Archive for the ‘gauchao 2011’ Category

Gauchão – Grêmio 2 x 3 Inter (4×5 nos pênaltis)

May 16, 2011

O jogo de ontem, com toda a complexidade do seu desenrolar, foi uma bela amostra do principal defeito do Grêmio na temporada: A imaturidade.

A imaturidade do time que não consegue ter maior controle sobre o jogo e que não sabe aproveitar as oportunidades que aparecem.

O Grêmio levou para o Olímpico uma vantagem que lhe permitia entrar em campo para não querer jogo. Para amorcegar, para catimbar. Mas não foi essa opção feita pelos tricolores. O Grêmio foi pra cima e marcou um gol. A vantagem ficava ainda maior. O time seguiu tocando em cima, mas acabou deixando de marcar o segundo e liquidar a fatura. A primeira meia hora foi de clara superioridade azul, mas tudo isso foi lentamente indo pra espaço enquanto o Grêmio levava gols bobos, evitáveis. A desatenção costuma ser castigada no futebol, e com o Grêmio, num clássico, numa final, não foi diferente.


Ainda foi possível levar a decisão para os pênaltis, mas isso serviu tão somente para perceber que não foi ali que o Grêmio perdeu o campeonato. Foi aos poucos, nas chances e nas oportunidades perdidas. Foi na montagem da tabela. Foi na omissão do debate com imprensa x arbitragem. Foi ao perder a vantagem de decidir o segundo turno em casa. Foi na cama de gato na final do segundo turno. Foi ao não sair com uma vantagem maior do Beira-Rio na semana passada e foi por não saber controlar o jogo no Olímpico.

Nenhum time que se preze pode sofrer cinco gols em dois jogos.

Quem concordou com a expulsão do Escudero no jogo anterior deveria, por uma questão de coerência, pedir a prisão de D´alessandro ontem.

Um eventual título do Gauchão não poderia mascarar os problemas do time. Da mesma forma, a perda da taça não pode servir de motivo para que se faça terra arrasada. Os problemas existem, mas há de se ter cuidado com as soluções. Remédio em demasia também mata.

Fotos: Richard Ducker

Grêmio 2 x 3 Inter

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo e Gilson (William Magrão, 32’/2ºT); Fábio Rochemback, Adilson Lúcio e Douglas; Leandro (Lins, 31’/2ºT) e Júnior Viçosa (Borges,30’/2ºT)
Técnico : Renato Portaluppi

INTERNACIONAL: Renan, Bolivar, Índio, Juan (Zé Roberto, 28’/1ºT); Nei, Bolatti, Guiñazu, Andrezinho (Oscar, 4’/2ºT), D’Alessandro e Kleber; Leandro Damião.
Técnico: Paulo Roberto Falcão.


Final – 2º jogo – Campeonato Gaúcho 2011

Data: 15/5/2011, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 45.995 (42.282 pagantes)
Renda: R$ 1.298.273,00 
Árbitro: Leandro Vuaden 
Auxiliares: Altemir Hausmann e Júlio Cesar dos Santos 
Cartões amarelos: Juan, D’Alessandro, Zé Roberto, Guiñazu (INT); Vílson, Fábio Rochemback (GRE)
Gols: Lúcio, 15’/1ºT ; Leandro Damião, 31’/1ºT, Andrezinho, 46’/1ºT , D’Alessandro, 29’/2ºT, Borges, 36’/2ºT

Pênaltis: Douglas (acertou), D´Alessandro(acertou), Willian Magrão (errou), Leandro Damião (errou), Rochemback (acertou), Kleber (errou), Lúcio (errou), Oscar (acertou), Lins (acertou), Bolatti (acertou), Rodolfo (acertou), Nei (acertou), Adilson (errou),
Zé Roberto (acertou).

Advertisements

Gauchão – Internacional 2 x 3 Grêmio

May 9, 2011

Renato supreendeu ao escalar o Grêmio num 4-3-3 com Escudero, Leandro e Junior Viçosa no ataque. A estratégia parecia ser a de ter mais a posse de bola e adiantar a marcação sobre os laterais do Inter. Os primeiros minutos de jogo mostravam que a idéia era acertada, tendo o Grêmio chegado com força na frente. Contudo, aos 8 minutos, numa jogada constrúida de pé em pé, o Inter abriu o marcador com Andrézinho, no que era o primeiro ataque colorado. Aí teve início o curto período no qual o co-irmão foi superior no jogo. Marcelo Grohe teve papel importante, garantindo que o Grêmio passasse pela turbulência pós-gol. Aos poucos, as virtudes tricolores voltaram a aparecer, Leandro passava por cima de quem quer que surgisse pela sua frente e Escudero fazia importante função tática ao partir da ponta esquerda e entrar pelo meio. Viçosa, que já tinha desperdiçado duas grandes oportunidades (a primeira aos 10, a segunda aos 37), empatou o jogo ao aproveitar a saída atabalhoada “a la Peter Shilton” de Renan. O 1×1 era um placar minimamente justo para o que se viu em campo no primeiro tempo.

A segunda etapa começou com o segundo gol tricolor. Júnior Viçosa fez a assistência e Leandro mandou pra rede com o “biquinho do Romário”. O Grêmio passou a ter total controle do jogo, trocando passes e encaixando triangulaçoes, especialmente pelo lado esquerdo do ataque. O tricolor procrastinou o terceiro gol e acabou sofrendo o empate numa cabeçada de Damião, que contou com o desvio em Gílson para vencer Marcelo Grohe. O 2×2 era absolutamente injusto naquele momento. Mas a poucos minutos do fim, Rochemback fez belo desarme de carrinho, Mário Fernandes puxou contra-ataque em velocidade, Lúcio lançou e Viçosa mostrou apurada visão de jogo ao encobrir, pela segunda vez, Renan com uma cabeçada de fora da área.


Pelo visto, em uma semana “a qualidade” mudou de lado.

A superioridade tricolor foi cristalina. O que incomoda é o fato da vitória só ter sido definida aos 41 minutos do segundo tempo.


O treinador do adversário disse que Escudero fez a mesma função do Lúcio. Não vi assim. O argentino foi um dos pontas (Na esquerda, na direita, por vezes recuado) no 4-3-3 do Grêmio.

Rochemback e Fernando souberam se revezar na proteção da zaga e na saída pro jogo.

Renato segurou os laterais e soltou os volantes. E tem gente que diz que ele não entende nada de tática.

Jean Pierre acertou a imensa maioria dos lances, mas teve grande dificuldade em manter um critério na exibição dos cartões. A exagerada expulsão de Escudero é só um exemplo. Tivemos também a violência de Bolívar para cima de Leandro, as repetidas faltas de Tinga e Bolatti matando contra-ataque.

Não consigo lembrar de um Grenal, em final de campeonato, com um público tão baixo.

Fotos: Tárlis Schneider (UOL), Ricardo Rimoli (Lance), Pedro Revillion (Correio do Povo), Lucas Uebel (Grêmio.net) , Francis Targanski e Jefferson Bernardes (Vipcomm)

Internacional 2 x 3 Grêmio
Andrézinho 8′
Júnior Viçosa 39′
Leandro 46′
Leandro Damião 81′
Júnior Viçosa 86′

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kléber; Bolatti, Tinga, Andrezinho e D’Alessandro (Oscar, 14’/2ºT); Rafael Sóbis (Cavenaghi, 14’/2ºT) e Leandro Damião.Técnico: Paulo Roberto Falcão
GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo (Neuton, 15’/2ºT) e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando e Douglas (Lúcio, 23’/2ºT); Escudero, Leandro (Lins, 33’/2ºT) e Júnior Viçosa.Técnico: Renato Portaluppi


Gauchão 2011 – Final – Primeiro Jogo
Data: 08 de maio de 2011, domingo, 16h00minLocal: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre – RSPúblico: 23.391 (20.829 pagantes)Renda: R$ 685.330,00Árbitro: Jean Pierre Gonçalves LimaAuxiliares: Marcelo Bertanha Barison e José Javel SilveiraCartões amarelos: Tinga, Rodrigo, Bolatti, Bolívar, Nei (INT); Fernando, Neuton (GRE)Cartões vermelhos : Escudero, 44’/2ºT (GRE)Gols: Andrezinho, aos 8min do primeiro tempo; Júnior Viçosa, aos 39min do primeiro tempo. Leandro, aos 40seg do segundo tempo; Leandro Damião, aos 36min do segundo tempo; Júnior Viçosa, aos 41min do segundo tempo.

Gauchão – Internacional 1 x 1 Grêmio

May 2, 2011

É um filme que se repete. Uma palhaçada que parece nunca acabar. Mais um Grenal marcado por “erros” de arbitragem e pela complacência de muitos com isso.

O Inter abriu o placar após uma falta clamorosa de Damião em Rodolfo. O lance é a ilustração perfeita para a chamada “cama de gato”. Só o o juiz e alguns “isentos” (os baba-ovo) não viram assim. O que é muito estranho, pois Márcio Chagas marcou faltas em contatos muito menos bruscos. Mais estranho ainda foi o olhar psicótico do árbitro para os jogadores do Grêmio que reclamavam da infração.

O lance do gol de empate do Grêmio foi precedido não por um, nem por dois, mas por três pênaltis não assinaldos. Primeiro, Rodrigo cortou com a mão o cruzamento de Leandro. No escanteio Bolívar deu um abraço de urso em Borges e Rodrigo bloqueou com o braço o chute de Rafael Marques.

O que mais incomoda é que esse “crime” vinha se desenhando desde a final do primeiro turno. Começou com a inexplicável polêmica sobre os descontos na partida contra o Caxias, passando pela debochada comemoração de Damião, o silêncio nos erros que favoreceram o co-irmão, a agenda positiva em torno do Falcão e seus sapatos, o lobby pelos 5 grenais e por uma finalíssima de campeonato (2 finais de semana sem futebol seria ruim para os anunciantes, não?).

O sono de Márcio Chagas foi questionado depois do jogo do Caxias. Voltou a ser questionado sobre acréscimos na véspera do clássico, e disse que daria quantos fossem necessários. Não foi isto que fez. O segundo tempo foi bastante truncado e ele anunciou 3 e só deu 2 minutos e 30 segundos.

E o vice de futebol do Inter habilmente criou uma cortina de fumaça, com essa bobagem do local dos pênaltis. Habilmente trouxe o foco para a atitude dele, impedindo maiores debates sobre a calamitosa arbitragem de Márcio Chagas, que só prejudicou um lado.

E mais uma vez a cara de pau e a desfaçatez sem vitóriosas. Uma pena.

É claro que o Grêmio se complicou no segundo turno. Poderia ter garantido o grenal em casa. Mas vem tendo notórias dificuldades nas partidas, e ontem não foi tão diferente (apesar da luta da imensa maioria dos atletas). Só que o alegado mau futebol do tricolor não autoriza nenhum erro de arbitragem. Não estamos impedidos de ganhar mesmo em mau momento.

Não tenham dúvida, a tática vai ser a de tergiversar o debate. A ladainha da “maior qualidade” vai ser repetida à exaustão. Mesmo que em muitas vezes ela não corresponda a realidade. O comentarista da TV é um que é useiro e vezeiro nesta prática. Ontem, achincalhava Junior Viçosa. Cinco minutos depois, o guri entrou bem no jogo (como normalmente entra), teve participação efetiva no ataque e marcou o gol. Mas qualidade só vê no outro lado.

Eu até vejo com bons olhos a opção de Renato por um time mais fechado. Falar depois sempre é fácil, mas talvez ele tenha exagerado ao optar por 3 zagueiros e 3 volantes (Neuton na lateral poderia ser uma opção defensiva mais simples). Mas ainda assim, o jogo foi parelho até o fatídico gol. E o Grêmio tinha tido a melhor chance apesar da maior posse de bola colorada.

Fotos: Jefferson Bernardes (Terra) e Richard Ducker

Internacional 1 x 1 Grêmio (Inter 4×2 nos pênaltis)

Leandro Damião 21´
Junior Viçosa 86´

INTER: Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Guiñazu, Tinga, Andrezinho (Juan, 37’/2ºT), D’Alessandro, Oscar (W. Mathias, 27’/2ºT) e Leandro Damião.
Técnico: Paulo Roberto Falcão

GRÊMIO : Marcelo Grohe; Vilson (Viçosa, 30’/2ºT, Rafael Marques e Rodolfo; Gabriel (Fernando, intervalo) Rochemback, Adilson, Willian Magrão (Leandro, 31’/1ºT) e Gilson; Douglas e Borges
Técnico: Renato Portaluppi


Final – 2º Turno – Campeonato Gáucho 2011
Data: 1º/5/2011, domingo, 16h00min
Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre -RS
Público: 33.664 (28.019 pagantes)
Renda: R$ 1.232.468,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva
Auxiliares: Autemir Hausemann e José Franco Filho
Cartões amarelos: Gílson, Adílson (GRE); Guinãzu (INT)
Cartões vermelhos: Guiñazu
Gol: Leandro Damião, 21’/1ºT (1-0); Junior Viçosa, 41’/2ºT (1-1)
Nos pênaltis: Grêmio – Borges e Fernando erraram. Fábio Rochemback e Adilson converteram; Inter – D’Alessandro, Leandro Damião, Kléber e Rodrigo marcaram.

Gauchão – Cruzeiro 2 x 3 Grêmio

April 24, 2011

Os minutos iniciais de um mata-mata em jogo único já são naturalmente de muito estudo. Em Cruzeiro e Grêmio tal fato foi acentuado pelo estranhento dos atletas com o gramado sintético encharcado. O estrelado tinha alguma dificuldade em sair jogando e o tricolor exercia algum domínio, mas sem ter conclusões efetivas. Passada a primeira meia hora de jogo os comandos de Leocir passaram a chegar mais no ataque, e aos 32 obrigaram Victor a sair corajosamente do gol, evitando a cabeçada de Mauro. Mas a ousadia do arqueiro gremista lhe rendeu uma preocupante lesão no ombro. Marcelo Grohe entrou em seu lugar, e aos 41 minutos, cobrou um tiro de meta, que foi desviado de cabeça por W.Magrão. Borges ganhou a “segunda bola” e serviu Leandro que ,cortando o zagueiro, concluiu de pé direito e marcou o primeiro gol do jogo. Antes do final da primeira etapa Adílson quase marcou o segundo em um chute de longa distância.

A reação do Cruzeiro no segundo tempo foi rápida. Falta na ponta esquerda, Márcio cobrou bem e Claudinho subiu mais do que a defesa tricolor, anotando de cabeça o empate. O Grêmio retrucou na mesma moeda, mas a cabeçada de Borges passou perto. Contudo o desempate saiu 3 minutos depois, quando W.Magrão tentou o chute de fora de área, a bola desviada na zaga tirou o goleiro Fábio do lance. O Grêmio poderia ter resolvido jogo na sequência, quando Borges fez jogada individual e sofre pênalti, mas o confuso Vinicius Costa não marcou. O Cruzeiro voltou a se postar no campo de ataque e em novo cruzamento de Márcio Leo Maringá surgiu entre a zaga gremista e empatou o jogo mais uma vez. Renato tentou ter maior criação no meio de campo ao colocar Carlos Alberto no lugar de Borges, mas o terceiro gol saiu em lance de bola parada. Rochemback levantou na área e Rafael Marques empurrou para as redes de carrinho.


Gostei desse sistema com 3 volantes. O time desarmou muito mais. Adílson (chutando de fora da área) e Willian Magrão (aparecendo no ataque), foram os destaques do jogo.

Com chuteira de futebol sete, Gabriel voltou a se destacar.

Não vi ninguém comentando, mas imagino que a decisão de colocar Lúcio na lateral também passe pela marcação do veloz Jô.

Rafael Marques não saltou nos dois gols do Cruzeirinho. Menos mal que anotou o gol da vitória. Mas assim não me serve, o balanço é negativo. E digo isso com tranquilidade, porque muito já defendi o futebol do camisa 4.

Carlos Alberto entrou um tanto “elétrico”. A mijada que o Renato deu nele foi sensacional.

Quem tanto fez lobby pelo campo de grama sintética deve ter ficado muito feliz com a lesão de Lúcio.


Fotos: Richard Ducker (Ducker.com.br), Cristiano Estrela (Correio do Povo), Lucas Uebel (Grêmio.net), Neco Varella (UOL)

Cruzeiro 2 x 3 Grêmio
Leandro 41′
Claudinho 46′
Willian Magrão 51′
Leo Maringá 62′
Rafael Marqu
es 74′

CRUZEIRO: Fábio; Márcio, Claudinho, Sandro e Tinga; Alberto, Almir, Leo Maringá (Juninho Botelho 39’/2ºT) e Diego Torres(Faísca 33’/2ºT); Jô e Mauro (Rafael Cearense 30’/2ºT).
Técnico: Leocir Dall’astra.

GRÊMIO: Victor (Marcelo Grohe 39’/1ºT); Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Lúcio; Fábio Rochemback, Adilson, Willian Magrão e Douglas; W.Leandro (Lins 38’/2ºT) e Borges (Carlos Alberto 24’/2ºT).
Técnico: Renato Portaluppi.

Semifinal – Segundo Turno – Campeonato Gaúcho 2011
Local: Estádio Passo D´Areia, em Porto Alegre (RS)
Data: 23 de abril de 2011, sábado, 18h30min
Árbitro: Vinícius Costa
Auxiliares: Júlio César dos Santos e Alexandre Kleiniche
Cartões amarelos: Alberto, Márcio (C)
Cartões vermelhos : Alberto (C)
Gols: Leandro, aos 41 minutos do primeiro tempo; Claudinho, aos 2, Willian Magrão, aos 6, Léo Maringá aos 17 e Rafael Marques, aos 29 minutos do segundo tempo

Gauchão – Ypiranga 1 x 1 Grêmio

April 17, 2011

O Grêmio passou pelo Ypiranga e segue na briga pela conquista do segundo turno do Campeonato Gaúcho, o que pode lher dar o título. Mas a vitória nos pênaltis nos dá mais motivos para lamentar do que para comemorar.

Apesar de alguns percalços, o primeiro tempo do Grêmio foi satisfatório. O time criou bastante, mesmo diante de uma forte marcação do Ypiranga. As principais jogadas saíram pela direita, nos pés de Weverson Leandro. O mandante assutou em contra-ataques, se aproveitando de passes errados do tricolor. Mas, aos 23 minutos, Douglas apanhou a bola e fez um golaço em chute de fora da área. O 1×0 refletia a superioridade gremista no primeiro tempo.

O jogo seguiu parecido na volta do segundo tempo, mas aos poucos o Grêmio foi se acomodando com a vantagem mínima, e após novo contra-ataque cedido, sofreu o empate no chute rasteiro de Geovanni. A partir daí o tricolor buscou o segundo gol com inisistência (Lins e Carlos Alberto entraram bem) mas a vitória só veio nas disputas de pênaltis.


Dificuldades devem ser esperadas sempre. Ganhar do Ypiranga nos pênaltis não é demérito. Mas o que preocupa é essa dificuldade que o Grêmio tem de converter sua superioridade em gols, de ter maior controle sobre a partida em que é superior, em amorcegar o jogo, em encaminhar para o final o jogo no qual tem vantagem no placar.

O que também incomoda é que o Grêmio mais uma vez desperdiçou uma vantagem que tinha. A do dia foi o mando de campo num eventual Grenal que decida o turno.

Eu não teria tirado o Leandro. Mas não condeno a opção feita pelo técnico.

Gostei muito da entrevista do Victor. É um jogador que poderia (e deveria) falar mais.

Deu pra ver que Carlos Alberto não é o problema do Grêmio. Pode vir a ser uma solução.

Outro que passa longe de ser um problema é Borges. Mas precisa de tranquilidade. Está claramente incomodado com os gols que vem perdendo.

Fotos: Edson Castro (Terra) e Pedro Revillion (Correio do Povo)
Ypiranga 1 x 1 Grêmio (4 x 2 Grêmio nos pênaltis)
Douglas 23´
Geovanni 62´

YPIRANGA: Luiz Carlos; Gasparino, Frede, Glauco e Branco; Saulo, João Paulo, Geovani e Bodini (Sylvestre, 5’/2ºT); Cleiton e Tiago Pereira.TÉCNICO: Agenor Piccinini.
GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Neuton; Fábio Rochemback, Adilson (Fernando, 38’/1ºT), Lúcio e Douglas (Carlos Alberto, 18’/2ºT); Leandro (Lins, ‘/2ºT) e Borges.TÉCNICO: Renato Portauppi
Quartas de final – 2 turno – Campeonato Gaúcho 2011Data: 17/04/2011, domingo, 16h00minLocal: estádio Colosso da Lagoa, em Erechim – RSÁrbitro: Leandro VuadenAssistentes: Paulo Ricardo Conceição e João Lúcio de Souza (ambos gaúchos)Cartões amarelos: Gabriel (GRE), Fernando (GRE), Frede (YPI), João Paulo (YPI), Glauco (YPI)Gols: Douglas, a 23 minutos do primeiro tempo; Geovanni, a 17 minutos do segundo tempo;
Pênaltis: Borges, Lúcio (errou), Fábio Rochemback, Carlos Alberto e Gabriel pelo Grêmio. Cleiton, Saulo (errou), Frede, e Branco (errou) pelo o Ypiranga.

Gauchão – Classificação 2º Turno – Taça Farroupilha

April 11, 2011

GRUPO 1 P J V E D GP GC S %
1Internacional 13 7 3 4 0 15 6 9 61
2Ypiranga 10 7 3 1 3 10 12 -2 47
3Lajeadense 10 7 2 4 1 10 7 3 47
4São Luiz 10 7 2 4 1 8 5 3 47
5São José-POA 8 7 2 2 3 11 11 0 38
6Novo Hamburgo 8 7 1 5 1 5 5 0 38
7Universidade 7 7 2 1 4 11 17 -6 33
8Caxias 6 7 1 3 3 11 18 -7 28

GRUPO 2

P

J

V

E

D

GP

GC

S

%

1Cruzeiro-RS 15 7 5 0 2 19 6 13 71
2Juventude 14 7 4 2 1 17 8 9 66
3Grêmio 13 7 4 1 2 17 8 9 61
4Santa Cruz 12 7 3 3 1 10 8 2 57
5Pelotas 8 7 2 2 3 10 10 0 38
6Veranópolis 8 7 2 2 3 11 12 -1 38
7Inter-SM 3 6 1 0 5 4 21 -17 16
8Porto Alegre 2 6 0 2 4 4 19 -15 11

Gauchão – Santa Cruz 1 x 1 Grêmio

April 11, 2011

O fato de o goleiro César ter saído como herói demonstra como o Grêmio criou no primeiro tempo, e fato de o time ter tido tamanha presença no ataque é sempre positivo. Mas também causa certa preocupação, pois não é a primeira vez que o tricolor demonstra dificuldade em converter seu domínio em vantagem no placar. Magrão, Lúcio e Pessalli foram parados pelo arqueiro do Santa Cruz e pela trave.

Depois de ter “se escapado” nos 45 minutos iniciais, o time da casa demonstrou um pouco mais de iniciativa e passou a incomodar a meta defendida por Victor. Anelka assustou na cabeçada desferida aos 2 minutos. Aos 12, foi Alejandro que cabeceou, livre, mas dessa vez a o destino da bola foi o fundo do gol. O Grêmio tentou retomar o controle do jogo, mas foi ao ataque de forma desordenada. A partida estava muito truncada e o fato de Renato ter empilhado atacantes não alterou isso. Mas aos 43 minutos do segundo tempo, Borges (que já havia perdido três chances incríveis) sofreu e converteu uma penalidade máxima, anotando o 1×1 final.


Sem Rochemback e Douglas foi muito fraco o aproveitamento das bolas paradas. A bola que Lúcio colocou na trave foi o único lance em que o Grêmio levou perigo em cobranças de falta.

William Magrão foi o melhor do Grêmio. Está voltando a ser aquele volante que aparece constantemente dentro da área do adversário.

Faz uns 20 anos que a câmera do jogo nos Plátanos fica na altura do campo, o que deixa a transmissão bastante confusa. Será que ainda não deu tempo de achar uma solução para a posição das câmeras (parece que existem alguns pilares entre as cabines de imprensa e o campo)

Em meio a infindáveis perguntas sobre Falcão, Renato foi bastante feliz ao reconhecer que “Se hoje nós estamos indo para Erechim, somos os culpados.” Os gols perdidos, os pontos desperdiçados em Santa Cruz e, principalmente, em Caxias do Sul fizeram falta, forçando uma viagem longa e ainda podendo ocasionar um Grenal no campo do adversário.

Fotos: Fabiano do Amaral (Correio do Povo) e IG

Santa Cruz 1 x 1 Grêmio
Alejandro 57′
Borges (Pênalti) 88′

SANTA CRUZ: César; Anelka, Rodrigo Rizo e Luís Henrique; Régis, Xipote, Alejandro, Uillian e Cristiano (Vinícius); Juari (Osmar) e Leonardo (Maicon)
Técnico : Édson Porto

GRÊMIO
: Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson (Escudero); Adilson, Willian Magrão (Vinícius Pacheco), Lúcio, Pessalli; Leandro (Lins) e Borges.
Técnico : Renato Portaluppi

7ª Rodada – 2º turno – Campeonato Gaúcho 2011
Data : 10/04/2011, domingo, 16h00min
Local : estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul – RS
Árbitro : Ronaldo Santos Silva (RS)
Assistentes : José Eduardo Calza e Marcelo Oliveira e Silva
Cartões amarelos : Luiz Henrique, Xipote, Régis, Rodrigo, Pessalli, Rodolfo
Gols : Alejandro, aos 12 minutos do segundo tempo; Borges (pênalti), a 43 minutos do segundo tempo.

Gauchão – Grêmio 2 x 1 Veranópolis

April 4, 2011


O Veranópolis desceu a serra com a clara intenção de segurar um 0x0 no Olímpico, e no primeiro tempo o Grêmio não soube lidar muito bem com isso. Eram poucos os movimentos de ataque e a bola ficava demais com Rochemback e a dupla de zagueiros (R.Marques armou mais de um ataque). Não por acaso as melhores chances foram em chutes de longa distância de Rodolfo e do capitão gremista.

No segundo tempo o Grêmio apresentou uma leve melhora, rodando a bola com maior velocidade no campo de ataque. Aos cinco minutos, a jogada de pivô de Borges (muito tentada no primeiro tempo) finalmente deu certo e Douglas chutou com perigo. Mas o gol só foi sair 7 minutos mais tarde, quando Rochemback cobrou falta e Weverson Leandro pegou a sobra. A mudança no placar não fez com que a postura dos times em campo se alterasse. O Grêmio seguiu buscando o gol, teve algumas boas chances, mas só ampliou no pênalti sofrido por Pessalli. Rodrigo Rocha defendeu a cobrança de Borges, mas o centrovante gremista marcou no rebote. Nos acréscimos, Victor não levou muito fé na cobrança executada por Renan e acabou levando um frangaço.


Parece que finalmente foi encontrado um lugar para o Carlos Alberto: Reserva de Douglas.

Pessalli entrou muito bem no jogo. Colocou velocidade na jogada pelo lado direito.

Weverson não tocou em Luiz Muller e fez muito bem em não entrar na briga com o goleiro adversário.

Muito tímida a participação dos laterais no jogo de hoje.

Rochemback e Renato fizeram muito bem em intervir no furdunço que se formava para definir o batedor do pênalti.

Foto: UOL, Grêmio1983 e Richard Ducker (Ducker.com.br)

Grêmio 2 x 1 Veranópolis
Weverson Leandro 57 ‘
Borges 83′
Renan 90+2

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Fábio Rochemback, Willian Magrão(Pessalli), Lúcio (Diego Clementino) e Douglas (Carlos Alberto); Weverson Leandro e Borges.
Técnico: Renato Portaluppi

VERANÓPOLIS : Luiz Müller; Fininho, Anderson Bill, Fred e Sananduva; Raulen, Juliano, Naves e Alê (Rodrigo Rocha), Fábio Oliveira (Renan) e Luiz Carlos Bahia (Edinho).

Técnico: Gilmar Dal Pozzo

6ª Rodada – Segundo Turno – Campeonato Gaúcho 2011
Data
: 03/04/2011, domingo, 16h00min
Local
: Estádio Olímpico, em Porto Alegre – RS
Árbitro
: Anderson Daronco
Assistentes
: José Franco Filho e Rafael da Silva Alves
Público
: 12.074 (9.943 pagantes)
Renda
: R$ 153.916,00
Cartões amarelos :
Sananduva, Naves, Rafael Marques, Leandro
Cartões vermelhos :
Luiz Müller (VEC), aos 23 minutos do 2 tempo

Gols : Leandro, aos 12 minutos ; Borges, aos 38 minutos e Renan, aos 47 minutos do segundo tempo

Gauchão – Juventude 3 x 2 Grêmio

March 31, 2011

O primeiro lance do jogo deu uma boa amostra do que veríamos ao longo dos 90 minutos: Num passe displicentemente errado pelo Grêmio, Cristiano ficou de frente pro gol e carimbou a trave de Victor. O Juventude demonstrava mais vontade, mas passado o entusiasmo inicial d logo se viu um predomínio tricolor, muito mais pela maior qualidade do que propriamente pelo empenho do seus jogadores. O Grêmio conseguiu articular jogadas de ataque, teve oportunidades (bem como um susto, em nova bola no poste) e abriu o placar com Borges, que de cabeça completou a boa jogada feita na combinação entre Gílson e Lúcio pela ponta esquerda. O 1×0 foi um justo placar para a primeira metade do jogo.
Contudo fica difícil falar em justiça no segundo tempo. Os termos “castigo” e “quem não faz leva” definem melhor o que aconteceu. Logo aos 2 minutos, o Juventude mandou sua terceira bola na trave, mas Júlio Madureira apanhou o rebote e empatou o jogo. O Grêmio não se abalou, voltou a carga e após uma rápida pressão, marcou o 2×1 com Weverson Leandro, que recebeu lançamento longo (ou seria um chutão?), driblou o goleiro e tocou para o fundo das redes. A partir daí o jogo ficou extremamente fácil para o tricolor. Weverson e Borges perderam grandes chances aos 29 e 30 minutos, respectivamente. O Juventude teve Rafael Pereira expulso, e passou a contar apenas com a vontade. O Grêmio tinha amplos espaços para atacar, mas não os aproveitou e tampouco se fechou no seu campo. Mas ainda assim é preciso dizer que o empate só saiu num lance de extrema infelicidade de Gílson, que foi cortar o cruzamento de cabeça e mandou para dentro da meta de Victor, anotando um tragicómico autogol. Aí sim os comandados de Renato sentiram o golpe e não conseguiram articular nada parecido com uma reação. Pra piorar, aos 44 minutos, numa saída errada do Grêmio, Ramiro chutou de longe e virou o jogo.

Um menor interesse dos atletas em partidas do Gaúchão até seria compreensível, mas só isso não explica o que se viu por parte do Grêmio no Jaconi. A parte mais difícil, de se colocar em vantagem, por duas vezes, foi feita. A parte “fácil”, de matar (ou administrar) o jogo contra um adversário com 10 em campo é que foi preguiçosamente postergada. O time resolveu brincar com o azar e se deu mal.

Gílson anda muito afoito. O gol contra é apenas um doloroso exemplo disso. Parece não lembrar a máxima do lateral que é a de “só ir na boa”.

Talvez seja falta de um maior ritmo, mas Gabriel parece estar devagar, muito longe do seu melhor desempenho.

Rochemback, Rodolfo e Adílson fazem falta não só pelo futebol que apresentam, mas também pela atitude que demonstram em campo. O time parecia muito apático ontem sem eles, o que é preocupante.

Gostei da atuação de Neuton. Não sabia dessa sua característica de ser batedor de faltas.

Acho que a meia preta combinaria melhor com a camisa azul e o calção negro.

A nota positiva foi a exibição de Weverson Leandro. Impressiona pela tranqüilidade que tem para jogar com apenas 17 anos.

Por tudo o que se viu no jogo é possível dizer que o resultado final foi um tanto surreal. O Grêmio vem tendo duras lições neste ano, resta saber se está conseguindo absorver o aprendizado.

Fotos: (O Caxiense) e Ricardo Giusti (Correio do Povo)

Juventude 3 x 2 Grêmio

JUVENTUDE: Jonatas; Celsinho (Bressan), Rafael Pereira, Fred e Alex Telles; Umberto, Gustavo (Jardel), Jander (Ramiro) e Cristiano; Júlio Madureira e Zulu.
Técnico: Picoli

GRÊMIO : Victor; Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Vinícius Pacheco); Fernando, Willian Magrão (Mateus Magro), Lúcio (Bruno Collaço) e Douglas; Weverson Leandro e Borges.
Técnico: Renato Portaluppi

1ª Rodada (Jogo atrasado) – 2º Turno – Campeonato Gaúcho 2011
Data: 30/03/2011, quarta-feira, 20h00min
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul -RS
Público: 8.990 torcedores
Renda: R$ 199.240,00
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves (RS)
Assistentes: Marcelo Barison e José Inácio de Souza ( RS)
Cartões amarelos : Douglas, Willian Magrão, Lúcio , Fernando, Fred, Rafael Pereira , Cristiano , Bressan
Cartões Vermelhos : Rafael Pereira (JU)
Gols: Borges, do Grêmio, aos 32 minutos do primeiro tempo; Júlio Madureira, do Juventude, a 1; Leandro, do Grêmio, aos 9; Gilson (contra), aos 37 minutos e Ramiro, aos 44 minutoso segundo tempo;

Gauchão – Pelotas 1 x 3 Grêmio

March 28, 2011

O jogo do Grêmio no primeiro tempo simplesmente não fluiu. Lúcio não se movimentou como de costume, o apoio dos laterais foi tímido e Escudero não encontrou seu melhor posicionamento no ataque. O Pelotas foi pra cima com a correria de Makelele, mas esbarrou na falta de conclusões mais efetivas e num confiante Marcelo Grohe. Por sua vez, o goleiro áureo-cerúleo Dionatan fez duas boas defesas nas cabeçadas de Rodolfo e Escudero, o que encaminhou o 0x0 da primeira etapa.

Com Weverson Leandro no time (Escudero saiu lesionado) o Grêmio ficou melhor distribuído em campo e passou a ter mais presença no ataque. É notável a capacidade do guri em reter a bola e partir para o mano-a-mano contra o zagueiro. Mas os gols gremistas saíram em jogadas de bola parada. Aos 8 minutos, Vuaden marcou uma falta próxima a meta pelotense, mas permitiu que a barreira ficasse muito próxima. Rodolfo pegou a inevitável sobra, cruzou na área e William Magrão apareceu por trás da zaga, abrindo o placar. A resposta do Pelotas foi imediata, o interminável Sandro Sotilli foi lançado com espaço e não deu chances para o arqueiro gremista. Mas a reação do Lobo se esgotou nisso e o tricolor voltou a carga, criando algumas chances, e chegando a vitória através da bola área, com os tentos anotados por Rodolfo e Rafael Marques.


Todos sabem que Fábio Rochemback é peça essencial na engrenagem do Grêmio. A sua ausência foi acentuada pelo fato de W.Magrão e Adílson não serem volantes que se notabilizam pelo passe.

Marcelo Grohe teve mais uma atuação segura.

Teve narrador “depositando na conta” de Rodolfo o gol de Pelotas. Não vi dessa forma. A falha foi coletiva.

Eu custo a acreditar que o tema principal das entrevistas pós-jogo tenha sido um campeonato de futvolei.

Fotos: Cristiano Estrela (Correio do Povo), Paulo Rossi (Diário Popular) e Wesley Santos (Terra)

Pelotas 1 x 3 Grêmio
William Magrão 53′
Sandro Sotilli 54′
Rodolfo 74′
Rafael Marques 90′

PELOTAS: Dionatan; Eduardo Eré, Jonas, Júnior Paulista e João Rodrigo; Gavião, Wanderson (Cléber), Makelele (Márcio Tinga) e Alan (João Paulo); Sandro Sotilli e Clodoaldo
Técnico: Armando Desessards.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Willian Magrão (Vinícius Pacheco, Adilson, Lúcio e Douglas; Escudero (Weverson Leandro) e Borges (Fernando).
Técnico: Renato Portaluppi

5ª Rodada – Segundo Turno – Campeonato Gaúcho 2011
Data: 27 de março de 2011, domingo, 16h00min
Local: Estádio da Boca do Lobo, em Pelotas (RS)
Público: 8.113
Renda: R$ 179.860,00
Árbitro: Leandro Vuaden
Assistentes: Júlio César Rodrigues dos Santos e Paulo Ricardo Conceição

Cartão Amarelo : Eduardo Erê, Wanderson, João Rodrigo ; Adilson, Escudero, Willian Magrão
Gols: Willian Magrão, aos 8 minutos, Sandro Sotilli, aos 9 minutos; Rodolfo, aos 29 minutos do segundo tempo e Rafael Marques, aos 45 minutos do segundo tempo.