Archive for the ‘Guaraní Paraguai’ Category

Libertadores 1997 – Grêmio 2×1 Guaraní-PAR

April 26, 2017

penalti 1

Em 06 de maio de 1997, Grêmio e Guaraní do Paraguai se enfrentaram no Olímpico pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores daquele ano. O tricolor venceu por 2×1 no tempo normal. Paulo Nunes abriu o placar no primeiro tempo. Ovellar empatou aos 41 minutos do segundo tempo e Rodrigo Gral, já nos descontos, aproveitando um balão dado antes do meio de campo por Roger.

Como o Grêmio devolveu o placar da ida, a classificação foi decidida nos pênaltis. E foi a disputa de pênaltis mais bizarra que eu já vi no estádio (lembro claramente da corrida estranha de Rodrigo Gral antes de errar a sua cobrança). O Grêmio errou 3 das suas 5 cobranças (Dinho e Arce acertaram; Mauro Galvão, Carlos Miguel e Rodrigo Graal desperdiçaram). Mas os visitantes erraram 4 (Danrlei defendeu 2) e o tricolor avançou para as quartas.

1997 GREMIO 2x1 Guarani Jose Ernesto Correio do Povo
guarany penalty danrlei materiaIMG_0069 - CopiabIMG_0071 - Copia - CopiaIMG_0071 - Copia ccp manchetecp materiacp materia2cp materia3

 

1997 GREMIO 2x1 Guarani Elias Eberhard Correio do Povo1997-guarani-paraguai-volta pioneiro1997-guarani-paraguai-volta-ricardo-chaves-pioneiro-paulo-nunes - Copia1997-guarani-paraguai-volta-ricardo-chaves-pioneiro2
guarany penalty danrlei2 - Copiaromero b1997 GREMIO 2x1 Guarani ingressos libertadores
Fotos: Júlio Cordeiro e Valdir Friolin (Zero Hora), José Ernesto e Elias Eberhard (Correio do Povo) e Ricardo Chaves (Pioneiro)

Público: 38.112 (32.664 pagantes)
Renda: R$ 234.053,00

Libertadores 2017 – Guaraní-PAR 1×1 Grêmio

April 21, 2017

2017 Libertadores Guarani 1x1 gremio lucas uebel (4)

Foi um jogo parelho, de oportunidade para os dois lados.  O Guaraní teve mais iniciativa, mas o Grêmio nunca deixou de buscar o jogo. Os gols só saíram no segundo tempo, após a expulsão de Michel. Aos 27 minutos, o veterano Hernán Rodrigo Lopez marcou de cabeça, aproveitando erro da defesa gremista (Fernandinho não acompanhou seu marcador, fazendo com que Edilson ficasse perdido entre dois adversários) e aos 34 minutos Pedro Rocha empatou, aproveitando bom passe de Arthur. Com um pouco mais de sorte o tricolor poderia ter saído com a vitória (Barrios perdeu chances que um centrovante do renome dele não costuma perder) e com um pouco de azar poderia ter sido derrotado (Marcelo Grohe fez ao menos duas grandes defesas e o juiz anulou um gol dos mandantes em um impedimento “duvidoso), mas o 1×1 foi condizente com o que aconteceu no campo.

Um empate fora de casa na Libertadores é bom resultado. O empate,  depois de sair perdendo, é bom resultado. Empate, jogando com um jogador a menos desde os 15 do segundo tempo é bom resultado. Um empate que mantém o time na primeira posição do grupo é bom resultado. E um empate jogando com somente 2 titulares é bom resultado. Ocorre que a escalação 9 reservas foi uma escolha do Grêmio. Uma escolha estranha, uma escolha sui generis (única comparação possível na história do clube na Libertadores aconteceu em 2003, quando o Grêmio iniciou a partida contra Bolivar com apenas 4 titulares. Mas naquela ocasião o time já estava garantido na primeira posição do grupo).

Creio ser um equívoco tirar jogadores de uma partida de Libertadores para poupá-los para um confronto de Gauchão. Me parece ser um falta de visão da dimensão que essas competições possuem atualmente e uma escolha demasiadamente imediatista.  As justificativas apresentadas pelos dirigentes e pelos profissionais foram pouco claras e um tanto contraditórias. Espinosa falou que a escalação do time se daria com base em informações médicas/fisiológicas. Renato falou em “poupar para não perder ninguém” e o Presidente Romildo Bolzan Jr. falou que “a própria classificação que o Internacional obteve contra o Corinthians tenha dado uma dimensão maior” ao Gauchão. Essa última frase é a que mais me preocupa, uma vez que o Grêmio costuma se atrapalhar quando foca excessivamente no seu principal rival.

2017 Libertadores Guarani 1x1 gremio lucas uebel (3)

Pedro Rocha deu assistência contra o Zamora, sofreu pênalti contra o Iquique e fez gol ontem. Mas tem quem não queira ele de titular.

Não me parece certo que Everton seja reserva do Fernandinho. Não se levarmos em conta o que os dois já fizeram com a camisa do Grêmio e o potencial de evolução na carreira de cada um dos atletas.

Arthur fez grande partida. Não errou passe.

Eu não marcaria pênalti no lance em que Fernandinho chutou a bola na mão zagueiro do Guaraní e também não marcaria no lance em que Camacho cai na área após trombar com Thyere.

Marcelo Grohe jogou com a meia amarela de um dos seus uniformes do ano passado. Por falar em uniforme, gostei muito dessa jaqueta/capa de chuva que os reservas estavam usando (espero que seja colocada a venda. É uma peça muito útil para quem costuma ir ao campo).

2017 Libertadores Guarani 1x1 gremio lucas uebel (1)
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Guaraní 1×1 Grêmio

GUARANÍ-PAR: Alfredo Aguilar; Carlos Rolón, Nery Bareiro, Luis Cabral e Marcelo Baez; Luis De la Cruz (Bogarín), Marcelo Palau, Juan Aguilar, Hernán Novick (Rodrigo López) e Epifanio García; Néstor Camacho (Marin)
Técnico: Daniel Garnero

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Rafael Thyere, Bressan e Bruno Cortez; Jaílson, Arthur, Michel, Fernandinho (Kaio) e Lincoln (Pedro Rocha); Lucas Barrios (Everton)
Técnico: Renato Portaluppi

Libertadores 2017 – Grupo 8 – 3ª Rodada
Data: 20/04/2017, quinta-feira, às 19h30min
Local: Estádio Defensores del Chaco, em Assunção-PAR
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Auxiliares: Alexander Guzman e Cristian de la Cruz
Cartões amarelos: Michel, Bressan, Pedro Rocha, Marcelo Grohe (GRE)
Cartão vermelho: Michel, aos 15 do 2º tempo
Gols: Rodrigo López, aos 27 minutos do segundo tempo (GUA); Pedro Rocha, aos 34 minutos do segundo tempo (GRE)

Libertadores 1997 – Guaraní-PAR 2×1 Grêmio

April 20, 2017

1997 Guarani Paraguay 2x1 Andre Silva ZH

Grêmio e Guaraní do Paraguai já se enfrentaram pela Libertadores. Foi há 20 anos, nas oitavas de final da edição de 1997.

Para o primeiro confronto, no Defensores Del Chaco, o tricolor tinha uma série de desfalques, e o treinador Evaristo de Macedo se viu obrigado a promover a estreia do centroavante Maurício Pantera.

Sem Carlos Miguel e Paulo Nunes, o Grêmio fez um primeiro tempo muito ruim, levando um gol (de Ovellar, em posição de impedimento) logo aos cinco minutos de jogo. O lateral André Silva, jogando improvisado no meio de campo, empatou a partida aos 17 minutos do segundo etapa. Mas a 10 minutos do fim, Ovellar marcou novamente  para os mandantes. O detalhe é que mais uma vez o atleta do Guaraní estava impedido no lance do gol, o que acabou gerando revolta da equipe do Grêmio e a expulsão de Rivarola e Evaristo.

Não fosse isso bastante, Evaristo de Macedo, então com 63 anos de idade, foi agredido pelo policiamento ao ser retirado do gramado.

1997 guarani paraguay 2x1 gremio mauricio zhzh 01 manchete e reportagem1997 Guarani Paraguay 2x1 evaristo ZH
“Depois de retirado de campo e refeito dos golpes, Evaristo reapareceu nas arquibancadas, em meio à torcida do Grêmio. Admitiu, mais tarde, que o Grêmio não merecia ganhar e criticou a violência policial. “São uns covardes”, reclamou. “Se ficam sozinhos com a gente saem correndo, mas colocam a farda e viram valentes.” O Grêmio deixou o estádio sob escolta policial e ameaça de apedrejamento.” (Leonardo Oliveira, Zero Hora, 24 de abril de 1997)

 

1997 guarani paraguay 2x1 gremio - CopiaB
1997-guarani-paraguay-2x1-gremio-roger-zh
Fotos: José Doval (Zero Hora)