Archive for the ‘Maracanã’ Category

Brasileirão 2014 – Flamengo 0x1 Grêmio

September 9, 2014
 

Durante a semana que antecedeu o jogo, chegou-se a cogitar que o Grêmio seria escalado num 3-5-2 para enfrentar o Flamengo. Mas Felipão decidiu manter o time no 4-1-4-1 dos últimos jogos, com Walace fazendo o papel do suspenso Ramiro, e essa opção se mostrou acertada. Não só o tricolor freou o entusiasmo inicial da torcida flamenguista, que compareceu em peso no Maracanã, como também foi claramente superior durante toda a primeira etapa. O Grêmio adiantou suas linhas, afastando o Flamengo de perto do gol defendido por Marcelo Grohe e manteve a bola na sua intermediária ofensiva. E, ainda que tenha faltado  um pouco de paciência e criatividade para trabalhar jogadas ataque, o Grêmio ainda assim criou situações de gol a partir de chutes de longa distância, especialmente com Fellipe Bastos.


O Flamengo melhorou no segundo tempo, usando a velocidade no seu lado direito para atacar. Foi dali que saíram dois bons cruzamentos para Alecsandro, mas na primeiro o centroavante rubro-negro cabeceou para fora e no segundo ele tentou uma pretensiosa bicicleta. Nos demais lances Marcelo Grohe passou tranquilidade para sua defesa e o Grêmio jogava por uma bola no contra-ataque, o que acabou acontecendo, mas Dudu ficou sem ângulo após a boa saída de gol de Paulo Victor. Aos 46, quando o empate já não parecia um mau negócio, Fernandinho recebeu na ponta direita e entrou na diagonal, a bola chegou em Luan, que com espantosa tranquilidade entrou a dribles na área adversária e mandou a concluiu junto a trave. 1×0 para o Grêmio e mais três pontos na conta tricolor.


 Luan é novo, ainda tem pouca experiência e por isso é de se esperar que seu rendimento oscile,  mas ele é o melhor jogador do Grêmio. É atleta mais capaz de fazer jogadas que decidem um jogo, como esta feita no último minuto no Maracanã.
A atual posição do Grêmio na tabela e a distância para o G4 não são de todo ruim se considerarmos os vários tropeços que o time teve nesse primeiro turno. Um dado a ser considerado é que todos os times que hoje estão a frente do Grêmio não trocaram de treinador no Brasileirão. O Grêmio acaba pagando um preço caro por ser uma equipe em formação em meio ao campeonato.
E por ser uma equipe em formação, o Grêmio ainda busca um maior equilíbrio. No Maracanã o time  marcou muito bem, mas teve alguma dificuldade na criação. O que corresponde aos números do time na competição, em que tem a segunda melhor defesa (em gols sofridos) e apenas o 10º ataque em gols marcados.

Fotos: Daniel Ramalho (AGIF/ZH), Ivo Gonzalez (O Globo), Gilvan de Souza  (Flamengo) e Paulo Sérgio (Lance)

Flamengo Flamengo 0x1 Grêmio Grêmio
FLAMENGO: Paulo Victor; Léo Moura, Marcelo, Chicão, João Paulo; Recife (Amaral, 30’/2ºT), Márcio Araújo, Canteros, Mugni (Gabriel, 21’/2ºT); Arthur (Eduardo da Silva, 15’/2ºT) e Alecsandro.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Geromel, Rhodolfo e Zé Roberto; Walace, Fellipe Bastos, Matheus Biteco, Giuliano (Fernandinho, 40’/2ºT); Dudu e Lucas Coelho (Luan, 32’/2ºT)

Técnico: Luiz Felipe Scolari

19ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2014
Data: 06 de setembro de 2014, sábado, 18h30min
Local: Estádio Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 59.680 presentes (51.858 pagantes)
Renda: R$ 1.756.965,00
Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e João Patricio de Araujo (GO)
Cartões amarelos: Amaral (Flamengo); Walace e Fellipe Bastos (Grêmio)
Gol: Luan, aos 46min do segundo tempo

Advertisements

Brasileirão – Fluminense 1×1 Grêmio

October 14, 2013

 

O Grêmio voltou a apresentar seu futebol de “visitante indigesto”. Travou o Fluminense, criou chances (Souza carimbou o travessão) e saiu na frente aos 37 minutos do primeiro tempo, quando Bressan pegou o rebote da sua própria conclusão de cabeça e mandou, de pé direito, a bola pro fundo das redes. A partir daí o time tratou de se defender (com alguma bravura quando lhe faltava maior organização) e administrar a vantagem conquistada.
O tricolor gaúcho conquistaria mais uma magra, porém importante, vitória não fossem dois “pequenos” detalhes:
Um erro absurdo do Herman Brumel Van, que se equivocou duplamente ao marcar um impedimento inexistente de Kléber (imagem abaixo), pois o avante gremista não só estava atrás da linha do penúltimo defensor como também partiu do seu campo de defesa no momento em que é feito o lançamento.
– Uma senhora bobeada da defesa gremista que permitiu que Rafael Sobis avançasse numa bola inicialmente pouco perigosa, recebida na lateral, aos 45 minutos do segundo tempo. Diversos defensores gremistas optaram por dar chance ao azar. E o azar se aproveitou, fazendo com que a bola desviasse em Rhodolfo e caísse dentro do gol de Marcelo Grohe.

 

 

 

É inadmissível que um bandeirinha do campeonato brasileiro desconheça a regra do impedimento. É triste, mas eu não vejo perspectiva de melhora. Porque inexiste reprimenda a tamanho desconhecimento. Em 2006 um juiz marcou impedimento em lateral, não marcou recuo pro goleiro e ainda assim foi escolhido para ser o representante brasileiro na Copa do Mundo.Mudou alguma coisa no status quo da arbitragem brasileira desde então? Vai mudar daqui pra frente?
O preparador físico do Fluminense deu uma declaração que serve para duas coisas: Provar que o microfone aceita tudo e que não existem limites para quem é cara de pau.
O curioso é que o Sportv só repetiu o lance do impedimento após a reclamação do Kléber na saída de campo.
Grande partida de Marcelo Grohe, fez grandes defesas e transmitiu segurança. Adriano também teve uma atuação bem interessante.
E no final da rodada o Grêmio diminuiu a distância para o líder, mas perdeu uma posição.
Luxemburgo tem todo direito de reclamar se acha que o Grêmio ainda lhe deve algum valor. Mas deve reclamar em local e momento adequados. E a coletiva de um jogo do Fluminense não me parece ser um foro adequado para tanto.
Eu teria mantido o treinador da temporada 2012 para a temporada 2013. Assim não posso dizer que Koff errou ao renovar com Luxemburgo. O que não dá pra aceitar é que o presidente do clube se preste a ficar batendo boca com um ex-funcionário. E é inaceitável que um homem da experiência de Koff afirme que foi “condicionado” a optar por Luxemburgo no início do ano. Não condiz com sua biografia.

 

Fotos: Nelson Perez (Fluminense F.C.) e Alexandre Cassiano (O Globo)

Fluminense Fluminense 1×1 Grêmio Grêmio 

FLUMINENSE: Kléver; Gum, Edinho e Anderson (Felipe – intervalo); Bruno (Ailton – 19′/2ºT), Diguinho, Jean, Wagner (Marcos Junior – 19′/2ºT) e Rafinha; Biro Biro e Rafael Sobis.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Saimon, Rhodolfo e Bressan; Pará, Souza, Adriano (Matheus Biteco – 28′/2ºT), Ramiro (Elano – 40′/2ºT) e Alex Telles (Wendell – 38′/2ºT); Barcos e Kleber.
Técnico: Renato Portaluppi

28ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2013
Data: 12/10/2013, sábado, 18h30min
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Público: 13.252 pagantes
Renda: R$ 233.440,00
Árbitro: Alicio Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Herman Brumel Vani (SP).
Cartões amarelos: Biro Biro, Edinho, Marcos Junior e Diguinho, Ramiro, Kleber e Saimon.
Cartão vermelho: Biro Biro (FLU), aos 28 minutos do 2º tempo
Gol: Bressan, aos 37′/1ºT ; e Rafael Sobis, aos 45′/2ºT

Brasileirão – Flamengo 1 x 1 Grêmio

May 30, 2010

Flamengo e Grêmio se enfrentavam no Maracanã praticamente vazio. O sentimento rubro-negro aparentava ser de fim de festa, com a saída de Adriano. O tricolor tentava entrar de vez na disputa do Brasileirão, mas começou o jogo devagar, dando muito espaço para o adversário, levando contra-ataque e sendo supreendido na jogada que começou por Petkovic, passou pelo cruzamento de Leonardo Moura e na cabeçada de Vagner Love e terminou novamente com o Sérvio, que abriu o placar aos 7 minutos. O Grêmio se mostrava completamente apático e o Flamengo teve duas boas chances de ampliar, com Vinícius Pacheco e Petkovic, aos 9 e aos 14, respectivamente. Não era possível compreender a proposta de jogo do Grêmio. Hugo jogava aberto pela esquerda, Maylson era praticamente um ponta direita e os dois avantes estavam enfiados dentro da área. A situação melhorou um pouco quando Jonas recuou para buscar jogo. O tricolor ameaçou em chute de Maylson, que cruzou toda a extensão da pequena área, e nas cobranças de falta de Edílson, nas quais Bruno fez boas defesas, mas foi para o vestiário em desvantagem.
Silas mexeu no time. Tirou o inoperante William e colocou Roberson. Antes de ser possível notar os efeitos da mudança o time levava um susto. Aos 2 minutos, Petkovic deu grande passe e deixou Vagner Love na cara de Victor, mas o arqueiro gremista fez grande defesa. Depois disso o Grêmio passou a jogar no campo do Flamengo, buscando o empate, que saiu rápido. Aos 6, Rochemback cobrou escanteio e Rodrigo anotou de cabeça. A partir daí, o ataque tricolor acumulou chances de virar partida, especialmente com Hugo. Aos 26, Jonas perdeu a melhor oportunidade tricolor ao concluir por cima o cruzamento feito por Hugo. Rogério Lourenço fez todas as substituições a que tinha direito e o Flamengo foi para cima (ou foi o Grêmio que recuou?). Contudo, nos últimos 15 minutos de jogo a bola apenas rondou a área gremista, o Flamengo não criou nenhuma situação de gol. Aos 47, Maylson teve a bola para matar o jogo, mas errou ao preferir o chute ao cruzamento.

Foi um bom resultado? Um empate justo? Injusto? Sabor de derrota? Sentimento divido? Estou entre aqueles que consideram um mau negócio o 1×1 de ontem. Tá certo que era o Flamengo no Maracanã, que o Grêmio tinha seus desfalques, mas, como bem ressaltou a chamada da Rádio Gaúcha, o tricolor enfrentava “as ruínas do Império do amor”. Não terá chance melhor de vitória tão cedo.
São 5 pontos conquistados em 5 rodadas. Ainda é cedo, mas essa média indica uma campanha de zona de rebaixamento.
Antes do jogo, Alex Bagé (da Rádio Guaíba), fez considerações pouco elogiosas sobre o retrospecto do árbitro. Contudo, é preciso dizer que Wilton Pereira Sampaio teve grande atuação. Não aceitou o cai-cai de Vinicius Pacheco e Léo Moura (o que deveria ser a obrigação de qualquer juiz).
Novamente não gostei do posicionamento do Maylson. Muito próximo dos atacantes, longe demais da meia cancha.
William não contribuiu para o time e tampouco se ajudou.
Silas poderia aprender a falar um pouquinho menos. Antes do jogo, disse que nenhum lateral gosta de ser atacado e por isso Bruno Collaço iria para cima de Leo Moura. Cinco minutos depois, o camisa 2 flamenguista recebia livre na ponta direita e cruzava para jogada do gol. Há um mês atrás, alfinetava Autuori e dizia que agora o Grêmio vencia fora de casa. Nesse Brasileirão teve três belas oportunidades de somar 3 pontos fora de casa e desperdiçou todas.

Fotos: Maurício Val (VIPCOMM), Gilvan de Souza (Lance) e Marcelo de Jesus (UOL)

Flamengo 1 x 1 Grêmio
Petkovic 7′
Rodrigo 51′


FLAMENGO: Bruno; David (Gil, 26’/2ºT), Ronaldo Angelim e Álvaro; Léo Moura, Maldonado, Guilherme Camacho, Petkovic (Ramon,19’/2º) e Juan; Vinícius Pacheco (Diego Maurício, 16’/2ºT) e Vagner Love.

 

Técnico: Rogério Lourenço

 

 

 

 

GRÊMIO: Victor; Edilson, Ozeia, Rodrigo e Bruno Collaço; Adilson (Fernando, 35’/2ºT), Fábio Rochemback, Maylson e Hugo (Bérgson, 36’/2ºT); Jonas e William (Róberson, intervalo). Técnico: Silas.

 

 

 

 

5ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2010

 

 

Data: 29/5/2010, sábado, 18h30min

 

 

Local: Estádio Maracanã, Rio de Janeiro – RJ
Público: 11.547 (7.109 pagantes)
Renda: R$ 193.915,00

 

 

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)

 

 

Auxiliares: Enio Ferreira de Carvalho (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)

 

 

Cartões amarelos: David, G. Camacho, Ramon (FLA); Adilson, B. Collaço (GRE)

 

 

Gols: Petkovic, 7’/1ºT ; Rodrigo, 6’/2ºT

 

 

Copa do Brasil – Fluminense 2 x 3 Grêmio

April 30, 2010

O mesmo desfalcado de seus principais jogadores, o Fluminense entrou em campo bem animado, o Grêmio era mais cauteloso, parecendo pouco adaptado ao gramado muito molhado e bastante castigado. Assim, os primeiros 15 minutos foram de domínio do tricolor carioca, que abriu o placar aos 12, quando Mariano recebeu em posição duvidosa e fez grande cruzamento para André Lima cabecear sem chance para Victor. O Grêmio teve tranquilidade e soube correr atrás. O time colocou a bola no chão e explorou bem o espaço deixado pelos alas do Fluminense. Aos 19, Jonas recebeu na área, fez uma grande sequência de dribles e cruzou para Douglas, que concluiu duas vezes (na primeira Gum salvou) para empatar o jogo (foto abaixo). Aos 31, Borges serviu Jonas, que teve muita tranquilidade para colocar no canto de Rafael. 2×1. A vantagem no placar se refletia no campo, o Grêmio jogava bem e só era incomodado pelo árbitro, que mostrava cartões a torto e a direito. No final da primeira etapa, Rodrigo fez uma falta comum e levou o segundo amarelo, deixando o time com 10 jogadores.

O time voltou com Hugo e Rafael Marques no lugar de W.Magrão e Leandro. Falou-se em um esquema com 3 zagueiros. Não vi assim, me pareceu que o time estava com uma primeira linha de quatro, seguida por três marcadores, com Douglas solto logo a frente e Borges isolado no ataque. Borges teve papel fundamental ao segurar a bola e prender os zagueiros do adversário. Os demais jogadores marcaram com muita aplicação e correção, e Douglas fez grande jogada individual no terceiro gol. Victor falhou numa bola chata e difícil, que terminou nos pés de EquiGonzalez, que descontou . Os jogadores gremistas falaram num toque de mão que confesso não ter visto. O mesmo Victor fez grande defesa no chute longo de Adeílson, no que foi a melhor chance de empate do Fluminense.


Justa vitória. Belo resultado e a classificação muito bem encaminhada.

Jonas está endiabrado. Fez uma baita jogada no primeiro gol, marcou o segundo, e no 2º tempo, jogou como volante.

Adílson correu demais. É um desafogo para o time. Silas sabiamente o elogiou por “tomar conta do meio campo”.

Neuton mais uma vez teve uma atuação discreta e eficiente.

Obviamente, o Grêmio não tem nada que ver com isso, mas os desfalques no Flu ajudaram bastante.

Silas novamente foi feliz no intervalo.

Fraquíssima a arbitragem. Dessa vez deu para passar por cima.

Fotos: Fluminense, Correio do Povo

Fluminense 2 x 3 Grêmio
André Lima 12´
Douglas 19´
Jonas 31´
Douglas 72´
Equi Gonzalez 77´

 

FLUMINENSE: Rafael; Gum, Digão (Equi González, intervalo) e Leandro Euzébio; Mariano, Diguinho, Everton, Marquinho e Julio Cesar (Adeílson, 21’/2ºT); Wellington Silva (Willians, 21’/2ºT) e André Lima.
Técnico: Muricy Ramalho.

GRÊMIO: Victor; Edilson, Ozeia, Rodrigo e Neuton; Adilson, Willian Magrão (Rafael Marques, intervalo), Douglas e Leandro (Hugo, intervalo); Jonas (Fábio Rochemback , 21’/2ºT) e Borges.

Técnico: Silas.

Copa do Brasil 2010 – Quartas de final – Jogo de ida
Data: 29/04/2010, quinta-feira, 21h30min
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Público: 21.410 (15.336 pagantes)
Renda: R$ 329.930,00)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (FifaBA) e Carlos Berkenbrock (FifaSC)
Cartões amarelos: Everton, Digão, Wellington Silva, Mariano, André Lima e Equi Gonzalez (Fluminense). Edilson, Rodrigo, William Magrão, Borges, Jonas e Douglas (Grêmio).
Cartão vermelho: Rodrigo, aos 45 minutos do primeiro tempo (Grêmio).
Gols: André Lima, aos 12 ; Douglas, aos 19; e Jonas, aos 31 minutos do primeiro tempo. Douglas, aos 27 ; e Equi Gonzalez, aos 32 minutos do segundo tempo.

Brasileirão – Flamengo 2 x 1 Grêmio

December 6, 2009

O derradeiro jogo do Brasileirão 2009 começou lento, com o Flamengo nervoso, ao mesmo que tempo que achava que ganharia de qualquer jeito. O misto do Grêmio, com dois canhotos na meia, jogava bem e parecia mais consciente em campo.

Não houve a tradicional pressão do time da casa no primeiro tempo. E o Grêmio, com seus jovens atacantes se aproveitou disso. Aos 21, Douglas Costa bateu o escanteio e Roberson antecipou a zaga. 1×0 e silêncio no Maracanã. Mas aos 29, o escanteio era do Flamengo, confusão na área, Adriano fez falta em Léo e a bola sobrou para David empatar o jogo. Mas a reação foi tímida, a torcida sentia drama e o time misto de clube desinteressado emparelhava o jogo e assustava o mandante, futuro campeão.

No segundo tempo o Flamengo se ajeitou e ensaiou uma pressão, teve volume, criou algumas chances mas parou num Marcelo Grohe inspirado. Contudo, aos 24, Petkovic cobrou bem o escanteio, Ronaldo Angelim subiu no primeiro pau e marcou o gol do título. Título este que só pode ser comemorado com o apito final, uma vez que o Grêmio buscou o empate até o último minuto da partida.

Muito embora a amostragem seja pequena, creio que é possível afirmar que Marcelo Rospide foi muito melhor do que Paulo Autuori, especialmente pela postura do time nos jogos fora de casa.

Grande partida de Marcelo Grohe. Fez ao menos três defesas espetaculares.

Thiego, numa rara oportunidade como zagueiro, foi muito bem.

Douglas vem mostrando uma boa regularidade nesse final de campeonato.

A situação era surreal, diversos foram os sentimentos durante a partida, mas a sensação final pra mim foi tão somente de alívio.

Tulio: “Fizemos o máximo para manter a dignidade do campeonato” (GloboEsporte). Túlio tem razão em valorizar o empenho dele e de seus companheiros, mas se equivoca ao falar de dignidade do campeonato. Que dignindade tem esse campeonato?

Grêmio facilitou? Grêmio entregou? Vão ser várias as versões. Só acho que quem viu a partida vai ter uma imensa dificuldade em fazer qualquer crítica ao empenho daqueles atletas que entraram em campo.

Héber foi o Héber de sempre.

Pontos corridos: Ganhou o melhor time? Ganhou quem investiu mais? Ganhou quem tem o melhor grupo? Ganhou quem tem o vestiário sobre controle, disciplinado? Flamengo investe em infra-estrutura? Flamengo não está em meio a um processo eleitoral? Flamengo manteve o mesmo treinador desde o início do campeonato?

Não se trata de desmerecer o pentacampeonato do Flamengo, e sim apontar as incoerências dos argumentos dos que sustentam que essa fórmula é perfeita e infalível.

Melancólico nosso final de campeonato. Muitos são os lamentos a ser feitos, especialmente depois de ver o campeão tendo imensa dificuldade em vencer um time que, na melhor das hipóteses, estava desinteressado.

Flamengo 2 x 1 Grêmio
Roberson 21′
David 29′
Ronaldo Angelim 69′

 

FLAMENGO: Bruno, Léo Moura, David, Ronaldo Angelim e Juan; Airton, Toró (Everton, 15’/2ºT), Willians e Petkovic (Fierro, 28’/2ºT); Zé Roberto (Kléberson, 37’/2ºT) e Adriano.
Técnico: Andrade.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Leo, Thiego e Fábio Santos; Adilson (Mithyuê, 42’/2ºT), Túlio, Maylson e Lúcio; Douglas Costa e Róberson (Bergson, 25’/2ºT).
Técnico: Marcelo Rospide.


38ª rodada – Campeonato Brasileiro 2009
Data: 06/12/09 – domingo – 17h00min
Local: Estádio: Maracanã Rio de Janeiro – RJ
Público: 84.848 (78.639 pagantes)
Renda: R$ 2.030.430,00
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa/PR)
Auxiliares: Alessandro de Matos (Fifa/BA) e Carlos Berkenbrock (Fifa/SC)

Cartões Amarelos: David, Willians, (FLA); Douglas Costa, M. Grohe, Lucio, Adilson (GRE)
Gols: Roberson, aos 21min e David, aos 29min do primeiro tempo; Ronaldo Angelim, aos 24min do segundo tempo

Brasileirão – Flamengo 2 x 0 Grêmio

October 22, 2007

Tá certo que este campeonato é o que menos viradas tem acontecido, tá certo que os mandos de campo tem prevalecido, tá certo que a torcida do Grêmio faz diferença, mas o nada disso explica o que acontece com o Grêmio fora de casa. Pode ser uma questão de atitude, time apático fora de casa e que pega no “tranco” jogando no olímpico, onde bota garra, vontade, marca melhor, corre mais, mas isso não explica porque um jogador erra um passe, ou chute, que não erraria jogando no olímpico.

Do jogo pouco coisa a dizer, era uma jogo igual até o Grêmio levar o gol. O time insistia em fazer linha de impedimento, e invariavelmete pegava o Souza na banheira. Aliás foi isso que aconteceu no lance do gol, Fez-se a linha de impedimento, Souza ficou impedido, só que a bola foi lançada pra Cristian que cruzou, Patrício e Léo foram trapalhões e azarados, e a bola sobrou pro já mencionado Souza fazer o 1×0. Aí a coisa ficou díficil, o tricolor teve que sair pro jogo e nada deu certo. Nunes e Labarthe estavam mal na saída de bola e distribuição de jogo, Pico e Patrício não avançavam e Tcheco e Diego Souza não vinham buscar o jogo. O resultado era uma clara divisão entre o ataque e a defesa. No final do primeiro tempo, confusão na área e William foi derrubado, O juiz, bem colocado, não viu. Ou fez que não viu

No segundo, sem que Flamengo desse motivo nenhum, o Grêmio passou a ter dificuldade de sair do seu campo de defesa. Danilo Rios, nada fez e nada acrescentou. Aos 15 Maxi recebeu do lado da área, dominou errado mas ainda teve tempo de se ajeitar, entrar com facilidade na área do grêmio e rolar para trás, Ibson venho desamcompanhado desde a intermediária e chutou perto da pequena área: 2×0. Desse momento em diante nehuma esperança de reação. Um pênalti não marcado em Tcheco e um chute de primeira do mesmo Tcheco foi o mais próximo que se chegou de um gol de desconto. No finalzinho parecia que o Grêmio tinha o objetivo de tomar um gol de Obina, maior criação da imprensa do Rio de Janeiro.

O Flamengo jogou melhor e mereceu ganhar, mas tudo mundo sabe que futebol não é propriamente um jogo de merecimento. A história do jogo de ontem poderia ter sido outra se o árbitro tivesse marcado os dois pênaltis sofridos pelo Grêmio. Poderia ao menos escolher um dois dois para marcar, mas nem isso.

De narradores e comentaristas imparciais todos nós estamos cansados, mas eu nunca tinha visto uma seleção de imagens tão tendenciosa como a de ontem. Toda hora mostravam as arquibancadas, qualquer driblezinho furreca dos flamenguistas ganhava um demorado replay em close. Sem falar que estou até agora esperando pela repetição do pênalti sofrido pelo William no final do 1ºtempo.

Tá a torcida do Flamengo é grande, tem a maior média de público, deixa o maracanã bonito mas menos oba oba por favor. Uma torcida que só canta quando o time tem tudo a favor, e mesmo assim se vale de letras no telão (videokê no estádio) não merece tantos elogios assim.

Fotos: ClicRBS e Extra

Flamengo 2 x 0 Grêmio
Souza 25´
Ibson 60´

FLAMENGO: Bruno, Léo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Egídio; Jaílton, Cristian (35′/2T), Ibson e Toró; Maxi (Renato Augusto – 27′/2ºT) e Souza (Obina – 32′/2ºT).
Técnico: Joel Santana.
GRÊMIO: Saja, Patrício, Leo, William e Anderson Pico; Nunes (Sandro Goiano – 17′/2ºT), Labarthe, Diego Souza (Danilo – intervalo) e Tcheco; Jonas (Marcel, 17′/2T) e Tuta.
Técnico: Mano Menezes.

32ª rodada – Campeonato Brasileiro 2007
Data: 21/10/2007 – Domingo -18h10min (de Brasília)

Público: 73.881 (63.189 pagantes)
Renda: R$ 617.873,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) e Rogério Carlos Rolim (PR)
Cartões amarelos: Fábio Luciano, Souza e Cristian (FLA); Labarthe (GRE)
Gols: Souza aos 25′ do 1ºtempo e Ibson aos 15 do 2º tempo.

Flamengo 1 x 0 Grêmio

August 21, 2006

Não consegui assistir o jogo. De qualquer modo o Grêmio perdeu uma boa chance de somar 3 pontos, pois o Flamengo não em nada superior ao Tricolor.

Marcelo errou feio no gol. Primeiro por não ter saído com as mãos, depois por ter chutado daquele jeito. Goleiro quando sai do gol tem que sair pra matar, a bola tem que ser dele.

A respeito disso achei interessante a declaração do Pelaipe: “Em futebol, é preciso ter convicção. O Grêmio vai seguir apostando nos goleiros que tem em casa. Me aponte um goleiro melhor do que ele que esteja disponível”. É verdade, não nenhum goleiro disponível, e Marcelo é um bom goleiro, mas tem que deixar de ser trapalhão.

FLAMENGO 1 x 0 GRÊMIO

FLAMENGO: Diego; Leonardo Moura, Renato Silva (Ronaldo Angelim), Fernando e Juan (Walter Minhoca); Paulinho, Léo Medeiros, Renato Augusto e Renato; Sávio e Luizão (Obina).
Técnico: Ney Franco

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Patrício, William, Pereira e Wellington; Jeovânio, Lucas, Tcheco e Rafinha (Herrera); Hugo (Léo Lima) e Rômulo (Valdeir).
Técnico: Mano Menezes

Data: 19/8/2006 (sábado), 18h10min
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Renda: R$ 206.210,00
Público: 20.487 pagantes 
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Assistentes: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Eremílson Xavier Macedo (DF)
Cartões amarelos: Ronaldo Angelim, Obina, Renato Silva, Walter Minhoca, Fernando e Juan (Flamengo). Tcheco, Rafinha e Wellington (Grêmio).
Cartões vermelhos: Wellington, aos 27 minutos do segundo tempo (Grêmio). Obina, aos 36 minutos do segundo tempo (Flamengo).
Gol: Renato, aos 45 minutos do segundo tempo.