Archive for the ‘gauchao 2009’ Category

Gauchão – Internacional 2 x 1 Grêmio

April 5, 2009

Planejamento defenestrado. Souza falando mais do que deveria (embora estivesse coberto de razão em sua fala) e time titular em campo no Gauchão, 48 horas antes de uma partida de Libertadores.

Roth surpreendeu com a escalação de Thiego. Réver fez um papel de volante, Adílson foi adiantado e Souza jogo na ala (no segundo tempo Adílson fechou o lado do campo e Souza ficou mais centralizado). Um esquema interessante para jogos em que seja necessário jogar mais fechado, ainda que careça de maior treinamento.

Inter jogou no seu costumeiro 4-3-1-2 (dependendo do ponto de vista um 4-3-2-1). Grêmio esperou no seu campo, buscando neutralizar a principal virtude do adversário: A velocidade. Embora tivesse alguma dificuldade na saída de bola (o que resultou nos maiores perigos), a estratégia gremista se mostrou acertada.

É sempre difícil falar de sorte ou azar em futebol. Contudo, no segundo tempo a equipe tricolor mandou duas bolas na trave (falta de Souza e cabeçada de Jonas) e ainda teve um lance no qual Guinãzu salvou em cima da linha após cabeçada de Réver.

E Gaciba? Até quando vai ser lembrado como o juiz que deixou Ronaldinho dominar uma bola na mão? O que acontece com o bom juiz que desaparece em grenais?
– Aos 11 minutos um penâlti clarrísmimo em Léo. Sabe-se lá por que ninguém do trio de arbitragem marcou. Teve falta por cima e por baixo, era só escolher uma. Penalide máxima de concurso.
– Logo depois disso Souza fez falta dura em Guinãzu e não foi advertido. Álvaro deu uma entrada fortíssima (carrinho com os dois pés, por cima da bola) e levou só amarelo (muito embora tenha passado o resto do jogo cometendo faltas).
– Aos 18, pênalti marcado em Tcheco em um lance muito mais díficil. Aparentemente Kléber ignorou a bola que vinha pelo alto e travou o capitão Gremista. Questionável o cartão mostrado ao lateral da seleção.
– Aos 27, bola lançada no “vazio”. Nilmar e Thiego correm juntos, ao ingressar na área o avante colorado se joga. pênalti marcado. Cartão amarelo para Thiego. O contato, se é que existiu, não é faltoso e de forma alguma é capaz de derrubar o adversário. Pior que no segundo tempo, aos 9 minutos, em lance parecido, envolvendo os mesmos jogadores, Thiego foi para o chão e Gaciba nada marcou.

– Aos 26 do segindo, confusão iniciada por D´Alessandro (voltando de longo migué) e Rafael Marques e Taisson são expulsos. Para qual time era mais interessante ter mais espaço em campo?
– Ainda no segundo tempo Nilmar entra com o pé alto em Victor (última foto) Gaciba manda seguir e marca escanteio para o Inter.
– Seis substituições. Duas expulsões. Um gol. Atendimento médico= 3 minutos de acréscimos, que sequer são observados.

Uma arbitragem não condizente com o juiz que foi eleito o melhor do País, mas no nível das demais arbitragens apresentados no campeonato e nos últimos clássicos.

Tão ou mais revoltante é a cobertura da imprensa. Provavelmente me perguntarão qual é novidade nesse meu comentário? Pois lhes digo. Proponho que nossa imprensa seja substituída pela assessoria de imprensa do Internacional. Para facilitar as coisas, uma relação mais honesta e mais direta com o torcedor. Na sexta-feira um repórter apresenta um especial em homenagem ao aniversário do Internacional; no domingo o mesmo repórter está fazendo a cobertura do clássico, “isento”, “imparcial”. R.Marques e Taisson são expulsos, só se entrevista o colorado. Jogo termina, árbitro marcou dois pênaltis polêmicos e deixou de dar outro escandaloso. Não seria interessante ouvir o juiz? Não é o que pensa o repórter, que prefere entrevistar Índio. Entrevistar não seria o termo mais correto. O repórter simplesmente dirigia elogios ao zagueiro colorado (ex: zagueiro-centroavante; maior que Figueroa) que chegou a ficar constrangido. Curiosamente o repórter tinha todas as estatísticas do atleta na ponta da língua durante a partida. Falando assim até parece perseguição ao jornalista, mas infelizmente esse é bom exemplo do que ocorre na imprensa gaúcha.

Mas de nada adianta eu ficar aqui reclamando enquanto a direção do meu time nada faz. Uma semana atrás um repórter dizia que o Grêmio era um time de racistas. Alguém do Grêmio sequer se mexeu para ser dado o contraditório?

Por mais que não seja a prioridade, como é que a direção permite que o campeonato tenha essa fórmula esdrúxula, com a tabela dirigida, onde o mando de campo define tudo. Como é que a direção permite levar um grenal (que era pra se jogado em no Olímpico) para Erechim? E ainda por cima divide a renda. Como é que muda todo o planejamento de utilização de reservas (que vigorou durante todo o campeonato) na véspera de um clássico?

Eu peço desculpas, porque dessa vez a análise do jogo (que é o que tento fazer aqui) ficou com cara de desabafo.


Internacional 2 x 1 Grêmio

INTERNACIONAL: Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Kleber; Sandro, Magrão (Marcelo Cordeiro 46 do 2º), Guiñazu e Andrezinho (DAlessandro 19 do 2º); Taison e Nilmar (Alecsandro 41 do 2º).
Técnico: Tite

GRÊMIO: Victor; Léo, Rafael Marques e Thiego; Souza, Réver, Adílson (Makelele 22 do 2º), Tcheco e Fábio Santos; Jonas (Maxi López 37 do 2º) e Herrera (Reinaldo 22 do 2º)
Técnico: Celso Roth

Gauchão 2009 – segundo turno – quartas-de-final
Data: 5/abril/2009, domingo, 17h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Público total: 44.590
Renda : R$ 535.444,00
Arbitragem: Leonardo Gaciba (Fifa-RS), auxiliado por Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Júlio César dos Santos.
Cartões amarelos: Álvaro, Kléber (I); Thiego, Souza, Jonas e Réver ;(G).
Cartões vermelhos: Taison (I); Rafael Marques (G), ambos ao 27 do 2ºt

Gols: Tcheco (G, de pênalti), aos 19min; Andrezinho (I, de pênalti), aos 33min, no 1º tempo. Índio (I), aos 32min, do 2º tempo.

Advertisements

Mudança de Datas

April 3, 2009
Francisco Novelletto Neto é presidente da Federação Gaúcha de Futebol desde 2004. Neste período, clubes gaúchos participaram da libertadores em 3 ocasiões: 2006 (Inter), 2007 (Grêmio e Inter) e 2009 (Grêmio). No vigente ano, estabeleceu-se a polêmica sobre o conflito de datas entre a Libertadores e o Campeonato Gaúcho. O Presidente da Federação se mostra irredutível aos pedidos do Grêmio, mas vamos analisar como ele se comportou nos anos anteriores:

Em 2006

A Federação ainda não confirmou a data dos jogos desta penúltima etapa, da qual resultarão os dois campeões que irão para a grande decisão, mas essa sim já tem dias marcados: 2 e 9 de abril, dois domingos” (UOL – 11/01/2006 – 10h01)

Os dois primeiros de cada chave e os dois melhores terceiros avançam, formando dois quadrangulares semifinais. Os campeões jogam as finais em duas partidas, nos dias 2 e 9 de abril.” (Site do Glória de Vacaria)

Contudo, o primeiro jogo da final foi disputado em um sábado, 1º de abril, no Estádio Olímpico. Mas por que a mudança? Simples: Porque o Internacional jogaria na terça-feira, dia 4 de abril, com o Nacional em Montevido, em partida válida pela Libertadores. Os interesses da Televisão não foram colocados como prioridade.

Em 2007

Atendendo à solicitação do Grêmio, que disponibilizará de mais tempo para se preparar para a partida contra o Cerro Porteño, dia 24 de abril, pela Libertadores, a Federação Gaúcha de Futebol modificou a data da partida de volta, contra o Caxias, pela semifinal do Gauchão. De domingo, dia 22, o jogo foi antecipado para sexta-feira, dia 20, às 20h, no Estádio Olímpico” (Site oficial do Grêmio)

Mesmo sem admitir publicamente, a direção do Inter fez um acordo com a Federação Gaúcha de Futebol para ganhar uma folga no final de semana.

Caso garanta a sua classificação nesta quarta-feira, contra o Veranópolis, o Inter não fará o jogo único das quartas-de-final programado para sábado e ganhará o fim de semana para preparar-se para o confronto contra o Emelec, terça, dia 10, pela Copa Libertadores, em Guaiaquil.

O presidente da Federação Gaúcha, Francisco Noveletto afirmou que “é uma questão de bom senso”, pois o Inter vem de uma série de jogos decisivos no Gaúcho e na Libertadores contra o Guarany de Bagé, Vélez Sársfield e Gaúcho“(Terra Quarta, 4 de abril de 2007, 11h18)

O que eu peço é que ao menos o Presidente da FGF tenha a mesma cara de pau que teve ao admitir falcatruas na venda de ingressos para o jogo da seleção(Eu avisei). Que pare com o discurso falso e sugestões idiotas, e admita de uma vez por todas que ele, dessa vez, não tem o menor interesse em alterar as datas.

Gauchão – Caxias 4 x 0 Grêmio

April 2, 2009


Já classificado para a próxima fase, Grêmio foi a serra, de time reserva, com a missão de ao menos garantir o jogo das quartas de final no Olímpico. Não passou nem perto de alcançar seu objetivo. A equipe até fazia um jogo igual com o Caxias, mas aos 29 minutos, um lance de incompetência e infelicidade a bola sobrou fácil para Marcos Denner abrir o placar. Dois minutos depois, falha de posicionamento no escanteio e Mika se abaixou para cabecear. 2xo e aos 31 minutos a partida já tinha um vencedor definido.
A partir daí o Grêmio esteve completamente apático em campo, e pagou o preço. Mais dois gols em falhas defensivas. Verdade que o Grêmio deu azar no jogo (sem falar na péssima arbitragem de Daronco), mas mesmo com sorte, não teria como conseguir resultado melhor jogando como jogou.
Obviamente, parte da torcida (e grande parte da imprensa) pedirá a cabeça de Roth. Minha posição segue sendo a mesma. Não temos um substituto melhor (ou igual). Outros motivos foram bem expostos pelo nosso amigo Paulo Sanchotene (em comentário feito lá no Impedimento):
“Das duas, uma: ou a gente considera que não temos como disputar a Libertadores, que tudo o que se fez no ano foi errado, que temos que começar tudo de novo, pensando no Brasileiro, e contratamos um treinador novo; ou a gente acredita no trabalho, nas boas atuações do time titular, na liderança do grupo na Libertadores, e mantém o planejamento atual.”
Ainda temos a questão de como enfrentar o Grenal de domingo. A direção não pode esquecer sua prioridade e abandonar seu planejamento. Como melhor explica Vicente Fonseca em seu Blog:
Agora, monta-se o cenário para o desastre completo. Após levar 4 a 0 do fraco Caxias, o tricolor pegará o grande favorito do Gauchão em seu estádio, dois dias antes de uma partida da Libertadores. Restará um dilema, que não deveria existir, mas existirá: o Grêmio, seguindo seu planejamento e mantendo coerência, não deve sacrificar o jogo de terça em favor de um Gre-Nal pela competição que não é sua prioridade. Mas não faltará aqueles que vão querer alguns titulares, o que até se justificaria se houvesse um espaço maior para o jogo contra o Aurora”


Caxias 4 x 0 Grêmio
CAXIAS: Muriel; Daniel, Santin, Vágner Lima e Brida; Bruno, Mika, Roberto e Guilherme (Crivellaro 26/2T); Júlio Madureira (Anderson 44/2T) e Marcos Dener (Marcus Vinicius 41/2T).

Técnico: Argel.

GRÊMIO: Victor; Fábio Ferreira, Thiego e Héverton (Róberson, intervalo); Makelelê, Júlio César, Maylson (Diogo 15/2T), Douglas Costa (Tiago, intervalo) e Jadílson; Herrera e Maxi López.

Técnico: Celso Roth.

Gauchão 2009 – 2º turno – 7ª rodada

Data: 02/04/2009, quinta-feira, 15h45min

Local: Estádio Centenário (Caxias do Sul, RS)

Árbitro: Anderson Daronco

Auxiliares: Paulo Conceição e Cristiano Henning

Renda e público:

Cartão amarelo: Mika (C), Thiego, Júlio César, Maxi López (G)

Gols: Marcos Dener 29, Mika 31 do primeiro tempo; Julio Madureira 3, Marcos Dener 8 do segundo tempo

Gauchão – Grêmio 2 x 0 São Luiz

March 31, 2009

Sigo sem entender por que um jogo isolado é marcado tão cedo, às 19h30min. Só consegui acompanhar (pela TV) a última meia hora de jogo, que foi bastante chata. Antes disso ouvi alguns trechos no rádio (o que é sempre uma tortura).

Time titular entrou em campo com o ataque reserva, e cumpriu o seu papel, superando a equipe de Ijuí, somando os três pontos e logrando a classificação. Aparentemente não fez muito mais do que isso, e vamos combinar que nem dava para exigir nada além da vitória.

Roth foi o primeiro a reconhecer que a equipe jogou mal, e fazer este diagnóstico é sempre importante.

Souza, até onde eu sei, teve jornada infeliz e desabafou, tendo que explicar coisas óbvias, mas muito bem colocadas.

fotos: Final e Grêmio.net

Grêmio 2 x 0 São Luiz
Makelele 46´
Reinaldo 82´

GRÊMIO: Victor; Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy (Makelele, 22 do 1º), Adilson, Tcheco, Souza e Jadílson; Herrera (Reinaldo 25 do 2º) e Maxi López (Jonas 25 do 2º)
Técnico: Celso Roth

SÃO LUIZ: Oliveira; Marcão (Gabriel), Bronzatti e Neguetti; Genison, Alex, Daniel Coracini, Carlos Lima (Alan) e Xaro; Ronaldo Capixaba e Kill (Felipe).
Técnico: Itamar Schulle

Gauchão 2009 – 2º Turno – 6ª rodada
Data: 30/março/2009, segunda-feira, 19h30min
Local: Olímpico (Porto Alegre)
Público: 10.031
Renda: R$ 111.694,00
Árbitro: Ronaldo Santos Silva
Auxiliares: Júlio César dos Santos e Carlos Selbach
Cartão amarelo: Rafael Marques, Adílson, Oliveira, Felipe e Neguette
Gols: Makelele 40 segundos e Reinaldo 37 do 2º

Gauchão – Ulbra 1 x 1 Grêmio

March 22, 2009

A única surpresa na escalação do time reserva do Grêmio em Canoas foi a presença de Orteman na meia cancha. Mal deu pra se ajeitar no sofá e a Ulbra abriu o placar: linha de impedimento mal feita, Lê recebeu na ponta direita e após o cruzamento rasteiro, Tatá fez o 1×0. A vantagem cedo na partida era o que a Ulbra mais queria, o time de Beto Almeida passou a valorizar o resultado, segurando e até catimbando o jogo. Isto somado ao forte calor da grande Porto Alegre na tarde de domingo acabou tornando o jogo bastante enfadonho no primeiro tempo. Grêmio criava pouco. Makelele era ala-direito no papel, na prática era mais um meio campo. As melhores chances foram dois chutes de Orteman e uma falta mal batida por Maylson, que passou pelo meio da barreira e só parou no ombro do goleiro André Luís, que defendeu no susto.

Time voltou do intervalo com Douglas Costa e Maxi Lopez no time. A equipe melhorou, muito mais pela iniciativa pessoal destes dois atletas do que por uma maior organização tática do time. Aos 10, Maxi girou dentro da área e cruzou rasteiro, Makelele chutou no alto, de perna esquerda, para empatar o jogo. Não tendo mais a vantagem no placar o time da Ulbra passou a sair mais para o jogo, e teve chances em erros do Grêmio, especialmente em chutes de Lê (talvez o melhor jogador em campo). O tricolor também teve chances de desempatar, em dois lances nos quais Maxi Lopez, na melhor das hipóteses, mostrou falta de ritmo. No primeiro grande jogada de Douglas Costa pela ponta esquerda, mas o cruzamento passou pelo avante; no segundo o argentino escorregou antes de pegar o rebote do goleiro.

Com o resultado “negativo” sobrarão críticas ( a maior parte delas infundadas) sobre a utilização dos reservas, sobre a escalação de Maxi e Douglas, etc…

Ficou bem claro que mesmo os reservas, entraram em campo pensando no jogo de quarta pela Libertadores. É inegável que a mobilização do clube se concentra no torneio continental.

fotos: GloboEsporte e Terra

Ulbra 1 x 1 Grêmio
Tatá 1´
Makelele 55´

ULBRA: André, Jonathan, Dudu (Henrique), Bruno e Júnior (Rogério Pereira); Wanderson, Teco, Gavião e Léo Dias; Tatá e Lê.
Técnico: Beto Almeida

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Saimon, Thiego e Héverton; Makelele, Júlio César, Maylson, Orteman (Douglas Costa, intervalo) e Jadílson (Helder); Reinaldo (Maxi López, intervalo) e Herrera.
Técnico: Celso Roth

Gauchão 2009 – 2º Turno – 4ª Rodada
Data: 22/03/2009, domingo, 16h00min
Local: Complexo Esportivo da ULBRA, em Canoas (RS).
Árbitro: Leandro Vuaden.
Auxiliares: Alexandre Kleiniche e Sedenir Martins
Cartões amarelos: Herrera, Saimon, Reinaldo (Grêmio); Tatá, Júnior (Ulbra).
Gols: Tatá, a 1 minuto do primeiro tempo; Makelele, aos 10 minutos do segundo tempo.

Gauchão – Grêmio 6 x 1 São José

March 19, 2009

Time titular e nenhuma dificuldade no jogo de ontem. Antes mesmo da torcida se dar conta do início do jogo o Grêmio já marcava o primeiro. Descida pelo lado esquerdo, Alex Mineiro fez o pivô e Tcheco acertou forte chute no canto direito de Luís Muller: 1×0. O São José não sentiu o golpe inicial e tentou reagir e conseguiu o empate aos 8 minutos:escanteio cobrado, Victor salvou a forte cabeçada mas Fabiano pegou o rebote e igualou o marcador. O ponteiro do zequinha ainda conseguiu fazer algumas boas jogadas, mas acabou sucumbindo a uma marcação mais forte e as vaias da torcida.

O gol sofrido nem chegou a representar um susto para o Grêmio, pois o time seguia produzindo e o desempate parecia ser questão de tempo. E foram exatos 13 minutos. Falta para o Grêmio na intermediária, junto a lateral. Souza rolou para Tcheco, que estava mais centralizado, este dominou, deu um tempo, e lançou Souza, que serviu Léo, que com calma chutou para o fundo do gol (meu relato é feito, mas o gol foi bonito, podem acreditar). Aos 25 Souza cruzou com força na área, Jonas desviou de cabeça para fazer o terceiro. O “pior atacante do mundo” ainda fez o quarto, de carrinho, após cruzamento rasteiro da Fábio Santos que Alex Mineiro não alcançou no primeiro pau. Creio eu que por pura implicância com o jornal espanhol, Jonas deixou de marcar seu terceiro no final de primeiro tempo, após ficar cara-a-cara com o goleiro.

Com a vitória gremista já definida, o segundo tempo não prometia grandes emoções. Roth poupou Léo e Jonas (entraram Thiego e Herrera). O São José foi tão ou mais tímido do que na primeira etapa. Grêmio passeou em campo. Aos 15 belo cruzamento de Ruy e Fábio Santos fez o quinto de peixinho. Ruy teve sua oportunidade de fazer de cabeça (sua especialidade?) mas mandou na rede pelo lado de fora. Réver foi expulso, mas isto acabou não sendo o que de pior aconteceu na noite dele(ou neste link). Tricolor ainda teve algumas chances em cobranças de falta. Em delas, aos 40, Luís Muller bateu roupa e Maxi Lopez, com facilidade, fez seu primeiro e o último do Grêmio no jogo.

Exagerados os apelos por Maxi Lopez. Com o jogo já definido muito pouco se poderia observar dele. Uma matada no peito, algumas disputas de cabeça, o gol, a tendência de sair da área para buscar jogo, é isso que se pode falar do argentino. Roth foi inteligente ao atender o torcedor em um jogo que já estava morto.

Se era um jogo isolado, por que este horário das 19h30? muito cedo, muita gente chegando durante o primeiro tempo.

Para quem faz boa campanha o São José mostrou muito pouco. Pouca marcação e nenhum “meio campo”. Como já foi dito acima, Fabiano teve seus 15 minutos de glória, para depois despencar. Sandro Sotilli não tocou na bola.

Fotos: Grêmio.net e ClicRBS

Grêmio 6 x 1 São José

GRÊMIO: Victor; Leo (Thiego, intervalo), Rafael Marques e Réver; Ruy (Maxi López 24/2T), Adilson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Alex Mineiro e Jonas (Herrera, intervalo).
Técnico: Celso Roth.

SÃO JOSÉ: Luís Muller; Samuel, Enciso e Ari (Tairone 19/2T); Victor (Diego Bottin, intervalo), Jonas, Daril, Júnior Paulista (Dênio 17/2T) e Pedro Carmona; Fabiano e Sotilli.
Técnico: André Luís.

Gauchã0 2009 – 2º Turno – 5ª Rodada (jogo adiantado)
Data: 18/03/2009, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico (Porto Alegre, RS)
Público: 11.795 (9.947 pagantes)
Renda: R$ 130.120,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva
Auxiliares: José Franco Filho e José Silveira
Cartão amarelo: Souza, Réver (G), Samuel, Fabiano e Daril (SJ)
Cartão vermelho: Réver (G) 31 do segundo tempo
Gols: Tcheco (G) 21 segundos, Fabiano (SJ) 8, Leo (G) 21, Jonas (G) 25 e 30 minutos do primeiro tempo; Fábio Santos (G) 15 e Maxi López (G) 40 do segundo tempo

Gauchão – Sapucaiense 0 x 2 Grêmio

March 16, 2009

Sem surpresas o Grêmio foi com time misto enfrentar o Sapucaiense em São Leopoldo.Supreendente foram as escalações de Júlio César e Maylson (Douglas e Diogo ficaram de fora). Talvez a longa viagem explique (muito embora a reportagem da RBSTV tenha falando em exame de sangue para definir o time)
0 3-5-2 foi mantido e o tricolor teve poucas dificuldades com o adversário. O Sapucaiense só ameaçava nas rápidas jogadas de Rodrigo Galvão, que buscava o veterano Adão. Grêmio jogava mais fácil pela esquerda, na habilidade de Jadílson. Aos 10 escanteio batido pelo ala-esquerdo e Léo subiu alto e cabeceou para baixo e abriu o placar.O Sapucaiense desanimou com o gol sofrido. A partida fugia um pouco das característica típicas de um jogo de gauchão, o jogo não era truncado (era somente lento) e pouquíssimas falta eram cometidas. Aos 35 Makelele roubou a bola no meio campo, fez um 1-2 com Jonas e só foi para praticamente dentro do gol.

0 2×0 alcançados ainda no primeiro tempo garantiram os três pontos ao Grêmio e um segundo tempo pra lá de sonolento.


Júlio César realmente foi muito bem ontem, mas vamos com calma. O adversário era fraco e o jogo foi fácil. Bom pra ele que conseguiu mostrar bom futebol.

Maylson foi igualmente bem, mas não é homem de ligação, me parece que é mais um terceiro homem do meio campo. Ontem, no primeiro tempo o Grêmio se ressentiu um pouco desse jogador de criação (enganche, nº1 do zagallo, etc..) que normalmente tem em Souza.

Com o que mostrou ontem e com o que já havia jogado em Santa Cruz, Thiego voltou a ser uma boa opção para a zaga.

Maxi Lopez teve pouco tempo para jogar. Impossível fazer qualquer avaliação do seu futebol.

Escalação de Ruy serve para comprovar duas coisas: 1) a vitalidade e o bom preparo do atleta; 2) que o Grêmio não tem nenhum outro lateral direito no plantel.

Direção sinaliza com time titular na quarta e reserva no fim de semana. Uma medida acertada.

fotos: Zero Hora

Sapucaiense 0 x 2 Grêmio
Léo 11´
Makelele 35´

SAPUCAIENSE: Eliandro; Gian (Douglas, 19’/2ºT), Rudi, Cirilo e Eloir (Dione, intervalo); Zé Luiz, Lacerda, John e Evandro (Lucas, intervalo); Adão e Rodrigo Galvão.
Técnico: Círio Quadros.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo, Rafael Marques e Thiego; Ruy, Julio Cesar, Makelele (Douglas Costa, 40’/2ºT), Maylson e Jaúdílson; Jonas (Reinaldo, 17’/2º tempo) e Herrera (Maxi López, 31’/2ºT).
Técnico: Celso Roth.

Gauchão 2009 – 2º Turno – 3ª Rodada
Local: Estádio Cristo-Rei, em São Leopoldo (RS)
Data: 15/03/2009, domingo, às 16h00min
Árbitro: Márcio Coruja
Auxiliares: João Lúcio e Edson Arnhold
Cartões amarelos: Dione (SAP)
Gols: Léo aos 11 e e Makelele aos 35 minutos do 1º tempo

Gauchão – Santa Cruz 3 x 2 Grêmio

March 8, 2009

Se a gente comprar um circo, o anão cresce” A frase de Tcheco não só é engraçada, como também é verdadeira. A fase do Grêmio é mesmo ruim. Começou o jogo dominando o adversário, abriu o placar aos 20 minutos (falta cobrada por Tcheco e leve desvio de Reinaldo), teve chance de ampliar (lançamento de Tcheco e conclusão de Douglas Costa). Aos 30 tomou o empate em uma jogada em que mostrou alguma imcompetência e levou muito azar. Um balão foi dado em direção a área do Grêmio, Rafael Pati subiu muito, Thiego não subiu nada, o avante do galo cabeceou alto e acabou surpreendendo Victor, que adiantado acabou sendo encoberto. Grêmio não se achou mais em campo depois disso. Aos 40 Patti fez jogada de pivô e lançou Polaco, que avançou pela ponta direita e chutou forte na saída de Victor.

Grêmio voltou para o segundo tempo ainda abalado. Aos 13 tomou o terceiro. Eraldo fez de cabeça, após falta erguida na área.

Grêmio melhorou bastante com a entrada de Herrera, que ao seu estilo, lutou bastante. Foi premiado com o gol aos 27, antecipando-se de cabeça ao goleiro após bela jogada de Tcheco. O Tricolor ainda teve boas chances com Saimon , Reinaldo e Makelele, mas a definitivamente era uma tarde ruim para o Grêmio.


O problema dessa crise é que começa a afetar jogadores que vinham jogando bem, como foi o caso de Souza na quinta, e Victor e Réver ontem.

Maxi Lopez teve estréia discreta, pouco foi acionado.

Tcheco foi um dos poucos que se salvou, juntamente com Herrera e Saimon.

A contratação de Diogo é algo que, por enquanto, é impossível encontrar justificativas.

Se o adversário jogava com uma camisa preta e branca, por que o Grêmio não entrou em campo com sua camisa azul?

Antes do jogo, o ex-goleiro do Grêmio, atual dirigente do Santa Cruz Eduardo Heuser pressionou a arbitragem. Deu resultado. A arbitragem de Fabrício Correa foi, na melhor das hipóteses, caseira.

Quando Rafael Marques cometeu a infração que resultou no 3º gol do galo, a bola já estava fora de jogo, logo não poderia ser marcada a cobrança de falta. Sem falar que segundos antes Thiego recebeu um soco no mesmo setor do campo, de frente para o bandeirinha. A arbitragem nada marcou.

Outro lance é o cotovelaço em Saimon. Pode até ter sido involuntário. Mas existiu um completo exagero da do juiz ao mandar o atleta trocar de camisa, quando já não sangrava mais. Ainda tem o lance em que Makelele chuta, a bola bate no joelho do goleiro Cássio e o juiz autoriza a entrada de atendimento médico (que dura uns 5 minutos, onde o goleiro tirou as luvas para ter seu joelho observado).

Bom, mas de nada adianta eu ficar aqui reclamando enquanto a direção do Grêmio nada faz. não demonstra nenhuma força política junta a federação. Querem um exemplo? Ontem foi o segundo jogo do Grêmio em Santa Cruz neste mesmo campeonato, enquanto o co-irmão receberá Santa Cruz e Avenida em casa.

Na torcida do Grêmio era possível avistar uma faixa branca com letras vermelhas onde se lia “Federação e Arbitragem, bando de colorados sem vergonha e …” Saúdo a iniciativa e a permanência da faixa. Eu talvez acrescentasse a imprensa junto aos referidos no protesto.
O agouro a Celso Roth chegou ao ponto no qual o Sportv interrompeu o oba-oba em relação ao Ronaldo (Ontem talvez merecido) para exibir a coletiva de Roth. Obviamente que tão rápido se pode perceber que o treinador não estava anunciando a sua saída o “link” foi cortado.

Na coletiva Roth foi bem claro e disse “Não estou desdenhando o Gauchão”. Cinco minutos mais tarde os repórteres da Rádio Gaúcha o acusavam de desdenhar da competição. Pior ainda foi quando negaram a existência da maratona enfrentando pelo Grêmio no final do 1º turno, dizendo que se tratou apenas de “um jogo deslocado“, e que na verdade o Grêmio teve folga na tabela, devido ao acontecido com o Brasil de Pelotas. Surreal. O mais revoltante nisso tudo é que no atual no momento não é nenhum pouco difícil fazer críticas pertinentes sobre Roth, contudo parecem preferir o uso de meias verdades.

fotos: ClicRBS e GloboEsporte

Santa Cruz 3 x 2 Grêmio
Reinaldo 20´
Rafael Patti 30´
Polaco 40´
Eraldo 58´
Herrera 72´

SANTA CRUZ: Cássio; Simônio, Vinicius e Juliano; Polaco, William, Sananduva, Cléber Oliveira (William Santos 37/2T) e Emanuel; Rafael Patti (Luizão 32/2T) e Eraldo (David 26/2T).
Técnico: Agenor Piccinin.

GRÊMIO: Victor; Thiego, Réver (Rafael Marques, intervalo) e Héverton; Makelelê, Diogo, Tcheco, Douglas Costa e Jadílson (Saimon 45/1T); Reinaldo e Maxi López (Herrera 10/2T).
Técnico: Celso Roth.

Gauchão 2009, 2ª Turno, 1ª rodada
Data: 8/3/2009, Domingo, 16h00min
Local: Estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul.
Público: 1182 pagantes
Renda: R$ 28.194,00
Arbitragem: Fabrício Neves Corrêa, auxiliado por Paulo Ricardo Conceição e Carlos Selbach.
Cartões amarelos: Polaco, Rafael Pati (SC), Makelele, Rafael Marques, Herrera (G).
Gols: No primeiro tempo, Reinado (G), aos 20 minutos, Rafael Patti (SC), aos 30 e Polaco (SC), aos 40. No segundo tempo, Eraldo (SC), aos 13 minutos e Herrera (G), aos 27.

Gauchão – Grêmio 1 x 1 Ypiranga

March 6, 2009

Não fui ao Olímpico ontem, sequer assisti a partida. Lamento não ter visto ao jogo, mas de forma alguma me arrependo de não ter ido até a Azenha. Iria me incomodar bastante com tudo que aconteceu lá.

Antes de tudo é importante dizer que o Grêmio quando joga com times do interior, em casa ou até mesmo fora, tem obrigação de vencer. Isto é fato. Pouco importa a boa campanha do adversário. Ainda assim é importante ressaltar que tropeços acontecem, existem vários exemplos históricos. O próprio co-irmão ficou no 0x0 com esse mesmo Ypiranga, e também não marcou contra o Santa Cruz em casa e não foi feito este escarcéu todo.

Claro que tudo isto é reflexo do grenal de domingo. E em última análise foi este jogo que o Grêmio jogou mal. No Grenal de Erechim o time foi bem, e na estréia na Libertadores o time foi muito superior ao seu adversário. Por óbvio esta é minha análise, e aviso que não sou comentarista de resultado.

Pelo que deu pra perceber o clima ontem no Olímpico era o pior possível. Não tiro o direito de ninguém de não gostar do treinador, mas não admito vai antes e durante o jogo. Chegou-se ao ponto absurdo de se vaiar um gol do Grêmio. (ainda sobre vaias li um interessante artigo sobre o tema, o qual recomendo muito). A torcida do Grêmio não pode regredir (sempre é interessante o depoimento de ex-jogadores sobre isto, como por exemplo Luís Mário)

Demitir Celso Roth não é solução para o problema (e o problema até aqui foi perder um turno do Gaúchão). Como bem disse o Presidente Duda Kroeff seria uma atitude simplista.

Roth tem seus defeitos, não sou fã dele (acho absurdo o salário recebido por ele) mas inegavelmente é um bom profissional. Também é preciso dizer que não há a disponibilidade de um substituto melhor (Felipão não virá).

Tento respeitar quem pensa de forma diferente, desde que a análise seja racional. É preciso separar algumas coisas.

É cool ou é cult falar mal do Celso Roth. Até mesmo quem nunca foi num estádio conhece as piadas sobre o treinador. Começando por aquela que confunde seu nome com o de um canal pornográfico, passando pela suposta predileção por volantes e chegando na mais nova, que é uma espécie de Chuck Norris Facts adaptado ao Celso Roth.

Se criou um cultura no Brasil de que se o goleiro não tomou frango, ou centroavante não errou gol feito ou o juiz não roubou a culpa do resultado negativo é exclusiva do treinador. Não é por aí. Futebol é um jogo, por vezes se vai perder mesmo tendo feito tudo certo.

Também é válido lembrar que a imprensa não gosta de Roth e procura o confronto. Negar isto é hipocrisia. Alguns jornalistas são gremistas indignados, outros são colorados querendo ver o circo pegar fogo. Ainda tem os que não conseguem se desprender de um antipatia nutrida para com mo treinador e fazer uma análise mais profissional. O Pessoal do Grêmio Libertador fez um posto bem pertinente sobre a cobertura do jogo de ontem.

Ontem claramente “as rádios” torciam pelo pior. Claro, avião que pousa e decola normalmente não é notícia.

Roth tem erros pontuais no comando da equipe. Erros que podem ser corrigidos por uma direção mais atuante. Acho que o paralelo com Abel Braga no co-irmão em 2006 é bastante válido.

Uma curiosidade. No post sobre o jogo do Veranopólis, comentei que a equipe da Rádio Gáucha aplaudiu a retirada de uma faixa com os dizeres “diga não ao fair play. Ontem, na mesma Gaúcha noticiou-se a retirada de um faixa pedindo a saída de Roth. Dessa vez ouviu-se brados contra a ameaça a liberdade de expressão, ao direito do torcedor se manifestar e etc…, menos de uma semana e a incoerência já aparece.

Fotos: Gremio.net e FinalSports

Grêmio 1 x 1 Ypiranga
Jonas 45+2´
Shareli 54´

GRÊMIO: Victor; Leo (Douglas Costa 22/2T), Réver e Rafael Marques; Ruy, Diogo, Makelelê, Souza e Fábio Santos (Jadílson 39/2T); Jonas e Alex Mineiro (Reinaldo 34/2T).
Técnico: Celso Roth.

YPIRANGA: Giovani; João Rodrigo, Tomas, Renato e Fábio (Diego 22/2T); Márcio Oldra, Marquinhos, Pavão e Michel; Guto (Flavio 22/2T) e Sharley (Marcelo Müller 39/2T).
Técnico: Tonho Gil.

Gauchão 2009 – 2º turno – 2ª Rodada
Data: 05/03/2009, quinta-feira,19h30min
Local: Estádio Olímpico (Porto Alegre, RS)
Público: 15.858 (8.243 pagantes)
Renda: R$ 110.485,00
Árbitro: Jean Pierre de Lima
Auxiliares: Vilmar Burini e Edemar Palmeira
Cartão amarelo: Leo, Réver (G), Renato, Márcio Oldra, Marquinhos, Giovani(Y)
Gols: Jonas (G) 47 do primeiro tempo; Sharley (Y) 9 do segundo.

Tabela do segundo turno do Gauchão

March 5, 2009
Todos já conhecem a fórmula do Gauchão 2009. No segundo turno os times jogam dentro do seus grupos em turno único. Como são 8 times por grupo, serão 7 jogos, numero ímpar, obrigatoriamente alguns times farão mais partidas em casa.

Era de se imaginar que com todo o prejuízo que teve na elaboração da tabela do 1º turno (ou aqui) o Grêmio fosse uma dessas equipes que farão mais jogos em casa. Mas não foi assim.

Então que se fizesse algo paliativo, colocando o Gremio para visitar o São José, ao menos fazendo que o time jogasse quatro partidas na sua cidade. Mas isto não foi feito.

Mais incrível ainda é que o Co-irmão é uma das equipes beneficiadas com mais jogos em casa no segundo turno. Dos 15 jogos que todas equipes obrigatoriamente farão na primeira etapa, o Internacional disputará 9 em Porto Alegre, enquanto o Grêmio somente atuará na capital em 6 ocasiões.

Abaixo os jogos do Grêmio neste segundo turno:

05/março – Grêmio x Ypiranga – 19:30 – Porto Alegre

08/março – Santa Cruz X Grêmio -16:00 – Santa Cruz do Sul
15/março – Sapucaiense x Grêmio – 16:00 – São Leopoldo
18/março – Grêmio x São José – 19:30 – Porto Alegre
22/março – Ulbra x Grêmio – 16:00 – Canoas
29/março – Grêmio x São Luiz – 18:30 – Porto Alegre
02/ _abril – Caxias x Grêmio – 19:00 – Caxias