Archive for the ‘Gre-Nal’ Category

Gauchão 2022 – Grêmio 0x1 Inter

March 25, 2022
https://i.imgur.com/Jk36u2A.jpg

Foto: Ricardo Duarte (SC Internacional)

https://i.imgur.com/C6iv1e6.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

O bom mesmo seria ver o Grêmio vencer os dois jogos por goleada, contudo, me parece o resultado final ficou de bom tamanho. O tricolor eliminou o rival, mas mesmo assim não há como deixar de perceber as carências e dificuldades que o time tem atualmente.

Brenno está mostrando evolução com a camisa 1 e fez grandes defesas na partida, mas pra mim ele falhou no lance do gol. No mínimo deveria ter posicionado melhor a barreira. E não seria nenhum absurdo pedir mais um jogador ali, pois o Inter tinha originalmente três jogadores para fazer a cobrança.

https://i.imgur.com/cN5Ul0q.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

https://i.imgur.com/VbcD81L.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Esse foi o segundo pior público de todos os Gre-Nais disputado na Arena até hoje (só ficou na frente de um clássico pela primeira fase do Gauchão de 2014). Senti falta de uma comunicação do Grêmio ao seu torcedor explicando das razões para esse horário esdrúxulo. O clube ter feito campanha esperando 50 mil torcedores no estádio soou como desconexão com a realidade.

– Até hoje foram disputados 21 Gre-Nais na Arena. Destes 21, 16 foram jogados com torcida. Média de público destes 16 Gre-Nais é de:
44.661 (41.489 pagantes)

– Média de público do Grêmio em 2022:
12.277 (11.261 pagantes)

https://i.imgur.com/yhssOKm.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

https://i.imgur.com/HJWV991.png

GRÊMIO: Brenno; Rodrigues (Mateus Sarará, aos 23’/2ºT), Geromel, Bruno Alves e Nicolas; Thiago Santos (Gabriel Silva, aos 23’/2ºT), Lucas Silva, Bitello, Campaz e Elias (Ferreira, aos 12’/2ºT); Diego Souza
Técnico: Roger Machado

INTERNACIONAL:Daniel; Bustos, Bruno Méndez, Kaique Rocha e Liziero; Gabriel (Johnny, aos 43’/2ºT), Edenílson, Maurício (Gustavo Maia, aos 45’/2ºT), Taison (Matheus Cadorini, aos 43’/2ºT) e David (Caio Vidal, aos 37’/2ºT); Wesley Moraes
Técnico: Alexander Medina

Gauchão 2022 – Semifinal – Jogo de volta
Data: 23 de março de 2022, quarta-feira, 22h15min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Público: 33.837 (31.821 pagantes)
Renda: R$ 2.305.320,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Tiago Augusto Kappes Diel
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Cartões amarelos: Nicolas, Brenno e Ferreira (Grêmio); Maurício (Internacional)
Cartões vermelhos: Ferreira (Grêmio); Bruno Méndez (Internacional)
Gols: Taison, aos 18 minutos do 2º tempo

Gauchão 1977 – Grêmio 3×0 Inter

March 23, 2022
https://64.media.tumblr.com/886b0e5da86c52bb145d9a442e4819fe/60e132627f6224e6-87/s2048x3072/bc957e4b47283eed40e019b8914db7e7fb464425.jpg

Foto: Zero Hora

 

No primeiro Gre-Nal do Gauchão de 1977, o Grêmio venceu o Inter por 3×0 no Olímpico. Como pode ser vistos nos anúncios da Federação Gaúcha, a partida foi válida por uma rodada de clássicos da primeira fase da competição. O detalhe é que o tricolor atuou com dez jogadores, desde o final do primeiro tempo, quando o placar ainda estava 1×0.

Nessa partida, Alcindo (que é o segundo maior goleador do Grêmio em Grenais) fez seu último gol clássico (treze anos depois de marcar os seus três primeiros no mesmo jogo em no Gre-Nal 170).

https://64.media.tumblr.com/34f7aab66f6ba31004a167219bbc085b/34deeb0ca2d334db-ea/s2048x3072/13ec901fd5e0627ca6812c6f2a9a559fc42e0fcf.jpg

Foto: Zero Hora

“O GRÊMIO FOI SUPERIOR EM TUDO NO CAMPO

Mal terminou a goleada do grêmio ontem no internacional por 3 a O, começou uma discussão que se estende hoje por todo o Estado: qual causa direta que determinou a vitória do time treinado por Telê Santana, com tanta facilidade? Muitos argumentos e lembranças podem ser usadas nessa discussão. Duas que transpareceram desde que a partida começou:

— o Grêmio teve o esquema certo e os jogadores para cumpri-lo. Recordar que a equipe de Castilho atuou muito desfalcada, lembrar o time do Olímpico com dez homens e maior parte do jogo e outros fatores ajudam no esclarecimento do assunto. Mas acima de tudo ficou claro a superioridade tática e técnica do Grêmio em toda a partida.

Superioridade que começou mal foi dada a ordem da bola rolar. Com três minutos de jogo, o Grêmio tinha conseguido dois escanteios, a defesa do Inter corria de um lado para o outro, era o time de Telê que tomava a iniciativa de ataque. De início havia um certo equilíbrio, a equipe do Beira-Rio procurava prender mais a bola, dando um ritmo mais lento à partida. Foi quando começaram as jogadas violentas. FaIcão acertou Ladinho, e recebeu pouco depois o troco de lura.

 

Alguns jogadores começaram a deixar a bola para caçar o adversário, as faltas e interrupções passaram a ser frequentes. O árbitro Luis Torres que começara bem, passou a vacilar, sua Insegurança logo foi transmitida ao bandeirinha Ricardo Piva, confuso também nas marcações de impedimento. O juiz tentava controlar o ritmo violento que o jogo assumiu, o cartão amarelo foi mostrado primeiro para Ladinho e Herminio. E depois para vários jogadores.

 

Falha de Manga

Foi quando aconteceu o primeiro gol do Grêmio, aos 19min30seg, em lance de bola parada que o goleiro Manga falhou. Éder foi derrubado no lado esquerdo por Cláudio, Tadeu Ricci bateu a falta, forte, de curva, o goleiro pulou certo, deixou a bola escapar para entrar mansamente em seu gol. O gol pode ser creditado à essas coisas que acontecem no futebol. Cinco minutos depois, no entanto Alcindo recebeu a bola de lura livre na área, tinha condições de fazer o gol, mas demorou, deu tempo da zaga prensar a bola. O lance mostrou falhas na marcação da defesa do Inter. Um setor que tentava sair das dificuldades em que se encontrava, de qualquer maneira, mas não recebia o apoio que precisava, principalmente da meia cancha, onde Falcão era o pior, tentava sempre enfeitar as jogadas, não conseguindo. Às vezes, perdia bisonhamente a bola.

O ataque do Inter não estava melhor do que os outros setores. Os jogadores eram bem marcados, não conseguiam vencer individualmente seus adversários. E procuravam provocar a zaga do Grêmio, até que obteve resultado nesse aspecto. Dario acertou Eder, o ponta esquerda se descontrolou completamente, e foi formada uma confusão. Eder acabou agredindo o árbitro Luis Torres, que expulsou o jogador. Isso ocorreu aos 42 minutos, a tática do time de Telê aí foi prender a bola até o primeiro tempo terminar. O jogo tinha unia nova feição: o Grêmio ia atuar no segundo tempo inferiorizado numericamente.

Para a fase final, Castilho deslocou Pedrinho para a ponta esquerda e Cláudio teve ordens de avançar Telê mandou que lura recuasse para fechar o lado direito, no ataque ficaram Alcindo e Tarciso. O Grêmio se dispôs a jogar no contra-ataque e fez isso muito bem Tanto que aos 60 minutos, conseguiu o segundo gol, em jogada rápida pelo lado direito, com Tadeu passando por Chico Fraga, fugindo de Herminio e dando um cruzamento para trás. Justamente onde Alcindo estava, bem colocado, para testar para baixo, vencendo Manga. Na jogada toda a defesa do Inter falhou, os jogadores chegaram atrasados, não fazendo a cobertura correta.

 

Repetição de erros

O gol só refletiu a superioridade do Grêmio que era tamanha que mesmo jogando com dez não dava a impressão de ter menos jogadores em campo. A cada Jogada em que seu ataque pegava a bola levava mais perigo do que o adversário atacando em massa. Tarciso se movimentava pelos dois lados, sofria uma marcação rigida de Marião e Herminio, sofrendo muitas faltas. Castilho resolveu mexer em seu, time. Tirou Pedrinho, apenas esforçado na esquerda  e colocou Jair na direita, com Cláudio voltando para sua posição. Mas o ataque do Inter continuava muito embolado e a meia cancha não conseguia tabelar para tentar a penetração na área do time adversário.

A única jogada tentada pelos jogadores de Castilho eram os “chuveirinhos”. A bola era levantada para a área, na tentativa de encontrar Dario ou Escurinho, mas quem a alcançava era Oberdan ou Ancheta. Joãozinho Paulista foi preparado para entrar no lugar de Dario, mas acabou substituindo Caçapava, que se lesionou. O ataque do Inter ficou mais embolado ainda, enquanto Telê tirava Alcindo, cansado para botar Zequinha, além de reforçar a meia-cancha com a saída de lura para Jerônimo entrar. O Grêmio se fechava na defesa, mas ia rapidamente para o ataque, a entrada de Zequinha possibilitava lances perigosos. O jogo já tinha perdido as características de violência que assumira a maior parte do tempo, mas as jogadores do Inter entravam duro no adversário.

O terceiro gol da equipe do Olímpico não causou surpresas a ninguém, foi quase uma repetição do segundo. Escapada rápida pela direita de Zequinha, aos 86 minutos, que chegou na linha de fundo e cruzou para trás. Tadeu vinha entrando sem marcação e cabeceou para baixo, como no gol de Alcindo. Faltou mareação da defesa do Inter, Marião, Herminio e Claudio chegaram atrasados novamente na jogada. E o restante da partida ficou na tentativa do Inter em diminuir o resultado, fazer pelo menos seu gol de honra, que só poderia ocorrer em falha rio adversário, porque os jogadores de Castilho acumulavam erros, e só Jair em algumas joga das isoladas não se nivelava com os companheiros. Mas era pouco, o Grêmio segurou o resultado até o apito final do árbitro, mereceu ganhar de goleada.” (Zero Hora,  segunda-feira, 18 de abril de 1977)

 

 

https://64.media.tumblr.com/dfed9eb7fa29398bdebb926914676ce9/tumblr_n9ujcqRZDy1rxrwn5o1_1280.jpg

https://i.imgur.com/PWvSvXs.jpg

GRÊMIO GOLEIA O INTERNACIONAL EM PARTIDA DE MUITA VIOLÊNCIA

Porto Alegre — Desfalcado de três titulares e sentindo os efeitos das recentes partidas pela Taça Libertadores da América, o Internacional não resistiu ao entusiasmo da nova equipe do Grêmio e acabou goleado por 3 a 0 ontem à tarde, no Estádio Olímpico. No primeiro tempo houve muita violência por parte das duas equipes e o ponta-esquerda Éder, do Grêmio, foi expulso aos 43 minutos por esbarrar propositadamente no juiz Luís Torres. Tadeu, ex-jogador do Flamengo, marcou duas vezes para o Grêmio aos 20 minutos do primeiro tempo e aos 41 do segundo. Alcindo, de volta ao time depois de sete meses, marcou aos 15 minutos do segundo tempo.

A renda do clássico somou Cr$914 mil 485. Equipes: Grêmio —Remi, Eurico. Ancheta, Oberdã e Ladinho; Vítor Hugo, Iura (Jerônimo) e Tadeu; Tarciso, Alcindo (Zequinha) e Eder). Internacional — Manga, Cláudio, Marião, Hermínio e Chico Fraga; Caçapava (Joãozinho), Falcão e Batista; Pedrinho (Jair), Dario e Escurinho.

Inter desfalcado
Sem Marinho, Vacaria, Valdomiro e Santos (este, primeiro reserva de Lula), o Internacional entrou em campo inferiorizado e só não foi envolvido totalmente pelo Grêmio desde o início porque seu meio campo movimentava-se muito. O primeiro gol, produto de uma falha do goleiro Manga, perturbou a equipe, que passou a jogar com violência. Este gol, aos 20 minutos, resultou de uma falta cobrada por Tadeu, que Manga deixou escapar mansamente para o canto esquerdo do seu gol.

Mesmo com 10 jogadores —Éder foi expulso aos 43 m — o Grêmio continuou a impor seu jogo no segundo tempo, especialmente depois que Caçapava saiu de campo machucado. Antes disso voltaria a marcar, por intermédio de Alcindo. Bem colocado na área, ele completou de cabeça um centro de Tadeu. Aos 41 minutos, quando Zequinha Já substituirá Alcindo, passando Tarciso para o meio, Tadeu completou um centro de Zequinha e desviou do goleiro Manga.

Mais onze jogos foram disputados nesse fim de semana pela sétima rodada do Campeonato Gaúcho: em Santa Cruz sábado, Santa Cruz 2×1 Estrela; em Porto Alegre (ontem pela manhã), Esportivo 3×1 Cruzeiro; em São Borja, São Borja 2×1 Cachoeira; em Rio Grande, São Paulo 1 x 0 Novo Hamburgo; em Santa Maria, Riograndense 1×0 Inter S.M.; em Bagé 1 x 1 Guarani; em Passo Fundo, 14 de Julho 0x0 Gaúcho; em Caxias do Sul, Caxias 1 x 0 Juventude; em Erexim, Atlético 1×0 Ipiranga; em Santo Ângelo, Santo Ângelo 0x0 São Luis; em Pelotas, Brasil 3 x 1 Pelotas.” (Jornal do Brasil, 18 de abril de 1977)

 

https://64.media.tumblr.com/ecdcc31bf1b50efe9c0fc42c211ee5f2/34deeb0ca2d334db-a1/s640x960/0b819fca922ac226acf1356657ceb744d82e423a.jpg

Oberdã – foi um guerreiro – domina Jair” (Placar, Edição n.º 365, 22 de abril de 1977) Foto: JB Scalco

GRÊMIO ATE TRIPUDIOU

O jogo não tinha importância para a tabela, já que o Inter e o Grêmio foram colocados em chaves diferentes e o regulamento — burro regulamento — manda que os primeiros, no fim do turno, partam do zero para uma melhor de três pontos. Mas o Gre-Nal do Olímpico, por ser o primeiro do ano, teve um grande valor como teste. A constatação veio fácil: o Grêmio está bem melhor do que no ano passado — e o Inter, pior. Os 3 a O não deixaram dúvidas, embora os colorados se consolassem com as ausências de Marinho, Vacaria, Valdomiro e Santos (para não falar em Lula) e com o cansaço da maratônica viagem ao Equador.

Para o Grêmio, de qualquer maneira, foi uma daquelas vitórias de lavar a alma, de fazer esquecer todas as humilhações do passado — por exemplo: em 16 partidas incluídas anteriormente nos testes da Loteria Esportiva, o Grêmio não havia vencido nenhuma. Justas esperanças de que este ano o Campeonato Gaúcho seja diferente: I) a defesa não perdeu nada com a troca de Beto Fusca, e Bolívar pelos veteranos Oberdã e Ladinho — e, no caso do quarto-zagueiro, o time afinal tem alguém para pular na cabeça com Escurinho; 2) Tadeu é um baita meia-armador, que se coloca bem, ordena o time e ainda vai lá na frente conferir — basta ver seus dois gols; 3) Alcindo, embora sem a mobilidade de outrora, pode repetir, aos 32 anos, a história de Flávio no Inter de 1975 — esteve sempre onde um centroavante deve estar e por isso marcou seu gol na cruzada medida de Tadeu.

O torcedor colorado, do outro lado, viu seu time se afundar com espantosa facilidade: perdia apenas de 1 a 0 quando o Grêmio ficou com 10 — o ponta-esquerda Éder foi expulso aos 42 do primeiro tempo —e, em vez de reagir, tomou mais dois gols. Quase que se podia ver os fantasmas de Figueroa, Carpeggiani e Minelli sobrevoando o Inter.

Dia 8 de maio haverá outro Gre-Nal sem qualquer importância para a tabela — a não ser que o Caxias, principal adversário do Inter em sua chave, aproveite para disparar ainda mais. Domingo, no clássico de Caxias Sul, sofreu muito para ganhar do Juventude — injusto 1 a 0 — mas manteve a liderança, agora com 11 pontos ganhos. O Inter tem quatro e presume-se que depois tira a diferença. Senão …

Em tempo: Oberdã, além de jogar um bolão, mostrou quando vale uma boa malandragem: sujou a meia de mercúrio cromo, para fingir que estava ferido; a torcida gremista vibrava cada vez que ele entrava em ação — e o time inteiro respondia à vibração com uma garra que não teve nos últimos oito anos.” (Divino Fonseca, Placar, Edição n.º 365, 22 de abril de 1977)

 

https://64.media.tumblr.com/dcb7ad03a2d0864228bf352a26e8160a/4cebaf2dfcff6909-41/s2048x3072/d934950d59166761ea6e625451abd5cd8530a330.jpg

Foto: Zero Hora

https://64.media.tumblr.com/ab177cecd357ce087f9a356f91eb7aca/34deeb0ca2d334db-10/s1280x1920/25a4c5c1aed82d41c7da6dc046e24034559a4a6c.jpg

https://64.media.tumblr.com/2f678a0e7119a4f003036ca7548b2058/34deeb0ca2d334db-7a/s1280x1920/24d640beecde0fd19f2a20d72b553e31f22144b7.jpg

GRÊMIO: Remi; Eurico, Ancheta, Oberdan e Ladinho; Vitor Hugo, Iúra (Jerônimo) e Tadeu Ricci; Tarciso, Alcindo (Zequinha) e Éder Aleixo.
Técnico: Telê Santana

INTER: Manga; Cláudio Duarte, Marião, Hermínio e Chico Fraga; Caçapava (Joãozinho Paulista), Falcão e Batista; Pedrinho (Jair), Dario e Escurinho
Técnico: Carlos Castilho

Data: 17 de abril de 1977, domingo, 15h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre – RS
Renda: Cr$ 914.485,00
Arbitragem: Luis Torres
Auxiliares: Ricardo Piva e Erich Fuchs
Cartões Amarelos: Iura, Herminio, Cláudio, Escurinho, Eder e Ladinho
Cartão Vermelho: Éder Aleixo
Gols: Tadeu Ricci, aos 18 minutos do primeiro tempo. Alcindo, aos 15 minutos e Tadeu Ricci aos 41 minutos do segundo tempo

Gauchão 1962 – Inter 0x2 Grêmio

March 18, 2022
https://64.media.tumblr.com/946b008f67543a792ab72cf6011f5177/c203bc74df991027-e1/s1280x1920/e2d67d64e9ac4d1f1acd509374029b14170ff701.jpg

PRIMEIRO TENTO DO GRÊMIO – Êste foi o primeiro tento do Grêmio, de autoria de Marino. Vieira entrou pela esquerda e centrou. Cláudio e Juarez pularam, não conseguindo alcançar a pelota, que sobrou para Marino. O atacante tricolor invadiu a área, pasou fácil por Ezequiel, ficando frente a frente com Gainete. O arqueio veio ao encontro do “forward” gremista, mas nada conseguiu. Na foto acima temos Marino de braços abertos, vendo a pelota bater nas rêdes, Ezequiel e o guardião Gainete.” (Correio do Povo, terça-feira, 18 de dezembro de 1962)

 

No Gauchão de 1962, o Grêmio venceu o Inter nos Eucaliptos por 2×0, os dois gols marcados por Marino no segundo tempo.

É interessante explicar o contexto da partida. O campeonato estadual daquele ano foi disputado por 12 equipes, em pontos corridos, com turno e returno.

Ao final da 17ª rodada, o Inter estava na liderança com 28 pontos. O Grêmio precisava buscar uma diferença de 6 pontos nas últimas 5 rodadas (lembrando que na época a vitória valia 2 pontos). A derrota do Inter para o Aimoré na penúltima rodada deixou o campeonato em aberto para o clássico da última rodada. O Inter só precisava de um empate para garantir o título e o Grêmio necessitava da vitória para forçar um jogo desempate.

Tem dois detalhes interessantes nas imagens que ilustram o post. O primeiro é possível notar nas duas primeiras fotos, onde se vê que as cadeiras colocadas nas arquibancadas posicionadas atrás de um gol dos Eucaliptos. O outro pode ser percebido em todas as fotos, que é o fato das duas de terem jogado com meias escuras (diferente do que aconteceu nos clássicos anteriores daquela temporada). Eu suponho que o Grêmio tenha usado meias cinzas enquanto o Inter utilizou meias vermelhas.

 

https://64.media.tumblr.com/aa2d5a24b977046177c70f48665d0525/tumblr_n35rqyakCg1rxrwn5o1_1280.jpg

Foto: Folha da Tarde

“GRÊMIO REAGIU BEM NA FASE DERRADEIRA E VENCEU O GRENAL 163 – FLAMENGO E FARROUPILHA TRIUNFARAM
2×0 foi o resultado do grande prélio, tentos de Marino – Gilberto expulso do gramado – Fraca a arrecadação para a importância do jogo – Renda total da rodada: CR$ 1.952.410,00

Terminado o embate de domingo, nos Eucaliptos — vencido justamente pelo Grêmio por 2×0 — a pergunta no “Estádio Ildo Meneghetti” era uma só: “onde está o ataque do Internacional”. Na verdade, o Internacional realizou um bom primeiro tempo e uma partida normal. Mas acontece, que durante o jogo todo (90 minutos), poucas foram as vezes que a linha atacante dos colorados fez perigar o último reduto do Grêmio. Nunca atacou positivamente e com chance de marcar. Foram cargas atabalhoadas, sem contrôle nenhum, nem perigo para o adversário. Na dianteira dos “escarlates”, apenas Flavio luziu, fazendo talvez a sua melhor exibição em Pôrto Alegre. Foi raça e foi inteligência. Os demais nada fizeram. Foram elementos inexistentes, que nada produziram e nada coordenaram. Henrique não teve grande trabalho.

Talvez tivesse sido o jogo mais fácil de sua carreira em grenais. Por outro lado, a defensiva andou perdida, aparecendo Soligo como o mais positivo. Ari esteve irregular e Claudio nem se fala. Quis ‘fazer “classe” e acabou sendo o grande culpado do 2º tento do Grêmio. A meia cancha colorada andou com altos e baixos. Zangão iniciou bem para no segundo tempo cair verticalmente. Osvaldinho fez uma exibição falha, permitindo que Milton e Elton assumissem as rédeas do embate, dominando inclusive a cancha. Na verdade, o quadro do Internacional, de belas apresentações ainda há pouco, foi quase um amontoado de atletas, sem noção do jôgo e ainda mais, sem coordenação alguma nos seus setores. Gainete foi figura saliente. Não foi culpado dos dois tentos. Soligo bom e Zangão trabalhador no primeiro tempo, quando o Internacional esteve mais perigoso, porém menos positivo. No ataque Flavio foi a figura do Internacional. Seus deslocamentos foram perfeitos. Acontece, que Flavio não teve companheiros para tabelar. Sapiranga, Alfeu, Mauro (muito gordo) e Gilberto nada fizeram. Este, inclusive, quando mais o clube precisava de seu esforço, de sua dedicação e de seu trabalho, resolveu “bronquear” com o árbitro, que nada tinha que ver com os 2×0. Gilberto foi procurar “sarna para se cossar” e imediatamente foi para os chuveiros. Para nós é irresponsabilidade. A nenhum atleta compete reclamar do apitador qualquer falta. Nem o capitão. Alguns atletas o fazem quando na verdade desejam ser expulsos ou por absoluta falta de responsabilidade. O árbitro é soberano.

—o0o—

O quadro do Grêmio foi mais positivo no gramado. Apesar de envolvido pelo Internacional na fase inicial, que apareceu bem, não parou nunca. Demonstrou garra e sangue, antes de tudo. Isso não aconteceu com os colorados, que precisavam apenas um empate para a conquista do bi. Mas o quadro do Grêmio Pôrto Alegrense lutou sem esmorecimentos. Sua defensiva esteve firme, sendo Airton, Ortunho e Altemir, suas grandes figuras. A meia-cancha formada por Elton e Milton, de mau trabalho nos primeiros quarenta e cinco minutos, tornou-se extraordinária na fase final, procurando levar seus dianteiros para a frente, sem parar um instante. Milton andou por tôda a parte, sendo um elemento de real valor. O ataque — Marino, Joãozinho, Ivo Diogo (Juarez) e Vieira — andou bem na fase final. No primeiro tempo pouco produziu. No 2.º tempo todos trabalharam certos e com garra. Durante os noventa minutos, de um modo geral, os rapazes do Grêmio, com o verdadeiro senso da responsabilidade, produziram o esperado. Lutaram bastante e conquistaram uma vitória Justa. Depois dos 2×0, mais tranquilos e vendo que os seus adversários nada mais

poderiam realizar — pois estavam batidos mesmo — os tricolores coordenaram mais as jogadas, apresentando bons momentos de futebol. Na verdade, a vitória do Grêmio foi das melhores e acima de tudo justa.

—o0o—

Com a conquista do Grêmio, domingo, está empatado o certame da Categoria Especial de 62. Com o resultado de anteontem, terá a dupla Gre-Nal que disputar a decisiva. Deve-se ressaltar o feito dos pupilos de Sérgio Moacir Torres Nunes. Depois de estarem inferiorizados na tabela de pontos, com relação aos seus leais adversários, os gremistas numa verdadeira reação, conseguiram igualar-se àqueles de quem já estavam afastados a seis pontos. A ação dos tricolores vem merecendo os mais fartos elogios. Na verdade, êles fizeram tudo para chegar ao lugar que atualmente ocupam.” (Correio do Povo, terça-feira, 18 de dezembro de 1962)

https://i.imgur.com/nIta6M5.jpg

https://i.imgur.com/cDBWgWg.jpg

“O primeiro gol do Grêmio foi uma pintura. Vieira centrou para Juarez, à entrada da área o “tanque”, tendo Cláudio em seus costados, vislumbrando Marino, que penetrava pelo centro, iludiu seu marcador com o corpo, fazendo com que a bola passasse por ambos e se oferecesse aos ponteiro. Marino, então, completamente só, pois havia deixado Ezequiel para trás, teve tempo para dominar a bola e escolher o canto, fulminando Gainete, rasteiro.” (Diário de Notícias, terça-feira, 18 de dezembro de 1962)

 

GRENAL 163 CONSAGROU O MELHOR: GRÊMIO 2 X 0
Tricolor venceu técnica, tática e territorialmente
Internacional só foi adversário na 1ª etapa” (Diário de Notícias, terça-feira, 18 de dezembro de 1962)

https://i.imgur.com/GhddlZK.jpg

“LEÃO DO OLÍMPICO VOLTOU A RUGIR NOS EUCALIPTS MAS FOI MARINO QUE SELOU A SORTE DO INTERNACIONAL: 2 X 0
Tentos do Grêmio nasceram no 1º e no 17,5 minutos da segunda etapa – Gilberto foi expulso do gramada na segunda fase – atuação aceitável de Andrés Washington Mateos – Renda: Cr$ 1.690.300,00” (Jornal do Dia, terça-feira, 18 de dezembro de 1962)

 

Inter 0x2 Grêmio

GRÊMIO: Henrique; Renato, Airton, Altemir e Ortunho, Elton e Milton; Marino, Joaozinho, Ivo Diogo (Juarez) e Vieira
Técnico: Sérgio Moacir Torres

INTER: Gainete; Soligo, Ari, Claudio e Ezequiel; Zangão e Osvaldinho; Sapiranga (Mauro), Alfeu, Flavio e Gilberto.
Técnico: Pedro Figueiró

Gauchão 1962 – 22ª Rodada
Data: 16 de dezembro de 1962, domingo, 17h00min
Local: Estádio dos Eucaliptos, em Porto Alegre, RS
Renda: Cr$ 1.690.300,00
Juiz: Andres Washington Mateo
Auxiliares: Guilherme Sroka e Alfredo Bernardo Torres
Expulsão: Gilberto aos 23 minutos do segundo tempo
Gol: Marino, no primeiro minuto e aos 18 minutos do segundo tempo

Gauchão 2022 – Inter 1×0 Grêmio

March 11, 2022

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

https://i.imgur.com/V35vzda.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Eu não vi muitos jogos do Inter nessa temporada, mas tive a sorte de ver a eliminação deles na Copa do Brasil. Me pareceu que o time do “Cacique” Medina não demonstrou nenhum grande acréscimo técnico/tático em relação ao jogo contra o Globo, e mesmo assim foi claramente superior ao Grêmio (ao menos no primeiro tempo, no segundo não teve muito mais futebol, seja por comodismo do Inter, seja por incapacidade tricolor ou seja pela condução da arbitragem de Vuaden).

 

https://media.internacional.groundsportech.com/wp-content/uploads/2022/03/09223531/aDSC_8748-scaled.jpg

Foto: Ricardo Duarte (SC Internacional)

https://pbs.twimg.com/media/FNdDfQ5WQAMl0sX?format=png

Foto: @MaxPeixoto91 (FGF)

https://i.imgur.com/HJWV991.png

INTER: Daniel; Bustos, Kaique Rocha, Victor Cuesta e Moisés (Bruno Méndez, 40’/2ºT); Gabriel, Liziero; Edenilson (D’Alessandro, 40’/2ºT), Taison (Boschilia, intervalo) e Mauricio (Johnny, 33’/2ºT); David (Wesley Moraes, 33’/2ºT).
Técnico: Alexander Medina

GRÊMIO: Brenno; Orejuela (Rodrigues, INT), Geromel, Bruno Alves e Nicolas; Thiago Santos (Vini Paulista, 22’/2ºT) e Villasanti; Janderson (Gabriel Silva, intervalo), Campaz e Rildo (Bitello, 37’/1ºT); Elias (Wesley, 34’/2ºT)
Técnico: Roger Machado

Gauchão 2022 – 9ª Rodada (jogo atrasado)
Data: 9 de março de 2022, quarta-feira, 21h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS
Público: 28.185 (22.675 pagantes)
Renda: R$ 1.071.306,00
Árbitro: Leandro Vuaden
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Cartões Amarelos: Bustos, Moisés, Boschilla, Weslley Moraes e Taison; Villasanti e Thiago Santos
Gol: David, aos 46 minutos do 1º tempo

Gauchão 1982 – Inter 0x2 Grêmio

February 25, 2022
https://64.media.tumblr.com/c0ab9b6531b9e13fc618b157058bbbb2/ab7551973079ec26-14/s1280x1920/6237d66a61c5c4b62dfc264facdd1fef7659b53b.jpg

Foto: Correio do Povo

No primeiro Gre-Nal do Gauchão de 1982, o Grêmio venceu o Internacional no Beira-Rio, gols de Edmar e Tarciso.

No tabelão da Placar consta que essa partida seria válida pela 4ª Rodada do 1º turno, mas aquele foi o sexto jogo do Inter no campeonato e quinto do tricolor. Imagino que a dupla tenha tido alguns confrontos do Gauchão daquele ano adiantados em razão dos compromissos que teriam na sequência do mês. O Inter fez uma excursão à Europa, onde disputou o trófeu Joan Gamper e o Grêmio iria fazer sua primeira participação na Copa Libertadores.

O fato de Edmar ter marcado um gol na sua partida de estreia com a camisa 9 tricolor deve ter tido alguma influência na saída de Baltazar. O artilheiro de deus foi inscrito pelo clube na Libertadores que se iniciaria em 10 dez dias, mas sequer foi relacionado para este clássico e acabou não atuando mais pelo tricolor (a Grêmiopédia afirma que seu último jogo pelo Grêmio foi a derrota para o São José), tendo sido negociado com o Palmeiras no fim do mês

https://64.media.tumblr.com/bc2742e6ff3c2f194882009b39177a29/ab7551973079ec26-b7/s1280x1920/5bfd8c3585d29e249e95e1a6ea2386c19593375b.jpg

Foto: Correio do Povo

 

GRÊMIO VENCE COM AUTORIDADE

Grêmio 2 x Inter 0. E, sem dúvida, a vitória do melhor. Assim, além de cair o único invicto do regional, ainda o Grêmio marcou uma recuperação ampla, Começou e terminou o Gre-Nal com mais movimentação e futebol. O Inter pareceu querer garantir um empate. Jogou atrás. O Grêmio corria em contra-ataques, tendo o melhor lance ofensivo em Odair — reaparecendo com entusiasmo e vencendo a Edevaldo. Já no Inter, outro problema: Geraldão sempre esteve isolado, nunca aparecendo Cléo ou qualquer outro jogador para a aproximação. O Inter perdeu a invencibilidade de dez jogos.

Odair correu pela esquerda, Edevaldo foi envolvido e fez a falta. O ponteiro levantou para a área. Indecisão na defesa do Inter e André Luís chegou a perturbar Benitez. Edmar, o estreante, apareceu isolado e cabeceou. A bola bateu no chão e foi às redes. Grêmio 1, Inter 0 — 18 minutos.

Odair, de novo, em jogada rápida pela esquerda. Edevaldo fora de posição. De imediato, a cruzada. Os zagueiros ficaram indecisos e Tarciso despontou como centroavante, chutando com força e precisão. Benitez mergulhou, mas não conseguiu fazer a defesa. Grêmio 2, Inter 0.

Nos dois lances, nesta fase, a decisão do Gre-Nal. Posicionamento incorreto, marcação um pouco frouxa e sem explosão, o Inter não pode conter o entusiasmo e melhor futebol do Grêmio. Os colorados tinham mais torcida, mas as tricolores mais futebol.

Com Odair de boa movimentação na esquerda e a meia-cancha fechando com harmonia sempre com Batista e Bonamigo atrás, o Grêmio teve mais volume de jogo. Coletivamente mais competente e a vantagem foi muito justa. Desde a marcação do primeiro gol foi melhor.

 

SEGUNDO TEMPO
Grêmio retornou com a mesma disposição. Assim correndo em contra-ataques rápidos, o tricolor pôde manter o adversário assustado e, em decorrência, garantiu a diferença. O Internacional — que jogou defensivamente no primeiro tempo — repetia o mesmo posicionamento, apesar do Valdomiro no lugar de Ruben Paz.

O Internacional permaneceu sem ofensiva. Geraldão continuou esquecido entro os zagueiros. Ninguém chegava na frente para a jogada de aproximação. O Grêmio marcava com severidade e movimentava-se com insistência. As modificações de Ernesto Guedes não deram em nada.

Aos 7 minutos, num lance em que o estádio não viu nenhuma irregularidade, o árbitro Carlos Martins anulou gol de Edmar para o Grêmio. Marcou falta quando nada aconteceu e a jogada foi limpa.

Para chegar ao final mais tranqüilo, Ênio Andrade não deixou o time reduzir o ritmo. Odair e Edmar saíram para: entrar China e Renato. O Gre-Nal, porém, estava garantido e o tabu de dez jogos caiu no Beira. Rio. O regional não tens mais nenhum invicto.“ (Correio do Povo, quarta-feira, 4 de agosto de 1982)

https://64.media.tumblr.com/16c85c42f0d557edceb29b11f0f6ecf4/ab7551973079ec26-2c/s1280x1920/3cb9db07cd7dd2cfe1dbdd5f6ac0e847dfb01131.jpg

Foto: Correio do Povo

OPINIÃO: O Grêmio teve mais garra, melhor tática e jogou melhor. Vitória merecida.” (Divino Fonseca, Placar, edição n.º 638, 13 de agosto de 1982)

 

 

GRÊMIO VENCE PRIMEIRO GRE-NAL DO ANO

Com um gol de Edemar que estreou e outro de Tarciso, o homem de decisão de clássicos, o Grêmio com muita tranqüilidade e um excelente futebol praticado por seu meio-de-campo conseguiu extraordinária vitória sobre o Inter ontem à noite no Estádio da Beira-Rio, igualando a diferença de pontos depois da derrota para o São José no sábado[…].” (Pioneiro, quarta-feira, 4 de agosto de 1982)

https://64.media.tumblr.com/cd28a6b2e15d51e98e27471959dea0fa/ab7551973079ec26-b1/s1280x1920/c7001e719dd63899fc6c9126d6eb00053daecd2b.jpg

ANTÔNIO GOULART – VITÓRIA DO CONJUNTO

Ganhou, antes de mais nada e com todos os méritos a equipe que entrou em campo com disposição cara ganhar. O Grêmio, que precisava da reabilitação, preparou-se para isso. O Internacional, embalado por uma seqüência de vitórias, algumas um tanto enganosas, parece não ter se conscientizado de que o jogo de ontem, por ser um clássico, fugia inteiramente aos padrões normais do restante do campeonato gaúcho.

Em segundo lugar, ganhou a equipe que melhor encurtou essa condição, isto é: que mostrou conjunto e equilíbrio. Esse foi o ponto alto do Grêmio. Sem ser brilhante, foi um time aplicado, objetivo e prático. Teve sempre onze jogadores úteis. O Inter, pelo contrário, nunca contou com mais do que nove nessas condições. Ruben Paz, Cléo e depois Valdomiro, a rigor, muito pouco contribuíram.

Num jogo de muito movimento, em que predominou o conjunto gremista diante de trio adversário desorganizado, só se consegue ver destaques individuais em Odair, Paulo Bonamigo e Paulo Roberto. A vitória de 2 a 0 para o Grêmio não me surpreendeu, surpreendeu-me, isto sim, a inoperância do perdedor. No fundo, foi um resultado bom para os dois lados. O Grêmio escapou de uma crise iminente e o Inter poderá agora corrigir suas deficiências, porque elas ficaram mais do que evidentes.

—*—

Não sei de onde Baltazar assistiu ao Gre-Nal de ontem. Só sei que não entrou em campo, nem ficou no banco de reservas. De algum lugar ele deve ter acompanhado o esforço de seus companheiros. Com certeza lembrou-se das vezes em que vestia a camisa 9 tricolor e brigava com os zagueiros rubros dentro do gramado. Particularmente, deve ter recordado um jogo do início de sua carreira no Olímpico. Foi um Gre-Nal de 1979, também pelo campeonato gaúcho. quando fez um dos dois gols da vitória de sua equipe. Foi a última vitória de sua equipe. Foi a última vitória do Grêmio diante do tradicional adversário.

Baltazar, agora, mesmo inscrito para a Libertadores, já não tem qualquer certeza quanto ao seu futuro no Olímpico. Sabe que ninguém mais o chama de <<iluminado>>, que seus gols sumiram, e não encontra explicação para isso. A  <<Chuteira de Ouro>> de 1980 é um troféu que recorda um passado recente, mas não consegue ter qualquer Influência no presente.

A única certeza de Baltazar é de que existem dois outros centroavantes com prioridade sobre ele no Olímpico, e de que, a cada dia se firma mais sua condição de jogador negociável, disponível dispensável, à venda. Talvez seja melhor que essa condição se concretize em realidade. Assim, não pesará tanto ficar longe do um Gre-Nal.” (Antônio Goulart, Correio do Povo, quarta-feira, 4 de agosto de 1982)

 

 

 

https://64.media.tumblr.com/90bdcdd27a11bd482e109a99fd20271e/ab7551973079ec26-31/s1280x1920/b3b975cdec3c13f0cd82ebd36250b5d6229ed56f.jpg

INTER: Benitez; Edevaldo, Mauro Pastor, André Luís e Mauro Galvão; Ademir, Cléo e André; Paulo César (Müller), Geraldão e Ruben Paz (Valdomiro)
Técnico: Ernesto Guedes

GRÊMIO: Leão; Paulo Roberto, Leandro, De Léon e Paulo Césa Magalhães; Batista, Bonamigo e Paulo Isidoro; Tarciso, Edmar (China,) e Odair (Renato Portaluppi)
Técnico: Ênio Andrade

Gauchão 1982 – 1º Turno
Data: 3 de agosto de 1982, terça-feira, 21h00min
Público: 41 mil pagantes
Renda: Cr$ 11.866.450,00
Árbitro: Carlos Martins
Auxiliares: Rui Canedo e Irandi Paiva
Cartões Amarelos: Leão, Leandro, Paulo César Magalhães, Bonamigo, Paulo Isidoro e André
Gols: Edmar, aos 19 minutos do 1º tempo e Tarciso, aos 44 minutos do 1º tempo

Brasileirão 2021 – Inter 1×0 Grêmio

November 7, 2021
https://www.gazetaesportiva.com/wp-content/uploads/imagem/2021/11/06/gol-1024x683.jpg

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

https://www.gazetaesportiva.com/wp-content/uploads/imagem/2021/11/06/golii-1024x683.jpg

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

O jogo de ontem teve uma dinâmica muito parecido com as partidas anteriores do Grêmio. Ainda que com oscilações, o Grêmio teve momentos de controle do jogo e criou situações de gol. Não foi amplamente superior, mas também esteve longe de ser dominado pelo adversário. E novamente acabou perdendo.

O Grêmio fez duas grandes contratações para esta temporada: Rafinha e Douglas Costa.

Rafinha, mesmo sendo o titular gremista mais experiente, cometeu um erro infantil no gol colorado.

Douglas Costa só ontem, praticamente seis meses após o anúncio da sua contratação, é que foi ter uma atuação minimamente parecida com o desempenho que já havia mostrado em gramados europeus.

E novamente o Grêmio foi prejudicado pela arbitragem/VAR. Moisés fez cometeu um pênalti em Geromel quando o jogo estava 0x0. A versão de que o zagueiro gremista também teria segurado o lateral colorado é fantasiosa (facilmente desmentido pela imagem) e ignora o fato de que não faria nenhum sentido o capitão gremista tentar puxar o adversário quando já tinha tomado a frente na jogada.

 

https://imgur.com/5OHxp89

O repórter Rodrigo Oliveira, da Rádio Gaúcha, informou ontem no Twitter:

Cerca de 30 dirigentes e ex-dirigentes do Grêmio estão presentes na concentração, entre eles Paulo Luz e Deco Nascimento. Irão ao Beira-Rio no tradicional “cartolão”. Presença de convidados foi acertada com o Inter.”

Uma questão de prioridades.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

https://i.imgur.com/j1FNtEa.jpeg

Inter 1×0 Grêmio

INTER: Marcelo Lomba; Saravia (Mercado, intervalo), Bruno Méndez, Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso e Rodrigo Dourado; Edenilson, Taison (Maurício, 13’/2ºT) e Patrick; Yuri Alberto
Técnico: Diego Aguirre

GRÊMIO: Gabriel Chapecó; Rafinha (Vanderson, 32’/2ºT), Geromel, Kannemann e Cortez; Thiago Santos; Douglas Costa, Villasanti (Campaz, 15’/2ºT), Lucas Silva (Jean Pyerre, 32’/2ºT) e Ferreira (Alisson, 29’/2ºT); Borja (Diego Souza, 15’/2ºT).
Técnico: Vagner Mancini

30ª Rodada – Brasileirão 2021
Data: 6 de novembro de 2021, sábado, 19h00min
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS
Público: 25.971
Renda: R$ 1.301.033,00.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz e Márcia Bezerra Lopes Caetano
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda
Cartões amarelos: Saravia e Moisés; Geromel, Villasanti e Thiago Santos
Cartões vermelhos: Patrick; Cortez
Gol: Taison aos 39 minutos do 1º Tempo

Gauchão 1986 – Grêmio 1×0 Inter

July 20, 2021

Fonte: Livro “Gauchão: A História Ilustrada De Uma Tradição

Há exatos 35 anos o Grêmio garantia o título do Gauchão de 1986 ao vencer o Internacional, no Olímpico (1×0 com gol marcado por Osvaldo) na última rodada do quadrangular final.

Acho interessante o aspecto quase “artesanal” dessas camisas feitas sem sublimação.  Na “foto do poster” é possível perceber que a disposição das listras na camisa do Baidek é diferente da disposição na camisa do Caio Jr., que por sua vez também é diferente da camisa do Bonamigo.

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto:  (Correio do Povo)

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto: Luis Avila (Placar)

Foto: Roberto Santos (Correio do Povo)

 

GRÊMIO BATE INTER E CONQUISTA O BI

PORTO ALEGRE – A torcida do Grêmio fez a festa na tarde de ontem no Estádio Olímpico. O Grêmio venceu o Internacional por 1 a 0, gol de Osvaldo aos 9 minutos do segundo tempo, e conquistou o bicampeonato gaúcho. Como já é tradição em todos os Gre-Nais, a decisão foi disputada num clima de muita tensão tanto que, no final do jogo, Marcelo, do Inter, e Luis Eduardo, do Grêmio, trocaram agressões e foram expulsos pelo árbitro Carlos Rosa Martins. A renda, que não superou o recorde, somou Cz$ 730.564,00 e o público foi de 41.295 pagantes.

O Grêmio iniciou a decisão com a vantagem do empate. Entretanto, desde o início jogou em busca da vitória. O Internacional, por sua vez, linha a obrigação de vencer para ficar com o titulo. No primeiro tempo o clássico esteve muito equilibrado com as duas equipes atacando com a mesma disposição sem, no entanto, marcar.

Na fase final, o técnico Valdir Espinoza colocou Osvaldo no lugar de Caio júnior. Esta alteração foi decisiva, já que aos 9 minutos Osvaldo marcou o gol do título após completar um cruzamento de Luís Carlos. A partir daí, o Inter precisava marcar dois gols, pois o empate não servia. Numa tentativa de virar o placar, o técnico Otacílio Gonçalves colocou Tita em lugar de Balalo. Só que a alteração não deu o resultado esperado, embora Tita tivesse se empenhado bastante. Aos 30 minutos a torcida do Inter começou a deixar o Estádio Olímpico, enquanto a do Grêmio já comemorava o bicampeonato.

Aos 42 minutos, visivelmente nervoso, Marcelo empurrou Luís Eduardo, que revidou a agressão. Ambos foram expulsos. Final de jogo, os jogadores do Grêmio comemoraram a conquista dando a volta olímpica com a taça” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 21 de julho de 1986)

 

Foto:  (Correio do Povo)

GRÊMIO: Mazaropi; Raul, Baidek, Luis Eduardo e Casemiro; China, Bonamigo e Luis Carlos Martins; Renato, Caio Júnior (Osvaldo) e Valdo
Técnico: Valdir Espinosa

INTER: Taffarel; Luis Carlos Winck, Pinga, Aloisio e Mauro Galvão; Marquinhos, Aírton e Ruben Paz; Robertinho, Marcelo e Balalo (Tita)
Técnico: Otacílio Gonçalves

Gauchão 1986 – Quadrangular Final – 2º Turno – 3ª Rodada
Data: 20 de julho de 1986, domingo, 16h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre, RS
Público: 41.295 (pagantes)
Renda: Cz$ 730.574,00
Árbitro: Carlos Martins
Auxiliares: Adão Alípio Soares e Adílson da Silveira
Gol: Osvaldo

Brasileirão 1991 – Grêmio 0x0 Inter

July 10, 2021

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora) / Fonte: Súmulas -Tchê

 

As grandes atrações deste Gre-Nal estavam do lado vermelho.  Lima faria sua estreia como centroavante do Inter e Cuca enfrentaria o Grêmio pela primeira vez usando a camiseta colorada. De certa maneira essa contratações do Inter eram vista como uma espécie de troco ao Grêmio, que havia contratado os ex-colorados Nilson e Maurício na temporada anterior. Neste partida nenhum desses atletas conseguiu se destacar e o placar não saiu do zero.

Vale lembrar que além dos citados acima, outros envolvidos na partida tinha ou acabaram tendo passagens pelos dois clubes. A começar pelos treinadores (tanto o Jornal do Brasil como o Jornal dos Sports equivocadamente identificam Cládio Duarte como técnico do Inter), além de Bonamigo, Chiquinho, Luis Carlos Winck e João Antônio

Outra curiosidade é que o jogo foi marcado para uma segunda-feira à noite, em virtude do televisionamento pela Bandeirantes (que deixava de fora do estado do RS, no Jornal Folha de Hoje, de Caxias, o colunista Alfeu de Oliveira relata ter assistido ao “Gre-Nal através da antena parabólica“)

 

Foto: Paulo Franken (Zero Hora) / Fonte: Súmulas -Tchê

 

“A TORCIDA BEM QUE MERECIA UM CLÁSSICO DE MELHOR QUALIDADE
O maior destaque do Gre-Nal foi mesmo o público que lotou o Olímpico, mas o 0 a 0 não agradou ninguém. Juiz prejudicou o Inter

Um erro da arbitragem tirou do Inter a chance de vencer o Gre-Nal de ontem à noite. Foi 0 x 0, mas Lima teve um gol anulado ao receber passe de Cuca e o auxiliar Clodoaldo Oliveira marcou impedimento antes mesmo do chute certeiro do atacante, sendo endossado por Luiz Cunha Martins. Os torcedores não gostaram de um clássico que prometia muito brilho,- mas acabou opaco.

Luis Carlos cruzou, Lima bateu forte, mas Sidmar fez a defesa. Eram apenas quatro minutos e o Gre-Nal das estrelas ameaçou ser sensacional, Mas, afora urna cabeçada de Vilson, aos 34 minutos, depois da cobrança de um escanteio, o primeiro tempo foi decepcionante. Foi um jogo truncado, com muitos lances violentos e pouca inspiração, Destacou-se quem transpirou mais, caso de Darci, responsável pela condução de bola rio time gremista e Winck no apoio. A marcação superou ao resto e os goleiros não tiveram trabalho. A maior prova disso é que Maizena só tocou na bola no final, defendendo um cruzamento de Donizete,

No segundo tempo, o Grêmio foi quem ameaçou primeiro com um chute de João Antônio defendido por Maizena e o Inter chegou a marcar, aos sete, por Lima, em lance erradamente anulado pela arbitragem. Winck bateu farte em China que saiu e o jogo ameaçou melhorar. Eram 15 minutos.

Lima deixou o campo aos 22 minutos, mas o Inter ameaçou duas vezes: por Simão e por Hamilton, quando Sidmar brilhou. O Grêmio respondeu no final na saída errada de Maizena. Nilson cabeceou e a bota só não entrou pois Márcio Santos salvou. Helcinho entrou no final, mas não teve tempo de mostrar seu futebol.” (José Evaristo Villalobos, Zero Hora, terça-feira, 19 de fevereiro de 1991 / Fonte: Súmulas -Tchê)

 

Foto: Folha de Hoje

 

GRENAL É JOGO VIOLENTO QUE ACABA EM 0 A 0

PORTO ALEGRE — Alta tensão e baixo nível técnico impediram que Grêmio e Internacional saíssem do empate em 0X0, ontem, a noite, no Estádio Olímpico. Um jogo muito disputado no meio de campo e quase nulo em ações de ataque tornou-se, muitas vezes, violento e terminou com nove jogadores punidos com cartão amarelo, sendo cinco do Internacional. Terminado o jogo, o juiz Luiz Cunha, Martins quase foi agredido pelo técnico do lnter, Cláudio Duarte.

O goleiro Sidmar, do Grêmio, fez uma 1 defesa importante, aos 3 minutos de jogo e Maizena, do Internacional, fez sua primeira defesa já nos acréscimos do primeiro tempo. Isto, praticamente, resumiu o que houve de ofensivo e emocionante, na primeira etapa, para uma torcida que lotou as instalações disponíveis do estádio — uma parte das arquibancadas está interditada, por medida de segurança. O jogo já se anunciava violento, e Vilson e João Antônio do Grêmio, e Ricardo, do lnter, receberam cartão amarelo.

Logo no início do segundo tempo Maizena defendeu dois chutes perigosos do Grêmio, aos 3 e aos 18 minutos, e logo o jogo voltaria à monotonia de jogadas brutais no meio de campo.” (Jornal do Brasil, terça-feira, 19 de fevereiro de 1991)

 

Foto: Folha de Hoje

 

GRE-NAL ACABA EMPATADO EM JOGO DISPUTADO

Porto Alegre – A tradição do futebol gaúcho foi confirmada ontem no Estádio Olímpico. Grêmio e Internacional fizeram uma partida bastante disputada com uma forte marcação no meio-de-campo, o que dificultou a ação dos atacantes de ambos os times. Assim o jogo só poderia terminar sem gols. Desde o início, as duas equipes fizeram uma forte marcação no meio-de-campo, característico do futebol gaúcho. No entanto, as faltas violentas foram muitas o que obrigou o juiz Luís C nha Martins a distribuir cinco cartões amarelos, para Vilson. Ricardo, João Marcelo, Lima e João Antônio. No segundo tempo, nada mudou e o árbitro advertiu mais três jogadores – Luís Carlos Winck, Alex e Célio. No final, o técnico do Internacional, Cláudio Duarte tentou agredir o juiz”. (Jornal dos Sports, terça-feira, 19 de fevereiro de 1991)

 

Foto: Luiz Gonçalves (Zero Hora) / Fonte: Súmulas -Tchê

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora) / Fonte: Súmulas -Tchê


GRÊMIO: Sidmar; Chiquinho, João Marcelo, Vílson e China (Marquinho); João Antônio, Donizete, Assis e Darci; Maurício e Nílson
Técnico: Cláudio Duarte

INTER: Maizena, Luiz Carlos Winck, Célio Silva, Márcio Santos, Ricardo; Simão, Júlio, Paulinho Criciúma, Cuca; Aléx Rossi (Hélcinho) e Lima (Hamílton)
Técnico: Ênio Andrade

Brasileirão 1991 – Primeira Fase – 3ª Rodada
Data: 18 de fevereiro de 1991, segunda-feira, 21h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS
Público: 45.276 pagantes
Renda: Cr$ 51.448.500,00
Juiz: Luiz Cunha Martins
Auxiliares: Clodoaldo Ramon Jesus Oliveira e Gilberto dos Santos Cardoso
Cartões Amarelos: João Marcelo, Vílson, João Antônio, Luiz Carlos Winck, Célio Silva, Ricardo, Aléx Rossi, Lima

Gauchão 2021 – Inter 1×2 Grêmio

May 17, 2021

Foto: Diego Souza (Twitter)

Foto: Richard Dücker (@Ducker_Gremio)

 

Como a imensa maioria dos Gre-Nais, esse foi um jogo decidido nos detalhes. Matheus Henrique esteve envolvido em dois lances que poderiam ter mudado/mudaram a história da partida. No final do primeiro tempo ele perdeu um gol de um modo que não se pode perder em clássico. Mas não se abalou e ganhou a dividida e roubou a bola na origem do gol da virada do Grêmio.

Apesar da participação decisiva de Matheus Henrique e Lucas Silva o setor de meio de campo do Grêmio não funcionou tão bem (deu uma melhorada após a entrada de Darlan). Tiago Nunes vai ter que se acostumar com o fato de que, à exceção de Jean Pyerre, o Grêmio só tem jogadores de lado de campo ou volantes com bom passe. Faltam meias que joguem por dentro e se aproximem da área adversária.

Entendo que a Federação queira fazer ações para valorizar a final do campeonato, mas colocar um escudo do Inter na camisa do Grêmio (e vice-versa) passa de todos os limites. Os times não deveriam ter aceitado isso.

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

 

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

 

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Foto: Richard Dücker (@Ducker_Gremio)

Inter 1×2 Grêmio

INTER: Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel (Lucas Ribeiro, 40’/2ºT), Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Dourado, Edenilson, Nonato (Marcos Guilherme, 40’/2ºT); Mauricio (Caio Vidal, 22’/2ºT), Palacios (Yuri Alberto, 14’/2ºT) e Thiago Galhardo (Praxedes, 22’/2ºT)
Técnico: Miguel Ángel Ramírez

GRÊMIO: Brenno; Rafinha, Geromel, Ruan e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Fernando Henrique, 35’/2ºT), Luiz Fernando (Léo Pereira, 17’/1ºT), Maicon (Darlan, 19’/2ºT), Matheus Henrique e Ferreira; Diego Souza (Ricardinho, 35’/2ºT)
Técnico: Tiago Nunes

Gauchão 2021 – Final – Jogo de Ida
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS
Data: 16 de maio de 2021, domingo, 16h00min
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Lúcio Flor e André Bittencourt
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Rodrigo Dourado; Léo Pereira, Rafinha, Ruan e Maicon
Gols: Thiago Galhardo, aos 26 minutos do 1º tempo, Diego Souza, aos 12min e Ricardinho, aos 42min do 2ºT

Gauchão 2001 – Inter 0x0 Grêmio

May 16, 2021

Foto: Ricardo Duarte (Zero Hora)

No Gauchão de 2001, o clássico Gre-Nal disputado no Beira-Rio terminou sem movimentação no Placar. Com a vitória do Juventude no clássico Caju disputado na véspera, o Inter já entrou em campo sem chances na competição. O Grêmio, já garantido na final como vencedor do 1º turno, ainda buscava atingir a melhor campanha no geral, para poder fazer o segundo jogo da final contra o Juventude no Olímpico.

Durante a semana o Presidente José Alberto Guerreiro sugeriu que o Grêmio poupasse os titulares pensando no confronto contra o São Paulo pela Copa do Brasil. A sugestão não foi aceita, o tricolor entrou com força máxima e infelizmente Rodrigo Mendes sofreu uma lesão no ligamento do joelho direito ainda no primeiro tempo.

Esse foi  último  Gre-Nal que os dois times jogaram sem patrocínio nas camisas (no clássico anterior o Grêmio ainda estava com a camisa com patrocínio da Chevrolet)

Foto: Edison Vara (Placar)

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

 

 

“GRE-NAL TEVE MUITAS CHANCES DE GOL
As duas equipes se empenharam muito e o empate sem gol não reflete aquilo que se viu em campo

Para um jogo que não valia muita coisa, principalmente depois da vitória do Juventude sobre o Caxias, sábado, até que Gre-Nal, disputado ontem, no Beira-Rio, foi bastante movimentado. O placar em branco não retrata o que as duas equipes mostraram em campo. O resultado acabou com as chances de Grêmio e Inter superar o Juventude na classificação do returno do octogonal final do Campeonato Gaúcho.

A partida começou em alto ritmo. Antes de dois minutos, Grêmio e Inter já havia levado perigo aos goleiros Hiran e Danrlei. Aos 40 segundos, Zinho chutou de fora da área e obrigou Hiran a fazer grande defesa. A resposta colorada veio 30 segundos depois em uma jogada de Fábio Pinto, que Lê concluiu por cima. Aos 26 minutos, Paraíba desperdiçou a melhor chance de gol do primeiro tempo. No final do primeiro tempo, o zagueiro Ronaldo foi cobrar o árbitro Alexandre Barreto: “Tú é responsável pela pancadaria”, acusou o zagueiro.

Na confusão, Hiran empurrou Tite. A segunda etapa foi como a primeira: cheia de opções. Apesar disso, os atacantes nunca conseguiram levar vantagem sobre os defensores, deixando o placar em 0 a 0.” (Correio do Povo, 14 de maio de 2001 – Fonte: Grêmio Dados)

 

Foto: Mauro Vieira (Zero Hora)

INTER: Hiran; Denílson, Ronaldo, Duílio e Dênis (Leandro Guerreiro); Marcelo Rosa, William, Juca e Lê (Gil Baiano); Fábio Pinto e Luiz Cláudio (Marco Aurélio)
Técnico: Cláudio Duarte

GRÊMIO: Danrlei; Mauro Galvão, Marinho e Ânderson Polga; Itaqui, Eduardo Costa, Tinga, Zinho e Rubens Cardoso; Marcelinho Paraíba (Luiz Mário) e Rodrigo Mendes (Warley)
Técnico: Tite

Gauchão 2001 – Octogonal Final – 2º Turno – 7ª Rodada
Data: 13 de maio de 2001, domingo, 16h00min
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre, RS
Público: 11.408 (9.520 pagantes)
Renda: R$ 77.595,00
Juiz: Alexandre Barreto
Auxiliares: José Silva Oliveira e José Bittencourt.
Cartões Amarelos: Duílio, Juca, Lê; Marinho, Eduardo Costa, Zinho e Itaqui