Archive for the ‘Gauchão 2014’ Category

Gauchão 2014 – Caxias 2×3 Grêmio

February 20, 2014
O Grêmio conseguiu mais uma vitória ontem no Gauchão, num jogo cheio de reviravoltas contra o Caxias no Centenário. O tricolor saiu na frente cedo, tomou uma virada ainda no primeiro tempo, mas buscou o 3×2 final no início da segunda etapa. Da partida fica um aspecto positivo e outro negativo. O time teve uma produção/movimentação ofensiva interessante, com Barcos marcando gols e Zé Roberto mais próximo a área, criando espaço para Luan flutuar entre a zaga e o meio de campo do adversário. Porém, ficou também a preocupação com os erros na bola área defensiva (Rhodolfo esteve irreconhecível na jornada de ontem).
 
Eu acho que o Edinho deveria ter recebido o segundo amarelo na falta que cometeu no segundo tempo. Mas me pareceu exagerada a manifestação do comentarista do jogo, Maurício Saraiva, sobre esse lance. É válido lembrar que Jean Pierre tem um critério meio estranho para exibir cartões. Essa falta de Escudero em 2011 valeu cartão vermelho, mas esse ponta pé de Leandro Damião rendeu só um cartão amarelo em 2012.

O lançamento de Busatto para o gol do Barcos lembrou muito o balão que Cássio deu para Herrera marcar contra o Fluminense no Brasileirão de 2006.

Reclamei no post anterior que o Grêmio não está usando a numeração fixa no Gauchão. Mas o curioso é que Busatto jogou com a camisa 12 ontem.
Boa essa tabela do Gauchão, hein? Caxias jogou na sequência contra Inter e Grêmio. Antes disso, Pelotas também teve os seus dois principais compromissos em casa (Inter e Brasil) marcados para uma quarta e domingo.


Fotos: Adriana Franciosi (Grêmio.net) e  Rafael Tomé (S.E.R. Caxias)

Caxias Caxias 2×3 Grêmio Grêmio

CAXIAS: Douglas; Léo (Tiago Santana – 29’/2°T), Tiago, Léo Korte e Dieyson; Baiano, Alisson, Wallacer e Rafael Carioca (Maílson – 13’/2°T); Lucão e Julio Madureira
Técnico: Antônio Piccoli

GRÊMIO: Busatto; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho (Léo Gago – 32’/2°T), Riveros, Ramiro (Dudu – 20’/2°T), Zé Roberto (Alán Ruiz – 39’/2°T) e Luan; Barcos
Técnico: Enderson Moreira

09ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 19/02/2014, quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Francisco Stedile (Centenário), em Caxias do Sul/RS
Árbitro: Jean Pierre Lima
Auxiliares: Júlio Cesar dos Santos e Paulo Ricardo Conceição

Cartões amarelos: Edinho, Rhodolfo, Dudu (G).
Gols: Zé Roberto (G) aos 19, Julio Madureira (C) aos 23, Baiano (C) aos 25, Barcos (G) aos 34 minutos do 1º tempo; Barcos (G) aos 4 minutos do 2º tempo.

Advertisements

Renda de jogo-treino foi superior a renda de jogo do Gauchão

February 19, 2014

Deixei uma pergunta no ar no último post: Qual jogo teve mais público e renda? O Esportivo 1×3 Grêmio do último domingo, partida oficial do Gauchão em Bento ou o jogo-treino do Grêmio em Carlos Barbosa na pré-temporada?
Pois bem, eu, que ainda entendo que seja possível manter os grandes (de alguma forma) disputando os estaduais, sou obrigado a transcrever os dados que comprovam que um jogo-treino movimentou mais gente e dinheiro do que uma partida oficial:
Segundo o UOL e a Zero Hora, cerca de três mil ingressos foram vendidos para o amistoso do Grêmio contra um combinado amador de Carlos Barbosa. A renda dessa partida ficou na casa dos 70 mil reais.

Já a partida entre Esportivo e Grêmio, pela oitava rodada do Gauchão 2014 teve, segundo o borderô publicado no site da FGF, teve um público de 1132 pagantes, para uma renda de R$ 45.005,00.
Não podemos admitir uma situação dessas. É claro que é preciso fazer a ressalva de que o torcedor de Bento terá mais oportunidades de assistir futebol profissional no ano (algo que não acontecerá em 2014 em Carlos Barbosa) e que um jogo foi televisionado e outro não, e a principal fonte de receita dos clubes no gauchão é a cota de televisionamento, e não mais as rendas. Mas futebol sem torcida faz muito pouco sentido, até mesmo para TV. 
Também é preciso lembrar que a comparação é feita a partir do pressuposto que os relatos dos sites e que os números do borderôs são fidedignos/precisos. Mas mesmo que não fosse, o simples fato de se poder cogitar que um treino leve mais público do que o um compromisso oficial é assustador. É preciso repensar algumas questões do campeonato gaúcho.

Gauchão 2014 – Esportivo 1×3 Grêmio

February 17, 2014

Foi uma vitória fácil do Grêmio em Bento. Tão fácil que rapidamente o jogo se tornou enfadonho. Logo aos 6 minutos, Luan recebeu uma bola de Riveros, avançou a dribles e só parou aos ser puxado dentro da área. Pênalti que Maxi Rodriguez converteu. Vinte minutos depois, o volante Agenor foi expulso, sepultando as chances de recuperação do Esportivo. Sem fazer muita força o Grêmio fez o segundo (Werley aproveitando o cruzamento de Alan Ruiz aos 37 do 1º tempo) e o terceiro (Everaldo empurrando a bola para as redes  após boa troca de passes do ataque gremista logo no retorno do intervalo). Depois disso os comandados de Enderson Moreira, compreensivelmente relaxaram e o Esportivo se aproximou da meta defendida por Busatto, chegando a marcar o gol de honra na cabeçada de Brandão.

Qual jogo teve mais público e renda? Esse de ontem, uma partida oficial em Bento ou o jogo-treino do Grêmio em Carlos Barbosa?
A Montanha dos Vinhedos não aparenta ter sido inaugurada há apenas dez anos. A pista atlética dá um aspecto envelhecido a cancha.
O Grêmio já fez suas inscrições na Libertadores e terá que usar numeração fixa naquela competição. Por que não manter isso nos demais torneios?
Luan e Wendell seguem sendo os destaques positivos do ano. Alan Ruiz não apareceu tanto, mas mostrou uma característica interessante de voltar para buscar jogo entre os volantes. 

 Fotos: Marcelo Maciel (Jornal Semanário) e Enio Bianchetti (Correio do Povo)

Esportivo Esportivo 1×3 Grêmio Grêmio

ESPORTIVO: Vinícius; Afonso, Luther (Kal, Intervalo), Jean Pierre e Baroni; Agenor, Carlinhos, Claytinho e Ricardo Maria (Assis, Interalo); Ygor (Ceará, 20’/2ºT) e Brandão
Técnico: Flávio Campos

GRÊMIOBusatto; Moises, Werley, Bressan e Wendell; Riveros, Ramiro (Adriano, 10’/2ºT), Maxi Rodriguez (Jean Deretti, 25’/2ºT), Alán Ruiz e  Luan; Everaldo
Técnico: Enderson Moreira

08ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 16/2/2013, domingo, 16h00min
Local: Estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS)
Público: 1.132
Renda: R$ 45.005,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Carlos Henrique Selbach (RS) e Elio de Andrade (RS)
Cartões amarelos: Agenor (ESP); Wendell (GRE)
Cartões vermelhos: Agenor, 26’/1ºT (ESP)
Gols: Maxi Rodríguez,  aos 6 do 1ºT(de pênalti); Werley aos 37 do 1ºT; Everaldo, aos 3 do 2º tempo e Brandão,  aos 34 do /2º tempo

Gauchão 2014 – Grêmio 1×1 Inter

February 10, 2014

Eu gostei bastante da escalação pensada por Enderson Moreira para o Gre-Nal, com Riveros de titular e Luan como solução para falta de velocidade no ataque. Numa espécie de 4-3-2-1 o Grêmio iniciou muito bem a partida e teve clara superioridade na primeira metade do primeiro tempo. Riveros, Wendell e, sobretudo, Luan apareciam bem pelo lado esquerdo e partir dali o Grêmio saía em velocidade para o ataque. Aos 9, Pará foi agarrado por Fabrício dentro da área mas Vuaden ignorou a penalidade. Aos 12, Zé Roberto ergueu bola na área e Werley chegou atrasado. 2 minutos depois Barcos fez grande jogada, ao cortar dois marcadores num só lance, mas bateu muito fraco na saída do goleiro. E aos 33 Edinho soltou um foguete de fora da área e Muriel fez bela defesa. Aos poucos o Inter conseguiu reagir através da movimentação e da mobilidade do seu meio campo: D´Alessandro e Jorge Henrique saiam das pontas para o meio e Alex e Aranguiz se revezam nas subidas ao ataque. No Grêmio, Zé Roberto não saiu do lado direito para buscar o jogo com os volantes, e a jogada do lado esquerdo acabou ficando manjada. Quando tudo já se encaminhava para um primeiro tempo sem gols, Willians tentou acionar Jorge Henrique na entrada da área, Pará não conseguiu cortar e a bola sobrou para Fabrício, que chutou forte, sem chances para Marcelo Grohe. Gol que dava uma “desmerecida” vantagem pro Internacional.
No primeiro minuto do segundo tempo, Rafael Moura quase marcou de cabeça, mas Marcelo Grohe fez grande defesa. A partir daí o Inter começou a jogar com o relógio enquanto o Grêmio tentava buscar o empate. O problema é que alguns atletas tricolores demonstravam cansaço enquanto parte da torcida demonstrava impaciência. Os colorados pareciam estar mais conscientes, aguardando por um contra-ataque para finalizar o jogo. Contudo isso não aconteceu. Quem marcou foi o Grêmio, que o fez mais na base da vontade do que na técnica (as mudanças promovidas por Enderson não deram tanto resultado). Aos 33, depois de uma sequência de bolas levantadas na área, Muriel saiu mal do gol e Paulão colocou o braço na bola largada pelo arqueiro colorado. Dessa vez Vuaden marcou e Barcos converteu. Nos minutos finais o Inter pressionou em busca do segundo gol (e quase conseguiu num chute de D´alessandro que Grohe colocou para escanteio), mas o placar final acabou ficando mesmo no 1×1.

Eu tive dúvida no estádio, mas vendo os vídeos e as fotos me parece claro que foi correta a marcação do pênalti de Paulão. O zagueiro colorado abriu o braço e assim evitou que a bola chegasse em Werley. É claro que o “tocar na bola com as mãos intencionalmente” sempre dá margens para discussão, mas não há como dizer que o pênalti foi um roubo. Aliás, se houve algum roubo esse aconteceu no lance do pênalti de Fabrício em Pará, uma vez que a expressão “segurar um adversário” permite bem menos debate.
Foi no mínimo curioso a forma como uma série de reclamações infundadas dos atletas colorados tiveram o condão de tornar o lance em “polêmico”. Bizarro foi ouvir a coletiva onde Abel Braga era instigado por um repórter a atacar a arbitragem ( é importante registrar que técnico colorado não embarcou nessa). Parece que mais uma vez funcionou a tática da cortina de fumaça, evitando-se que fosse falado do pênalti em Pará, ou mesmo do fato de que Willians (junto com Luan) foi o jogador mais faltoso da partida e não recebeu cartão ao interromper contra-ataque com faltas (o que rendeu advertência a Ramiro e Luan).
E, para a alegria do Correio do Povo, deu empate no clássico. Acho estranho que a flauta de torcida vire assunto de matéria jornalística. Mais um exemplo de como é estranha a forma como as coisas acabam sendo pautadas por aqui.
Os estreantes tricolores em Gre-Nal foram muito bem. Wendell não se intimidou com D´Alessandro que caía pelo seu lado, marcou, saiu pro jogo e teve boa participação na criação de jogadas gremistas. E Luan mostrou personalidade, colocando velocidade e sendo o desafogo que o Grêmio não vinha tendo nas partidas anteriores.
Nenhum dos dois entrou bem na partida ontem, mas pelo que mostraram até aqui na temporada me parece que Jean Deretti é um jogador mais pronto que Maxi Rodriguez.

O Grêmio teve a infelicidade de conseguir tomar dois gols de Fabrício num intervalo de dois anos. Deve ser um recorde.

Zé Roberto destoou do resto da equipe gremista. Não se pode admitir que ele se omita tanto do jogo, ainda que se considere suas limitações físicas em função da idade.

Acho certo que o Grêmio aja preventivamente para evitar qualquer tipo de punição em relação ao seu estádio. Mas ao fazer isso o clube deve cuidar para não atribuir a sua própria torcida um fama injusta. Já ocorreram mais de 35 jogos na Arena, e não tivemos nenhum sinal de invasões ou de arremesso de pedras, rojões ou garrafas na direção dos atletas. O problema da queda da grade no jogo contra a LDU aconteceu muito mais por um erro de engenharia do que por condutas inadequadas dos torcedores.

Não gostei de ver parte dos portões fechados na saída da Arena. Com a multidão isso pode ser perigoso.

Alguns consideram o público “menor do que o esperado”. Não sei qual era o público esperado, mas é bom ressaltar que o último Gre-Nal disputado em Porto Alegre pela primeira fase do Gauchão teve um número de espectadores inferior.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net), Guilherme Testa (@guimmytesta), André Kruse, Ricardo Rimoli (Lance) e Alexandre Lops (S.C.Internacional)

Grêmio Grêmio 1×1 Inter Internacional

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho, Ramiro (Maxi Rodríguez – 14’/2°T), Riveros, Zé Roberto (Alán Ruiz – 43’/2°T) e Luan (Jean Deretti – 14’/2°T); Barcos
Técnico: Enderson Moreira.
INTERNACIONAL: Muriel; Gilberto, Paulão, Juan e Fabrício; Willians, Aránguiz e Alex (Alan Patrick – 40’/2°T); D’Alessandro, Rafael Moura (Wellington Paulista – 43’/2°T) e Jorge Henrique (Otávio – 23’/2°T)
Técnico: Abel Braga.

07ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 09/02/2014, domingo, 19h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 24.572 (22.888 pagantes)
Renda: R$ 721.439,00
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: José Javel Silveira e Rafael da Silva Alves
Cartões amarelos: Ramiro, Luan (GRE) Rafael Moura, Gilberto, Paulão, Fabrício, D’Alessandro
Gols: Fabrício, aos 44minutos do 1º tempo; Barcos (pênalti), aos 34minutos do 2º tempo.

Gauchão 2014 – Grêmio 1×0 Veranópolis

February 6, 2014
E o time titular do Grêmio fez mais uma partida fraca pelo campeonato gaúcho. Ainda é muito cedo na temporada, ainda faz muito calor no Rio Grande do Sul, mas ainda assim o tricolor foi demasiadamente apático contra um Veranópolis que, na melhor das hipóteses, mostrou alguma competência para defender. O time gremista até buscava o gol, mas fazia isso sem velocidade ou força. Ademais a equipe carecia de maior movimentação. Um exemplo disso ficou claro num lance do primeiro tempo, quando Edinho tentou uma virada para Pará, mas o volante acionou o colega no ponto futuro, enquanto o lateral permaneceu no mesmo local que se encontrava. Durante boa parte do jogo o Grêmio se limitou a irritantes chuveirinhos na área, sem que houvesse ao menos um posicionamento para aproveitar o rebote, visto que os defensores do VEC costumavam afastar o perigo.
O panorama só foi alterado após as entradas de Jean Deretti e Luan, que deram um mínimo de velocidade e ímpeto ao ataque do Grêmio. Aos 28, Luan partiu para o contra-ataque, passou pelo goleiro Rodrigo Rocha que havia abandonada a meta, mas demorou muito para definir a jogada (últimas duas fotos abaixo). No lance seguinte, Zé Roberto cobrou falta na área, Rhodolfo desviou de cabeça e Barcos completou para as redes. 1×0, que talvez tenha sido muito mais do que o Grêmio merecia.

Talvez seja prematuro fazer diagnóstico, mas me parece que falta velocidade ao time do Grêmio. Fica muito difícil competir no futebol moderno com a cadência que o tricolor vem apresentando. Mas é importante lembrar que o jogo rápido não é atingido somente com atletas que corram em alta velocidade. Ex: Kléber,  que tem se arrastado em campo e foi duramente vaiado ontem, formou um ataque bastante veloz com Thiago Ribeiro e W.Paulista no Cruzeiro em 2009/2010.

Muito legal essa iniciativa de dar desconto no estacionamento para carros com mais passageiros. Se justifica pela greve dos rodoviários, mas poderiam estudar a manutenção dessa promoção (talvez em outros patamares) para o restante do ano.
Uma das grandes vantagens da Arena é facilidade para ingressar e sair do estádio. Entendo que queira se poupar custos em jogos de menor público, mas não faz o menor sentido bloquear a metade das rampas (que se reduza o nº de funcionários por rampa então) e fechar boa parte dos portões (esses sem qualquer aviso anterior). Tal medida antes de ser econômica, é um subaproveitamento do estádio,  lembrando aquela velha analogia de querer colocar um motor de Fusca numa Ferrari.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e André Kruse

Grêmio Grêmio 1×0 Veranópolis Veranópolis

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Rhodolfo, Bressan e Wendell; Edinho (Riveros, 22’/2º), Ramiro, Zé Roberto e Maxi Rodríguez (Jean Deretti, intervalo); Kleber (Luan, 14’/2º) e Barcos.
Técnico: Enderson Moreira

VERANÓPOLIS: Rodrigo Rocha; Fininho (Gasparetto, 27’/2º), Léo Dagostini, Douglas Assis e Romano; Marcos Rogério (Juninho, 35’/2º), Glauber, Bruno Coutinho (Soares, 24’/2º) e Eduardinho; Lê e Juba.
Técnico: Julinho Camargo

06º Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 05 de fevereiro de 2014, quarta-feira, 19h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 7.283 (5.895 pagantes)
Renda: R$ 156.767,00
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa
Auxiliares: José Antônio Franco Filho e José Eduardo Calza
Cartões amarelos: Marcos Rogério, Léo Dagostini (V), Rhodolfo (G)
Gol:
Barcos, aos 29 minutos do segundo tempo.

Gauchão 2014 – Juventude 1×1 Grêmio

February 3, 2014

Depois da estréia no domingo passado, os titulares do Grêmio voltaram a campo contra o Juventude em Caxias. Contra o Aimoré o tricolor deixou boa impressão, mas o mesmo não aconteceu ontem, quando a atuação, na melhor das hipóteses, pode ser classificada como irregular. Nos primeiros lances o time chegou no ataque e deu a falsa impressão que poderia ter o controle da partida. Mas o Juventude abriu o placar cedo, no desvio de cabeça de Zulu no chute Diogo Oliveira, que tinha apanhado sozinho o rebote de um escanteio.
A partir daí o Grêmio esteve muito mal, não conseguindo articular jogadas, se vendo uma sucessão de jogadas bisonhas dos atletas gremistas. Pra completar o quadro ruim, o time parece sem força o suficiente para parar o Juventude. Por sorte o placar permaneceu no 1×0 até a meia hora final do jogo, que foi onde o tricolor de fato a mostrar algum empenho futebolístico. O time parece ter aguardado ter sombra no gramado para começar a jogar e assim conseguiu ocupar o campo de ataque.  Aos 30 minutos, Wendell fez boa jogada pelo meio, servindo Jean Deretti e aparecendo dentro da área para pegar o rebote do goleiro Fernando. No final o Grêmio chegou a ensaiar uma pressão, tendo Bressan acertado o travessão numa cabeçada, mas o 1×1 acabou sendo mais justo pela apatia e desencontro mostrados pelo time durante toda a primeira hora de partida.

 

É demasiadamente cedo na temporada e por isso as oscilações são esperadas. E nesse verão parece ser justo encarar o “torcedor compreensivo” e dar um desconto devido ao calor.
Gostei da autocrítica feita pelo Enderson Moreira. Pode ser pouco, mas já é um começo.
Kleber esteve abaixo da crítica. Demorou a ser substituído.
Wendell apareceu bem (não na jogada do gol) e Deretti consegui ajudar o time com sua entrada. E penso que, por uma questão de ritmo, preparo e movimentação que os atletas apresentam nesse momento, o Riveros não pode ser reserva.
O arremesso de rojões para dentro de campo se constituem num fato muito grave. Um fato para policia investigar. E, ainda que se reconheça que se possa ter implicações em outras esferas, não consigo entender porque sempre se cogita primeiro (ou apenas se cogite) a punição desportiva para o clube. As medidas mais rápidas nem sempre são as mais justas e eficazes. A propósito, como anda a questão do torcedor que jogou um rojão no Olímpico no Gre-Nal do Brasileirão de 2012? Ele foi investigado? Foi processado? Segue integrando o quadro social do Grêmio? Tem frequentado estádios? Está pagando pelo prejuízo que o Grêmio teve? 

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Juventude Juventude 1×1 Grêmio Grêmio

JUVENTUDE: Fernando; Rafael Pereira, Héverton, Diogo e Julinho; Leandro Melo, Mika, Jardel e Diogo Oliveira (Juliano, 20’/2ºT); Douglas e Zulu
Técnico: Geraldo Delamore

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Rhodolfo, Bressan e Wendell; Edinho (Riveros, 26’/2ºT), Ramiro; Zé Roberto e Maxi Rodríguez (Jean Deretti, 20’/ºT); Kleber (Paulinho, 41’/2ºT) e Barcos
Técnico: Enderson Moreira

5ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 02 de fevereiro de 2014, domingo, 17h00min
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.
Arbitragem: Francisco dos Santos Neto
Auxiliares:  Tatiana Jaques de Freitas e Marcelo Oliveira e Silva.
Cartões amarelos: Rhodolfo, Bressan (G); Diogo Oliveira (J)
Gols: Zulu (J), aos 13 min do primeiro tempo; Wendell (G), aos 30 min do segundo tempo.

Gauchão 2014 – Brasil de Pelotas 1×1 Grêmio

January 30, 2014
E o time B do Grêmio voltou a campo pelo Gauchão do 2014. Usando uma terceira escalação diferente em três jogos, dessa vez com uma formação mais defensiva, com três volantes. Nem deu tempo pra ver se a estratégia foi bem pensada, porque logo aos 5 minutos o time sofreu o gol, novamente numa bola mal cortada pela defesa, que Gustavo Papa aproveitou para chutar e, com auxilío do desvio em Cleylton, superar o goleiro Follmann. O tricolor sentiu o golpe, o Xavante se animou, mas o jogo em si foi muito ruim. Os atletas gremistas tinham grande dificuldades em articular jogadas, raramente encaixavam uma sequência superior a dois passes. Já o Brasil tentava o contra-ataque, mas muito na base do “vamo que vamo”. Assim o restante da partida foi um festival de chutões, com muitas disputas pela bola no alto e rebotes, com incontáveis faltas cometidas nesse tipo de lances.
O Brasil até esteve mais perto de ampliar (especialmente nas cabeçadas de Gustavo Papa) do que de levar o empate, mas aos 25 minutos do segundo tempo, numa das raras jogadas conscientes do Grêmio, Felipe Ferreira deu bela assistência e Luan tocou com categoria, por cima do goleiro Luiz Muller, para empatar o jogo. O Brasil pressionou nos minutos finais. Follmann fez grande defesa na cabeçada de Cirilo e Forster teve duas boas chances de desempatar nos acréscimos. Mas tanto na primeira (falta na entrada da área) como na segunda (pênalti duvidoso marcado em Márcio Hahn)  o lateral esquerdo acabou isolando a bola por cima do gol.

 

O juiz da partida era desconhecido para mim. Devemos saudar a renovação e reconhecer que ele foi bem no único critério relevante para a comissão de arbitragem da FGF: Saber fazer cara de brabo.
Me pareceram um tanto exagerados os elogios que os jornalistas da RBS TV fizeram ao gramado do Bento Freitas. O curioso é que nesse processo deu até para dar uma crítica injusta a Arena do Grêmio (o que já é de praxe)
Everton entrou bem no jogo. Conseguiu reter a bola na enfrente, enfrentar a zaga e concluir a gol. Poderia até ter começado a partida.
A explicação talvez passe pela desconfiança na sua zaga, mas Follmann poderia maneirar nas saídas tresloucadas do gol.

Fotos: Italo Santos (G.E.Brasil) e Fernando Gomes (Agência RBS)

Brasil-RS Brasil de Pelotas 1×1 Grêmio Grêmio

GRÊMIO: Follmann; Spessato, Rafael Thyere, Cleylton e Breno; Guilherme Amorim, Matheus Barbosa (Everton, intervalo),  Moisés (Jeferson, 28’/2°T) e Leandro Canhoto (Felipe Ferreira, 17’/2°T); Luan e Everaldo
Técnico: Mabília
BRASIL DE PELOTAS: Luiz Müller; Wender, Fernando Cardozo, Cirilo e Rafael Forster; Leandro Leite, Washington, Túlio Souza (Márcio Hahn, 27’/2°T) e Cleiton; Alex Amado e Gustavo Papa (Nena, 31’/2°T)
Técnico: Rogério Zimmermann

04ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 28/01/2014, quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Bento Freitas, em Pelotas (RS)
Árbitro: Eleno Gonzalez Todeschini
Auxiliares: Lúcio Beiersdorf Flor e Edemar Lacerda Palmeira
Cartões amarelos: Wender, Túlio Souza, Alex Amado e Washington (BRA); Spessato e Guilherme Amorim (GRE)
Cartão vermelho: Guilherme Amorim (GRE)
Gols: Gustavo Papa, aos  5 do 1° tempo e  Luan, aos -25 minutos do 2° tempo

Gauchão 2014 – Grêmio 4×0 Aimoré

January 27, 2014
 
 

 E o time principal do Grêmio fez sua estreia na temporada 2014. E fez uma boa estreia, feitas todas as ressalvas. É óbvio que podemos questionar se o campeonato gaúcho é parâmetro ou mesma a fragilidade do Aimoré (que é a única equipe que ainda não somou pontos na competição), mas ainda assim acredito que o tricolor mostrou algumas características interessantes. Enderson Moreira escalou o time com 3 volantes, formando uma espécie de losango no meio de campo, que ficava um pouco torto uma vez que Maxi Rodriguez jogava mais aberto pela direita e Riveros avançava mais do que Ramiro.
O jogo em si foi resolvido rapidamente, na primeira meia hora. Aos 13, Barcos recebeu uma bola pelo lado direito, cortou para dentro e chutou de pé esquerdo , acertando o ângulo para marcar o 1×0. O Aimoré sentiu demais o golpe e não reagiu (sequência de fotos acima). Aos 22, Riveros recebeu em posição duvidosa e cruzou, Barcos cabeceou e Bressan completou pras redes. Cinco minutos depois, foi o estreante Edinho que marcou o seu, desviando a falta batida por Maxi Rodriguez (sequência de fotos abaixo). O Grêmio chegou a marcar o quarto ainda no primeiro tempo, mas o bandeirinha Paulo Conceição assinalou equivocadamente impedimento na jogada. Nos 45 minutos finais o tricolor, como era de se esperar, reduziu um pouco o ritmo, mas ainda assim chegou nos 4×0, em um pênalti sofrido por Bressan e convertido por Kleber.

 O lado ruim de um jogo como ontem é a possível empolgação excessiva com uma amostragem mínima. O lado bom é que ajuda a diminuir certos questionamentos. Barcos fez belo gol e foi importantíssimo na partida. Kleber voltou a marcar e Marcelo Grohe, mesmo num jogo disparelho, teve oportunidade de mostrar serviço.
Um aspecto que eu gostei muito no time do Grêmio era de que os atletas não mostraram pudor em cometer faltas para evitar um contra-ataque, o que pode fazer toda diferença num jogo decisivo (lembram da semifinal da Copa do Brasil de 2012?). Pode ser pouco, mas é indicativo de uma equipe bem treinada. 
Aos poucos se entende porque tem gente que ama e porque tem gente que odeia o futebol do Edinho. Por sinal, gostei da forma que ele se posicionou. Como era de se esperar ele se por diversas vezes se junta a linha dos zagueiros, mas sempre fechando pelo lado, e não se enfiando entre Bressan e Rhodolfo, e isto me parece ser bem mais producente.
Maxi Rodriguez jogou mais aberto pela direita (imagino que para balancear o posicionamento de Kleber, que costuma cair mais pela esquerda). Além disso, o uruguaio, ainda que com dificuldades, marcou mais do que costumava marcar em 2013, ficando responsável por acompanhar o lateral adversário.
Eu sigo achando que essas promoções de “acompanhante entra de graça” deveriam ser melhor pensadas. O público total de ontem ficou na casa dos 15 mil (que foi a média dos 5 jogos que o Grêmio fez na Arena pelo Gauchão 2012). Contudo, no ano passado, a média de pagantes na Arena no Gauchão do ano passado foi de 12.900, contra quase 11 mil ontem.

 
 

Fotos: André Kruse e Guilherme Testa (@GuimmyTesta)

 Grêmio Grêmio 4×0 Aimoré Aimoré

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Rhodolfo, Bressan e Wendell; Edinho, Riveros, Ramiro, Maxi Rodríguez (Jean Deretti, 36’/2º) e Kleber (Lucas Coelho, 38’/2º); Barcos (Paulinho, 29’/2º).

Técnico: Enderson Moreira

AIMORÉ: Rafael; Danilo Baia, Marcelo Ramos, Rogério e Juca; Luanderson, Cristian Lucca, Toto (João Paulo, 29’/1º) e Diego Torres; Paulinho Macaíba (Cleiton, intervalo) e Lucas Silva (Moacir, 19’/2º).
Técnico: Ben-Hur Pereira

03ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 26 de janeiro de 2014, domingo, 19h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 15.911 (10.824 pagantes)
Renda: R$ 303.675,00
Arbitragem: Jean Pierre Gonçalves Lima
Auxiliares:  Paulo Ricardo Conceição e Charles Lorenzetti.
Cartões amarelos: Danilo Baia, Cristian Lucca, Rogério (A)
Gols: Barcos, aos 13, Bressan  aos 22 e Edinho aos 27 minutos do primeiro tempo; Kleber (pênalti), aos 33 minutos do segundo. 

Gauchão 2014 – Grêmio 2×1 Lajeadense

January 24, 2014

Depois da bizarrice que enfrentou no gramado sintético do Zequinha na partida de estréia, os guris do time B do Grêmio tiveram uma oportunidade de atuar em condições mais condizentes com a prática do futebol. Seguia fazendo muito calor, mas as 19h30, com sombra na grama natural da arena, era possível se realizar um jogo. E foi o que aconteceu. É verdade que não com muita velocidade, o estádio muito vazio fez com que os primeiros minutos de jogo fossem mais tranquilos. Aos poucos o Grêmio conseguiu se soltar, avançando em “jogadas pelos flancos” (OSTERMANN, Ruy) onde se destacavam Spessatto, Breno e, especialmente, Everton. O Lajeadense conseguia ameaçar através da maior presença física dos seus atletas, levando perigo principalmente na bola aérea. Aos 38 minutos Breno apareceu bem pela ponta esquerda e cruzou forte e rasteiro para Everton empurrar para as redes. 1×0 foi o placar do primeiro tempo.
No segundo tempo o Grêmio tratou de administrar o resultado e o seu cansaço. Notei uma movimentação curiosa: Everaldo, que é centroavante de área, retornava como meio-campista enquanto Luan permanecia como o atleta mais avançado. Aos poucos o tricolor foi perdendo o controle do meio de campo (as mudanças feitas não surtiram efeito) e o Lajeadense teve uma série de oportunidades para levanta a bola na área do Grêmio. Em um escanteio aos 32 minutos, Gabriel Atz subiu sozinho e empatou o jogo. Por sorte o Grêmio ainda teve tempo de reagir. Aos 43, Luan recebeu pelo passe e foi derrubado dentro da área. Leandro Canhoto converteu o pênalti que estabeleceu o 2×1 final.

 
Tivemos o menor público pagante da história da Arena ontem (até em Juventude x Botafogo-PB foram vendido mais ingressos). Era possível prever isso? O desinteresse é evidente, vários torcedores que estavam na Arena ignoram o jogo no segundo tempo para pedir autografo para Barcos. Em dias assim, não seria melhor abrir apenas o anel inferior? Seria mais econômico e diminuiria a sensação de vazio no estádio.
Outra questão que aumentou esse sentimento de o estádio estava deserto foi o fato, de mais uma vez, não termos bandeiras, faixas e instrumentos musicais na Arena. Os primeiros minutos de jogo, sem nenhum grito de torcida, foram deprimentes. Espero muito para que se resolvam todos os entraves dessa questão (sejam eles de fato burocráticos ou apenas de “espírito”) antes da estreia na Libertadores.

Por que o Eduardo Martini estava usando o camisa “01” do Lajeadense? Quando o Rogério Ceni faz isso já excessivamente ridículo.

Tomei um susto quando ouvi na coletiva que o Everton tem apenas 17 anos. Mostrou bastante confiança e personalidade na partida. Promissor.
Breno foi um dos poucos que se destacou no primeiro jogo. Ontem novamente foi bem. Uma boa notícia, especialmente se considerarmos o fato o Grêmio não tem opções assim na lateral esquerda.

 

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e André Kruse

Grêmio Grêmio 2×1 Lajeadense Lajeadense

GRÊMIO: Follmann; Spessatto, Rafael Thyere, Cleylton e Breno; Moisés (Angelo, 26’/2ºT), Guilherme Amorim e Jeferson (Matheus Barbosa, 20’/2ºT); Everton, Luan e Everaldo (Leandro Canhoto, 13’/2ºT).
Técnico: Marcelo Mabília

LAJEADENSE: Eduardo Martini; Márcio Gabriel, Bruno Oliveira, Gabriel Atz e Marcio Goiano; Rudiero, Mateus (João Felipe, 21’/2ºT), Everton e Rennan (Mikael, 28’/2ºT); Cléverson e Japa (Eber, 37’/2ºT).
Técnico: Fabiano Daitx

2ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 24 de janeiro de 2014, quinta-feira, 19h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 5.029 (3.360 pagantes)
Renda: R$ 82.347,00
Árbitro: Diego Almeida Real,
Auxiliares :João Lúcio Junior e Elio Nepomuceno Jr.
Cartões amarelos: Rennan, Everton, Bruno Oliveira (L); Jeferson, Guilherme Amorin, Matheus Barbosa, Angelo (G)
Cartão vermelho: Bruno Oliveira (L)
Gols: Everton (G), a 38 min do primeiro tempo. Gabriel Atz (L), a 32 min, e Leandro Canhoto (G), a 42 min do segundo tempo.

Gauchão 2014 – São José 1×0 Grêmio

January 20, 2014

 O time B do Grêmio não começou bem o Campeonato Gaúcho 2014. A equipe formada pelo time sub-20 tricolor teve uma atuação muita fraca, sendo derrotada no gramado sintético do Passo D´areia. É pouco prudente fazer qualquer análise mais profunda sobre o que foi visto ontem em campo, uma vez que além da habitual dificuldade da grama artificial, havia ainda a questão do forte calor que fazia em Porto Alegre na tarde de ontem. O próprio São José, habituado ao campo, não fez uma grande partida, apesar de ter sido superior no confronto. Aos 34 minutos do primeiro tempo, Jean aproveitou uma das poucas oportunidades surgidas no jogo e chutou uma bola com efeito (ou talvez com desvio na zaga) que Follmann não conseguiu cortar:1×0 que o Zequinha administrou até o final.
Eu acho muito triste que se permita, sem maiores debates, que um time de futebol profissional da 1º divisão do futebol gaúcho utilize grama sintética no seu estádio. Não temos aqui no estado uma condição climática/geográfica/financeira que inviabilize o uso de grama natural. Mas se é assim poderiam se mitigar as dificuldades. Ou se joga no gramado sintético, ou se joga com calor acima de 40º c. As duas coisas juntas não dá. O curioso é que um outro time da capital só teve que atuar nesse novo terreno do Passo D´areia no frescor da noite.
Imagino que a causa tenha sido o calor, mas achei o Grêmio muito frouxo na marcação. Um detalhe interessante é que foi o São José a equipe que mais cometeu faltas na partida (27 a 17, segundo o FootStats).
Não acho certo a mudança de planejamento tão cedo na temporada. Quero muito acreditar que a antecipação da estréia do time principal de fato não tenha nada a ver com o insucesso do time B. Aliás, não se pode fazer terra arrasada com os garotos que atuaram ontem. Um bom exemplo disso está no ano passado: Ramiro era um dos atletas que atuou nas vexatórias derrotas para o Canoas e São Luiz no início de 2013 e depois se firmou como titular, e um dos destaques, no Brasileirão.

Qual partida recebeu mais público: O jogo-treino do time A ou a estreia oficial do Grêmio no ano com o time B? O simples fato de poder se questionar isso revela a desvalorização do “produto” que é feita através desse excesso de jogos sem sentido.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Marcelo Campos (MCDEZ Comunicação)

São José-RS São José 1×0 Grêmio Grêmio

SÃO JOSÉ: Luiz Carlos; Bindé, Fernando, Júlio Santos e Brida; Jonas, Ramos, Felipe Guedes (Sander, 39’/2ºT) e Rafinha (Chiquinho Resende, 40/2T); Jean e Eraldo (Franciel, 14’/2ºT).
Técnico: Beto Campos
GRÊMIO: Follmann; Tinga, Rafael Thyere, Canavesio e Breno; Moisés, Matheus Biteco (Guilherme Amorin, 24’/2ºT) e Jeferson; Luan, Yuri Mamute (Everton, 15’/2ºT) e Everaldo (Angelo, 10’/2ºT).
Técnico: Marcelo Mabília

1ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2014
Data: 19/01/2014, domingo, 17h00min
Local: Estádio Passo D’Areia, em Porto Alegre-RS  
Público: 823 pagantes
Renda: R$ 26.120,00
Árbitro: Luís Teixeira Rocha
Auxiliares: Marcelo Barison e Júlio César dos Santos
Cartões amarelos:
Jonas, Rafinha e Guedes (SJO) e Guilherme (GRE)
Gols: Jean, aos 34 minutos do primeiro tempo