Archive for the ‘Gauchão 2013’ Category

Gauchão – Grêmio 2×0 Caxias

March 25, 2013

A grande atração da noite era o teste do esquema com 3 atacantes promovido por Vanderlei Luxemburgo. Mas esse formação durou pouco mais de 20 minutos, período no qual o Grêmio teve dois pênaltis marcados a seu favor (um convertido por Kleber e outro desperdiçado por Barcos). De resto o jogo foi bastante enfadonho, o Caxias ficou atrás e não apresentava nenhuma alternativa para o contra-ataque. O Grêmio se acomodou e foi conduzindo a vantagem de forma burocrática. A entrada de Elano no segundo tempo deu uma agitada no ataque que parecia estar pouco inspirado e o segundo gol saiu aos 36 minutos, quando Kléber completou para as redes a cobrança de escanteio vinda do lado direito.
O resultado veio com pouco esforço. Infelizmente o Gauchão está nesta situação. A data de um jogo é mais importante do que o adversário a ser enfrentado. E as vantagens que decidem o campeonato são estabelecidas na loteria do calendário, de quem precisa ou não usar reservas, da sobreposição de datas e dos favorecimentos da Federação.
Os portões dos corredores do quarto anel seguem abertos. Ainda não entendi qual a função deles. Havia também uma espécie de cordão/cerca impedindo a torcida visitante de chegar perto das primeiras fileiras do seu setor. E novamente o percentual de não pagantes foi expressivo.

Luxemburgo justificou o 4-3-3  por ser “uma tendência no cenário mundial” e disse que é preciso “ter tempo e jogadores que possam fazer isso”. Minhas principal dúvida reside neste último ítem. Não sei se os atacantes do plantel tricolor tem as características necessárias para esse esquema. Kléber é brigador, incomoda os zagueiros, mas não tem o costume de ajudar na recomposição e fechar as linhas defensivas. E o Welliton foi  (corretamente) definido como um “matador” pelo treinador. Mas ainda assim considero saudável que sejam pensadas alternativas de jogo para o time.

 

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Grêmio1983

Grêmio 2×0 Caxias

GRÊMIO: Dida; Pará, Cris (Bressan/Intervalo), Werley e Guilherme Biteco; Adriano (Elano/ 25’2ºT), Souza e Zé Roberto; Kleber, Welliton (Marco Antonio/23′ 1ºT) e Barcos.  
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
CAXIAS: Anderson; Luiz Felipe, Jean, Lino e Victor (Lucas Galvão/35’2ºT); Marcelo Carvalho, Paraná, Alisson e Renato Medeiros (Karl/24′ 2ºT); Zambi e Rafael Santiago.  
Técnico: Picoli.
3ª Rodada – 2º Turno – Gauchão 2013
Data: 23/03/2013, Sábado, 21h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 17.749 (15.530 pagantes)
Renda: R$ 505.996,00  
Árbitro: Fabrício Corrêa
Auxiliares: João Franco Filho e Elio de Andrade Junior
Cartões amarelos: Luiz Felipe, Anderson e Victor; Kleber e Guilherme Biteco
Gols:Kleber (pênalti), aos 16 minutos do 1º tempo e aos 36 minutos do 2º tempo.
Advertisements

Gauchão – Pelotas 1×3 Grêmio

March 21, 2013

O Grêmio esperava pressão do time da casa. O treinador do Pelotas queria “brigar pela bola durante os 90 minutos“. Nada disso aconteceu no começo do jogo. O Áureo-Cerúleo esperava recuado no seu campo de defesa e os atletas gremistas rodavam a bola esperando uma oportunidade. E ela apareceu aos 7 minutos. Barcos chutou rasteiro da entrada da área, a bola não foi tão no canto mas o goleiro Jonathan aceitou: 1×0. O Pelotas chegou a colocar bola na trave (cobrança de falta de Diego Torres), mas o Grêmio seguia melhor e marcou o segundo gol com Welliton, após boa jogada de Zé Roberto e Souza.
No segundo tempo a defesa do Grêmio deu alguns sustos, os experientes Dida e Cris se mostraram irregulares. O Lobão chegou a diminuir na cabeçada de Diego Torres, mas ficou longe de ameaçar a vitória tricolor. Aos 23, Barcos deu grande assistência e Elano marcou o terceiro. Kleber e Bertolgio entraram interessados no jogo, fizeram algumas boas jogadas, mas não marcaram o quarto gol tricolor.

Barcos mais uma vez foi decisivo. Mais uma vez marcou e mais uma vez recuou para buscar jogo e dar passe para os meias que se infiltram na área.
Eu não consigo entender a montagem da tabela do Gauchão. É o quarto ano seguido que o Grêmio joga na Boca do Lobo, enquanto o Co-Irmão sempre recebe o Pelotas em casa.
Eu tenho minhas dúvidas quanto ao Biteco como lateral-esquerdo. Posso estar enganado, mas acho que, pela qualidade e pelo tamanho, ele renderia mais jogando numa função mais avançada.

Adriano pela primeira vez funcionou como “cão de caça”, buscando o bote. É uma característica interessante, que precisa ser devidamente dosada.

Achei interessante que o Luxemburgo não tenha iniciado com um 4-3-3. O Grêmio parece ainda não ter uma solidez defensiva que permita escalar 3 atacantes desde o começo do jogo.

Fotos: Edu Andrade (Terra), Jô Folha (Diario Popular) e EC Pelotas
Pelotas 1×3 Grêmio
PELOTAS: Jonatas; Igor, Gabriel, Tony e Brida (Arturo – 35’/2ºT); Tiago Gaúcho, Márcio Lopes (Jadilson – intervalo), F. Gadelha e Diego Torres; Clodoaldo (Felipinho – intervalo) e Wellington
Técnico: Luiz Carlos Barbieri.

GRÊMIO: Dida; Pará, Werley, Cris e Guilherme Biteco; Adriano, Souza, Marco Antônio (Bertoglio – 24’/2ºT) e Zé Roberto (Elano – intervalo); Welliton (Kleber – 17’/2ºT) e Barcos
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

2ª Rodada – 2º Turno – Gauchão 2013

Data: 20/03/2013, Quarta-feira,  22h00min
Local:
Estádio Boca do Lobo, em Pelotas (RS)
Público: 7931 pagantes
Renda: R$ 214.308,00
Árbitro: Luis Teixeira Rocha
Auxiliares:
João Lúcio de Souza e Leirson Martins
Cartões amarelos:
Welliton, Elano(G) Igor, Jadilson, Gabriel, Diego Torres (P)
Gols: Barcos, aos 6 minutos e Welliton, aos 33 minutos do primeiro tempo; Diego Torres aos 13 minutos e Elano aos 23 do segundo tempo

Gauchão – Grêmio 2×0 Lajeadense

March 18, 2013

O primeiro jogo de Gauchão na Arena tinha tudo para ser um jogo interessante. O Lajeadense tem um time bem organizado, com uma defesa bem entrosada e uma dupla de zaga forte. Mais uma oportunidade do tricolor encontrar alternativas para furar retrancas na Arena.
A principal arma gremista foi a movimentação dos seus homens de frente. E aí o grande destaque foi Zé Roberto, que atuava como um ponta de lança, ora ingressando na área para concluir, ora caindo no espaço que se abria na ponta esquerda de ataque (onde também apareciam Souza e André Santos). Aos 22 o camisa 10 tricolor recebeu grande passe de Elano e concluiu da marca do pênalti, mas a bola foi pra fora raspando a trave. Pouco depois, Eduardo Martini fez grande defesa em chute de Barcos e contou com a trave e com alguma complacência da arbitragem (Acredito que bola tenha entrado) para evitar o gol gremista. Mas aos 30 minutos, Barcos buscou jogo fora da área, Pará ingressou pelo lado direito e rolou para trás, onde estava Zé Roberto que marcou o 1×0 com o pé direito.
No segundo tempo, mesmo com o resultado adverso, o Lajeadense seguiu com a mesma postura: Bem postado na defesa e pouco ameaçador no ataque. Assim o jogo perdeu um pouco em emoção. Aos 23 minutos Zé Roberto novamente aproveitou o espaço deixado por Barcos e marcou o segundo, numa conclusão brilhante na saída do goleiro. Muito pouco aconteceu depois disso e o Grêmio encaminhou a vitória com certa tranquilidade.

Nos minutos finais, Luxemburgo retirou um meio-campista e colocou Kléber em campo. Uma alternativa por muitos sugerida. Mas me parece que essa medida serviu muito mais para dar ritmo ao Gladiador do que propriamente para testar a eficácia do 4-3-3. Não houve como analisar a recomposição defensiva (que é a minha principal desconfiança com tal sistema).
Ouvi críticas ao desempenho de Barcos no pós-jogos da rádios. Não posso concordar. O pirata participou dos dois gols e teria marcado o seu, não fosse o milagre de Eduardo Martini.
Cheguei na Arena pouco mais de uma hora antes do início do jogo. Era possível observar uma movimentação estranha, diferente da dos jogos anteriores na Arena. Fiquei surpreso com as filas na bilheterias. É de se supor que muitos gremistas aproveitaram um jogo de menor procura para conhecer a Arena.  Em certo ponto compreensível que a administração da Arena não tenha imaginado tal cenário. Mas a solução para tal problema deveria ter sido mais ágil. Não me parece que deixar de vender ingresso na hora seja uma medida inteligente. A capacidade ociosa da Arena deve ser explorada.
Colocaram divisórias entre as cadeiras do quarto anel e portões nos corredores para separar estes setores. Ontem os portões estavam abertos e era possível circular por todo o 4º anel.

Achei curioso que apenas 4 mil dos 16 mil presentes eram sócios. E o número não pagantes está crescendo.

Fotos: Itamar Aguiar (Grêmio.net) e Ricardo Rimoli (Lance)

Grêmio 2×0 Lajeadense

GRÊMIO: Dida; Pará, Werley, Cris e André Santos; Fernando (Adriano – 34’/2ºT), Souza, Elano (Kleber – 27’/2ºT) e Zé Roberto; Vargas (Welliton – 34’/2ºT) e Barcos
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

LAJEADENSE: Eduardo Martini; Marcio Gabriel (Leandro – 31’/2ºT), Micael, Gabriel e Márcio Goiano; Rudiero, Reinaldo, Moisés (Mineiro – 21’/2ºT) e Renan Oliveira; Rafael Aidar e Jandson
Técnico: Flávio Campos.

1ª Rodada – 2º Turno – Campeonato Gaúcho 2013
Data: 16/03/2013, Sábado, 18h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público total: 16.153(13.767 pagantes)
Renda: R$ 393.997,00
Árbitro: Vinícius da Costa
Auxiliares: Paulo Ricardo Conceição e Marcelo Oliveira e Silva
Cartão Amarelo: Gabriel e Márcio Gabriel (LAJ); Zé Roberto (GRE)
Gols: Zé Roberto aos 30’/1ºT e aos 23’/2ºT

Gauchão 2013 – 1º Turno – Classificação e finais

March 10, 2013

Grupo A

Times P J V E D GP GC SG %
1 Lajeadense Lajeadense 18 8 5 3 0 11 3 8 75
2 Caxias Caxias 13 8 3 4 1 9 7 2 54
3 Grêmio Grêmio 12 8 4 0 4 16 11 5 50
4 Cerâmica-RS Cerâmica 12 8 3 3 2 6 4 2 50
5 Cruzeiro-RS Cruzeiro 10 8 2 4 2 5 6 -1 41
6 Pelotas Pelotas 9 8 3 0 5 5 10 -5 37
7 Passo Fundo Passo Fundo 8 8 2 2 4 7 9 -2 33
8 Novo Hamburgo Novo Hamburgo 5 8 1 2 5 7 13 -6 20

Grupo B

Times P J V E D GP GC SG %
1 São Luiz São Luiz 17 8 5 2 1 10 3 7 70
2 Internacional Internacional  15 8 4 3 1 11 5 6 62
3 São José-RS São José-Poa 14 8 4 2 2 7 6 1 58
4 Esportivo Esportivo 13 8 4 1 3 9 8 1 54
5 Juventude Juventude 11 8 2 5 1 6 6 0 45
6 Santa Cruz-RS Santa Cruz 7 8 2 1 5 10 16 -6 29
7 Canoas Canoas 6 8 1 3 4 4 11 -7 25
8 Veranópolis Veranópolis 4 8 1 1 6 6 11 -5 16

Fontes: Terra e Globo Esporte

Gauchão – Inter 2×1 Grêmio

February 25, 2013

Como a aguardada Van não chegou a Caxias, o Grêmio acabou indo para o Grenal como seu time reserva. Com isso, era de se esperar que a iniciativa fosse colorada e desde o apito final o Inter foi pro ataque. Houve uma certa pressão vermelha, mas não propriamente por um predomínio técnico (não se viam dribles, tabelas, chutes de fora da área) e sim pela dificuldade do Grêmio em sair jogando. O time tricolor não se encontrava no 3-5-2. Adriano e Matheus Biteco estavam excessivamente presos na defesa, Tony e Alex Telles pouco contribuiam na criação e Marco Antônio ficava sobrecarregado na armação das jogadas. Enquanto isso, o Inter ameaçava, principalmente em lances de escanteio. A rigor o Grêmio só teve uma chance na primeira etapa, uma cabeçada de Welliton após cruzamento de Tony. Mesmo sem fazer uma grande atuação o Inter era superior e se colocou em vantagem no placar aos 26, com Forlan convertendo um pênalti (cavado, porém existente).
Luxemburgo voltou para o 4-4-2 nos 45 minutos finais. Mas o Grêmio não demonstrou melhoras no início do segundo tempo. O time cedia muitos escanteios e assim o Inter ampliou aos 12 minutos. Uma falha grosseira da marcação permitiu que Rodrigo Moledo (o mais alto dos jogadores de linha do Inter) corresse livre para cabecear no primeiro pau. Com o 2×0, o Inter passou a trocar passes, a torcida chegou a ensaiar um olé, mas o Grêmio correu atrás do prejuízo. E isso muito se deve a indignação de Bertoglio, que era o atleta mais inquieto em campo. Aos 22, Jean Pierre marcou um pênalti infantil de Josimar em Douglas Grolli. Willian José diminuiu. Mas pouco aconteceu depois disso. O Grêmio ocupou o campo de ataque, mas quase não ameaçou. O Inter tinha espaço no contra-ataque, mas igualmente não conseguiu articular uma jogada para matar o jogo.

Assim um time reserva acabou sendo derrotado por um time titular pelo placar mínimo. O resultado é ruim, mas está dentro do esperado. É de se lamentar que essa fórmula do Gauchão acrescente um número excessivo de jogos a um calendário já tão atribulado. Até aqui, o Grêmio fez 13 jogos em 2013. E 2 destes 13 foram clássicos. 2 clássicos disputados por time reserva diante de um público pequeno. Não poderia ser diferente? Não deveria ser diferente?
Já vimos que no Brasil, ninguém tem atuado tanto nesse ano. Acho que também é interessante fazer a mesma comparação com os grandes clubes europeus. Barcelona fez 13 partidas desde o início do ano. Manchester United e Juventus 12, enquanto o Bayern de Munique só entrou em campo 7 vezes em 2013.
Diante disso, parece ser inevitável que o Grêmio se valha de um rodízio de atletas para enfrentar a maratona de jogos. Até aqui foram 41 jogadores utilizados em 8 partidas do campeonato gaúcho.

Uma pergunta que fica: Qual o critério para definir qual o treinador do Grêmio na beira do campo. Roger não teria maior conhecimento das características dos jogadores reservas do que o Luxemburgo?

Dida jogou com uma camisa de treino. Convenhamos que é um tanto sintomático. E Douglas Grolli entrou em campo com a camisa 11, que já foi usada por Éder, Carlos Miguel, Zinho…

Não estou tão convencido que o lance entre Gabriel e Alex Telles foi um acidente. Se a disputa tivesse se dado numa bola rasteira certamente teríamos maiores debates sobre a atitude do atleta do Inter.

Eu tenho dificuldade de entender algumas condutas dos juízes. No primeiro tempo, Jean Pierre fez intervalo para hidrataçao, conversou com Dunga, mas só deu pouco mais de 30 segundos de acréscimos.

Mais uma vez eu considero que o futebol apresentado no Grenal foi fraco. É certo que o clássico nunca se caracterizou pelo primor da técnica, mas inegavelmente as disputas entre Grêmio e Inter tem como marca história a intensidade do jogo, intensidade na marcação e intensidade na movimentação. E eu não consegui ver essas carcaterísticas presentes no gramado do Centenário.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Inter 2×1 Grêmio 

INTERNACIONAL: Muriel; Gabriel, Rodrigo Moledo, Juan e Fabrício; Ygor (Elton, 25’/2ºT) Josimar, Fred e D’Alessandro; Forlán (Vitor Júnior, 46’/2°T) e Leandro Damião (Gilberto, 42’/2ºT)
Técnico: Dunga.
GRÊMIO: Dida; Bressan (Bertoglio, Intervalo), Douglas Grolli e Werley; Tony, Adriano, Matheus Biteco, Marco Antônio e Alex Telles; Welliton (Guilherme Biteco, 18’/2ºT) e Marcelo Moreno (Willian José, Intervalo)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Quarta-de-final – 1º Turno – Campeonato Gaúcho 2013
Data: 24/2/2013, domingo,  16h00min
Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul-RS
Público: 11.560 (9.365 pagantes)
Renda: R$ 498.645,00  
Árbitro: Jean Pierre Lima (RS)
Auxiliares: AltemirHausmann (Fifa-RS) e Marcelo Barison (RS)
Cartões amarelos: Josimar e D’Alessandro (INT); Adriano e Douglas Grolli (GRE)
Gols: Forlán, 26’/1ºT(pênalti); Rodrigo Moledo, 12’/2ºT e Willian José, 22’/2ºT(pênalti).

Gauchão 2013 – excesso de jogos e poucas transmissões

February 19, 2013
Já escrevi aqui no blog, que a fórmula do Gauchão é muito ruim, uma vez que implica numa grande quantidade de datas em um curto espaço de tempo. E tal fato é agravado com a dificuldade de remanejo de jogos em razão do campeonato ser dividido em turnos.
E em 2013 o Grêmio tem sido seriamente prejudicado com esse excesso de jogos. Até que aqui foram 11 compromissos oficiais entre Libertadores e Gauchão. Nenhum dos seus rivais brasileiros na Libertadores atuou tanto em 2013 (Palmeiras e São Paulo jogaram 9 vezes, Fluminense e Corinthians 8 e o Atlético-MG apenas 4).
O uso de time reservas tem se tornado um expediente bastante comum, mas essa prática não resolve todos os problemas. E traz consigos novos problemas também. Um deles é o entrosamento do time titular. Paulo Vinícuis Coelho defendeu um ponto interessante ao ser questionado pela Zero Hora sobre o tema: “Essa semana houve um erro grosseiro, grave, que foi pouco apercebido: o calendário não pode promover um jogo do Grêmio na quarta e um na quinta, por mais que o clube use times diferentes. Por pouco não aconteceu como em 1994, quando o Grêmio jogou mais de uma partida no mesmo dia, bateu na trave. O Grêmio não está jogando com os titulares o Campeonato Gaúcho porque o calendário brasileiro é um absurdo
Um dado interessante é que nas 8 rodadas disputadas até aqui o Grêmio só entrou com seu time titular em 2 ocasiões. O Inter não foge muito disso, uma vez que só atuou 4 vezes com todos os seus principais atletas.
Muito se discute sobre quais são os motivos que levam a manutenção dos estaduais nesse formato. No caso do Rio Grande do Sul é possível dizer que o dinheiro decorrente do contrato de televisionamento é um fator muito importante. A detentora dos direitos paga relativamente bem (Para se ter uma idéia, em 2013 o Grêmio recebeu muito mais dinheiro de TV no Gauchão do que na Copa Sulamericana). Mas o estranho é que a RBS sequer tem exibido todos os jogos do que tem direito.
Das 8 rodadas disputadas até aqui, apenas 5 foram transmitidos em canal aberto. A lista dos jogos exibidos em cada rodada pode ser conferido na tabela abaixo.
A rodada 2 coincidiu com LDU e Grêmio em Quito. De acordo com Gustavo Manhago, chefe de esportes da RBSTV, a rodada 3 deixou de ser exibida em função dos horários da partida. Ainda a rodada 4 coincidiu com Grêmio e LDU na Arena.
Pode até ser que a detentora dos direitos de televisionamento faça gosto de pagar por um produto que não vai usar. Mas não é do interesse dos clubes ter os seus jogados devidamente televisionados? Não seria o caso de adotar uma fórmula mais racional, com melhor aproveitamento de datas, conciliando interesses dos clubes e da televisão?

Gauchão – Grêmio 1×0 Veranópolis

February 19, 2013

Devido a um motivo de força maior (falta de luz no litoral) eu não consegui ver o primeiro tempo do jogo. Otimismo a parte, esperava um desempenho melhor dos titulares do Grêmio (num gramado bom) contra o lanterna da competição, mas o time parece ter feito pouco na etapa inicial. O gol de Werley acabou sendo o único da partida, ainda que tenha sido marcado cedo.

Fiquei curioso pra ver mais da dupla de ataque formada por Vargas e Welliton. Pro meu gosto, Welliton sempre rendeu mais jogando como o atacante mais avançado e centralizado, apesar de não ser um centro-avante típico.
No que vi do segundo tempo o Grêmio fez um jogo burocrático, quase desinteressado. Teve chance para ampliar o marcador, mas também correu um sério risco de levar o empate. No meu entender, Cris fez pênalti em Lê aos 14 do segundo tempo, mas Márcio Chagas não marcou. Melhor assim, até mesmo porque seria incoerente que um juiz que não da falta em cama de gato apitasse infração numa jogada bem menos violenta.
Espero que o uso dos titulares nessa partida realmente tenha sido uma decisão pontual para dar maior entrosamento ao time principal. Caso contrário, seria um planejamento pouco inteligente, esse de entrar com titulares depois de ter perdido a vantagem do mando de campo nas finais de turno.

Fotos: Tiago Baldasso (http://tiagobaldasso.wordpress.com/) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 1×0 Veranópolis

GRÊMIO: Dida; Pará, Cris, Werley e André Santos (Alex Telles – intervalo); Fernando, Souza, Elano (Marcelo Moreno – 26’/2ºT) e Zé Roberto; Vargas e Welliton (Bertoglio – 26’/2ºT) –
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
VERANÓPOLIS: João Ricardo; Ednei, Vagner, Jonas e Fininho; Escobar, Márcio Reis, Eduardinho e Juninho (Maicon – 26’/2ºT); Lê (Leandro Rodrigues – 43’/2ºT) e Valdo (Maranhão – 36’/2ºT)
Técnico: Julinho Camargo

8ª Rodada – 1º Turno – Gauchão 2013
Data: 17/02/2013, Domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 13.117 (11.639 pagantes)
Renda: R$ 308.982,50
Árbitro: Márcio Chagas
Auxiliares: Julio Freitas e Vilmar Burini
Cartões amarelos: André Santos, Vargas, Zé Roberto (GRE) Fininho, Márcio Reis (VEC)
Gols: Werley, aos 23 minutos do 1º tempo

Gauchão – Grêmio 5×0 Santa Cruz

February 14, 2013

Venho registrando aqui no blog que esse time reserva usado no Gauchão tem se apresentado com as mais variadas formações e escalações. A novidade de ontem foi  o uso do 3-5-2. E nesse esquema, o grande destaque foi Guilherme Biteco jogando como ala-esquerda. E diga-se de passagem o guri atuou como verdadeiro ala. Aos 6 minutos ele entrou por dentro, na diagonal, e serviu Willian José, que desperidiçou. Aos 12 Biteco foi a linha de fundo e cruzou na cabeça do centro-avante tricolor. Mas apesar dessa boa movimentação o placar permaneceu intacto por um longo período. O Santa Cruz permanecia fechado atrás, tentando especular numa bola parada (no que deu chance de Follmann mostrar serviço). Depois de alguma insistência o Grêmio conseguiu fazer o 1×0 ainda no primeiro tempo. Aos 40 Biteco cobrou escanteio e Werley desviou no primeiro pau.
Depois do susto da cobrança de falta de Saldanha que atinigiu o travessão é possível dizer que o segundo tempo foi bem mais tranquilo, graças as descidas em velocidade de Deretti, Tony e Bertoglio. O argentino aproveitou duas boas chances e ampliou para 3×0,  aos 9 e 12 minutos respectivamente. Depois foi a vez de Willian José mostrar serviço, anotando aos 20 (após combinação com Bertoglio) e aos 28 (convertendo pênalti sofrido pelo argentino).
Foi um belo fim de tarde/início de noite no Olímpico. Uma pena o baixo público. Confesso que me diverto mais nesses jogos do que propriamente nas decisões de casa cheia.
Eu gosto desse 3-5-2 com um meia escalado na função de ala. Resta saber como a equipe reagiria contra um adversário que tentasse explorar o espaço deixado as costas desse jogador. Mas no caso do Biteco, é possível imaginar que ele possa exercer função parecida na segunda linha de um 4-5-1.
No primeiro tempo o Santa Cruz claramente ofereceu seu lado esquerdo de defesa para o Grêmio atacar, numa tentativa de bloquear o lado direito, onde cairiam os canhotos Deretti e Guilherme Biteco. Tony aparecia bem no setor, faltando apenas um pouco mais de capricho nos cruzamentos.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio Oficial)

Grêmio 5×0 Santa Cruz

GRÊMIO: Follmann; Douglas Grolli, Gerson e Werley; Tony (Tinga – 36’/2ºT), Ramiro, Matheus Biteco, Jean Deretti e Guilherme Biteco; Willian José (Lucas Coelho – 31’/2ºT) e Bertoglio (Yuri Mamute – 30’/2ºT)
Técnico: Roger Marques

SANTA CRUZ: Fernando Vizzotto; João Neto, Teda, Marx Ferraz e Carlão; Diego Teles (Sidrailson – 27’/2ºT), Maurinho (Felipe – 17’/2ºT), Élton e Cleiton; William Saldanha (Brasão -17’/2ºT) e Charles Moura
Técnico: Tonho Gil.

3ª Rodada (jogo atrasado) – 1º Turno – Gauchão 2013
Data: 13/02/2013, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Diego Real
Auxiliares: José Silveira e Edemar Palmeira
Público: 4.063 (2.867 pagantes) 
Renda: R$ 61.114
Cartões amarelos: Gerson (GRE) Diego Teles, Teda, Charle
Cartão vermelho: Charles Moura  (34/2ºt)
Gols: Werley, aos 40 do primeiro tempo; Bertoglio, aos 9 e 11 do segundo tempo; Willian José, aos 20 e 28 (pênalti) do segundo tempo. 

Gauchão – Juventude 2×1 Grêmio

February 10, 2013
E o Grêmio fez o seu sexto jogo no campeonato Gaúcho em pouco mais de 20 dias de temporada. Como não poderia deixar de ser, usou uma equipe diferente a do jogo anterior. Um time misto, que fez um bom confronto com o Juventude em Caxias. No primeiro tempo a equipe da casa apresentou um futebol mais objetivo, enquanto o tricolor tinha alguma dificuldade em reter a bola. Mas o placar permaneceu intocado nos 45 minutos iniciais. 
Os dois treinadores promoverem mudanças no intervalo, e o Grêmio pareceu melhor na volta para o segundo tempo. Aos 30 segundos, Tony foi a linha de fundo e Mamute acertou o travessão. Alguns minutos depois a jogada se repetiu, mas dessa vez Mamute cabeceou sem chance para o goleiro.  O Grêmio tinha o jogo a seu favor e esperava o Juventude. Ia resistindo bem, até que o juiz Francisco Silva Neto marcou um pênalti duvidoso para o time da casa. O centroavante Zulu converteu. Na sequência, Marco Antônio desperdiçou uma grande oportunidade após bom passe de Guilherme Biteco. Aos 37, Zulu aproveitou uma bola que sobrou dentro da área para virar o jogo. O Grêmio tentou o empate, chegou a colocar bolar mais uma bola na trave mas teve que amargar outra derrota no gauchão.
Perder em Caxias, com bola na trave e pênalti duvidoso faz parte do jogo. O que não deveria fazer parte é este excesso de jogos no início do ano. O Gauchão merecia um calendário melhor. Para efeitos de comparação é válido lembrar que Atlético-MG e Cruzeiro só entraram em campo uma vez pelo seu campeonato estadual, contra seis de Grêmio e Inter.
O Gauchão também merecia uma arbitragem melhor. Francisco Silva Neto não poderia estar apitando jogos do Grêmio. Não só pela história do apelido de “Chico Colorado”, mas especialmente porque é um juiz confuso. Ontem mostrou amarelo para Marcelo Grohe por supostamente desperdiçar tempo. Mas na hora de repor o tempo perdido ele se omitiu. Deu pouco tempo de acréscimo e o jogo simplesmente não andou no período de recuperação.

Tony só tinha tido apresentações preocupantes em 2013. Mas ontem ele deu sinais de melhora. Apareceu bem no ataque e não deixou um vazio na defesa.
Não entendi porque o Grêmio não usou a sua camisa azul ontem. Parecia o ideal contra um adversário de uniforme listrado em branco e verde.

Fotos: Porthus Junior (O Pioneiro)

Juventude 2×1 Grêmio

JUVENTUDE: Fernando; Murilo, Fred, Diogo e Robinho (Diogo Oliveira – intervalo); Rafael Pereira, Fabrício (Léo – 29’/2ºT), Jardel (Douglas – 23’/2ºT), Alan e Rogerinho; Zulu 
Técnico: Lisca.
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Tony, Bressan, Werley e Alex Telles; Fernando, Ramiro, Marco Antônio e Jean Deretti (Guilherme Biteco – 23’/2ºT); Yuri Mamute (Lucas Coelho – 19’/2ºT) e Willian José (Bertoglio – intervalo)
Técnico: Roger Marques.
07 ª Rodada – 1º turno – Campeonato Gaúcho 2013  
Data: 9/02/2013, Sábado,  16h20min
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Francisco Neto
Auxiliares: Júlio Cesar dos Santos e Rogerio Gonçalves
Público: 4.798 
Renda: R$ 94.515
Cartões amarelos: Alex Telles, Bressan, Marcelo Grohe (GRE) Fabrício, Rafael Pereira (JUV)
Cartão vermelho: Alex Telles (GRE) 
Gols: Yuri Mamute , aos 2 do segundo tempo; Zulu, aos 34 (pênalti) e 37 do segundo tempo.

Gauchão – Grêmio 5×1 São José

February 7, 2013
O jogo tinha tudo pra ser interessante. O Grêmio finalmente usaria os seus titulares no Gauchão, justamente contra o líder da competição (100% de aproveitamento e zero gols sofridos até ali). Mas o confronto foi desigual. Não houve nenhuma injustiça no placar final. O tricolor foi amplamente superior nos 90 minutos. No primeiro tempo o São José pouco foi ao ataque e os comandos de Luxemburgo pressionaram bastante. Mas o gol só saiu após um pênalti, no qual Elano aproveitou o seu próprio erro e marcou no rebote. No segundo tempo os gols saíram de forma mais fácil e a vitória foi encaminhada antes dos 10 minutos da etapa complementar, graças ao bom desempenho de Pará (melhor em campo), Zé Roberto e Yuri Mamute. O São José descontou com Rodrigo Paulista e Bertoglio conseguiu deixar o dele no seu retorno.
Vi o time postado com uma espécie de losango no meio campo. Elano jogou mais pela esquerda no primeiro tempo. O interessante é que Zé Roberto jogou como um ponta de lança, entrando constantemente na área adversária (algo que ele não vinha fazendo com tanta frequência).
Pela primeira vez eu vi o Mamute participando efetivamente do jogo. Nas suas outras aparições ele foi figura totalmente inócua em campo, mas ontem ele se movimentou, fez parede, pediu bola, tabelou e até marcou o seu gol.
Bem interessante esse uniforme do São José. Infelizmente a ligação do clube com a Multisom/Noveletto inviabiliza a compra.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 5×1 São José

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Saimon e Alex Telles; Souza, Marco Antônio, Elano (Bertoglio, 32’/2ºT) e Zé Roberto (Léo Gago, 32’/2ºT); Willian José e Leandro (Yuri Mamute – intervalo).  
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
SÃO JOSÉ: Vitor; Tiago Matos, Gustavo, Douglas e Alisson (Rodrigo Paulista, 15’/2ºT); Everton, Bruno Martins, Cléber Oliveira e Hugo (Henrique, 21’/2ºT); Luizinho (Aldair, 12’/2ºT) e Lucas Gaúcho. 
Técnico: Agenor Piccinin.
6ª Rodada – 1º Turno – Campeonato Gaúcho 2013
Data: 6/02/2013, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público total: 8.761 (7.362 pagantes)
Renda: R$ 174.995,50
Árbitro: André Cieslak
Auxiliares: José Eduardo Calza e Maurício Coelho Silva Penna
Cartão amarelo: Leandro, Saimon e Alex Telles (G); Bruno Martins (SJ)
Gols:  Elano, aos 23 minutos do primeiro tempo; Zé Roberto, aos 4; Yuri Mamute, aos 7; Zé Roberto, aos 26, Rodrigo Paulista (SJ), aos 37; e Bertoglio aos 46 minutos do segundo tempo.