Archive for the ‘Libertadores 2016’ Category

Libertadores 2016 – Rosario Central 3×0 Grêmio

May 6, 2016

 

E não deu. Pela quarta vez seguida o Grêmio é eliminado da Libertadores nas oitavas de final.
Eu ainda esperava algum tipo de reação. Era difícil acreditar que o time faria uma apresentação tão ruim quanto a do jogo de ida. O Grêmio teve uma semana para encontrar alguma saída para a partida fora de casa. Mas em campo não se viu nada. A atuação foi completamente apática.  O Grêmio tomou  gol logo no início do jogo. Levou o segundo em pênalti totalmente desnecessário e sofreu o terceiro na volta para o segundo tempo. O “roteiro” não poderia ser pior. Na soma dos dois jogos o Grêmio só acertou 4 chutes NO gol do adversário. Muito pouco para quem iria tocar cinco.

 

Gosto dos conceitos e do trabalho do Roger. Não gostaria de ver ele demitido neste momento. Do jeito que o futebol é pensado no clube, a probabilidade de seu eventual substituto ser um treinador de potencial inferior é muito grande. Mas isso não significa afirmar que o nosso técnico não tem nenhuma culpa nos insucessos de 2016. O fato de que nenhum jogador teve um desempenho minimamente razoável nos dois confrontos contra o Rosario Central deve passar também pelo tipo de jogo que foi pensado pelo treinador.

 

 

Foi feio. Muito feio. Quanto antes se reconhecer isso, mais fácil (ou menos) fica de corrigir. Até aqui o Grêmio vem gastando muita energia para tentar justificar o injustificável e acaba pensando pouco nas soluções dos seus problemas. Somado a isso, temos ainda uma triste postura de censurar críticas, de constranger a oposição. Postura essa que obviamente não trouxe nenhum resultado. Só serviu para alijar  pessoas.  Uma instituição em dificuldade não pode abrir mão de pessoas dispostas a colaborar. Mas no Grêmio, estranhamente, a regra é a da exclusão.

 

Já podemos afirmar que o planejamento do Grêmio para 2016 foi mal pensado. Algumas carências ficaram bastante evidentes. Galhardo e Erazo estavam longe de ser sumidades e ainda assim o clube não consegui encontrar substitutos para as suas respectivas posições. Entendo que existam algumas dificuldades, mas fico bastante preocupado com a ausência de autocrítica na diretoria e a constante tentativa de “terceirizar” a culpa pelos fracassos do clube.

 

Fotos: Rosario Central, Central de Esportes (Rádio Gaúcha) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

ROSARIO CENTRAL: Sosa; Salazar, Burgos, Donatti e Pinola; Musto (Gil Romero, 36’/2ºT), Montoya (Álvarez, 41’/2ºT), Fernández e Cervi; Herrera e Marco Ruben (Lo Celso, 34’/ºT)
Técnico: Eduardo Coudet
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Geromel, Fred e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Pedro Rocha, int.) e Luan; Bolaños (Bobô, 17’/2ºT)

Técnico: Roger Machado

Libertadores 2016 – Grêmio 0x1 Rosario Central

April 29, 2016

O Grêmio teve uma atuação abaixo da crítica e foi derrotado em casa pelo Rosario Central, se complicando na Libertadores. Diferente do que aconteceu na partida contra o Toluca no México, dessa vez o problema do time não foi apatia. Os jogadores mostraram disposição, mas cometeram uma quantidade significativa de erros, alguns deles grosseiros. O problema é que o tricolor parecia não ter nenhuma alternativa ou recurso para sair da pressão na saída de bola imposta pelo adversário. Os meias não recuaram para auxiliar na distribuição do jogo. Não houve tentativa de explorar os espaços deixados na defesa adversária com bolas longas. Nada. O Grêmio jogou da mesma maneira durante os 90 minutos, abusando de erros em fundamentos básicos. O tricolor teve 64% de posse de bola, mas só tentou 4 conclusões e somente uma chance clara de gol (na bola que sobrou para o Bolanos após um escanteio) O time teve Apesar de ter sido amplamente avisado sobre as características do Central, o capitão Maicon estranhamente disse que “a gente tinha analisado os jogos deles e não tinha visto eles jogarem da maneira que fizeram hoje“.

Nem em um time de várzea seria aceitável tomar o gol que o Grêmio tomou. Bressan sempre teve limitações, mas antes ao menos poderia se dizer que ele passava segurança na bola área. Hoje não há mais como repetir tal frase.

Mas não é o caso de crucificar um único jogador. Nenhum jogador do Grêmio teve um desempenho minimante aceitável. NENHUM.

 Pedro Geromel fez muita falta.

O mais bizarro é que eu sigo achando que temos chances. Mesmo com toda a pane gremista o Central só foi fazer gol num erro grosseiro da defesa gremista. Apesar de terem controlado totalmente o jogo, os argentinos só tiveram mais uma situação concreta de gol, que foi aquela bola que Ruben acertou o travessão após o encobrir Marcelo Grohe. É pouco provável que o  Grêmio não apresenta uma melhora em Rosario (mas talvez isso seja só eu tentando me iludir)

É uma pena que o presidente Romildo Bolzan não tenha falado após o jogo em virtude de uma crise de pressão alta. Mas um dos seus 6 vice-presidentes deveria ter se pronunciado. Da mesma maneira me pareceu estranho o silêncio do Vice de Futebol César Pacheco.

Fotos: Rosario Central.com e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio Grêmio 0x1 Rosario Central Rosario Central

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Ramiro, Fred, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon (Everton – 15’/2º T), Douglas (Lincoln – 26’/2º T) e Giuliano; Luan e Miller Bolaños (Bobô – 20’/2ºT)
Técnico: Roger Machado.

ROSARIO CENTRAL: Sosa, Salazar, Burgos, Donatti e Pinola; Montoya, Musto, José Fernández e Cervi (Gil Romero – 47’/2ºT); Herrera e Marco Rubén (Lo Celso – intervalo)
Técnico: Eduardo Coudet

Libertadores 2016 – Oitavas de Final – Jogo de ida
Data: 27/04/2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 34.621 (31.762 pagantes)
Renda: R$ 1.271.921,00
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Assistentes: Jonny Bossio e Braulio Cornejo (Peru)
Cartões amarelos: Burgos, Pinola, Lo Celso, Musto e Cervi (Central); Bressan, Fred, Walace, Maicon e Miller Bolaños (Grêmio).
Gol: Marco Ruben  aos 18 minutos do 1º tempo

Médias de Público na Fase de Grupos da Libertadores

April 24, 2016

Fiz um levantamento da média de público e renda dos times brasileiros na fase de grupos da primeira fase da Libertadores. O Grêmio tem a 2ª melhor média de público e a 3ª melhor média de renda.
É preciso ressaltar que alguns comparativos ficam prejudicados. Apenas Corinthians divulgaram o público pagante e total de todos os seus jogos em casa. Na questão das rendas, um comparativo mais completo levaria em conta a questão dos sócios e sócio-torcedor. No Grêmio, os sócios patrimoniais/contribuintes não pagam ingresso, mas a cada um que vai ao jogo é atribuído um valor para fins de pagamento de taxas e impostos. De tal modo, na realidade o Grêmio arrecada menos por jogo do que essa média acima.
Por curiosidade, deixo abaixo a média de público do Grêmio nas outras fases de grupos de Libertadores que participou. Lembrando que em 1984 e 1996 o Grêmio não jogou a fase de grupos e que nessa conta não entram os jogos de primeira fase (ou Pré-Libertadores). Na atual edição o Grêmio teve sua segunda melhor média.

Libertadores 2016 – Grêmio 1×0 Toluca

April 21, 2016

Era a última rodada da fase de grupos. Toluca e Grêmio já estavam classificados. Os mexicanos, que comumente não precisam de muitos motivos para avacalhar a Libertadores,  não perderiam a primeira colocação com derrota e entraram em campo com os reservas. O tricolor tinha um pouco mais de interesse no confronto, buscando melhorar seu ranqueamento para confrontos das fases seguintes. Nos primeiros 20 minutos o Grêmio demonstrou esse maior interesse e foi para cima do visitante, se postando no campo de ataque, rodando a bola nas proximidades da área adversária e criando algumas situações. Aos 15 minutos, Luan deu um belo lançamento para dentro da área, onde Ramiro tinha se “infiltrado” para completar de cabeça para a redes. Mas pouco depois desse gol o Grêmio diminuiu sensivelmente o seu ritmo e seu nível de concentração. O time até seguiu buscando um segundo gol, mas fez isso com alguma displicência. Por sua vez, os mexicanos não mostravam muito ímpeto e organização para ameaçar a vitória tricolor.

Público de ontem foi interessante. Maior do que o do jogo contra o Nacional em 2014, quando o Grêmio igualmente já estava classificado.
E essa foi a segunda melhor média de público do Grêmio na fase de grupos da Libertadores. Só na edição de  2007 o público foi superior. 

Grêmio Grêmio 1×0 Toluca Toluca


GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Geromel (Bressan, int), Fred e Marcelo Oliveira;Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Lincoln, 17’/2°) e Luan; Bobô (Henrique Almeida, 21’/2º).

Técnico: Roger Machado.

TOLUCA: Sánchez; Gamboa, Jordan Silva, Pérez e Quezada; Navarro, Brambilla, Velasco e aucedo; Arellano e Lobos(Esquivel, 12’/2º)
Técnico: José Cardozo 

06ª Rodada – Grupo 6 – Libertadores 2016
Data: 20 de abril de 2016, terça-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre – RS
Público: 34.628 (31.782 pagantes)
Renda: R$ 1.377.475,00
Árbitro: Gustavo Murillo (Colômbia)
Assistentes: Wilmer Navarro e Alexandre León
Cartões Amarelos: Henrique Almeida (Grêmio); Brambila e Lobos (Toluca)
Gol: Ramiro, aos 15 minutos do primeiro tempo.

Libertadores 2016 – LDU Quito 2×3 Grêmio

April 14, 2016

O Grêmio jogou bem, atuando com inteligência e simplicidade, e assim conseguiu um importante vitória (e a classificação) em Quito.  Com a bola o time procurava jogar com toques curtos e bastante movimentação. Na defesa o tricolor se precaveu bem da tentativa de explorar a bola aérea feita pela LDU. Os mandantes assustaram no começo, mas o gol marcado por Romero aos 2 minutos foi corretamente anulado por impedimento. O Grêmio passou a ficar com a bola, apostando no desespero do adversário. Deu certo. Aos 12 minutos Douglas apareceu pelo lado direito de ataque, acionou Luan pelo centro e entrou em diagonal na área para receber de volta, cortar o zagueiro e fazer o 1×0.   Aos 25 foi Giuliano que apareceu pelo meio e buscou Bobô dentro da área. O camisa 13 não desperdiçou e concluiu com tranquilidade na saída do goleiro Domínguez. Primeiro tempo de luxo do tricolor.

Logo aos 30 segundo do tempo a LDU conseguiu descontar, com Quintero, que avançou com alguma facilidade pelo lado esquerdo da defesa gremista. Contudo o Grêmio reagiu bem. Aos 7 minutos o goleiro Domínguez cortou um cruzamento para a entrada da sua área. Lá estava Walace, que tirou a bola de uma poça da água e colocou ela na gaveta. Mas apesar da vantagem, o Grêmio decaiu bastante na última meia hora de jogo. O time não conseguiu mais reter a bola no campo de ataque. Aos 32 minutos Cevallos descontou num chute de fora da área que desviou em Giuliano e Marcelo Grohe demorou a reagir. Os últimos lances da partida forma bastante tensos, uma vez que os atletas gremistas aparentam ter dificuldade até para dar chutão para frente e a LDU seguiu levantando bola na área até o apito final. 



Assim como aconteceu em 2014, o Grêmio se classificou no “grupo da morte” antes da última rodada.
Walace é um monstro. Sua presença em campo faz muita diferença no desempenho do time, especialmente pela capacidade levar a bola para o ataque com velocidade e qualidade.
Bobô está com uma média de gols muito boa nessa temporada.
Segundo o Gamecast da ESPN  Geromel jogou bastante recuado na sobra e Edinho atuou quase na mesma linha do Fred. 

Mesmo com quase uma semana de treinamento e adaptação em Quito deu pra ver que o time sentiu bastante o cansaço nos minutos finais. Mas não podemos desconsiderar que nem todas as substituições feitas no segundo tempo deram resultado. Pedro Rocha e Lincoln não conseguiram segurar a bola no ataque.
O Grêmio só tem usado essa meia toda preta (mais bonita na minha opinião) na Libertadores.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Eduardo Moura (Globo Esporte)

LDU Quito LDU Quito 2×3 Grêmio Grêmio

LDU: Domínguez; Quintero (Padilla, 27’/2º), Romero, Ayoví e Estupiñan (Cevallos, 18’/2º); Vega, Benavidez, Morales, Brahian Alemán; Puch (Villalva, 3’/2º) e Tenorio.
Técnico: Álvaro Gutiérrez
GRÊMIO:Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Geromel, Fred e Marcelo Hermes; Edinho, Walace, Giuliano, Douglas (Pedro Rocha, 32’/2º) e Luan (Bressan, 39’/2°);Bobô (Lincoln, 37’/2°)
Técnico: Roger Machado
05ª Rodada – Grupo 6 – Libertadores 2016
Data: 13/04/2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito (Equador)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann e Raúl Orellana (trio chileno)
Cartões Amarelos: Alemán e Tenorio (LDU); Bobô, Grohe e Wallace Oliveira (Grêmio)
Gols: Douglas, aos 12 minutos do 1º tempo, Bobô aos 25 minutos do 1º tempo; Quintero, aos 30 segundos, Walace, aos 7 minutos do 2º tempo e Cevallos, aos 32 minutos do segundo tempo

Libertadores 2016 – San Lorenzo 1×1 Grêmio

March 16, 2016

Não havia como o jogo começar de maneira pior para o Grêmio. Com dois minutos, Marcelo Oliveira cometeu um pênalti inexplicável, derrubando Belluschi, que estava saindo da área e levaria a bola para a linha lateral. Ortigoza cobrou onde nenhum goleiro consegue defender e o San Lorenzo saiu na frente. O tricolor até tentou uma resposta imediata, mas rapidamente sucumbiu, errando passes e cedendo contra-ataques. Assim acabou escapando de levar o segundo gol ainda no primeiro tempo em diversas oportunidades (Grohe fez duas defesas espetaculares, Blanco acertou o travessão e Geromel, como já é de costume, salvou um bola em cima da linha)
No segundo tempo o volume de jogo do San Lorenzo diminui, mas isso não fez com que o Grêmio criasse mais. Na verdade o tricolor mal conseguia se aproximar do gol defendido por Torrico. As tentativas de ligação direta eram rebatidas pela zaga adversária e os rebotes eram sempre apanhados pelos atletas do San Lorenzo. Em meio a tantos defeitos, o Grêmio teve um mérito: Persistência. Aos 44 minutos, Maicon aproveitou um passe errado e lançou Everton, que por sua vez cruzou rasteirao para o meio da área. Lá estava Bobô, trombando com a zaga, fazendo com que a bola sobrasse para Lincoln fazer o 1×1.

Pelo que o Grêmio jogou o resultado foi “criminoso”. O San Lorenzo acabou sendo punido pela Lei de Finagle.

Mais uma vez o Grêmio teve mais posse de bola que o adversário. A questão é saber o que fazer quando o time tem a bola. Ano passado o Grêmio parecia ter isso bem claro na sua proposta de jogo. O mesmo ainda não se verificou em 2016.
Assim como aconteceu na partida da Arena, o San Lorenzo deixou Edinho livre com a bola, concentrando a marcação em outros atletas. E o Grêmio ainda não encontrou uma resposta para esse movimento do adversário (que provavelmente irá se repetir na temporada).
Um fator que me tranquiliza é que, desconsiderando uma referência banalmente desnecessária a “imortalidade”todos no Grêmio pareciam bem conscientes que o time teve um desempenho muito abaixo do esperado.
Na questão dos detalhes que talvez sejam desimportantes, deu pra ver que dessa vez o Grêmio usou uma meia toda preta, ao contrário do que fez contra o Cruzeirinho no sábado (onde usou a meia preta com duas listras do ano passado)

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Daniel Jayo (La Nacion) e Olé

San Lorenzo San Lorenzo 1×1 Grêmio Grêmio

SAN LORENZO: Torrico; Buffarini, Caruzzo, Angeleri e Emanuel Más; Mussis (Blandi, 45’/2º), Ortigoza, Belluschi e Blanco (Romagnoli, 16’/2º); Cerutti e Cauteruccio (Matos, 28’/2º).
Técnico: Pablo Guede
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho e Maicon; Giuliano (Bobô, 19’/2º), Douglas (Lincoln, 19’/2º) e Everton; Luan (Pedro Rocha, 31’/2º).

Técnico: Roger Machado

Libertadores 2016 – Grupo 6 – 4ª Rodada
Data: 15 de março de 2016, terça-feira, 21h45min
Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires-ARG
Árbitro: Andres Cunha (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Carlos Pastorino (URU)
Cartões amarelos: Ortigoza, Maicon, Marcelo Oliveira
Gols: Ortigoza (de pênalti) aos 3 do 1º tempo e Lincoln aos 44 minutos do 2º tempo

Libertadores 2016 – Grêmio 1×1 San Lorenzo

March 12, 2016

 

Apesar do San Lorenzo ter chegado nessa partida em situação mais delicada, foi o Grêmio que se mostrou mais nervoso a partir do apito inicial. Os argentinos focavam sua marcação em cima de Maicon, deixando Edinho livre para jogar, o que acabou causando dificuldade para o tricolor propor o jogo. O time de Pablo Guede aproveitava das inúmeras jogadas precipitadas do ataque gremista para sair jogando com tranquilidade, com a bola no chão, usando os lados do campo para contra-atacar com perigo. O Grêmio estava num mau momento quando saiu na frente, aos 24 minutos. Falta sofrida por Wesley que Fred bateu e contou com uma boa colaboração do goleiro Torrico para fazer o 1×0. O San Lorenzo não se abalou com o gol sofrido e chegou ao empate 8 minutos mais tarde. Também numa bola parada, onde o Grêmio posicionou todos seus jogadores praticamente dentro da grande área e mesmo assim não evitou a cabeçada de Cauteruccio.

No segundo tempo o Grêmio não se encontrou mais em campo. Os jogadores mais criativos pareciam sentir a sequência de jogos. Quando Roger substitui eles, optou por um esquema heterodoxo, com dois centroavantes, Fernandinho pela esquerda e Everton pela direita. Era de se imaginar que o tricolor iria apelar para a bola aérea. Mas nem isso o time Grêmio conseguiu fazer, pois acabou perdendo o controle do jogo ao abrir mão do meio de campo e por pouco não perdeu o jogo.

 

 

Um dos grandes diferenciais de Roger é a sua capacidade de enxergar o jogo e falar de maneira sincera e didática sobre o que aconteceu na partida na coletivas. Infelizmente ele não agiu dessa forma ao dizer que não viu o time cansar. Ficou estranho, até mesmo porque o cansaço de alguns jogadores, como Luan e Giuliano, era evidente.
E a Arena acabou sim recebendo mais de 120 mil nessa sequência de três grandes jogos. Uma pena que se tenha visto portões fechados na entrada do público. Uma pena que não se vê nenhuma providência sendo tomada para melhor a saída da torcida no final do jogo (começando pelos ambulantes bloqueando a saída das rampas e indo até a questão do trânsito no entorno do estádio).
É importante lembrar que o Grêmio somou 5 dos 9 pontos destes últimos jogados em casa.

 

Geromel mais uma vez jogou muito. Se ele faz o gol naquele chute da intermediária teria que sair carregado na saída do campo. A propósito, sou só eu que acha estranho que o departamento de marketing não tenha feito nada para aproveitar/capitalizar esse momento de (merecida) idolatria do nosso camisa 3?
O camisa 16 Belluschi é um jogador que eu acompanho desde a época do Newell´s. Ainda não tinha tido uma grande atuação na Libertadores. Infelizmente deixou pra começar a fazer a diferença justamente na Arena.

 

 

Grêmio Grêmio 1×1 San Lorenzo San Lorenzo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wesley, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon; Giuliano (Fernandinho, 25’/2º), Douglas (Henrique Almeida, 31’/2°) e Everton; Luan (Bobô, 14’/2º).
Técnico: Roger Machado
SAN LORENZO: Torrico; Buffarini, Angeleri, Caruzzo e Mas; Mussis; Belluschi, Ortigoza e Blanco; Cerutti (Romagnoli, 39’/2º) e Cauteruccio (Matos, 28’/2º).
Técnico: Pablo Guede
03ª Rodada – Grupo 06 – Libertadores 2016
Data: 09 de março de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 41.927 (39.176 pagantes)
Renda: R$ 2.104.161
Árbitro: Daniel Fedorzuck (URU) Assistentes: Nicolás Taran e Richard Trinidad (URU)
Cartões Amarelos: Edinho e Marcelo Oliveira, Mussis, Ortigoza e Angeleri

Gols: Fred, aos 24 minutos do 1º tempo e Cauteruccio, aos 32 minutos do 1º tempo

Libertadores 2016 – Grêmio 4×0 LDU Quito

March 5, 2016

No momento de maior pressão o Grêmio fez sua melhor partida na temporada. Não foi uma atuação perfeita, mas o tricolor mostrou bastante intensidade e foi muito eficaz em converter as chances que teve/criou.
O fato do primeiro gol ter saído cedo foi fundamental para afastar qualquer negatividade/insatisfação que rondava a Arena. Aos 11 minutos, Maicon chutou mal, mas Luan conseguiu antecipar a zaga e fazer o pivô para o capitão gremista mandar pro gol na sua segunda tentativa. Apesar da vantagem, o time gremista seguiu bastante agitado, exemplo disso pode ser visto num lance que Geromel derrubou Fred quando os dois buscavam afastar a “mesma” bola. A tranquilidade só veio aos 36 minutos, quando Luan aproveitou uma saída errada da LDU e lançou o estreante Bolaños, que inteligentemente concluiu rápido, enquanto o goleiro se adiantava para fechar o ângulo.
No início do segundo tempo, Romero recebeu o segundo amarelo e foi expulso (o que já devia ter acontecido no final do primeiro tempo quando ele derrubou Luan que sairia de frente com o goleiro). A partir daí o Grêmio mostrou maturidade, não se expondo desnecessariamente e esperando pelos espaços que a LDU daria ao tentar uma reação. E esses espaços só foram aparecer perto do final da partida. Aos 37, Henrique Almeida fez jogada individual e marcou o terceiro gol num forte chute de fora da área e aos 44 Everton recebeu na área e teve tranquilidade para deslocar o goleiro Dominguez e estabelecer o 4×0.

Roger foi muito feliz ao dizer que “Não está tudo certo agora, como não estava tudo errado antes“.

Além de ter conseguido converter as oportunidades criadas, outro fator importante para a vitória foi o fato de não ter tomado gols. Foi apenas a quarta partida nas doze disputadas até aqui na temporada que isso aconteceu.
Não sei se foi uma orientação ou uma circunstância do jogo, mas o Giuliano atuou bem mais próximos dos volantes do que dos homens de frente
Nos primeiros minutos da partida eu fiquei preocupado ao notar que foi Luan o escolhido para mudar o seu posicionamento (saiu do centro do ataque para a ponta esquerda) para a entrada de Miller Bolaños. Mas isso não prejudicou o seu rendimento. Os homens de frente do Grêmio se movimentaram bastante. Luan não ficou fixo pelo lado esquerdo. Apareceu na marca do pênalti para fazer o pivô no primeiro gol e estava pela meia direita para fazer o lançamento no segundo gol.
Se fosse levado em conta unicamente a questão do desempenho em 2016, Everton não merecia ser o escolhido para sair do time para a entrada de Bolaños. Importante que ele tenha conseguido marcar o gol nos poucos minutos que jogou.
A estreia do Miller Bolaños deixou bem esperançosa a torcida, especialmente porque ele ainda não está plenamente adaptado ao esquema de jogo. Quando estiver, tende a melhorar a sua contribuição.

Muito legal ver o retorno de diversos materiais na torcida, como papel picado. Difícil entender porque isso não aconteceu antes. Só acho que bandeirão nas primeiras filas de uma Arena é algo bem anacrônico.
Na mesma noite, o Corinthians também jogou em casa pela Libertadores. O número de pagantes foi parecido (35.065 em Porto Alegre e 38.818 em São Paulo) mas tivemos um número seis vezes maior de não pagantes no Humaitá (2.637 contra 428 em Itaquera). 

Grêmio Grêmio 4×0 LDU Quito LDU Quito

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira (Marcelo Hermes, 21’/2º), Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon, Giuliano, Douglas e Luan (Henrique Almeida, 35’/2º); Miller Bolaños (Everton, 26’/2º)
Técnico: Roger Machado
LDU: Domínguez; Quinteros (Luís Bolaños, 20’/2°), Luis Romero, Araujo e Estupinãn; Édison Vega, Fernando Hidalgo, Benavídez e Brahian Alemán (Puch, 27’/2º); Diego Morales e Tenorio (Padilla, 9’/2º). 
Técnico: Cláudio Borghi

02ª Rodada – Grupo 6 – Libertadores 2016
Data: 2 de março de 2016, quarta-feira, 21h45min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 37.702 (35.065 pagantes)
Renda: R$ 1.581.618,00
Árbitro: Jesús Valenzuela (Venezuela)
Auxiliares: Carlos López e Luis Sánchez.
Cartões amarelos: Romero, Araujo (LDU de Quito); Pedro Geromel, Maicon (Grêmio).
Cartão vermelho: Romero, aos 2 minutos do 2º tempo(LDU de Quito).
Gols: Maicon, aos 11 do 1º tempo; Miller Bolaños, aos 36 do 1º tempo; Henrique Almeida aos 37 do 2º tempo; Éverton, aos 44 do 2º tempo.

Libertadores 2016 – Toluca 2×0 Grêmio

February 18, 2016

Foi uma péssima estreia. Uma das piores atuações do tricolor sob o comando do Roger. Desde o início do jogo o Grêmio se mostrou inexplicavelmente apático, permitindo que o Toluca ficasse com posse de bola e oferecesse perigo com um grande número de cruzamentos na área. Por sorte os mandantes não converteram esse domínio inicial em gols e o Grêmio pode reagir ainda no primeiro tempo, criando algumas jogadas no campo de ataque, tendo arremates e perdendo um grande oportunidade na bola que Everton chutou próximo a trave
Aos 35 minutos, Velasco foi expulso ao agredir Douglas. Era de se imaginar que o Grêmio cresceria no segundo tempo com esse cenário favorável. Mas não foi isso que aconteceu. Logo aos 40 segundo s da segunda etapa  Triverio saltou sozinho, mesmo sendo acompanhado de perto pelos defensores gremista, e marcou o 1×0. O Grêmio não conseguiu reagir. Não criou nenhuma situação concreta e praticamente não adentrou mais na área do adversário. O time atuava de maneira tão desorganizada que ficava fácil esquecer que o Toluca jogava com 10. Pra piorar, aos 31, Triverio cavou pênalti ao diminuir passada quando Geromel chegava por trás. O juiz marcou o avante argentino converteu, estabelecendo o 2×0 final.

Douglas foi o nosso jogador com maior disposição e intensidade no jogo. O que diz muito sobre a atuação tricolor.

O Grêmio anda com muita dificuldade para retomar a bola. São raros os desarmes. Os adversários costumam chegar perto da nossa área em quase toda as suas jogadas. Isso já tinha trazido grande problemas contra o São José e se repetiu ontem.
Achei bem preocupante a declaração do Edinho afirmando que “volante não cobre lateral no esquema do Roger. Ora o Maicon sai na diagonal, ora saio eu. Geralmente é o zagueiro quem cobre, e o volante entra no lugar do zagueiro“. Não é a toa que a defesa tem sido pega fora de lugar nos cruzamentos. Os zagueiros parecem estar desprotegidos.
gamecast da ESPN deixa bem claro que o Grêmio só foi ter um jogador de frente aberto pelas pontas após a entrada de Fernandinho.

Eu gosto muito do trabalho e dos conceitos do Roger. Mas como qualquer técnico, ele comete os seus erros. Não dá pra entender como que o Pedro Rocha, que foi titular em boa parte de 2015 acabou sobrando do banco, ficando atrás de vários outros jogadores de contribuição muito inferior. Esse é o tipo de injustiça que poderia ser evitada através da supervisão de um diretor diligente. Mas quem deveria fazer esse papel está mais preocupado em usar a sua “jaqueta da sorte“.
O tropeço foi feio, mas felizmente aconteceu cedo, tendo o Grêmio tempo e condições para reverter a situação. Mas me preocupa o clima vivido pelo clube. Entendo que o presidente queira fazer uma manifestação tranquilizadora, mas acho que passa do ponto quando diz que não há motivo para se assustar“. Ainda mais grave é a censura que alguns tentam impor, com o discurso de que os questionamentos e contestações são “absolutamente dispensáveis e completamente inúteis”. Acho que esse caminho de  tentar impedir/ignorar as críticas é bastante perigoso. 

Fotos: TolucaFC.com e Eduardo Moura (Globo Esporte)

Toluca Toluca 2×0 Grêmio Grêmio

TOLUCA: Talavera; Flores, Paulo da Silva, Jordan Silva e Rodríguez; Rios, Velasco, Arellano (Cueva, intervalo) e Ortiz; Esquivel e Triverio (Saucedo, 42/2ºT). 
Técnico: José Cardozo 
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon, Giuliano (Fernandinho, 16’/2ºT) e Douglas (Lincoln, 32’/2ºT); Everton e Luan (Henrique Almeida, 22’/2ºT). 

Técnico: Roger Machado

Libertadores 2016 – Grupo 6 – 1ª Rodada
Data: 17/2/2016, quinta-feira, 0h15min
Local: Estádio Nemesio Diez, em Toluca-MEX
Árbitro: Gery Vargas (BOL)
Auxiliares: Javier Bustillos e Juan Montaño (BOL)
Cartões amarelos: Ortiz (TOL) Douglas, Wallace Oliveira e Maicon (GRE)
Cartões vermelhos: Velasco aos 35 do 1ºT
Gols: Triverio, aos 40 segundos do 2ºT e Triverio (de pênalt) aos 31 minutos do 2º tempo