Archive for the ‘Gauchão 1986’ Category

Gauchão 1986 – Grêmio 1×0 Inter

July 20, 2021

Fonte: Livro “Gauchão: A História Ilustrada De Uma Tradição

Há exatos 35 anos o Grêmio garantia o título do Gauchão de 1986 ao vencer o Internacional, no Olímpico (1×0 com gol marcado por Osvaldo) na última rodada do quadrangular final.

Acho interessante o aspecto quase “artesanal” dessas camisas feitas sem sublimação.  Na “foto do poster” é possível perceber que a disposição das listras na camisa do Baidek é diferente da disposição na camisa do Caio Jr., que por sua vez também é diferente da camisa do Bonamigo.

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto:  (Correio do Povo)

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto: Roberto Santos (Correio do Povo)

 

GRÊMIO BATE INTER E CONQUISTA O BI

PORTO ALEGRE – A torcida do Grêmio fez a festa na tarde de ontem no Estádio Olímpico. O Grêmio venceu o Internacional por 1 a 0, gol de Osvaldo aos 9 minutos do segundo tempo, e conquistou o bicampeonato gaúcho. Como já é tradição em todos os Gre-Nais, a decisão foi disputada num clima de muita tensão tanto que, no final do jogo, Marcelo, do Inter, e Luis Eduardo, do Grêmio, trocaram agressões e foram expulsos pelo árbitro Carlos Rosa Martins. A renda, que não superou o recorde, somou Cz$ 730.564,00 e o público foi de 41.295 pagantes.

O Grêmio iniciou a decisão com a vantagem do empate. Entretanto, desde o início jogou em busca da vitória. O Internacional, por sua vez, linha a obrigação de vencer para ficar com o titulo. No primeiro tempo o clássico esteve muito equilibrado com as duas equipes atacando com a mesma disposição sem, no entanto, marcar.

Na fase final, o técnico Valdir Espinoza colocou Osvaldo no lugar de Caio júnior. Esta alteração foi decisiva, já que aos 9 minutos Osvaldo marcou o gol do título após completar um cruzamento de Luís Carlos. A partir daí, o Inter precisava marcar dois gols, pois o empate não servia. Numa tentativa de virar o placar, o técnico Otacílio Gonçalves colocou Tita em lugar de Balalo. Só que a alteração não deu o resultado esperado, embora Tita tivesse se empenhado bastante. Aos 30 minutos a torcida do Inter começou a deixar o Estádio Olímpico, enquanto a do Grêmio já comemorava o bicampeonato.

Aos 42 minutos, visivelmente nervoso, Marcelo empurrou Luís Eduardo, que revidou a agressão. Ambos foram expulsos. Final de jogo, os jogadores do Grêmio comemoraram a conquista dando a volta olímpica com a taça” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 21 de julho de 1986)

 

Foto:  (Correio do Povo)

GRÊMIO: Mazaropi; Raul, Baidek, Luis Eduardo e Casemiro; China, Bonamigo e Luis Carlos Martins; Renato, Caio Júnior (Osvaldo) e Valdo
Técnico: Valdir Espinosa

INTER: Taffarel; Luis Carlos Winck, Pinga, Aloisio e Mauro Galvão; Marquinhos, Aírton e Ruben Paz; Robertinho, Marcelo e Balalo (Tita)
Técnico: Otacílio Gonçalves

Gauchão 1986 – Quadrangular Final – 2º Turno – 3ª Rodada
Data: 20 de julho de 1986, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS
Público: 41.295 (pagantes)
Renda: Cz$ 730.574,00
Árbitro: Carlos Martins
Auxiliares: Adão Alípio Soares e Adílson da Silveira
Gol: Osvaldo

Camisa Passeio 1986

June 4, 2012

Em 1986 o Grêmio fez uma excursão a Europa. Antes do jogo contra o Cynthia, a delegação teve um dia de folga em Roma, e o grupo aproveitou para conhecer alguns pontos turísticos de Roma.

A Zero Hora publicou algumas dessas fotos, feitas com uma câmera do Baidek que estava emprestada a Mazaropi. Eu achei bem interessante essa camisa azul da Penalty que o Maza e o China estão usando nas fotos.

O curioso é que essa camisa de passeio do Grêmio é bem parecida com a camisa reserva da época e da camisa titular de jogo do Santo André, usada em 1987 quando Wladimir e Luis Pereira jogavam por lá.

Aparentemente era feita de um tecido mais “avançado” do que o de algodão que o Grêmio adotava na sua camisa titular na época.

Gauchão 1986 – Grêmio 1 x 3 Internacional

October 21, 2010

O Vidarte postou em seu blog uma listagem (feita por Fábio Mundstock) dos Grenais que Renato jogou como jogador do Grêmio.
Entre esse clássicos, destaco um de 1986, o primeiro Grenal que Renato disputou após ser cortado por Telê da seleção que disputaria a Copa do México.
O jogo era válido pela nona rodada do segundo turno do Gauchão daquele ano. O placar final foi de 3×1 para o Inter. Renato marcou o gol gremista, mas acabou sendo expulso no início do segundo tempo.

Grêmio 1 x 3 Internacional
GRÊMIO: Mazarópi; Raul, Baidek, Luis Eduardo e Casemiro; Bonamigo, Osvaldo e Luis Carlos; Renato, Albeneir e Caio Junior (Sabella)
Técnico: Valdir Espinosa

INTERNACIONAL: Taffarel; Luis Carlos Winck, Pinga, Aloísio e Mauro Galvão; Marquinhos, Airton e Alcântara; Robertinho, Marcelo e Balalo.
Técnico: Otacílio Gonçalves

Data: 11 de maio de 1986
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre – RS
Público: 46.175 pagantes
Renda: Cz$ 802.694,00
Árbitro: Renato Marsiglia
Auxiliares: Celso Pastro e Carlos Kruse
Cartões Amarelos: Luis Eduardo, Renato, Mazaropi e Balalo
Cartão Vermelho: Renato
Gols: Renato, aos 15; Balalo, aos 20 e Aírton aos 42 minutos do primeiro tempo; Marcelo aos 27 minutos do segundo tempo.

Renato explicou o lance da expulsão e garantiu que o fato não tinha nada a ver com um trauma pós corte. Também comentou o seu duelo particular com Mauro Galvão (que era uma constante nos anos 80). Naquela tarde, Galvão foi deslocado para lateral-esquerda com a tarefa de parar o camisa sete gremista.
Em 2012, o juiz do jogo, Renato Marsiglia falou sobre o cartão vermelho para o jornal Zero Hora:

Você expulsou o Renato no clássico 278, em maio de 1986. Lembra?
Marsiglia – Ele tinha amarelo. Depois, empurrou o Robertinho, atacante do Inter, e o jogou no chão. Vermelho. Foi meu primeiro Gre-Nal e me marcou muito. Acho que os outros jogadores pensaram, “se ele expulsou o Renato, um superstar do futebol brasileiro, imagina a gente”. A repercussão no país foi enorme
.

Valdir Espinosa ocupava a casamata Tricolor, enquanto Otacílio Gonçalves era o treinador colorado.
Outro fato curioso foi a entrada de Alejandro Sabella no time do Grêmio na segunda etapa. O argentino sofria com as lesões e a falta de ritmo.
Mas, no fim das contas, Renato deu a volta por cima e o Grêmio se sagrou campeão gaúcho ao vencer o quadrangular final da competição. Renato aproveitou a ocasião para alfinetar Telê e comemorar o título em grande estilo:

“O ponta-direita, por sinal, ainda não se esqueceu de Telê. Nas comemorações nos vestiários, esperou que os microfones das emissoras de televisão e rádio se aproximassem dele. O discurso estava pronto. “O triunfo foi a prova de que time com ponta é campeão”, afirmava. “Aquele treinador atrasou o futebol brasileiro em mais de uma década e não ganhou nada. Sou profissional há quatro anos e tenho igual número de títulos.”

A bordo de seu Escort XR-3 conversível vermelho, Renato festejou o título estadual percorrendo alguns lugares da noite de Porto Alegre. Ao deixar o apartamento do amigo Moysés e levar para casa Maristela, a noiva e ex-amiga de infância em Bento Gonçalves, entregou-se às delícias da mesa no bem-locatizado e frequentado restaurante Barranco: “Sua carne de ovelha é impecável”, sugere o craque.” (fonte: Arquivo Gremista)

Link