Archive for the ‘Novo Hamburgo’ Category

Gauchão 2022 – Novo Hamburgo 1×1 Grêmio

March 7, 2022

No meu modo de ver essa atuação do Grêmio esteve mais próxima dos demais jogos onde o time teve desempenho preocupante do que propriamente da performance animadora diante do São Luiz na re-estreia de Roger;

https://i.imgur.com/gxXzZm0.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://i.imgur.com/HJWV991.png

NOVO HAMBURGO:Raul, Camargo, Islan, Luís Gustavo (Kesley 34’/2T) e Higor; Kaio César (Welton Heleno 34’/2T), Felipe Guedes, Alex Nagib (Edinei 15’/2T), Junior Timbó (Jeffinho 15/2T) e Michel Renner Escobar22’/2T); Da Silva
Técnico: Gelson Conte

GRÊMIO: Brenno; Orejuela, Geromel, Bruno Alves e Nicolas; Thiago Santos (Bitello 11’/2T), Villasanti (Vini Paulista 29’/2T), Janderson (Elias 11’/2T), Campaz (Benítez 19’/2T) e Rildo (Gabriel Silva 19’/2T); Diego Souza.
Técnico: Roger Machado

10ª Rodada – Gauchão 2022
Data: 05 de março de 2022, sábado, 16h30min
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo
Público: 1.430 pagantes
Renda: R$ 68.820,00
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima
Assistentes: Lucio Beiersdorf Flor e Gustavo Marin Schier
Cartões amarelos: Da Silva, Alex, Camargo (Novo Hamburgo)
Gols: Da Silva, aos 26 minutos do 1º tempo e Gabriel Silva aos 39 minutos do 2º tempo

Gauchão 1962 – Floriano 0x0 Grêmio

March 5, 2022
https://64.media.tumblr.com/fe3733fc9b5a2ee0e18e6e3fadc20282/957e5b92e07eead6-e6/s2048x3072/fa498018471d588157908bcdc518c02f9e277450.jpg

Foto: Folha Esportiva

 

No Gauchão de 1962, Floriano e Grêmio não saíram do 0x0 no estádio Santa Rosa, em jogo válido pelo 1º turno da competição.

A chuva que caiu na região metropolitana naquele dia deve realmente ter sido muito forte, uma vez que a partida entre Inter e Guarany de Bagé, marcada para o mesmo horário nos Eucaliptos, acabou sendo adiada.

https://64.media.tumblr.com/6b0986d781e29824ac045eca5e43568b/77b5f1bc8239fdd0-ab/s1280x1920/53cdd329df205a040d2ae253034c271d960e2cb1.jpg

Foto: Folha Esportiva

FLORIANO X GRÊMIO FOI BEM À MODA PRÉ-ELEITORAL: JOGO SÓ FICOU NAS PROMESSAS

NOVO HAMBURGO – (De Ataíde Ferreira, nosso enviado especial) — Partidas como a que o que Grêmio e Floriano disputaram ontem, no Santa Rosa, fazem com que o cronista seja obrigado a voltar seus pensamentos o início da semana, até o momento da efetivação do embate. Apontado, com inteiro razão, como uma das pelejas mais interessantes da temporada, o choque entre anilados e tricolores prendia, com muita antecedência, as atenções do mundo esportivo gaúcho. Havia, de parte dos florianistas, a esperança de manter a a posição invejável na tabela de classificações, para os tricolores, a oportunidade para confirmar o triunfo categórico do domingo anterior, frente ao Flamengo.

Quando, porém, foram confirmadas as ausências de Giovani e Odon, no quadro de Novo Hamburgo, surgiu um “calafrio” no calor da torcida da Courocap. De outra parte, a família gremista passou a encarar o compromisso como “apenas um a mais”. Sem Giovani e Sem Odon o Flori no, que alicerçara suas atuações anteriores (no que tange a ataque) justamente nêsses dois elementos, dificilmente ameaçaria o quadro do Olímpico.

Mesmo assim o entusiasmo se foi acentuando a ponto de, com urna tarde chuvosa como a de ontem, levar ao Santa Rosa uma assistência extraordinária. Assistência que chegou, em sua maioria, nada menos do que de 3 horas antes do prélio.

Nunca, em época alguma, mesmo com o tempo como cenário de mau gosto, houve tanta preparação em tôrno de um cotejo reunindo tricolores e anilados. O palco estava armado, faltando apenas os artistas. E foi ai que o espetáculo, pelo muito que oferecia, que prometia, teve a sua parte negativa.

Floriano e Grêmio não andaram como se esperava. Tiveram, no balanço das ações, apenas um mérito: o espírito de luta, a vontade de jogar. No mais, foi um legitimo jogo em que a bola, “judiada”, castigada, andou de pé em pé sem um objetivo definido, sem o desejo, a vontade de goal.

Com um início meio a jato acabou, por fim, caindo. Não tanto em sua movimentação e sim no desacêrto. A etapa inicial foi mais do Grêmio, pela serenidade, já que Milton e Elton estiveram mais ou menos com uma produção equivalente a do domingo anterior. A defesa foi absoluta no confronto com o ataque anilado, que teve em Miguel um homem isolado, esporadicamente acompanhado por Carlinhos e Xameguinha.

E aí surgiu a outra realidade do gramado: a superioridade da defensiva dona da casa sôbre o ataque gremista. Foi tentada a mesma manobra do domingo anterior, com Vieira ficando e Milton avançando (outras vezes o próprio Elton). E que fêz o Floriano? A coisa mais simples. Luiz Engelke ordenou a Rui a tarefa de policiar Milton (ou Gessi, nos deslocamentos) cabendo a Odir a tarefa de policiar Vieira, que foi mais meia cancha, nesta fase, do que homem de frente. Paralelamente, surgiu aquela modalidade já batida, surrada e raramente de resultados positivos:. bola cruzada, de um lado ou outro, para a área. Altino foi o dono absoluto, na primeira etapa, das antecipações. Ganhou tôdas, no miolo da área. E convenhamos, cruzar a pelota pelo alto, com cancha molhada e bola mais molhada ainda, só mesmo contra uma defesa de “anões”.

O Floriano, é verdade, não incorreu nesse erro mas, de qualquer forma, não teve um ataque capaz de vencer a segurança dos laterais, por onde foram tentados as Valério e Mourão não permitiram muita liberdade aos homens que tiveram pela frente. Aos arqueiros, logicamente, sobrou pouco no primeiro tempo. E ai está a motor prova do domínio absoluto das retaguardas sôbre os ataques.

A fase final, tal como a primeira, teve um começo que pareceu pender para os visitantes. Marino, com boa velocidade, passou a ser explorado mais pelo miolo, trocando com Ivo Diogo. A tentativa de Ênio Rodrigues teve sua razão principal no fato de Marino parecer melhor. adaptado ao terreno molhado. Mas o efeito não foi, para os tricolores, o desejado, já que a linha de zagueiros manteve o mesmo ritmo, aliviando com autoridade. Vieira, que poderia ser outra solução indo à frente, também não deu ponto. Rui, seu marcador, acabou dominando inteiramente ao catarinense. Com isso, cresceu o Nadir e Ica, mais preocupados, na primeira fase em marcar, passaram a jogar, a acionar o ataque, invertendo os papéis, Por outro lado, a entrada de Odon na direita veio dar mais mobilidade e também mais personalidade à vanguarda. Como excelente ponteiro que é, o ex-Taquarense começou a usar, com autoridade, suas principais virtudes (principalmente para cancha pesada): velocidade e reflexão espantosa nas corridas com a bola. Pela facilidade de conduzir o couro, de soltá-lo ou prendê-lo conforme a necessidade do momento. Odon aplicou nada menos de cinco cortes espetaculares cm Mourão, obrigando o excelente lateral do primeiro tempo a “sarrafá-lo”. Depois, com habilidade, pois viu que o juiz já, se preparava sempre que Mourão ia no lance, atirava-se ao solo, provocando pelo menos duas faltas que não existiram. Certo ou não, para o Floriano os resultados foram benéficos, A preocupação passou a ser dupla.

Xameguinha, apenas lutador no primeiro tempo, passou a jogar mais livre, quase sempre correndo ao lado de Odon, a espera do passe ou da cruzada. Para completar, Miguel usando a cabeça (para jogar), com campo livre, foi um companheiro ideal paro Ica, e Nadir, pois quando via a possibilidade de perigo para suas caminhadas, recuava, facilitando, com isso, as investidos de um seus companheiros de meia cancha. Uma espécie de réplica da manobra do Grêmio, no primeiro período.

Por vêzes, houve expectativa de goal. Mas ficou apenas nisso. Os homens de área do Grêmio tiveram autoridade suficiente para evitar, que os ataques sequer se aproximassem da área para as conclusões. E quando o Floriano, ante a impossibilidade de vencer Airton e Ortunho no corpo a corpo, tentou pela esquerda, encontrou, um Valério com grande personalidade, voltando a confirmar que valeu os milhares de cruzeiros gastos com a sua aquisição.

Como observaram os leitores, sobrou pouco, muito pouco mesmo, de uma partida que se antecipava como um dos grandes espetáculos do atual campeonato. E o público, principalmente o gremista, deixou o Santa Rosa intrigado, mais uma vez, com as reais possibilidades de seu onze. Os anilados mais alegres do que tristes, pois esperavam a derrota com a ausência de Giovani, puderam saborear um empate que chegou a parecer impossível antes do cotejo. Para a época de eleições, a partida esteve à altura: prometeu muito mas cumpriu muito pouco.” (Ataíde Ferreira, Folha Esportiva, segunda-feira, 16 de julho de 1962)
 –

https://64.media.tumblr.com/1a57b636bb944968efc62f6943ed8251/77b5f1bc8239fdd0-25/s1280x1920/842aac11127711245d05743d9ee5993566792d8d.jpg

“GRÊMIO E FLORIANO BAIXARAM PARA O TERCEIRO POSTO: MARCADOR EM BRANCO NO ´SANTA ROSA`!

[…]  Muito embora as chuvas que se fizeram sentir desde às primeiras horas da tarde, transformando o gramado do “Santa Rosa”, num lodaçal e quase impraticável para o futebol, pois o relvado tornou-se escorregadio, não permitindo que o espetáculo futebolístico fosse dos mais brilhantes […]“(Jornal do Dia, terça-feira, 17 de julho de 1962)

https://64.media.tumblr.com/440f49c96c27d95979e410d487bc4c34/1c42c7a8bac46ea7-4a/s2048x3072/1f3d5e0eb9671d15e262f2c50c0202bda0dfa4b1.jpg

Foto: Folha Esportiva

 

FLORIANO FOI MAIS EQUIPE E GRÊMIO PERDEU NÔVO PONTO!

[…] A verdade, no entanto, é que o gramado encontrava-se algo impraticável tanto para os gremistas como para Florianistas – Acreditamos que em condições normais outro talvez fosse o resultado do jôgo e sem dúvida outra fosse a conduta dos dois bandos. […](Diário de Notícias, terça-feira, 17 de julho de 1962)

 

https://64.media.tumblr.com/deb541e30fefd9c77780e47c2285f766/c593480fdf13ebf3-e2/s1280x1920/f5a1b11654532121443dd19ac88c4b1528312c11.jpg

Foto: Folha Esportiva

Gauchão 2021 – Grêmio 3×1 Novo Hamburgo

April 23, 2021

Foto: Diego Souza (Instagram)

Foto: Diego Souza (Instagram)

Foto: Diego Souza (Instagram)

Foto: Diego Souza (Instagram)

Grêmio 3×1 Novo Hamburgo

GRÊMIO: Brenno; Vanderson (Rafinha), Ruan, Rodrigues e Cortez; Thiago Santos (Victor Bobsin), Matheus Henrique, Alisson (Léo Pereira) , Jean Pyerre (Léo Chú) e Ferreira (Pepê); Diego Souza
Técnico: Thiago Gomes

NOVO HAMBURGO: Nícolas, Chicão, Igor, Marcão (Felipe Chaves) e Rennan; Matheus Bertotto, Rafael Carrilho e Elias (Camargo); Maurinho (Eliomar), Hélio Paraíba (Kayron) e Claudinho (Matheus Lagoa)
Técnico: Márcio Nunes

Gauchão 2021 – Primeira Fase – 10ª Rodada
Data: 18 de abril de 2021, domingo, 20h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima
Assistentes: Michael Stanislau e Conrado Bittencourt Berger
Cartões amarelos: Rodrigues (Grêmio); Marcão e Elias (Novo Hamburgo)
GolsJean Pyerre, aos 26 min do 1º tempo; Diego Souza, aos 32 minutos do 1º tempo e (de pênalti) aos 17 min do 2º tempo; Kayron, aos 32 min do 2º tempo

 

Gauchão 2020 – Grêmio 4×3 Novo Hamburgo

August 3, 2020

O prefeito de Porto Alegre liberou jogos na cidade, muito embora os números de internados nos hospitais só tenha aumentado. Difícil de entender.

Segundo fim de semana seguido em que o jogo do Grêmio é transmitido exclusivamente pelo pay-per-view. Difícil de entender.

 

Foto: João Goularte (E.C. Novo Hamburgo)

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Geromel, Kannemann e Guilherme Guedes; Maicon (Lucas Silva, 25/2ºT), Matheus Henrique; Alisson (Pepê, 34/2ºT), Jean Pyerre (Luciano, 34/2ºT), Everton; Diego Souza (Isaque, 39/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

NOVO HAMBURGO: Jaccson; Kesley, Moisés (Dionathan, 17/2ºT), Diego Ivo e Zé Mário; Chicão, Bertotto, Mossoró (Guto 39/2ºT); Matheus Lagoa (Giancarlo 48/2ºT), Juba e Kayron
Técnico: Márcio Nunes

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Data: 02 de agosto de 2020, domingo, 19h00min
Árbitro: Daniel Nobre Bins
Assistentes: Tiago Augusto Kappes Diel e Maíra Mastella Moreira
Cartões amarelos: Maicon, Guilherme Guedes ; Kesley, Zé Mário
Gols: Diego Souza, a 1 minuto e 40 segundos; Maicon aos 22 minutos, Zé Mário , aos 30, e Kayron aos 37 minutos do primeiro tempo; Diego Souza, aos 13, Zé Mário (de pênalti), aos 34, e Luciano, aos 45 minutos do segundo tempo

Gauchão 1990 – Grêmio 6×0 Novo Hamburgo

August 2, 2020

Foto: José Doval (Zero Hora)

Na campanha do Hexa, no Gauchão de 1990, a maior goleada gremista ocorreu diante do Novo Hamburgo, no Olímpico, em jogo que o Grêmio poupou seus titulares para os jogos contra Olimpia e Cerro Porteño pela Libertadores daquele ano.

Numa primeira leitura, reclamação dos dirigentes do Noia sobre a utilização de reservas parece não fazer muito sentido. Contudo, vale lembrar que na época a equipe visitante tinha participação na renda do jogo.

“RESERVAS GOLEIAM E O GRÊMIO CONTINUA LÍDER

A tarde era quente, feia, ameaçando chuva. O sábado não estava mesmo para futebol. Mas os poucos torcedores que foram ao olímpico saíram entusiasmados com a goleada de 6 a 0 do Grêmio, vitória que valeu a liderança do Gauchão. Antes da partida as dirigentes do Novo Hamburgo reclamavam que Poletto havia escalado reservas, poupando os principais jogadores para os jogos no Paraguai pela Libertadores. No final, certamente agradeceram pela mudanças.

No primeiro tempo, do grupo que não vinha jogando regularmente, Caio foi o destaque, movimentando-se por todos os setores do gramado, garantiu a vantagem de 1 a 0 aos 28 minutos e ainda marcou o quarto gol aos 19 do segundo. No período final o espetáculo ficou por conta do habilidoso e insinuante Almir, que não deu folga a Solis e ainda fez o terceiro gol aos 15 minutos.

Mas quem estava muito inspirado era Nando, que por duas vezes dançou lambada para os torcedores, no segundo gol, aos 13 e no quinto, 25 minutos. A goleada foi concluída aos 40 minutos por Gilson, que entrou no lugar Hélcio, para que João Antônio fosse deslocada à lateral-esquerda.

João Antônio e Geverton fecharam as portas ao ataque do Novo Hamburgo, possibilitando a Caio e Assis atuarem com mais liberdade na frente, confundindo a defesa do adversário, que em nenhum momento da partida conseguiu organizar-se.” (Antonio Celso Sampaio, Zero Hora, segunda-feira, 26 de março de 1990)

GRÊMIO: Gomes; Fábio Lima, Luís Fernando, Vílson (Ion) e Hélcio (Gílson Cabeção); João Antônio, Géverton, Caio e Assis; Almir e Nando Lambada
Técnico: Poletto

NOVO HAMBURGO: Marquinhos; Édson D Ávila, Gilberto, Solis e Nestor; Saulo, João Pedro, Sérgio Winck e Marcelo Lima (Preto); Sabará e Vanderlei (Leandro)
Técnico: Ronaldo Becker

Data: 24 de março de, Sábado
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS, BRA
Juiz: Ivan Carlos Godoy
Auxiliares: Eroni Gomes e Helio Hoppe
Público: 2.532 pagantes
Renda: Cr$ 157.590,00
Cartão Amarelo: Fábio Lima , Gilberto, Nestor, Sérgio Winck
Cartão Vermelho: Solis
Gols: Caio aos 28 do primeiro tempo, Nando Lambada aos 13, Caio aos 15 do 2ºt; Almir aos 19′, Nando Lambada aos 25 do 2ºt, Gílson Cabeção aos 40 do 2º tempo’.

Gauchão 1980 – Novo Hamburgo 0x1 Grêmio

July 29, 2020
1980 nh tarciso cp

Foto: Correio do Povo

 

No Gauchão de 1980, o Grêmio venceu o Novo Hamburgo no Estádio Santa Rosa, com um gol do lateral Mauro aos 43 do segundo tempo.

Foi o jogo de estreia do técnico Paulinho de Almeida no tricolor.

DRAMÁTICA VITÓRIA GREMISTA ANTE O BOM NOVO HAMBURGO

Um golo do Mauro, aos 42 minutos do segundo tempo, deu a vitória para o Grêmio sobre o Novo Hamburgo, ontem no Sant Rosa, em jogo difícil para a equipe tricolor e seu treinador estreante, Paulo do Almeida Ribeiro,

1º TEMPO

O empate em branco foi um bem negócio para o Grêmio. E o goleiro Leão responsável por isso. Aos 44 minutas, o Novo Hamburgo só não inaugurou o placar por força de espetacular defesa do goleiro gremista. O chute do ponteiro Passos parecia mortal. Mas, muito antes disso, Leão já tinha sido bastante exigido. E, pelo menos em duas oportunidades, do forma, bastante aguda.

Na, verdade, tudo como reflexo do que acontecia em campo. O Novo Hamburgo, alicerçado em belo trabalho do meia-cancha Dagoberto, patrocinou os melhores momentos do jogo. E o que é importante: penetrando na defensiva gremista e arrematando. Aos 14 minutos, por exemplo, Leão já teve uma, bola, no poste, num arremate de Passos. O Grêmio conseguiu seu primeiro chute à meta aos 23 minutos, em lance de Paulo Isidoro. Aliás, após esta jogada o time tricolor somou mais alguns lances ofensivos pretenciosos. Dois por intermédio de Odair, que andou perdendo tempo e a grande chance, e outro de Baltazar, E foi só. No final do período, o Novo Hamburgo só não marcou porque teve em Leão o grande obstáculo.

2º TEMPO

O reinício de jogo apresentou o Novo Hamburgo com o mesmo ímpeto. Em cinco minutos a defensiva gremista se viu em apuros e safou-se concedendo dois escanteios. Então, um contra-ataque fulminante do Grêmio que resultou em escanteio. Tarciso cobrou, o goleiro Paulo Roberto se passou e Paulo Isidoro cabeceou para as redes. Lance aparentemente legal, mas assim não entendeu o árbitro.

Mas o golo anulado não afetou o time gremista, que continuou na ofensiva. O Novo Hamburgo sentiu a pressão e recolhe-se. Só que o ataque gremista não teve maior lucidez nos momentos difíceis. As chances criadas foram desperdiçadas. Aos 25 minutos, Paulinho fez a segunda substituição (a primeira aconteceu na etapa inicial por força da contusão do lateral Serginho), colocando Bonamigo no lugar de Vitor Hugo, E aos 25 minutos, Bonamigo exigiu boa defesa de Paulo Roberto. O empate parecia selado como melhor resultado, quando o lateral Mauro, aos 43 minutos, venceu Paulo Roberto num chute do longa distância. O goleiro falhou e  o Grêmio acabou ganhando” (Correio do Povo, 11 de setembro de 1980)

 

GRÊMIO: Leão, Mauro, Newmar. Vantuir e Serginho (Casemiro); Vítor. Hugo (Bonamigo), Paulo Isidoro e Renato Sá; Tarciso, Baltazar e Odair
Técnico: Paulinho de Almeida

NOVO HAMBURGO:Paulo Roberto, Manoel, Ronaldo, Paulo Vieira e Joaquim; Lourival, Dagoberto e Ederson; Itamar, Paraná e Passos (Alvaro)
Técnico: Julio Arão

Gauchão 1980 – 1ª Fase – 2º Turno – 4ª Rodada
Data: 10 de setembro de 1980
Local: Estádio Santa Rosa, Novo Hamburgo-RS
Renda: Cr$ 900.580,00
Árbitro: Nazarino Pinzon
Auxiliares: Vilson Bagatini e Darly Etges
Gol: Mauro, aos 43 do 2º tempo

Gauchão 2019 – Novo Hamburgo 0x4 Grêmio

January 28, 2019

46092438174_00816edc80_k

Eu sigo achando que o Gauchão (e a temporada, por consequência) começa demasiadamente cedo. E esse início com time reserva é bastante anti-climático. Menos mal que o time reserva estreou com goleada

Gremio x Novo Hamburgo

Novo Hamburgo 0x4 Grêmio

NOVO HAMBURGO: Gustavo; Osvaldir, Fred, Luis Gustavo (Eduardo, 26’/2º) e Fabinho; Amaral (Rodrigo Paulista, 11’/2º), Mossoró e Juninho; Kelvin, Paulinho (Leandro Cearense, 19’/2º) e Héctor Bustamante
Técnico: Bolívar

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Paulo Miranda, Marcelo Oliveira e Juninho Capixaba; Rômulo e Matheus Henrique; Kaio (Marinho, 9’/2º), Jean Pyerre e Alisson (Pepê, 16’/1º); Thonny Anderson (André, 31’/2º)
Técnico: Renato Portaluppi

1ª Rodada – 1ª Fase – Gauchão 2019
Data: 20/01/2019, domingo, 17h00min
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo
Público: 1.071 pagantes
Renda: R$ 50.070,00
Árbitro: Vinícius Gomes do Amaral (RS)
Auxiliares: Tiago Kappes Diel (RS) e Fabrício Lima Baséggio (RS)
Cartões amarelos: Juninho, Luis Gustavo (NH), Jean Pyerre, Kaio, Marinho (G)
Gols: Juninho Capixaba, aos 40 minutos do primeiro tempo; e Marinho, aos 9;  Pepê , aos 26 e Matheus Henrique , aos 37 minutosdo segundo tempo

Gauchão 2018 -Grêmio 3×0 Novo Hamburgo

February 26, 2018

2018 02 24 gremio 3x0 novo hamburgo eduardo deconto globo esportegremio novo hamburgo 2018 mauro schaefer cp

A cobertura sobre jogos de futebol tem lá suas curiosidades. O principal assunto do jogo foi o gol marcado por Jael, de pênalti, aos 42 do minutos do segundo tempo quando a partida já estava 2×0 para o Grêmio. Para mima participação do centroavante nos dois primeiros gols da partida (tabelando com Thonny Anderson e dando passe para Michel) diz muito mais sobre o potencial desse atleta do que o fato dele ter convertido a penalidade (sofrida por Maicossuel). Mas muitas vezes o folclore fala mais alto no futebol, e esse “jejum” de gols de Jael estava se aproximando da lenda do jejum de gols do volante Charles Guerreiro do Flamengo no início dos anos 1990. Assim é bom que Jael tenha se livrado dessa pecha.

Depois de conquistar o Gauchão de forma irrepreensível no ano passado, o Novo Hamburgo deu mostras que vai disputar a divisão de acesso no ano que vem. Um time que pretende seguir na primeira divisão não pode sair com a bola e tomar um gol com o adversário fazendo tabela pelo meio da sua defesa em menos de 30 segundos de partida.

Thoony Anderson teve uma atuação interessante, ainda que se leve em consideração a fragilidade do momento do adversário.

Achei a arquibancada norte excessivamente vazia para um público de 12 mil pessoas.

39754342784_d3c2734763_k26595012048_bfca7e31d6_k
Fotos: Eduardo Deconto (Globo Esporte), Mauro Schaefer (Correio do Povo) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 3×0 Novo Hamburgo

GRÊMIO: Paulo Victor; Madson, Bressan, Paulo Miranda e Marcelo Oliveira; Michel e Jailson (Alisson, aos 24/2ºT); Ramiro, Thonny Anderson (Lima, aos 34/2ºT) e Everton (intervalo); Jael.
Técnico: Renato Portaluppi

NOVO HAMBURGO: Michel Alves; Bindé, Roberto Dias, Julio Santos e Assis; David (Renan, aos 23/2ºT), Diogo Oliveira, Zotti (Henrique Santos, aos 26/2ºT) e Juninho Silva; Jean Silva e Ricardo Lobo (Branquinho, aos 19/2ºT).
Técnico: Beto Campos

09ª Rodada – Campeonato Gaúcho 2018
Data: 24 de fevereiro de 2018, sábado, 19h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 12.964 (11.162 pagantes)
Renda: R$ 399.817,00
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Leirson Peng Martins e Fabrício Lima Baseggio
Cartões amarelos: Júlio Santos
Gols: Thonny Anderson, aos 23 segundos e Michel, aos 34 minutos do primeiro tempo; Jael (de pênalti), aos 42 minutos do segundo tempo

 

Gauchão 2017 – Novo Hamburgo 1×1 Grêmio (NH 7×6 nos pênaltis)

April 24, 2017

2017 Novo Hamburgo 1x1 Gremio Lucas Uebel Gremio (2)

Pelo segundo ano seguido (e pela nona vez desde 2000) o Grêmio fica de fora da final do Gauchão. O time não conseguiu sair do empate pela terceira vez que enfrentou o Novo Hamburgo nesse campeonato. Nesse jogo de volta, pela necessidade do resultado, o tricolor teve mais iniciativa, mas não se viu o “tudo ou nada” prometido na quinta-feira, quando os titulares foram poupados na Libertadores. O Grêmio ficou mais com a bola, mas criou pouco. Barrios abriu o placar aos 19 minutos do segundo tempo. Pouco depois, Julio Santos correu livre dentro da área e saltou para empatar o jogo numa cabeçada. Nos pênaltis o Grêmio errou 3 das suas 9 cobranças e foi eliminado.

Entendo que Renato tenha o hábito de não criticar o seu time publicamente (ou de fazer autocritica em público), mas mesmo assim fica muito estranho ele dizer que o Grêmio “jogou muito melhor, mas deu mole” quando os números da partida mostram que o Novo Hamburgo foi muito mais eficiente nos cruzamentos e finalizações, mesmo tendo menos posse de bola.
2017 Novo Hamburgo 1x1 Gremio Lucas Uebel Gremio (1)
Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Novo Hamburgo 1×1 Grêmio

(Nos pênaltis: Novo Hamburgo 7×6 Grêmio)

NOVO HAMBURGO: Matheus; Léo, Júlio Santos, Pablo e Assis; Amaral, Renan, Preto, Juninho e Branquinho (Lucas Santos); João Paulo
Técnico: Beto Campos

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson (Lucas Barrios), Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Maicon, Ramiro, Léo Moura (Lincoln), Miller Bolaños (Arthur) e Pedro Rocha; Luan
Técnico: Renato Portaluppi

Gauchão 2017 – Semifinal – Jogo de Volta
Data: 23/04/2017, domingo, 19h00min
Local: Estádio do Vale, em Novo Hamburgo-RS
Árbitro: Jean Pierre Lima
Assistentes: José Eduardo Calza e Alexandre Kleiniche
Cartões amarelos: J. Santos, R.Ribeiro, Pablo e Preto; Ramiro, Edílson e Léo Moura
Gols: Lucas Barrios aos 19 minutos e Júlio Santos aos 28 minutos do 2º tempo
Nos pênaltis: Maicon, Lucas Barrios, Luan, Marcelo Oliveira, Ramiro e Arthur converteram. Lincoln, Pedro Rocha e Kannemann desperdiçaram; João Paulo, Léo, Pablo, Júlio Santos, Juninho, Renan e Amaral converteram. Preto e Assis desperdiçaram (Novo Hamburgo)

Gauchão 2017 – Grêmio 1×1 Novo Hamburgo

April 19, 2017

2017 gremio 1x1 NH lucas uebel (1)

O Grêmio tomou a iniciativa no primeiro tempo, mas o jogo foi demasiadamente truncada na primeira etapa, de modo que o tricolor pouco produziu, apesar da maior posse de bola.

O gol de Ramiro início do segundo tempo deu a idéia de que o jogo se abriria para o Grêmio, mas o Novo Hamburgo reagiu, passando a ter mais ímpeto ofensivo. Juninho empatou o jogo aos 11 minutos e depois disso o Noía chegou a colocar bola na trave e pediu pênalti em João Paulo no lance das fotos abaixo (o juiz teria marcado impedimento na jogada).

Assim como aconteceu contra o Iquique, ficou a sensação de que o Grêmio ficou sem forças nos minutos finais da partida.

2017 Jornal NH 12017 Jornal NH 2
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Juarez Machado (Jornal NH)

Grêmio 1×1 Novo Hamburgo

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Edilson, Geromel, Kannemann, Marcelo Oliveira; Ramiro, Maicon, Léo Moura (Lucas Barrios), Miller Bolanos e Pedro Rocha (Everton); Luan
Técnico: Renato Portaluppi

NOVO HAMBURGO: Matheus, Léo (Renan Ribeiro), Júlio Santos, Pablo, Assis, Amaral, Jardel, Juninho, Preto (Tiago Ott), Branquinho (Lucas Santos) e João Paulo.
Técnico: Beto Campos

Gauchão 2017 – Semifinal – Jogo de ida
Data: 16 de abril de 2017, domingo, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Público: 17.905 (15.978 pagantes)
Renda: R$ 645.873,00
Árbitro: Diego Real
Assistentes: Elio Nepomuceno de Andrade Junior e Leirson Peng Martins
Cartões Amarelos: Maicon, Léo Moura, Kannemann, Amaral, Assis, Jardel, Lucas Santos, João Paulo, Leo, Pablo
Gols: Ramiro, aos 2 minutos e Juninho, aos 11 minutos do segundo tempo