Archive for the ‘Pelotas’ Category

Gauchão 2020 – Pelotas 0x1 Grêmio

March 9, 2020

Grêmio voltou a usar a camisa tricolor com patch com “clube de todos” por cima do antigo patrocínio da Laghetto (Tal como fora feito no jogo da Recopa Gaúcha, justamente contra o Pelotas)

O jogo começou muito bem (para o Grêmio) com um gol marcado logo aos dois minutos, após grande lançamento de Darlan.

Após isso a partida transcorreu num crescente enfadonho até o apito final.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Tales Leal (E.C. Pelotas)

Pelotas 0x1 Grêmio

PELOTAS: Douglas Silva; Iago (Osvaldir, intervalo), Pedrão, Wendel e Busanello; Felipe Guedes, Michel Schmöller, Jô (Juliano, 21/2ºT), Talles Cunha (Wallacer, 16/2ºT) e Hugo Sanches; Tadeu
Técnico: Luiz Carlos Winck

GRÊMIO: Paulo Victor; Orejuela, Paulo Miranda, Rodrigues e Cortez; Darlan (Lucas Araújo, aos 38/2ºT), Thaciano, Patrick (Guilherme Guedes, aos 29/2ºT), Thiago Neves (Jean Pyerre, aos 16/1ºT) e Pepê; Luciano
Técnico: Renato Portaluppi

Gauchão 2020 – Segundo Turno – 2ª Rodada
Data: 08 de março de 2020, domingo, 16h00min
Local: Estádio da Boca do Lobo, em Pelotas
Público:
Renda:
Árbitro: Lucas Horn
Assistentes: Tiago Kappes Diel e Max Vioni
Cartões amarelos: Michel Schmöller, Jean Roberto, Hugo Sanches, Darlan, Orejuela
Gol: Pepê, aos dois minutos do primeiro minuto.

Gauchão 1995 – Pelotas 2×1 Grêmio

March 6, 2020
roger 1995 - Copia

Foto: Zero Hora

Eu sigo achando um estupidez a realização da Recopa Gaúcha em Janeiro, especialmente considerando que o Grêmio irá novamente à Pelotas neste fim de semana, menos de dois meses depois, em compromisso pelo Gauchão. É um desperdício de datas inacreditável.

Parece não haver nenhuma vontade de melhorar a questão do calendário, que é um problema histórico do futebol rio-grandense. No Gauchão de 1995, o Grêmio foi até a Boca do Lobo com time reserva, num sábado, dia 3 de junho (os titulares haviam garantido a classificação à final da Copa do Brasil na quarta-feira). Roger, expulso na partida contra o Flamengo, foi o único titular em campo naquela ocasião. Na segunda-feira seguinte o tricolor jogou novamente contra o Pelotas, dessa vez no Olímpico em jogo atrasado do primeiro turno.

1995 pelotas gremio pablo jaques silvio avila zero hora

Foto: Sílvio Ávila (Zero Hora)

PELOTAS PASSA PELO GRÊMIO E SAI DO SUFOCO

Numa partida fraca tecnicamente, o Pelotas venceu o Grêmio, sábado, por 2 a 1, na Boca do Lobo. O resultado aliviou um pouco a situação do time, que tenta fugir ao rebaixamento. O Grêmio, com os reservas, foi dirigido por Zeca Rodrigues. Os primeiros minutos do jogo foram marcados pela truculência e faltas violentas de lado a lado. E depois de duas chances desperdiçadas pelo Grêmio, o Pelotas abriu o placar, com Pablo, aos sete minutos. O segundo gol do Pelotas só saiu aos 16 minutos da etapa final com Badico, de cabeça. Logo depois o lateral Betão foi expulso. Aos 35, Murilo fez pênalti em João Carlos. Badico cobrou e o goleiro do Grêmio defendeu. Aos 39, Renatinho empurrou Márcio na área pelotense. Pênalti. Scheidt diminuiu. Escurinho e Vinícius ainda foram expulsos, depois de se agredirem.” (Correio do Povo, segunda-feira, 5 de junho de 1995)

pelotas cp

Foto: Rogério Soares (Correio do Povo)

 

A VITÓRIA NO SÁBADO TIROU O PELOTAS DO SUFOCO

O Grêmio utilizou reserva e pouco entrosado no sábado à tarde contra o Pelotas, na Boca do Lobo, e saiu de campo derrotado por 2 a 1. Com um grupo inexperiente, cuja média de idade não passava dos 19 anos, a equipe orientada pelo auxiliar Zeca Rodrigues enfrentou um adversário experiente e, acima de tudo, disposto a tudo para somar três pontos e aliviar o drama da última colocação — agora é o 11 °. O Pelotas soube aproveitar a oportunidade. E começou cedo. Aos oito minutos, o zagueiro Eugénio serviu o seu companheiro de zaga Pablo, que deixou o goleiro Mutilo sem chance de defesa.

O primeiro tempo terminou 1 a 0. Zeca colocou Márcio no lugar do meio-de-campo Jé numa tentativa de reação. Mas a iminência do rebaixamento fez do Pelotas uma equipe forte. Aos 16 minutos finais, Badico fez 2a 0. de cabeça, em cobrança de escanteio — aos 35 minutos o mesmo Badico errou um pênalti e perdeu a chance de ampliar. O Grêmio diminuiu por meio de um pênalti sobre Escurinho, convertido pelo zagueiro Scheidt, aos 41 minutos do segundo tempo. Betão e Vinícius, do Pelotas, e Escurinho, do Grémio, foram expulsos. “ (Zero Hora, segunda-feira, 5 de junho de 1995)

PELOTAS: Alex; Betão, Pablo, Eugênio e Renatinho; Paulo Ricardo, Luís Carlos Gaúcho (Vinícius) e Élton Corrêa; João Carlos, Badico (Da Silva) e Élton
Técnico: Laone Luz

GRÊMIO: Murilo; André Vieira, Scheidt, Cristiano e Roger; Dega, Carlos Alberto, Jé (Márcio) e Rodrigo Gasolina; Escurinho e Jaques.
Técnico: Zeca Rodrigues

Gauchão 1995 – Segundo Turno – 11ª Rodada
Data: 03 de junho de 1995, sábado
Local: Estádio da Boca do Lobo, em Pelotas, RS
Público: 4.018 (2.804 pagantes)
Renda: RS 12.492,00
Árbitro:  Fabiano Gonçalves
Auxiliares: José Antônio Nunes e Lauro Costa
Cartões amarelos: Pablo, Eugenio, Paulo Ricardo, Elton, Badico, Renatinho e Luís Carlos Gaúcho, Dega, Roger e André Vieira
Cartões vermelhos: Betão, Vinícius e Escurinho
Gols: Pablo, aos oito minutos do primeiro tempo; Badico, aos 16 minutos do segundo tempo; e Scheidt (de pênalti) aos 41 minutos do segundo tempo

Gauchão 1980 – Pelotas 0x2 Grêmio

March 6, 2020
1980 pelotas

Foto: Correio do Povo

No segundo turno do Gauchão de 1980, o Grêmio venceu o Pelotas na Boca do Lobo, com gols de Renato Sá e Baltazar (jogadores que participariam da jogada do gol do primeiro título Brasileiro do Grêmio no ano seguinte).

CEDO, RENATO SÁ TRANQUILIZOU OS GREMISTAS

Líder isolado do campeonato gaúcho, o Grêmio esteve em Pelotas para manter a excelente posição que desfruta. E se, teoricamente, a partida na Boca do Lobo poderia ser considerada difícil, na prática o Grêmio liquidou cedo com as dificuldades marcando um golo por intermédio de Renato Sá. Foi uma jogada do ponteiro-esquerdo Odair com passe para entrada de Renato Sá, que arrematou duas vezes antes de marcar. Na continuação do lance, aproveitando indecisão da zaga pelotense, Renato fez 1×0. A jogada de gol de Renato Sá foi o único lance claro do Grêmio no primeiro tempo. Mas, a vantagem, deu a tranqüilldade suficiente para o segundo tampo.

E logo no início da etapa complementar, veio o segundo golo. Dirceu lançou Tarciso entre os zagueiros e ele conseguiu o toque para Baltazar. O centroavante, totalmente desmarcado, chutou sem apelação. O Pelotas, a partir do segundo golo do Grêmio, desmanchou o quadrado no meio-campo e tentou partir para cima. Mas a defesa gremista bem postada segurou o resultado e os jogadores mais habilidosos fizeram o tempo passar, garantindo o excelente resultado.” (Correio do Povo, terça-feira, 23 de setembro de 1980)

chamada pelotas

PELOTAS: Casagrande ; Betão, Fernando Xavier, Sílvio e Zé Carlos; Paulo Cesar (Júlio Cesar), Remi e Alamir; Celso, Mano e Miro
Técnico: Getúlio Saldanha

GRÊMIO: Leão; Nestor Simionatto, Newmar, Vicente e Dirceu; Bonamigo, Paulo Isidoro e Renato Sá; Tarciso, Baltazar e Odair.
Técnico: Paulinho de Almeida

Gauchão 1980 – 2º Turno – 7ª Rodada
Data: 21 de setembro de 1980, domingo, 15h30min
Local: Estádio Boca do Lobo, em Pelotas-RS
Público: 7.180 (fonte: Grêmiopédia)
Renda: Cr$ 649.170,00
Árbitro: Aírton Bernardoni
Auxiliares: Urbano Knorst e Antônio Fernando Moussalle
Gols: Renato Sá, aos 7 minutos do primeiro tempo e Baltazar, aos 12 minutos do segundo tempo

Recopa Gaúcha – Pelotas 1×1 Grêmio (Pelotas 5×4 nos pênaltis)

January 21, 2020

Essa competição não faz nenhum sentido. A FGF se mostra completamente desconectada da realidade ao querer para si mais uma data no já suficientemente “congestionado” calendário do Grêmio.

Tal como vem acontecendo na Copa SP, o time entrou em campo com um patch do slogan “Clube de todos” tapando o patrocínio do Laghetto.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Tales Leal (EC Pelotas)

PELOTAS: Douglas; Osvaldir, Negretti, Felipe Chaves, Tatto; Felipe Guedes, Mateus Santana, Jean Roberto (Gabriel, 15/2º); Hugo Sanches (Jô, 19/2º), Hugo Almeida (Tadeu, 28/2º) e Juliano
Técnico: Antonio Picoli

GRÊMIO: Brenno; Felipe, Rodrigues, Ruan, Guilherme Guedes; Varela (Da Silva, 35/2º), Darlan; Jhonata Robert (Matheus Frizzo, 40/2º), Patrick (Guilherme Azevedo, 22/2º) e Ferreira; Isaque
Técnico: Thiago Gomes

Data: 19 de Janeiro de 2020, domingo, 16h00min
Local: Estádio da Boca do Lobo, em Pelotas-RS
Público: 2.922 pagantes
Renda: R$ 112.130,00
Árbitro: Daniel Nobre Bins
Auxiliares: Mauricio Coelho Silva Penna e Andrá da Silva Bitencourt
Cartões Amarelos: Felipe Chaves Ruan, Mateus Santana, Jean Roberto
Gols: Mateus Santana, aos 16 do primeiro tempo; Ferreira aos 38 do segundo tempo.
Pênaltis: Tatto, Felipe Guedes, Juliano, Mateus Santana e Tadeu (converteram para o pelotas); Darlan, Matheus Frizzo, Isaque e Ruan (converteram para o Grêmio). Douglas defendeu o pênalti batido por Rodrigues

Gauchão 1993 – Pelotas 1×1 Grêmio

March 20, 2019
1993 pelota placar nico esteves

Foto: Nico Esteves (Placar)

No Gauchão de 1993, o Grêmio garantiu o título com duas rodadas de antecedência no empate com o Pelotas na Boca do Lobo.

O técnico Cassiá sagrou-se campeão menos de um mês após substituir Sérgio Cosme no comando da equipe tricolor.

1993 pelota zh valdir friolin a

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

EMPATE GARANTE O TÍTULO DO GRÊMIO
A equipe de Cassiá saiu na frente com um gol de Caio no primeiro tempo, o Pelotas igualou na etapa final mas não impediu a festa dos tricolores na Boca do Lobo

Pelotas — Nem a iluminação deficiente, o campo enlameado, a dureza da marcação, o frio ou o soco em Dener, impediram o em-pate e o titulo do Grêmio, o novo campeão gaúcho. A campanha in-victa no octogonal final, o gol de Caio e a determinação dos jogadores na partida de ontem à noite, no Estádio da Boca do Lobo, asseguraram o empate em 1 a 1 com o Pelotas (Gaúcho descontou no final). Os 20 pontos e a distância de cinco do Inter garantiram a taça por antecipação, duas rodadas antes do fim do campeonato. O futebol ficou abaixo das expectativas, mas não impediu a grande festa dos tricolores. Uma alegria que se estendeu por todo estado do Rio Grande do Sul durante a madrugada.

O jogo começou bastante nervoso. O Pelotas tomou a iniciativa no meio-campo e ficou mais tempo com a bola sob seu controle. O time de Cassiá só chutava para longe, preocupado em garantir o empate, enquanto o dono da casa procurava trocar passes. Aos 8 minutos do primeiro tempo, José Mocellin chamou a atenção do goleiro Eduardo Heuser, que demorou para cobrar um tiro de meta. Aos 16 minutos, Eldor lançou para Sidnei, livre, chutar nas mãos de Eduardo. O goleiro sentiu uma antiga lesão na virilha esquerda e deixou o gramado aos 22 minutos, substituído por Ademir Maria.

O Grêmio conseguiu respirar um pouco mais no meio, mas seus atacantes estavam isolados. Somente aos 37 minutos, Fabinho tocou para Jamir que chutou com a perna esquerda sobre o gol de Leonetti. Um minuto depois, a equipe de Cassiá superou a boa defesa dos pelotenses. Carlos Miguel cruzou da esquerda, Dener esquivou-se e a bola ficou para Gilson. O centroavante tocou para Caio que chutou para fazer Grêmio 1 a 0. O Pelotas se desesperou e Bruno deu um soco no rosto de Dener.

No começo do segundo tempo, Pablo chutou forte e Ademir Maria fez excelente defesa. Foi o momento de o Grêmio segurar o Pelotas e partir em contra-ataques. O goleiro gremista salvou novamente seu time numa dividida com Pablo. A equipe de Galego cresceu na partida e aos 39 minutos Luís Carlos gaúcho empatou em 1 a 1. Mesmo assim, a torcida insistiu em gritar. “E campeão, é campeão”. E foi assim até o final.” (SILVIO FERREIRA, Zero Hora, Quinta-feira, 15 de julho 1993)

1993 pelota placar nico esteves cassia

Foto: Nico Esteves (Placar)

TORCIDA FAZ A FESTA E CANTA `ADEUS INTER’
   Pelotas – Três torcidas preenchiam praticamente todos os espaços do Estádio da Boca do Lobo. De um lado a do Pelotas, de outro a do Grêmio, que contava com o auxílio luxuoso das torcidas organizadas do Brasil. Mas, ao final da partida, não se ouvia pelas ruas da cidade nenhum grito de guerra que levasse o nome de qualquer uma dessas três equipes. O clube mais lembrado estava em Porto Alegre: “Adeus Inter, adeus Inter”, gritavam os torcedores do Grêmio pelas gélidas ruas de Pelotas.
   A noite estava fria, mas quente estavam os tricolores. Depois de passar quase duas horas pulando, poucos se deram conta de que, ao final do jogo, o termômetro já beirava os 5º C. Mesmo assim, para quem viajou de ônibus de Porto Alegre até Pelotas, não havia outra solução senão comemorar o título de campeão gaúcho com duas rodadas de antecedência. “Agora queremos o Inter fora da Copa do Brasil”, esbravejava o adolescente Roberto César Casagrande, 17 anos.
   Embalado pelo aquecedor mais disponível e consumido no estádio, não faltou uma pequena dose etílica para quem estivesse disposto espantar o frio. Antes de enfrentar os 255 quilômetros da volta para Porto Alegre, houve um breve carnaval pelas ruas de Pelotas.” (SILVIO FERREIRA, Zero Hora, Quinta-feira, 15 de julho 1993)

IMG_2874

1993 pelotas valdir friolin zh winck

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

1993 pelotas jose doval zh

Foto: José Doval (Zero Hora)

Pelotas 1×1 Grêmio

PELOTAS: Leonetti; Bruno, Eugênio, André (Zézinho 21 do 2ºT), Eduardo e Renatinho; Pablo, Eder (Alaor 33 do 2ºT) e Luís Carlos Gaúcho; Sidnei e Alexandre
Técnico: Galego

GRÊMIO: Eduardo Heuser (Ademir Maria 22 do 1ºT); Luís Carlos, Winck, Paulão, Luciano e Carlos Miguel; Pingo, Jamir, Caio e Dener, Fabinho e Gílson (Marco Aurélio 35 do 2ºT)
Técnico: Cassiá Carpes

Gauchão 1993 – Octagonal Final – 12ª Rodada
Data: 14 de julho de 1993, quarta-feira
Local: Estádio Boca do Lobo, em Pelotas-RS
Público: 5.812
Renda: Cr$ 1.312.150,00
Juiz: José Mocellin
Auxiliares: Adão Alípio Soares e Flávio Abreu
Cartão amarelo:Eugênio,Renatinho, Jamir, Dener e L.C. Winck
Gols: Caio, aos 38 minutos do primeiro tempo; Luís Carlos Gaúcho, 39 minutos do segundo tempo