ 34.346,00
Juiz: Romualdo Arpi Filho
Auxiliares: Oswaldo Ramos e Darcio Pereira
Cartões Amarelos: Delacir e Luis Eduardo

Brasileirão 2020 – Flamengo 1×1 Grêmio

August 20, 2020

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Eu bem que tentei, mas em todos os ângulos mostrados na transmissão, não consegui ter certeza se a bola de fato pegou no braço do Kannemann, se pegou na cabeça e depois no braço, se pegou somente na cabeça, se pegou somente no ombro. Pelo que consta nas páginas 112-114 do Livro de Regras da CBF, somente em um dos casos o pênalti poderia ter sido marcado.

E considerando tudo isso, acho bem questionável o uso de VAR no lance, uma vez que consta na regra que “O VAR pode auxiliar o árbitro apenas no caso de um ‘erro claro, óbvio e manifesto’ ou ‘incidente grave não percebido’ “.

Acho muito estranha essa tese, ontem defendida pelo comentarista Paulo César Vasconcellos, de que a postura ou o desempenho do time possam fazer com que ele percar o direito de ter uma arbitragem justa.

Desconsiderando o aspecto anímico e levando em conta somente a pontuação (que é o que no fim das contas decide o título, vagas e rebaixamento), teria sido melhor ganhar do Ceará e levar uma goleada ontem.

E também cabe fazer uma observação totalmente empírica de que é mais fácil obter os três pontos contra times de fora do eixo uma vez que a arbitragem brasileira costuma tomar com mais frequência decisões duvidosas que favorecem os times de RJ e SP.

 

Brasileirão 2020 - Flamengo 1x1 Grêmio
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Flamengo 1×1 Grêmio

FLAMENGO: Diego Alves; João Lucas (Renê, 9/2ºT), Rodrigo Caio,  Léo Pereira, Filipe Luís; Willian Arão; Gerson (Pedro, 35/2ºT), Everton Ribeiro (16/2T), Arrascaeta; Bruno Henrique, Gabriel Barbosa
Técnico: Domènec Torrent

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Pedro Geromel, Kannemann, Cortez; Matheus Henrique (David Braz, 43/2T), Maicon (Lucas Silva, INT); Alisson (Thaciano, 43/2ºT), Jean Pyerre (Thiago Neves, 21’/2T), Pepê; Diego Souza (Isaque, 19/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

4ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2020
Data: Quarta-feira, 19 de agosto de 2020, 19h15min
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Rafael Traci (FIFA-SC)
Assistentes: Bruno Boschilia (FIFA-PR) e Alex dos Santos (SC)
VAR: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões amarelos: Gabigol, João Lucas e Filipe Luís (Flamengo); Diego Souza, Kannemann e Geromel
Gols: Pepê, ao 44 minutos do primeiro tempo; Gabigol (de pênalti), aos 43 do segundo tempo.

Brasileirão 1975 – Flamengo 1×0 Grêmio

August 19, 2020

Foto: Zero Hora

 

No Brasileirão de 1975, Flamengo e Grêmio se enfrentaram no Maracanã pela 3ª rodada do Grupo B da fase final. Vitória dos mandantes por 1×0.

Interessante notar que a Zero Hora e o Jornal do Brasil afirmam que o gol de Luisinho foi marcado em flagrante impedimento, enquanto o Jornal dos Sports nada fala sobre a posição do atacante rubro-negro.

Vale também apontar para o fato de que Ênio Andrade era o treinador do Grêmio enquanto Carlos Froner estava na casamata do Flamengo. Os dois são apontados por Tite como as principais vertentes do estilo gaúcho de futebol (eu acho estranho que ele mencione Froner antes de Foguinho).

Também acho estranho que em muitos desses confrontos dos anos 70 o Flamengo usou a camisa reserva contra o Grêmio.

Por último me chamou a atenção o lateral-esquerdo Bolívar usando a camisa 4 (foto abaixo). Tradicionalmente no Brasil os jogadores dessa posição utilizam a camisa 3 ou 6. Contudo, no Grêmio, além do Bolívar, já encontrei registro do Ortunho usando a camisa 4 na lateral-esquerda, bem como Casemiro e Hélcio.

Foto: Zero Hora

 

É A SÉTIMA PARTIDA SEM VITÓRIA DO TIME DE ÊNIO

[…]

Desde os primeiros minutos era possível notar uma maneira diferente do Grêmio jogar. Mais preocupado com a meia cancha do adversário, Ênio Andrade colocou Neca em marcação especial a Tadeu e Osmar cuidando de Zico. Luis Carlos também ajudava a proteger os zagueiros e, com isso, se confundia com Osmar. Apesar de atrapalhado e desorganizado, o vice-campeão gaúcho não escondia seus cuidados defensivos com relação ao mio de ataque do Flamengo.

Entretanto, um erro do juiz Emídio Marques de Mesquita originou o gol do Flamengo. Zico recebeu um lançamento pela meia-direita, dentro da área, dividiu a bola com Ancheta, levou vantagem e tocou para Luisinho. Como o zagueiro uruguaio no lance anterior, Picaso falhou ao deixar a bola passar sob seu corpo. Luisinho, completamente impedido (atrás até de Picasso) apenas tocou a bola de leve para as redes, fazendo 1 a 0, aos 9 minutos. […]” (Zero Hora, quinta-feira, 20 de novembro de 1975)

Foto: Jornal dos Sports

Foto: Jornal dos Sports

 

FLA FAZ GOL ILEGAL, SOFRE NO 2.º TEMPO, MAS VENCE

A torcida do Flamengo teve uma noite de apreensão, aborrecimento, revolta, mas no fim de tudo saiu satisfeita do Maracanã: sua equipe derrotou o Grêmio por 1 a 0, gol marcado por Luizinho em impedimento, aos nove minutos do primeiro tempo, e isolou-se na liderança do grupo B, com seis pontos ganhos.

Apreensão porque o Grêmio foi superior durante o segundo tempo, aborrecimento porque Zico saiu contundido (mais tarde, o exame radiográfico na perna direita nada revelou de anormal), e revolta porque Luisinho, além de realizar má partida, quase atrapalhou o lance de gol. Paulinho chutou, a bola ia entrando e Luisinho, em posição ilegal, tocou a bola para as redes. A sorte foi que o juiz Emídio Marques validou a jogada. Júnior, Iúra e Osmar receberam cartão amarelo.

O Flamengo esteve um pouco melhor no primeiro tempo, embora, logo depois do gol de Luisinho, o time gaúcho tenha perdido boas chances, entre elas chutes de Bolívar e Vilson na trave. Na fase final, o Grêmio melhorou — Zequinha chutou outra bola na trave — e teve amplo domínio, favorecido ainda pela saída de Luís Paulo e Zico, este contundido.

A renda somou Cr$ 270 mil 238 (20 mil 090 pagantes) as equipes atuaram assim: Flamengo — Cantarelli, Júnior, Jaime, Luis Carlos e Rodrigues Neto; Tadeu, Geraldo e Luis Paulo (Edson); Paulinho, Luisinho e Zico (Dequinha). Grêmio — Picasso, Vilson, Ancheta, Beto Fuscão e Bolívar; Osmar, Luis Carlos (Nenê) e Neca (Iúra); Zequinha, Claudinho e Loivo. O árbitro foi o paulista Emidio Marques de Mesquita, que falhou apenas ao confirmar o gol do Flamengo.

O jogo teve andamento técnico apenas razoável e mostrou o Flamengo superior durante o período inicial, enquanto o Grêmio foi superior no segundo tempo, quando perdeu algumas oportunidades de empatar, principalmente a partir do instante em que o adversário foi obrigado a recuar, devido à salda de Luis Paulo e Zico.

O Grêmio iniciou melhor a partida e pressionou seguidamente, mas coube ao Flamengo marcar o primeiro gol, logo aos nove minutos: bem lançado por Zico. Paulinho passou por Bolívar e bateu Picasso com um chute forte. A bola ia entrar, quando apareceu Luisinho – Impedido – e a tocou em definitivo para as redes. Dada a saída, o Grêmio quase chegava ao empate em dois lances seguidos. No primeiro, Bolívar mandou a bola na trave e, no outro, Cantarelli espalmou para córner um centro alto de Vilson.”  (Jornal do Brasil, quinta-feira, 20 de novembro de 1975)

Foto: Jornal dos Sports

“MENGO DESPACHA O GRÊMIO E DISPARA: 1 a 0

O Flamengo manteve a sua invejável posição de líder do Grupo B da Fase final do Campeonato Brasileiro, agora isolado e com seis pontos ganhos, ao vencer o Grêmio por 1 a 0, ontem à noite, no Mário Filho, gol de Luisinho, aos nove minutos do primeiro tempo. Vitória justa, porque o time carioca sempre soube como suportar a pressão desesperada do vice-campeão gaúcho.

Desde o início o primeiro tempo mostrou que seria bom, do agrado do torcedor. Os dois times partiram para os ataques estudados, com o Flamengo mais operoso, por força de sua melhor esquematização, porque o meio-campo sempre recebia o auxílio de um atacante, ora Zico ora Luís Paulo, e até mesmo Paulinho, que sempre procura cercar em seu setor.

A melhor disposição tática do time carioca valeu o primeiro gol, aos nove minutos, marcado por Luisinho, depois de excelente passe de Zico. O Grêmio não se entregou, e um minuto depois, num bom ataque, o lateral-esquerdo Bolívar atirou na trave, com grande perigo. Logo depois, o vice-campeão gaúcho teve outra grande chance, quando Claudinho atirou forte.

Na tentativa de conseguir logo a igualdade, o Grêmio colocou Iura no lugar de Nenê, e o Jogo melhorou, porque o Flamengo sentiu o perigo e nunca deixou de atacar, para eliminar no nascedouro as investidas do adversário. Depois, com a vantagem, a equipe carioca procurou tocar a bola, para garantir a mela vantagem, o bom passo para outro bom resultado.

Um susto para a torcida do Flamengo, logo no início do segundo tempo: depois de bela Jogada, Zequinha atirou na trave, com Cantarele batido. Na recarga, Lusinho fez o mais difícil, ao passar bem pelo becão Atílio Ancheta e atirar à direita de Picasso. Os dois lances serviram não só para mexer com os torcedores, mas também para despertar os times.

A partir dos 15 minutos, o Flamengo se retraiu, do que se aproveitou o Grêmio para fazer alguns ataques perigosos, pois adiantou os zagueiros laterais, especialmente Bolívar, o que serviu para mostrar o bom futebol de Tadeu, com presença marcante em todas as partes do campo, ao passo que Geraldo, talentoso, procurava organizar as jogadas.

Os últimos 15 minutos foram multo nervosos, porque os dois times procuraram as soluções para seus problemas: o Fia- mengo, segurar o um a zero; o Grêmio, na busca desesperada do empate O torcedor ganhou com isso, pois viu excelentes jogadas de ataque, embora o Grêmio sempre apelasse um pouco para a violência, o que não serviu para evitar a derrota.”  (Jornal dos Sports, quinta-feira, 20 de novembro de 1975)

Foto: Zero Hora

Flamengo 1×0 Grêmio

FLAMENGO: Cantarele; Junior, Jaime, Luis Carlos e Rodrigues Neto; Tadeu, Geraldo, Paulinho, Luisinho, Zico (Dequinha) e Luis Paulo (Edson)
Técnico: Carlos Froner

GRÊMIO: Picasso, Vilson, Ancheta, Beto Fuscão e Bolívar; Osmar, Luís Carlos (Nene) e Neca (Iura), Zequinha, Claudinho e Loivo
Técnico: Ênio Andrade

Brasileirão 1975 – Fase Final – 3ª Rodada
Data: 19 de novembro de 1975, quarta-feira, 21h15min
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Público: 20.090 pagantes
Renda: Cr$ 270.238,00
Juiz: Emidio Marques Mesquita;
Auxilares: Edson Massa e Angelo Antonio Ferrari
Cartões amarelos: Junior, Iura e Osmar
Gol: Luisinho, aos 9 minutos do 1º tempo

Brasileirão 2019 – Grêmio 0x1 Flamengo

November 18, 2019

Gremio x FlamengoGremio x Flamengo

O Grêmio (desfalcado de Matheus Henrique e Kannemann) não fez grande partida contra o time “misto” do Flamengo e acabou sendo derrotado por 1 a 0.

O “detalhe” é que o gol saiu em pênalti inexistente. Estranhamente a arbitragem ignorou os apelos dos jogadores do Grêmio, que pediam para que o lance fosse revisto, uma vez a bola bateu no braço de apoio de Leo Moura, quando este deu um carrinho.

Essa situação foi amplamente divulgada quando da final da Copa América. O pênalti não deveria ser marcado. Mas o juiz e todos os seus auxiliares preferiram seguir convictos no seu erro.

O triste é que haverá pouca crítica em cima desse fato. O que torna pouco provável uma melhora no nível da arbitragem nacional. Sempre há alguém pra contemporizar. Rodrigo Mattos, do UOL, disse que “Precisa de uma definição mais clara sobre o que é pênalti ou não em certos lances. Porque a real é que não está claro neste tipo de lance“. PVC, inicialmente, disse que “O pênalti marcado por Gabriel e que deu vitória ao rubro-negro é discutível. Mas o Grêmio não mereceu o empate“.

Ao contrário do que esses dois jornalistas escreveram, há sim uma definição para esse tipo de lance, é ela é bastante clara. E sendo clara, a questão se torna indiscutível. Ademais, cabe ressaltar o quão equivocada é a ideia de que um time possa ou não merecer uma arbitragem justa.

Abaixo a reprodução do material da FIFA elucidando essa questão (conforme disponibilizado no site da Federação Goiana, assim como também divulgado pela Federação Portuguesa)

fifa8fifa9

– Média de Público do Grêmio no Brasileirão 2019:
19.496 (17.298 pagantes)

– Média de público do Grêmio na Arena na atual temporada:
24.975 (22.649 pagantes)

– Média de público do Grêmio como mandante em 2019:
23.893 (21.636 pagantes)


Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Alexandre Vidal (C.R. Flamengo)

Grêmio 0x1 Flamengo

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura (Vizeu, 31/2ºT), Geromel, David Braz e Cortez; Michel (André, 20/2ºT) e Maicon; Alisson, Diego Tardelli (Pepê, intervalo) e Everton; Luciano
Técnico: Renato Portaluppi

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Thuler (Rodrigo Caio, 39/2ºT), Rhodolfo e Renê; Piris da Motta, Diego (Vinícius Souza, 20/2ºT), Lucas Silva (Everton Ribeiro, 9/2ºT) e Arrascaeta; Reinier e Gabigol
Técnico: Jorge Jesus

33ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2019
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 30.980 (28.541 pagantes)
Renda R$ 1.175.820,00
Arbitragem: Raphael Claus (Fifa)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa) e Anderson de Moraes Coelho
VAR: José Claudio Rocha Filho (quarteto de SP).
Cartões amarelos: Piris da Motta, Rodinei, Alisson
Cartão vermelho: Gabigol
Gol: Gabigol (de pênalti) aos 36 do primeiro tempo