Archive for the ‘gauchao 2010’ Category

Campeões do Gauchão 2010 – Lista de chuteiras

May 4, 2010

Conforme prometido, listei as chuteiras usadas pelos atletas do Grêmio. A lista não é definitiva e nem poderia ser. Alguns jogadores trocam bastante de marca, outros treinam com um modelo diferente do que jogam, e uns poucos escondem a marca da chuteira.
Não consegui identificar o modelo branco usado pelo Joílson e nem consegui o nome dos modelos das chuteiras da Lotto.


Goleiros
* Victor – Diadora
* Marcelo Grohe –
* Matheus –
* BusattoAdidas AdiPure Preta

Zagueiros
* Rodrigo – Nike Mercurial Preta
* Ozéia – Nike Mercurial Amarela
* Neuton – Adidas AdiPure Preta
* Mário Fernandes – Nike Tiempo Branca
* Saimon – Nike
* Rafael Marques – Nike Tiempo Branca com Azul ou Nike Total90 Branca

Laterais
* Edilson – Adidas AdiPure Branca
* Bruno Collaço –
* JoilsonNike Mercurial Amarela
* Fábio Santos – Lotto

* Lúcio – Adidas F-50 Branca ou a uma onde a marca da chuteira foi pintada de preto

Meias
* Fernando – Nike Mercurial Amarela
* Douglas – Lotto
* Hugo – Nike Mercurial Amarela ou Adidas F50 Azul
* Ferdinando – Nike Mercurial Roxa
* HenriqueMizuno Morelia
* Fábio RochembackAdidas AdiPure Branca
* SouzaNike Mercurial Amarela
* MithyuêNike Mercurial Lilás ou Amarela
* Maylson – Lotto
* Willian Magrão – Reebok
* Adilson – Adidas AdiPure Preta ou Branca

Atacantes
* BergsonNike Mercurial Amarela
* Borges – Adidas AdiPure Preta ou Branca ou Mizuno Morelia
* Leandro – Mizuno Azul ou Branca
* William – Mizuno Branca
* JonasNike Mercurial Amarela

Atletas que deixaram o clube
*Réver (foi para o Wolfsburg)- Lotto

*Túlio (foi para o Goiás) – Adidas Predator Branca
*Maurício (foi para a Portuguesa) – Nike Tiempo Branca com Azul ou Nike Total90 Verde


Campanha
21 jogos
16 vitórias
2 empates
3 derrotas
45 gols a favor
20 gols contra

Gauchão – Grêmio 0 x 1 Internacional

May 3, 2010

O Grêmio trazia uma grande vantagem do primeiro jogo. Dos cenários imaginados para a segunda partida, o que mais incomodava era o de levar um gol cedo. E infelizmente isso aconteceu. Aos 9, Giuliano apanhou o rebote sozinho e teve muito espaço para chutar. A bola veio de longe, passou por muita gente e Victor não chegou nela. A falha do capitão gremista colocava o Inter em vantagem, e colocava uma dose de apreensão e nervosismo no jogo. O 4-4-2 de Silas não conseguia parar 0 3-6-1 de Fossati. Kléber tinha muita liberdade e, juntamente com Giuliano, criava as principais jogadas do Inter. Apesar da superioridade colorada, foi o Grêmio que mais criou chances no primeiro tempo. Aos 14, Edílson bateu falta com força, e Abbondazieri espalmou para escanteio. Aos 33, Borges cabeceou em cima do arqueiro colorado, e, aos 43, Rodrigo tentou de voleio após o escanteio.
Para o segundo tempo, Silas sacou um inoperante Leandro, colocando Hugo em campo. O meio campo passou para uma formação em losango, a marcação foi adiantada e William Magrão colou em Kléber. Deu certo, o Grêmio neutralizou o Inter, chegando a ensaiar uma pressão. As principais chances do segundo tempo foram todas tricolores. Aos 6 minutos, Douglas fez um grande lançamento, mas Borges chutou na rede pelo lado de fora. Aos 15 Hugo subiu bem no escanteio, mas a cabeçada foi para o chão e subiu demais, tocando de leve no travessão. Aos 21, Abbondazieri fez importante defesa após bate e rebate na área colorada. Nos últimos 10 minutos de jogo o Inter rodou a bola no ataque, mas não conseguiu chegar perto do gol gremista. Assim, o título ficou merecidamente com o Grêmio (Time de melhor campanha e superior nos 180 minutos das finais).
Achei meio constrangedora a semelhança desse troféu com a taça do mundial.
Adílson correu e jogou uma barbaridade. Foram diversas as roubadas de bola e as antecipações.
Hugo mais uma vez entrou muito bem no jogo. Interessante essa nova vocação dele, a de marcador (poderia também ser a de agente funerário)
Silas já começa a se notabilizar por saber mudar o time no intervalo. Gostei dele na coletiva também, muito lúcido.
Eu fico um pouco apreensivo com o futebol do Edílson, parece demorar muito tempo para dar o combate defensivo.
Gostei muito da atuação do Ozéia. Muito sério. Walter, que incomodou bastante no primeiro jogo, não teve espaço para jogar.
Felizmente Victor não teve chance de se redimir durante a partida. Não foi mais acionado no jogo.
Preocupa um pouco essa questão do alto número de chances desperdiçadas, ainda que hoje não tenham sido tão claras e não tenham feito falta.
A festa deve e precisa ser curta. O Grêmio tem objetivos maiores nesse ano. Sobre o título, segue valendo a velha frase: “só tem uma coisa pior do que ganhar o Gauchão, é não ganhar”
Fotos: UOL, ClicRBS e Gremio.net

Grêmio 0 x 1 Internacional
Giuliano 9′

GRÊMIO: Victor; Edilson, Ozeia, Rodrigo e Neuton (Joilson); Adilson, Willian Magrão, Leandro (Hugo, Intervalo) e Douglas (Fábio Rochemback); Jonas e Borges.

Técnico: Silas


INTER: Abbondanzieri; Bolívar, Ronaldo Alves (Kléber Pereira) e Fabiano Eller; Bruno Silva (Nei), Sandro, Glaydson, Giuliano e Kleber; Taison e Walter (Thiago Humberto).

Técnico: Jorge Fossati

Campeonato Gaúcho 2010 – Final – Jogo de Volta
Data: domingo, 2 de maio de 2010, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 44.727 (39.318 pagantes)
Renda: R$ 1.010.589,00
Árbitro: Leandro Vuaden
Assistentes: Paulo Ricardo Conceição e José Franco Filho
Cartões amarelos: Ronaldo Alves (I), Nei (I), Fabiano Eler (I), Edílson (G)
Cartão vermelho: Taison (I)
Gol: Giuliano (Internacional), aos 9 do primeiro tempo

Gauchão – Internacional 0 x 2 Grêmio

April 25, 2010

Depois de uma semana grenal agitada (onde os resultados de quarta e quinta acarretaram uma inversão no ânimo das torcidas), os dois times foram a campo com desfalques e esquemas parecidos. Ambos num 4-4-2 clássico, com dois meias e dois volantes. Fossatti poupou Kléber, improvisando Juan na lateral esquerda. Silas, sem Douglas e Fábio Santos, promoveu a estréia de Neuton como lateral esquerdo.

O jogo, como não poderia deixar de ser, começou pegado, mas ainda assim leal. O Inter não adentrava a área dum Grêmio bem postado, que começou mais lúcido, colocando a bola no chão e fazendo-a rodar. A jogada pela direita, com Edílson e Leandro fluía. O tricolor teve duas grandes chances de abrir o placar, em erros de linha de impedimento colorada. Aos 16, Borges tirou de Abbondanzieri, mas a bola passou ao lado da trave. Aos 20, Jonas cortou dois adversários na área, mas chutou fraco. Entre esse dois lances, o Inter teve boa chance também, quando Edílson salvou em cima da linha a conclusão colorada, surgida após cobrança de escanteio (que por sua vez nasceu de uma grande defesa de Victor na bomba de Walter). Na segunda metade do primeiro tempo o Inter melhorou, passando a ter mais a posse de bola, jogando no campo de ataque. Contudo, as conclusões só saiam de fora da área, como no chute de Sandro, que beliscou o travessão.

O intervalo foi bom para o Grêmio, Silas adiantou a marcação do meio-campo e a mudança trouxe resultado, o time voltou a ter a posse de bola e a incomodar o goleiro adversário. Aos 4, Neuton foi ao fundo, cruzou rasteiro e Leandro quase marcou de carrinho. Aos 10, Jonas foi pra cima do seu adversário e chutou na trave. O domínio era do Grêmio, que só se via ameaçado nos chutes de Walter (aos 14 Victor fez mais uma bonita defesa). Fossati tentou reagir, colocando Giuliano no lugar de Andrézinho, mas o Grêmio seguiu melhor. Aos 18, Jonas desviou a falta cobrada por Edílson, mas bola novamente parou na trave. Contudo, o gol saiu aos 22: Edílson cobrou o escanteio na área e Rodrigo subiu entre Sandro e Sorondo para abrir o placar.
Em prejuízo no placar, o Inter tratou de correr atrás do empate. Alecsandro cabeceou com perigo aos 29. Fossati tentou o 4-3-3 (Edu no lugar de Sandro), mas o Grêmio seguiu sólido na defesa. Silas reagiu com Rochemback no lugar de Leandro (que havia sido derrubado da maca pouco antes, causando uma interrupção do jogo). Aos 36, foi a vez de William Magrão concluir na trave. O Inter continuou tentando, partindo para um desesperado 4-2-4 com a entrada de Kléber Pereira, na tentativa de forçar a bola área. O antídoto de Silas fo o ingresso de Ozéia, o que deixou o Grêmio num 5-3-2. Aos 42, Rochemback cruzou com força, e Borges entrou livre para cabecear para o fundo das redes, decretando o 2×0 final.

Um merecido e importante resultado. Na soma dos 90 minutos o Grêmio foi superior, sendo mais feliz na sua proposta de jogo. Foi dado um grande passo rumo ao título.
Neuton entrou numa fogueira e correspondeu. Certamente foi O personagem do jogo.
Na minha opinião, o melhor em campo foi Rodrigo. Jogou demais. Muito cancheiro. O único senão foi a confusão que ele provocou, e que lhe rendeu um cartão bobo ainda no primeiro tempo.

Ao contrário do que tinha acontecido nos últimos jogos, Adílson entrou muito bem no jogo. Foi fundamental na tarefa de adiantar a marcação.

Não acho que tenha sido uma maravilha, mas Hugo fez uma atuação um pouco mais condizente com o seu passado.
Edílson foi bem na bola parada. Eu tenho alguma dificuldade em entender por que ele demora tanto a agir nos lances com a bola rolando.

Não gostei de Mário Fernandes hoje. Foi vencido por Walter em diversas oportunidades. Ainda cometeu uma falta perigosa (desperdiçada por Andrézinho) ao não simplificar uma jogada. Aparentemente o ombro ainda o incomoda. Mas ainda tem muito crédito com a torcida

Walter foi o grande destaque colorado, só não teve uma tarde mais feliz em função das grandes defesas de Victor.
O lance dos maqueiros só não foi mais varzeano do que a falta de bolas.

Boa arbitragem de Gaciba. Talvez tenha demorado para mostrar o amarelo para Guiñazu e se esquecido de advertir Nei.
Silas teve o mérito de corrigir as deficiências do time sem alterar o esquema de jogo. Eu era um dos que pregava um time mais fechado para esse primeiro jogo.

Fotos: ClicRBS, UOL, Correio do Povo

Internacional 0 x 2 Grêmio
Rodrigo 67´
Borges 87´

INTERNACIONAL: Abbondanzieri; Nei, Bolívar, Sorondo e Juan; Sandro (Edu, 31 do 2º), Andrezinho (Giuliano, 17 do 2º), Guiñazu e D´Alessandro (Kleber Pereira, 39 do 2º); Walter e Alecsandro.
Técnico: Jorge Fossati.

GRÊMIO: Victor; Edilson, Mario Fernandes, Rodrigo e Niuton; Ferdinando (Adilson, intervalo), William Magrão, Leandro (Fábio Rochemback, 33 do 2º) e Hugo (Ozéia, 40 do 2º); Borges e Jonas.
Técnico: Silas.


Campeonato Gaúcho 2010 – Final – Jogo de Ida
Data: 25 de abril de 2010, domingo, 16h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.
Público: 38.418 (34.744 pagantes)
Renda: R$ 782.150,00.
Arbitragem: Leonardo Gaciba
Auxiliares: Altemir Hausmann e José Otávio Bittencourt.
C. Amarelos: Alecsandro, Guiñazu, Bolívar e Juan; Rodrigo, Neuton, Leandro, Victor
Gols : Rodrigo (G), aos 22, e Borges (G), aos 42 minutos do 2º tempo.

Gauchão – 2° Turno – Fase Final

April 19, 2010

O Sul, 12 de abril de 2010

Gauchão – Grêmio 1 x 2 Pelotas

April 9, 2010

Uma noite ruim. O Grêmio perdido desde o início da partida enfrentou um Pelotas bem postado em campo, Beto Almeida colocou seus dois atacantes bem abertos, tentando tirar a zaga do Grêmio do lugar. Acabou incomodando pelo lado direito, de onde saíram duas boas jogadas que só não resultaram em gol devido ao erro no último toque. O tricolor parecia afoito, apressado, afunilando o jogo pelo meio. Ainda assim pressionou e chegou perto do gol quando teve lampejos de bom futebol. No final do primeiro tempo foi premiado pela insistência e marcou o gol com Maylson, depois de uma disputa no alto vencida por Bergson.
O segundo tempo deveria ser um jogo de paciência para o Grêmio. Mas o time não soube jogar com a vantagem, seguiu se atirando ao ataque (Jonas perdeu boa chance em cabeceio) e os erros de passe aumentaram. O primeiro ( existente) pênalti para o Pelotas surgiu de um lance de contra-ataque, quando Maurinho lançou Tiago Duarte. Ainda faltavam bons 20 minutos de jogo, mas o time e a torcida se desesperaram, as mudanças propostas por Silas não deram resultado. Aos 33, Douglas carregava a bola para o ataque, um bloco de jogadores se posicionara a sua frente, nenhum ao lado, o passe saiu errado, Douglas e os demais se esqueceram de voltar para a defesa. Edílson dormiu no ponto, Clodoaldo partiu para cima de Mário Fernandes e cavou um pênalti (esse inexistente). Thiago Duarte converteu novamente. Depois disso, tenho dificuldade em listar algum lance em que o Grêmio efetivamente tenha chegado perto de marcar.

O Grêmio jogou muito mal, o Pelotas jogou bem (eficiente na sua proposta de jogo) e foi o justo vencedor. Mas nada disso atenua a calamitosa arbitragem de Fabrício Correa. Errou no varejo e no atacado. Deixou de dar um pênalti em Jonas aos 42 do primeiro tempo e marcou um inexistente em Sandro Sotili no segundo. Além disso foram diversas as inversões nas faltas e laterais, bem como um total descritério nos cartões apresentados.
Douglas perdeu a cabeça, prejudicou a seqüência do time e do seu futebol. Não interagiu com a arbitragem de um modo aceitável. Mas é preciso dizer que a expulsão se deu por um revanchismo do auxiliar. No primeiro lance (mais grave) o bandeirinha tentou desesperadamente chamar o árbitro pelo rádio, mas não conseguiu e ficou com cara de bunda. Na segunda ocorrência (de menor gravidade) se lembrou de levantar a bandeira e finalmente conseguiu ver o camisa 10 gremista expulso. Depois disso, ignorou a linha do penúltimo homem do Pelotas para ficar no caminho do meia tricolor, e aparentemente Douglas caiu na “provocação”.
Meira tem razão em reclamar da arbitragem e faz bem em lembrar dos prejuízos causados por Barison. Contudo, entendo que seria mais útil que o dirigente tivesse feito essa lembrança antes de jogo e com isso pleiteado a não escalação desse trio.
Hugo entrou muito mal no jogo. Leandro sem ritmo.
Não entendi bem a saída de Bergson e tenho imensa dificuldade em imaginar uma razão que explique o fato de Mithyuê nem ter fardado.
Foi-se a sequência de vitórias. Foi-se a invencibilidade no Olímpico. Uma pena, mas tivesse ocorrido em outro momento, talvez o trauma fosse maior.

Fotos: ClicRBS, Terra e UOL


Grêmio 1 x 2 Pelotas

Maylson 45+2
Tiago Duarte (pênalti) 66´
Tiago Duarte (pênalti) 78´

GRÊMIO: Victor; Edilson, Rodrigo, Mário e Fábio Santos; Ferdinando, Willian Magrão, Maylson (Leandro) e Douglas; Jonas e Bergson (Hugo).
Técnico: Silas.

PELOTAS: Jonatas; Maurinho, Jonas, Bruno Salvador e Jonathas Costa; Gavião, Jucemar (Maurício), Maicon Sapucaia e Pedro (Clodoaldo); Alex Dias (Sandro Sotilli) e Tiago Duarte.
Técnico: Beto Almeida.

Campeonato Gaúcho 2010 – Segundo Turno – Quartas de final
Data: 08/04/2010, quinta-feira, 21h50min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS).

Público: 11.724
Renda: R$ 227.539,00
Arbitragem: Fabrício Neves Corrêa,
Auxiliares: Marcelo Barison e João Lúcio de Souza Júnior.
Cartões amarelos: W. Magrão, Victor, Edilson (Grê); Jônatas, Jonathas Costa (Pel).
Cartão vermelho: Douglas (Grêmio).
Gols: Maylson, aos 47min do 1º tempo (Grêmio); Thiago Duarte, aos 21 e aos 33min do 2º tempo (Pelotas).

Gauchão – Classificação Geral – 1ª e 2ª Turno

April 5, 2010

Gauchão – 2° Turno – Fase Classificatória

April 5, 2010


Equipes P J V E D GP GC S
Grêmio 21 7 7 0 0 16 4 12
Novo Hamburgo 13 7 4 1 2 13 8 5
Inter-SM 10 7 3 1 3 11 14 -3
4° Ypiranga
9 7 2 3 2 10 13

-3

5° Porto Alegre 7 7 2 1 4 13 14 -1
Esportivo 7 7 2 1 4 10 15 -5
Avenida 6 7 2 0 5 12 15 -3
Juventude 6 7 1 3 3 9 11 -2


Equipes P J V E D GP GC S
Caxias 19 7 6 1 0 12 5 7
São José-PA 12 7 3 3 1 16 10 6
Inter 11 7 3 2 2 12 9 3
4° Pelotas 9 7 2 3 2 11 11 0
5º Veranópolis 8 7 2 2 3 13 13 0
6° Universidade 8 7 2 2 3 10 15 -5
São Luiz
5 7 1 2 4 9 12 -3
8° Santa Cruz 3 7 0 3 4 8 16

-8

Final Sports

Gauchão – Juventude 1 x 2 Grêmio

April 4, 2010

No último jogo da fase classificatória, finalmente tivemos uma partida típica de Gauchão. Chuva, campo molhado, jogo pegado. O Grêmio entrou meio perdido em campo, correndo desordenadamente e não se encontrado na marcação. O Juventude exerceu uma pressão nos minutos iniciais, contudo foi o tricolor que saiu na frente. Aos 10, Douglas bateu falta na área e Jonas ficou livre para cabecear. 1×0. O gol ajudou o Grêmio a se ajustar no campo, e o time passou a tocar a bola, rodando o jogo no campo de ataque e mostrando superioridade, justificando aí a vantagem no placar.
No segundo tempo o Juventude reagiu rápido. Com um minuto de jogo, boa jogada pelo lado direito, Hiago serviu Hugo, que de dentro da área chutou sem chances para Victor. Com o empate, o jogo cresceu em movimentação e em animosidade. O Grêmio foi ao ataque e teve o mérito de fazer jogadas em velocidade, pelos dois lados do campo. Aos 9, Maylson concluiu de dentro da área e a bola desviou na mão do zagueiro (muito “mais” pênalti do que foi marcado para o NH) , mas o juiz nada marcou. Aos 16, Jonas recebeu de Fábio Santos, e bateu de esquerda, desempatando o jogo.
A partir daí o Grêmio teve alguns bons contra-ataques, só não teve vida mais fácil pois não conseguiu aproveitar as chances para liquidar a partida e não porque mostrou uma preocupante incapacidade de amorcegar o jogo nos minutos finais.

Irretocável a campanha do segundo turno. E o time confirmou também a melhor campanha no geral.
Os dois laterais não estavam numa boa tarde. Perderam vários duelos individuais, permitindo várias jogadas de linha de fundo do adversário. As conseqüências só não foram maiores porque Rodrigo fez grande partida, cortando tudo.
Rochemback não poderá reclamar de falta de oportunidades.
Silas elogiou bastante a atuação de Bergson. Me pareceu mais um incentivo para o guri, que cumpriu importante função tática (de jogar como nove).
Mais uma vez William Magrão teve uma atuação no nível que mantinha em 2008. Continuando assim, será o dono da segunda função do meio campo. Importante que ele tenha sido testado ao lado de Adílson, formação desejada por boa parte da torcida.

Juventude 1 x 2 Grêmio

Jonas 10′
Gustavo 46′
Jonas 61′

JUVENTUDE: Carlão; Bressan (Tiago Renz 28 do 2º), Ferreira e Jorge Fellipe; Bruno, Fred, Umberto, Gustavo (Júlio Paulista 36 do 2º) e Calisto; Hiago (Maycon 28 do 2º) e Marcos Denner.

Técnico: Osmar Loss


GRÊMIO: Victor; Edilson (Joilson 28 do 2º), Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Willian Magrão, Adilson (Fábio Rochemback, intervalo), Maylson e Douglas; Jonas (Hugo 34 do 2º) e Bergson.

Técnico: Silas


Campeonato Gaúcho 2010 – 2º Turno – 7ª rodada

Data: domingo, 4 de abril de 2010, 16h00min

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Público:
7.330 torcedores
Renda:
R$ 106.945,00

Árbitro: Vinícius Costa

Assistentes: Paulo Ricardo Conceição e Renata Schaefer

Cartões amarelos: Mário, Maylson (Grêmio); Bressan, Gustavo, Umberto, Tiago Renz, Ferreira (Juventude).

Gols: Jonas, aos 11min do 1º tempo e aos 16min do 2º tempo (Grêmio); Gustavo, 1min do 2º tempo (Juventude).

Gauchão – Grêmio 2 x 0 Esportivo

March 29, 2010

Por suspensões e por preservação, Silas não repetiu o time dos últimos jogos. Ainda assim alçançou a 13ª vitória seguida. Mithyuê entrou no lugar de Douglas, mas não fez a mesma função posição. Houve uma alteração tática, o time se apresentou numa espécie de 4-3-3. William centralizado e Jonas e Mithyuê caindo pelas pontas, com Maylson e W.Magrão vindo de trás.

O Esportivo se posicionou todo no seu campo de defesa, mas os planos de um empate heróico acabaram logo aos 11 minutos. William Magrão, na linha da pequena área, concluiu uma rápida descida gremista pela ponta direita. A partir daí começou um jogo de paciência, onde o Grêmio rodava a bola no campo de ataque e finalizava quando tinha oportunidade. Diversos foram os chutes de longa distância (a destacar a falta batida por Rodrigo), e o placar do primeiro tempo só não foi maior devido as boas defesas do goleiro Caio Venâncio.

A segunda etapa foi uma espécie de repetição da primeira. A começar pelo gol marcado cedo, aos 12. Mithyuê fez jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro para Maylson chutar forte. Mesmo com o 2×0 contra, o Esportivo não saiu do seu campo de defesa, seja por opção, seja por condição imposta pelo adversário. O Grêmio continuou rodando a bola e concluindo de fora da área. Caio Venâncio continuou tentando atuação destacada e poupou seu time de uma goleada.


50 jogos de invencibilidade no Olímpico. Tal marca não merecia um maior público no Olímpico? Alguma lembrança pelo marketing do clube?

Não gosto muito dessa eterna preocupação com o co-irmão, mas acho legal quando a flauta é original, fugindo da mesmice.

Finalmente William Magrão voltou a apresentar um futebol no mesmo nível que mantinha antes da lesão. Estava fazendo falta.

Pode ser que 2009 tenha me deixado habituado a falta de um lateral direito, mas é interessante ver como agora o Grêmio tem um balanço correto, com jogadas, iniciando e terminando, pelos dois lados do campo.

Fotos: Grêmio.net, ClicRBS, UOL e Terra

Grêmio 2 x 0 Esportivo
William Magrão 11´
Maylson 57´

GRÊMIO: Victor; Edilson, Rafael Marques, Rodrigo (Ozéia) e Fábio Santos; Ferdinando (Rochemback), W.Magrão, Maylson e Mithyuê (Bergson); Jonas e William
Técnico: Silas

ESPORTIVO: Caio; Onildo, Fábio Fidellis e Mateus; Robson, William, Yuri (Pepe) e Salini (Flaviano) e Rodrigo Ítalo; Cristiano Tiririca (Terrão) e Rafael Santiago
Técnico: Leandro Machado


Campeonato Gaúcho 2010, 2º Turno, 6ª Rodada
Data: 28/3/2010, domingo, 18h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Renda: R$ 105.579.
Público: 9.375 (8.029 pagantes)
Arbitragem: Anderson Daronco
Auxiliares: Carlos Selbach e José Inácio de Souza.
Cartões amarelos: William, Yuri, Salini (E), Rochemback (G)
Gols: Willian Magrão, aos 11 minutos do 1ºtempo Maylson (G), aos 12 do 2º.

Gauchão – Grêmio 2 x 1 Novo Hamburgo

March 26, 2010

Sequência é a palavra para definir o momento do Grêmio. Mais uma repetição do time e mais uma vitória, dessa vez contra o (justamente) badalado Novo Hamburgo.

O jogo de forma alguma foi uma repetição da final do 1º turno. O momento não é o mesmo, o Grêmio aparenta ser uma equipe mais confiante e consciente em campo. Ontem, passados os primeiros minutos de iniciativa do visitante, o time do Grêmio se impôs e mandou na partida. Verdade que o gol cedo, aos 5 minutos, ajudou. Maylson chutou rasteiro (o que não vinha fazendo) de fora área e abriu o placar, o que colaborou para bom futebol apresentado tivesse continuidade. Bola rodando (Douglas como principal responsável), laterais passando, tudo o que manda a cartilha. Aos 19 começou uma sequência de cruzamentos de Edílson, que terminou com o gol de William. 2×0 foi o justo placar do primeiro tempo, O Nóia pouco ameaçou a meta defendida por Victor.

Como era de esperar, Gilmar Iser mandou seu time para cima do Grêmio, mas esabarrou na defesa gremista jogando com muita seriedade. Durante toda a segunda etapa o tricolor esteve muito mais perto de ampliar (como nos lances de Jonas) do que de levar o gol de desconto. Contudo, nos 5 minutos finais o Nóia encomodou, mas muito mais pela colocação de jogadores no ataque (abafa) do que por criação de jogadas. Aos 40, Fabrício Correa marcou um pênalti questionável, em lance envolvendo Douglas (para mim foi bola na mão, sem intenção). Paulinho bateu e Victor fez grande defesa. A bola seguiu no ataque e um minuto mais tarde Kempes descontou. O Novo Hamburgo seguiu no campo de ataque, o que ocasionou uma certa apreensão no Olímpico, mas nenhum outra chance foi criada. O jogo terminou com uma justa vitória do Grêmio com o enganoso placar de 2×1.


Douglas jogou e vem jogando uma enormidade. Os adversários podem ser fracos, pode estar sendo pouco marcado, mas ainda assim demonstra uma visão de jogo fora do comum. É curioso que ainda não tenha marcado um gol pelo Grêmio.

Mithyuê novamente mostrou muita qualidade, só que dessa vez acabou exagerando um pouco no individualismo, carregou demais a bola. Plenamente compreensível.

Ontem já vi uma maior definição nos volantes. Ferdinando é o cabeça de área, enquanto Adílson faz a segunda função. Melhorou, mas o “Alemão” precisa contribuir mais ofensivamente.

Maylson caiu de produção depois do gol. Ainda assim, cumpre função tática indispensável.

Impressionante a seriedade com que jogou Rodrigo. Forma uma bela dupla com Mário Fernandes.

Público meio decepcionante, especialmente na sua falta do entusiasmo. Contudo, é de se registrar o tratamento carinhoso da torcida com o William, fato que foi saudado pelo próprio Silas.

Fotos: ClicRBS, Correio do Povo e Terra

Grêmio 2 x 1 Novo Hamburgo

Maylson
William 18´
Kempes 86´

GRÊMIO: Victor; Edílson, Mário (R. Marques 30 do 2º), Rodrigo e F. Santos; Ferdinando, Adílson (W. Magrão 36 do 2º), Maylson e Douglas; Jonas e William (Mithyuê 18 do 2º).
Técnico: Silas.

NOVO HAMBURGO: Juninho; Micael (Maiquel 22 do 2º), C. Luiz e É. Borges; Chicão (Kempes 31 do 1º), Emerson, Márcio, Preto e Paulinho; Edmar e Gustavo (Juba 36 do 2º).
Técnico: Gilmar Iser.

Campeonato Gáucho 2010 – 2º Turno – 5ª Rodada
Data: 25/03/2010, quinta-feira, 19h30min.
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS.
Público: 11.012 presentes
Renda: R$ 136.037,00
Árbitro: Fabrício Corrêa.
Auxiliares: José Franco Filho e Tatiana Freitas.
Cartões amarelos: Márcio e Emerson (N); Mário e Adílson (G).
Gols:
Maylson (5 min do 1 T) e William (18min do 1 T) para o Grêmio; Kempes (41min do 2 T) para o Novo Hamburgo.