Archive for the ‘Sulamericana 2012’ Category

Médias de Público no Olímpico em 2012

December 31, 2012

Em 2012 foram disputados 36 jogos no estádio Olímpico. A média de público pagante foi de 19.532, enquanto a média de público total foi de 24.655.
Foram 9 jogos no Gauchão, 5 na Copa do Brasil, 19 no Brasileirão e 3 na Sulamericana. Abaixo estão as tabelas com as médias de público por campeonato. Acho curioso que o campeonato gaúcho tenha uma média de público total parecida com a da Sulamericana. Já o fato da Copa do Brasil ter uma média de público pagante superior ao Campeonato Brasileiro não me surpreende tanto assim.

Advertisements

Sulamericana – Millonarios 3×1 Grêmio

November 16, 2012


Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Eitan Abramovich (Lance)

Millonarios 3×1 Grêmio

MILLONARIOS: Luis Delgado, Lewis Ochoa, Román Torres (Henríquez, 16’/1ºT), Franco e Martínez; Ramírez, Otálvaro, Juan Ortiz e Candelo (Vásquez, Intervalo); Rentería e Cosme.
Técnico: Hernán Torres.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando, Souza, Léo Gago, Marco Antônio (Elano, 15’/2ºT) e Zé Roberto; Marcelo Moreno (Kléber, 22’/2ºT, depois André Lima, 27’/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Copa Sulamericana – Quartas de final – jogo de volta
Data: 15/11/2012, quinta-feira,  22h15min (de Brasília)
Local: Estádio El Campín, em Bogotá (COL)   
Árbitro: Carlos Vera (Fifa-EQU)
Auxiliares: Luis Alvarado (Fifa-EQU) e Carlos Herrera (Fifa-EQU)
Cartões Amarelos: Ramírez (MIL); Zé Roberto, Anderson Pico e Werley (GRE)
Gols: Werley, 12’/1ºT ; Cosme, 14’/2ºT e Rentería, 34’/2ºT  e 48’/2ºT (pênalti)

Sulamericana – Grêmio 1×0 Millonarios

October 31, 2012

A “cartilha” dos torneio de mata-mata recomenda que o time da casa construa uma boa vantagem no primeiro jogo. Essa era a missão do Grêmio ontem contra o Millonarios. Mas a situação trouxe a tona o trauma da eliminação para o Palmeiras na Copa do Brasil, onde o tricolor se expôs excessivamente e acabou sendo surpreendido. Dessa vez o time de Luxemburgo não se desesperou e não cai na arapuca do adversário. O Millonários tentou se valer da posse de bola e da troca cadenciada de passes para tirar o Grêmio do lugar. Não deu tão certo. O tricolor teve paciência para marcar e conseguiu ir ao ataque, especialmente pelo lado direito, com Pará. Talvez tenha faltado um pouco mais de presença de área para os atacantes, de penetração para o meias e de ultrapassagem para os volantes e laterais, mas ainda assim o Grêmio incomodou. E num escanteio fez o 1×0. Marco Antônio aproveitou no segundo pau, a bola desviada pelo defensor adversário.

O Millonários não se incomodou muito com a desvantagem e seguiu com a sua proposta de jogo no segundo tempo. O Grêmio foi um busca de um segundo gol, e passou a forçar mais em cruzamentos e chute de longa distância. Marcelo Moreno desperdiçou boa chance após passe rasteiro de Leandro e Léo Gago carimbou a trave em arremate de fora da área. Nos minutos finais, quando o Millonários parecia satisfeito e o Grêmio estava ressabiado em levar um gol, André Lima marcou e o juiz anulou. O lance é duvidoso. O juiz inicialmente sinalizou o gol, mas atendeu o chamado do bandeirinha, que incorretamente marcou impedimento (a bola foi desviada por Renteria). Resta dúvida se André Lima completou para as redes com a mão ou com a cabeça/ombro. Uma pena que ninguém tenha consultado as imagens da TV. Uma pena que o delegado da partida não tenha inteferido. Uma pena que nenhum repórter tenha assoprado nada para a arbitragem.

Leandro parece afobado, mas ainda mais afobados me parecem alguns críticos dele. É prata da casa e ainda tem idade para estar nos juniores. E sempre aparece pro jogo. Ontem, o escanteio do gol se originou de uma tentativa de arremate dele, assim como duas importantes oportunidades começaram com cruzamentos feitos por ele.

Pelo o que sei (e lamento) os fogos de artifício estão proibidos em estádio de futebol, seja por ordem da Fifa, seja por lei municipal. A Brigada Millitar tem sido bastante zelosa em coibir o uso de tal material por parte das torcidas locais, mas parece pouco se importar com o que fazem as torcidas estrangeiras. Estranho.
Como bem ressaltou Luxemburgo, Pará fez uma partida excepcional. Apareceu no ataque e nunca deixou de auxiliar na marcação.
Detalhe nada importante, mas é bem estranha essa combinação que Marcelo Grohe fez no seu uniforme.
Não é a primeira vez que Luxemburgo retira um atacante e avança o Zé Roberto para tentar segurar um resultado. Eu confesso que não gosta de ver o nosso camisa 10 tão perto da área, apesar de ver nele o jogador mais recomendado para segurar a bola.


Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)
Grêmio 1×0 Millonarios
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Gilberto Silva, Naldo e Anderson Pico; Fernando, Léo Gago (André Lima – 42’/2ºT), Marco Antônio (Souza – 25’/2ºT) e Zé Roberto; Leandro e Marcelo Moreno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
MILLONARIOS: Delgado; Ochoa, Torres, Franco e Martínez; Ramírez, Ortíz (Vasquez – 25’/2ºT), Candelo (Blanco – 33’/2ºT) e Otálvaro; Rentería e Cosme (Perlaza – 29’/2ºT)
Técnico: Darío Sierra.

Copa Sulamericana 2012 – Quartas de final  – jogo de ida
Data: 30/10/2012, terça-feira,  21h50min
Público:  20.055 (16.334 pagantes)
Renda: R$ 281.775,50
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)
Assistentes: Sergio Roman e Marcelo Barraza (CHI)
Cartões Amarelos:  Leandro, Marco Antônio e Naldo (GRE); Torres, Ramírez e Martínez (MIL)
Gol: Marco Antônio, aos 36 minutos  do 1º tempo

 

Sulamericana – Grêmio 2×1 Barcelona

October 25, 2012

Mesmo vencendo os dois jogos contra o Barcelona, o Grêmio teve uma bela amostra de como um torneio de mata-mata pode ser traiçoeiro. Com a vantagem conquistada fora de casa, o tricolor fez um primeiro tempo conforme manda a cartilha, jogando com calma, valorizando a posse de bola e deixando o relógio andar. O Barcelona pouco ameaçava, o Grêmio criava uma chance aqui e ali, mas a partida fluía nesse ritmo arrastado que servia a todos no Olímpico.
Mas no início do segundo tempo ocorreu o susto. Num dos raros momentos que o Barcelona conseguiu prender a bola no ataque aconteceu o gol dos visitantes. Mina completou para a rede uma jogada trabalhada pela ponta esquerda. De repente uma classificação que parecia tranquila poderia ser decidida nos pênaltis. Contudo o time assimiliou bem o golpe e foi resolver o jogo. Elano, que estava sendo poupado, entrou em campo. O Grêmio aumentou o ritmo e passou a rondar a área adversária de forma mais incisiva. Aos 21, Pico aparece bem pela ponta esquerda e cruzou rasteiro, Perlaza foi cortar e marcou contra. 1×1 que tranquilizou a situação, uma vez que o Barcelona não mais conseguiu reagir. Já nos descontos Zé Roberto marcou de falta, estabelecendo o 2×1 final.


Ficou muito bonito esse novo fardamento no campo. 
Anderson Pico, um gênio ainda incompreendido, conseguiu ser lateral esquerdo e lateral direito numa mesma jogada.
Eu sigo preocupado com o baixo rendimento do Kléber. Não parece ser falta de vontade ou garra. Acho que ele está jogando muito distante do gol.
Zé Roberto joga demais. O que foi aquele domínio após uma balão do Marcelo Grohe? A bola simplesmente colou no pé dele.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Grêmio1983

Grêmio 2×1 Barcelona

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando, Souza, Marco Antônio (Elano – 9’/2ºT) e Zé Roberto; Kleber (Leandro – 31’/2ºT) e Marcelo Moreno (Marquinhos – 41’/2ºT)  
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

BARCELONA-EQU:  Banguera, De La Torre (Matamoros – 23’/2ºT), Saucedo, Perlaza e Valarezo (Ferreyra – 34’/2ºT); Arroyo, Amaya, Matias Oyola, Ibarra e Damián Díaz (Quiñonez – 29’/2ºT) ; Narciso Mina. 

Técnico: Gustavo Costas.
Copa Sulamericana 2012 – Oitavas de final – jogo de volta
Data:
24/10/2012, quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre – RS
Público Total: 17.708 ( 14.372  pagantes)
Renda: R$ 264.914,50
Árbitro: Patricio Loustau (Fifa-ARG)
Auxiliares:
Diego Bonfa (Fifa-ARG) e Juan P. Belatti (Fifa-ARG)
Cartões amarelos: Valarezo, Quiñonez, Perlaza (BAR)
Gols: Mina, 8’/2ºT ; Perlaza (contra), 21’/2ºT  e Zé Roberto, 45’/2º

Sulamericana – Barcelona 0x1 Grêmio

September 27, 2012
O resultado conquistado pelo Grêmio foi excelente, a atuação vista em campo nem tanto. Mas não resta dúvida que, no futebol, o mais importante é conseguir o resultado, especialmente num torneio de mata-mata. 
O jogo começou aberto, franco e bem movimentado. O tricolor parecia um pouco mal posicionado e dava espaços para as corridas dos rápidos avantes do time da casa. Marcelo Grohe começou a ser exigido cedo na partida, mas no primeiro tempo o Grêmio também levou perigo, como nos chutes de Tony, Pico e Kléber. Mas no desenrolar da primeira etapa o Barcelona foi se impondo e aumentando a pressão em cima da defesa gremista. Levar o 0x0 para o intervalo já parecia um grande feito do time de Luxemburgo, mas aos 44 minutos Elano cobrou um falta para o centro da área e Werley acertou uma bela cabeçada, colocando o Grêmio em vantagem.
Os 45 minutos finais foram todos de pressão do Barcelona. O Grêmio tinha dificuldade em sair no contra-ataque, e isso só se acentuou depois da expulsão de Tony, aos 14. Aí o tricolor acabou sendo encurralado, mas acabou resistindo com garra e raça aos constantes ataques do time da casa e o empate só não aconteceu devido a espetacular atuação de Marcelo Grohe, que fez grandes defesas e nas poucas vezes em que foi superado acabou contando com ajuda da trave do pé salvador de Léo Gago.

Na minha ótica Vilson jogou (mal, diga-se de passagem) como um terceiro zagueiro. Esteve sempre mais recuado dos que os laterais/alas. Tony, liberado para apoiar, conseguiu se destacar até ser expulso.

Fotos: Rodrigo Buendia (Terra e Correio do Povo)

Barcelona 0x1 Grêmio
Werley 44´


BARCELONA: Banguera, Perlaza (Ferreyra, 17’/1ºT), Jairo Campos, Erazo; De La Torre (Ayoví, 33’/1ºT), Roosvelt Oyola, Amaya (Quiñonez, 22’/1ºT), Arroyo e Matías Oyola; Damián Díaz e Mina  Técnico Gustavo Costas.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Naldo, Werley e Vilson (Léo Gago, 22’/1ºT); Tony, Fernando, Souza, Elano (Marquinhos, 33’/1ºT) e Anderson Pico; Kleber (Edilson, 19’/2°T) e Marcelo Moreno 
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Copa Sul-Americana – Oitavas de final – Jogo de ida
Data: 26/9/2012, quarta-feira, 22h00min
Local: Estádio Monumental Banco Pichincha, Guayaquil (EQU)
Árbitro: Georges Buckley (PER)
Auxiliares: Raúl López (PER) e Braulio Cornejo (PER)
Cartão Amarelo: Vilson, Tony, Elano e Fernando (GRE); Perlaza (BAR)
Cartão vermelho: Tony (GRE), aos 14 do 2º tempo
Gol: Werley, aos 44 minutos do 1º tempo

Sulamericana – Grêmio 1×0 Coritiba

August 1, 2012

Os principais personagens da noite de ontem foram a chuva e o gramado encharcado. É preciso ter isso em mente para entender o que aconteceu na estréia do tricolor da Sulamericana 2012. Era visível que o campo de jogo não tinha condições para prática de futebol. Mas a partida aconteceu mesmo assim. E diante de todas as circunstâncias, Coritiba e Grêmio fizeram um enfrentamento bem interessante no Olímpico.
Como era esperado, o jogo foi exclusivamente de ligação direta e bola aérea. Marcelo Grohe jamais saiu jogando (e nem deveria fazer diferente). Marcelo Oliveira tratou de povoar o meio de campo e a frente da área para não perder a chamada segunda bola. Aí o Grêmio foi bem, mostrou empenho e conseguiu ter sucesso nas disputas próximas a área do adversário. E criou chances de marcar, especialmente nos chutes de Elano e na conclusão de Souza que Vanderlei defendeu espetacularmente. O Coxa tentava o contra-ataque, mas Everton Costa, isolado na frente, tinha que vencer Gilberto Silva, Werley e as poças d´água. Ainda assim o time visitante ameaçou, na tentativa de chute por cobertura de Roberto e na falta cobrada por Ayrton.

No segundo tempo o Grêmio seguiu pressionando. Não primou tanto pela técnica ou pelo bom futebol (o que seria bem difícil), mas primordialmente pela luta. O time mostrou garra e empenho. Soube jogar diante da situação que se apresentava. André Lima, que quase havia marcado minutos antes, marcou o único gol do jogo depois escanteio cobrado por Léo Gago.

1×0 no primeiro jogo em casa numa competição com gol qualificado é um belo resultado. Com as condições de ontem, é ainda mais valioso. Contudo, fiquei com a sensação que o Grêmio poderia ter feito mais se o jogo fosse disputado nas CNTP.

Eu até entendo certa implicância com André Lima em razão do seu exagerado marketing pessoal. Mas dentro de campo é um jogador que sempre se esforça. Marcou os dois gols do Grêmio nos últimos dois jogos. E nem assim parte da torcida ameniza a corneta. Não consigo entender.

Outra coisa que eu não consegui entender é o escanteio curto. No campo seco é uma aberração. No gramado em que a bola não rola é injustificável.

Fotos: Guilherme Testa (Guilherme Testa), Lucas Uebel (Grêmio) e Leonardo Osmarin (Grêmio Fotos)

Grêmio 1×0 Coritiba

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando (Vilson, 22’/2ºT), Souza, Elano (Marquinhos, 31’/2ºT) e Marco Antônio (Léo Gago, intervalo); Kleber e André Lima
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CORITIBA: Vanderlei, Ayrton, Demerson, Emerson (Bonfim, 21’/2ºT) e Lucas Mendes; Chico, Junior Urso, Gil e Everton Ribeiro (Willian, 16’/2ºT); Roberto (Leonardo, 16’/2ºT) e Everton Costa

Técnico: Marcelo Oliveira.

Copa Sul-Americana – 1ª Fase – Jogo de ida
Data: 31 de julho de 2012, terça-feira, 21h15min
Local: Estádio Olímpico em Porto Alegre-RS
Público: 6.740 (5.299 pagantes)
Renda: R$ 80.396,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Márcio Santiago (Fifa-MG) e Carlos Berkenbrock (FIFA-SC)
Cartões amarelos: Demerson, Roberto (C), Pará (G)
Gol: André Lima aos 26 minutos do segundo tempo.