Archive for the ‘Sulamericana’ Category

Sulamericana – Coritiba 3×2 Grêmio

August 21, 2012

O fato da noite é que o Grêmio fez o resultado que precisava para classificar na Sulamericana, e não como há achar isso, por si só, ruim. O problema é a forma como o jogo transcorreu. O tricolor adotou uma postura estranha, jogando excessivamente aberto, beirando o “faceirismo”. E isso ficou claro logo aos 6 minutos quando Roberto saiu sozinho na frente de Marcelo Grohe. Antes dos 10 minutos o Grêmio deu a resposta e perdeu duas boas chances com Pará e Kléber. O jogo era franco, o que não era lá muito interessante para quem pretendia adminsitrar uma vantagem. Aos 22 Robinho foi lançado desacompanhado nas costas de Anderson Pico e cruzou rasteiro. Everton Ribeiro dominou, disputou com Gilberto Silva e abriu o marcador. A torcida do Coxa se animou, o Grêmio sentiu o golpe mas reagiu ainda no primeiro. Aos 40 Kléber sofreu pênalti de Pereira e Elano converteu. Parecia que os 45 minutos finais seriam mais tranquilos.
Mas não foram. E isso não se deu por um crescimento do Coritiba e sim pela partida lamentável que fez o Grêmio. O tricolor abusou de errar passes e foi frouxo na marcação. Os adversários avançavam livremente pelo meio de campo e defesa gremistas. Aos sete minutos, Roberto emulou Fabinho na Libertadores de 1997 e mancando marcou um gol no Grêmio. O time de Luxemburgo parecia indolente frente a situação. As mudanças feitas no intervalo puxaram o desempenho para baixo e aos 20 Pereira aproveitou uma linha de impedimento mal feita e marcou o 3×1. O Grêmio foi buscar um gol salvador. Tentou bastante, os avantes brigaram muito, mas as jogadas fatalmente tinham um desfecho bizonho. Até que aos 44 Marcelo Moreno aproveitou um chute mascado de Souza e salvou o Grêmio de um fiasco.

Sim, foi isso que aconteceu. O Grêmio simplesmente evitou um fiasco no último minuto. Nada de heroismo, de imortalidade ou de copeirismo. É claro que pode ser considerado aceitável uma eliminação no Couto Pereira. O problema é que ontem o Coritiba precisou jogar muito pouco para fazer três gols no Grêmio.


É óbvio que o ideal é vencer todos jogos jogando bem, mas a situação de ontem pode ser positiva para o Grêmio. O time tomou um susto mas segue vivo na competição. Não houve maiores prejuízos. Pode se tornar uma lição para evitar salto alto/apatia no futuro.

Não só os jogadores, mas a direção e a comissão técnica precisam mudar a forma como encaram a Sulamericana. A decisão de poupar jogadores antes e durante o jogo não é condizente com o discurso que garante que o clube da importância a competição.

Se a falta do Pereira no Kléber fosse feita fora da área ninguém questionaria a marcação. Um exemplo disso: Ninguém falou nada da falta que originou o gol do Coritiba no Brasileirão.

Como disse no post anterior, Anderson Pico é demasiadamente insconstante. Foi um dos destaques positivos contra o Figueirense. Ontem foi, juntamente com Naldo, um dos piores em campo. As laterais seguem sendo um problema grave do Grêmio.

Olhando pragmaticamente: 4 vitórias e 4 empates colocam o Grêmio na Libertadores via Sulamericana. Creio que o time vai ter que fazer bem mais para alcançar a mesma condição no Brasileirão.

Fotos: Felipe Gabriel (Lance) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Coritiba 3×2 Grêmio

CORITIBA: Vanderlei; Ayrton, Pereira, Escudero e Lucas Mendes; Willian, Chico (Thiago Primão, 18’/2ºT), Robinho (Junior Urso, 27’/2ºT), Everton Ribeiro e Rafinha; Roberto (Lincoln, 13’/2ºT)
Técnico: Marcelo Oliveira.

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Gilberto Silva (Naldo, intervalo) e Anderson Pico; Fernando (Leandro, 25’/2ºT), Souza, Elano (Zé Roberto, intervalo) e Marquinhos; Kleber e Marcelo Moreno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Copa Sul-Americana – 2ª fase – jogo de volta
Data: 22/08/2012, quarta-feira, 19h30min
Local: Estádio Couto Pereira, eum Curitiba-PR
Público total: 16.736 (14.726 pagantes)
Renda: R$ 252.761,00
Árbitro: Wilson Seneme
Assistentes: Alessandro Rocha e Emerson de Carvalho; 4º árbitro: Francisco Nascimento; 5º árbitro: Ednilson Corona
Cartões amarelos: Pereira, Chico, Escudero (Coritiba); Souza, Fernando, Kleber (Grêmio)
Cartões vermelhos: Pará (46’/2ºT)
Gols: Everton Ribeiro (Coritiba), aos 22 minutos do primeiro tempo; Elano (Grêmio), aos 40 minutos do primeiro tempo; Roberto (Coritiba), aos sete minutos do segundo tempo; Pereira (Coritiba), aos 20 minutos do segundo tempo; Marcelo Moreno (Grêmio), aos 44 minutos do segundo tempo.

Advertisements

Sulamericana – Goiás 1 x 1 Grêmio

August 6, 2010

O primeiro tempo do Grêmio foi constrangedor, apático, sonolento. O Goiás mandava no jogo, e só não pressionou mais por pura falta de inspiração (os esmeraldinos cansaram de levantar bola da intermediária). Victor não foi muito exigido, apesar de ter sido bastante acionado (deve ter sido um dos jogadores que mais tocou na bola). O gol de Hugo, após o toque de calcanhar de Maylson, foi surpreendente, pois era um dos primeiros ataques do Grêmio.

A “injusta” vantagem animou o time do Grêmio, que iniciou o segundo tempo com uma boa movimentação no campo de ataque. Mas aos poucos o time se retraiu, e acabou sendo castigado por Marcelo de Lima Henrique, que inventou um pênalti para o Goiás (Fábio Santos deveria saber que poderia ter rasgado a camisa do adversário). Rafael Moura bateu e converteu e o placar ficou nisso.


Hugo e Maylson jogaram praticamente como meias. Silas se preocupou com o espaço deixado nas pontas e colocou os laterais em campo. Não me pareceu ser a melhor solução.

Narrador da FoxSports passou o jogo inteiro falando em “Rônás” e “Dúglas”. Chamou Rafael Moura de “Forlán brasileño”. Ainda elogiaram bastante o Victor e afirmaram que o pênalti não existiu.

Antes do jogo, a diretoria reclamou de “maneira informal” das arbitragens. Já passou da hora. É preciso reclamar formalmente, informalmente, na mídia, nos bastidores. Como diz o Minwer, qualquer dia vão colocar o Beltrami pra apitar jogo do Grêmio e vai ficar por isso mesmo.

Fotos: Site do Goiás

Goiás 1 x 1 Grêmio

GOIÁS: Harlei; Carlos Alberto (Romerito, aos 20’ 2º), Rafael Toloi, Ernando e Júnior; Amaral, Wellington Monteiro, Jonílson e Bernardo (Pedrão, aos 12’ 2º); Éverton Santos (Felipe, aos 12’ 2º) e Rafael Moura.
Técnico: Emerson Leão.

GRÊMIO: Victor; Ozeia, Rodrigo e Rafael Marques; Maylson (Edílson, aos 34’ 2º), Ferdinando, Adílson, Douglas e Hugo (Fábio Santos, aos 22’ 2º); Borges (André Lima, no intervalo) e Jonas.
Técnico: Silas.

Copa Sul-Americana 2010 – 1ª Fase – Jogo de Ida
Data: 05/08/2010, quinta-feira, 19h30min
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia.
Público: 2.453 pagantes
Renda: R$ 36.040,00
Árbitro: Marcelo Henrique-RJ (Fifa);
Assistentes: Hilton Rodriguez e Márcio Santiago (RJ)
Cartões Amarelos: Adílson , Fábio Santos (Grêmio);
Gols: Hugo, aos do 1º e Rafael Moura (pênalti) aos 32 do 2ºtempo

Sulamericana – Grêmio 2 x 2 Internacional

August 29, 2008


Sulamericana “esvaziada”. Jogo no início da noite. Muita gente chegando em cima da hora, inclusive a chuva.

Grêmio no 3-6-1. Amaral de terceiro zagueiro, Makelele de ala-direito, Soares sozinho na frente. Inter num 4-5-1. Ricardo Lopes era zagueiro, não ultrapassou a linha do meio campo. O Inter obviamente mostrava maior entrosamento e conseguia ter mais posse de bola, pricipalmente quando D´Alessandro a conseguia segurar. O Grêmio tinha mais dificuldades. Conseguia jogar quando a bola passava por Souza e Orteman, saíam triangulações pelos lados do campo mas faltava jogadas de área. Soares muito sozinha, faltava a opção para uma jogada mais forçada na frente. O inter criou as melhores chances da primeira etapa. Nos chutes para fora de Gustavo Nery, Nilmar, no chute de Taisson defendido por Marcelo Grohe e no rebote pego por D´Alessandro e salvo por Amaral. Gêmio ameaçou na cabeçada de Rudinei, que Clemer pegou no susto e no voleio de Léo.


Cedo no segundo tempo, bola vencida no alto pelo Inter (Roth reclama, com razão, de falta em Souza) e num bate e rebate entre os zagueiros do Grêmio (jogada de Pinball), Nilmar tem a sorte de a bola cair em seus pés, e tem a competência de encobrir Marcelo Grohe e abrir o placar. Grêmio reage e vai para cima, sempre com Souza, que cria todas as jogadas de ataque. Seus chutes e cruzamentos levaram perigo.

Com pouco mais de 20 minutos do segundo tempo, bola na ponta esquerda de ataque do Grêmio. Cruzamento para dentro da área colorada e a bola é interceptada pela mão de um defensor vermelho. Pênalti. Eu estava de frente para o lance vi claramente, mas o estádio inteiro reclamou. Gaciba se fez de louco e não marcou.

Segundos depois, escanteio curto do Inter, desatenção defensiva do Grêmio e Índio subiu sozinho no segundo pau para fazer o segundo gol. Roth colocou Perea, que, somado as alterações anteriores (Adilson e André Luís), fez o Grêmio crescer. Tite tentou se resguardar com Edinho. No entusiasmo do time e da torcida surgiu empate. Bela assistência de Orteman, Perea teve calma para deixar Índio no chão e fuzilar Clemer. Pressão sobre a defesa colorada. Aos 43, Soares gira na entrada da área, chuta forte, Clemer espalmou para o alto mas não conseguiu evitar o gol de empate gremista


Lamenta-se o calendário e a ausência dos titulares. Mas também lamenta-se a ausência de alguns reservas como Reinaldo e Felipe Mattioni. Grêmio jogou dois clássicos sem um lateral direito.

Gostei muito do Souza, melhor em campo (ao menos pelo lado do Grêmio). Lhe faltou um pouco de “parceria” na armação de jogadas de ataque.

William Magrão foi bem. Ganhou a grande maioiria das divididas e disputas de cabeça. Se impôs.

Orteman começou muito bem. Depois acusou a falta de ritmo de jogo e o desontrasamento com os demais.

Rudinei muito mal. Ficou sem função entre o ataque e o meio campo. Talvez o único erro de Roth.


Gaciba é o melhor produto de exportação da arbitragem gaúcha. Mas para o mercado interno não serve. Impressionante como ele se afeta quando tem que apitar jogos da dupla. Não só pelo pênalti não marcado. Não só por não ter mostrado cartão para Índio, que fez falta idêntica, em questão de segundos, a que Jean fez e ganhou amarelo. Não só por ter dado apenas 3 minutos de descontos num segundo tempo de 4 gols (e longas comemorações) e 6 substituições. Não só pela falta não marcada em Souza na origem do 1º gol colorado. Não só pela solada em Helder não marcada no primeiro tempo. Não só por ter feito uma “cena” com os gandulas. Por tudo, por mudar o estilo, por não deixar o jogo correr. Etc…


Não sei ao certo se 23 mil pessoas é bom público. Mas tenho certeza que 19h20min é um péssimo horário para Futebol. Não só para quem vai ao estádio, mas para a cidade como um todo, que é afetada bem na hora do rush.

O ideal é vencer todos os jogos e ganhar todos os títulos. Mas isso é o ideal. A realidade é que essa Sulamericana não leva a nada. Avançar nesse campeonato só atrapalharia o desempenho no brasileirão. Outras fases preliminares virão com mais facilidade do que uma boa campanha no campeonato brasileiro.

Banguzinho invicto e cumpridor.

Eliminado no formulismo? Espero que ninguém repita essa besteira, muito dita pelos idos de 2006.

Fotos: Gremio.net, ClicRBS e Terra

Grêmio 2 x 2 Internacional
Nilmar 47´
Índio 70´
Perea 84´
Soares 88´

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Leo, Jean e Amaral (Adilson, 15’/2ºT); Makelelê (Perea, 30’/2ºT), William Magrão, Orteman, Souza, Rudnei (Andre Luis, 3’/2ºT) e Hélder; Soares.
Técnico: Celso Roth.

INTERNACIONAL: Clemer; Indio, Bolívar e Marcão; Ricardo Lopes (Andrezinho, 46’/2ºT), Magrão, Guiñazú, D’Alessandro (Edinho, 28’/2ºT) e Gustavo Nery; Nilmar e Taison (Daniel Carvalho, 25’/2ºT).
Técnico: Tite.

Copa Sulamericana 2008- 1ª Fase – Jogo de Volta
Data: 28/08/2008 – quinta-feira – 19h20min
Local: Estádio Olímpico (Porto Alegre, RS)
Público Total: 23.960 (21.679 pagantes)
Renda: R$ 520.122,00
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Alessandro Rocha (BA)
Cartão Amarelo: Jean, W.Magrão, Hélder ; Indio, Guiñazú, Clemer, Daniel Carvalho
Gols: Nilmar, 2’/2ºT ; Indio, 25’/2ºT (0-2); Perea, 39’/2ºT (1-2); Soares, 43’/2ºT

Sulamericana – Inter 1 x 1 Grêmio

August 14, 2008

Grenal disputado e embolado. Duas equipes no 3-5-2, Grêmio sem um ala-direito específico, Makelele e Rudinei se revezavamo no setor. Inter com um pouco mais de posse de bola, porém sem criar muito, nas poucas vezes que chegou, Marcelo Grohe esteve seguro. Um chute cruzado de Adriano e a defesa de Marcelo. Grêmio tentava encaixar contra-ataques, mas o desentrosamento foi sentido. André Luís fez boa jogada pela boa direita, cruzou rasteiro, mas Reinaldo não “acreditou”. Algum descritério nas marcações e nos cartões dados por Sálvio Fagundes Filho. Uma falta, questionável, em Adriano na meia lua. Muita gente na frente da bola, D´alessandro bateu no canto do goleiro e Marcelo salvou. No final da primeiro tempo, bonito voleio de André Luís e bonita defesa de Clemer.


Logo no início do segundo tempo, gol anulado (por impedimento) de Reinaldo. O replay custou a vir. Pareceu-me um pouco adiantado de fato, lance para tira-teima. Aos 10, Thiego se machucou, Roth colocou Adílson, desmanchando os 3 zagueiros. Fazia sentido, Inter tinha apenas um avante, Daniel Carvalho jogava como meia. Tite contra-atacou e colocou um segundo atacante (Luiz Carlos). Roth recuou Amaral. Aos 13, erro defensivo gremista, Guiñazu avançou pelo meio da defesa, ingressou na área e foi puxado por Jean. Pênalti meio bobo de um zagueiro meio bobo. Daniel Carvalhou bateu com força e converteu. 5 minutos depois, falta para o Grêmio, Souza levantou da intermediária e Léo fez um gol “A la Pedro Junior”. A partir daí o Inter não teve muito mais forças para mudar o Placar, que era muito mais interessante para o Grêmio, que sabia disso e tratou de administrar o jogo até o seu fim.


Missão cumprida pelo Banguzinho.

Marcelo Grohe tinha a grande responsabilidade de substitiuir Victor. Foi muito bem. Seguro.

Léo melhor em campo pelo Grêmio. Teve gente votando em Guiñazu para melhor do jogo: Justo.

Fotos: ClicRBS

Internacional 1 x 1 Grêmio
Daniel Carvalho 59´ (Pênalti)
Léo 64´

INTERNACIONAL: Clemer, Indio, Bolivar, Sorondo (Marcão, Intervalo); Wellington Monteiro (Rosinei, 23’/2ºT), Edinho, Guiñazú, Rosinei, D’Alessandro e Gustavo Nery; Adriano e Daniel Carvalho (Luiz Carlos, 23’/2ºT).
Técnico: Tite.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Leo, Jean e Thiego (Adilson, 10’/2ºT); Rudnei (Soares, 25’/2ºT), Amaral, Makelelê, Souza e Hélder; André Luiz e Reinaldo(Réver, 47/2ºT)
Técnico: Celso Roth.

Sulamericana – 1ª Fase – Jogo de ida
Data: 13/08/08 – quarta-feira – 22h00min
Local: Estádio Beira-Rio (Porto Alegre, RS)
Público: 28.921
Renda: R$ 619.895,00.
Árbitro: Sálvio Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Ednílson Corona (SP) e Emerson Carvalho
Cartão Amarelo: Edinho (INT); Amaral, Jean, Thiego, Hélder, Adilson, Marcelo Grohe
Gols: Daniel Carvalho, 14’/2ºT (pênalti); Leo, 19’/2ºT

Copa Sulamericana

August 13, 2008

Essa Copa Sulamericana poderia ser um torneio interessante. Poderia ser uma “Copa da Uefa” das américas. Poderia. Mas não é.

Inicialmente, o torneio incluiria clubes de todas as américas. Uma bela idéia. Mas isso jamais aconteceu.

Brasil e Argentina, países que mais poderiam contribuir para o torneio, são os que mais o “avacalham”.

A Argentina avacalha quando “classifica” Boca e River automaticamente, e ainda por cima em fases mais avançadas.

O Brasil por classifcar nada menos do que 8 times. Quem não é rebaixado no Brasileirão está praticamente dentro da Sulamericana. Combina-se isso a fase regionalizada e se tem um verdadeiro anti-clímax. Vejam o Figueirense. Para um clube de seu tamanho, seria muito interesante disputar uma competição internacional. O Figueira se classificou para a Sulamericana em duas ocasiões, mas nas duas vezes não teve que atravessar fronteiras, se limitando a enfrentar equipes que já cansou de enfrentar no campeonato brasileiro.

Também existe o problema do calendário. A Sulamericana deveria ser concomitante com a Libertadores, a primeira absorvendo times eliminados precocemente da segunda. Mesma relação entre Copa da Uefa e Champions League (boas idéias devem ser copiadas)

A Conmebol pouco faz para tornar seu torneio mais atrativo. Sugestão simples ( e nem um pouco original) é dar vaga na Libertadores ao campeão.

Com tudo isso em vista, apoio integralmente a decisão da diretoria em escalar time reserva nessa competição. Independente do resultado do Grenal de hoje à noite.

Imagino que esse também seja o pensamento da maioria dos gremistas.

Um “raciocínio” que me ocorreu, dirigidos a quem não gosta da idéia de desprezar uma competição internacional: Outras sulamericanas virão. É muito mais fácil, e provável, que o Grêmio se classifique para outra Sulamericana do que acabe o 1 º turno do Brasileiro na liderança novamente.

Inscritos Sulamericana

August 13, 2008
Jogadores inscritos na Copa Sul-Americana

1. Victor
2. Paulo Sérgio
3. Léo
4. Pereira
5. Réver
6. Anderson Pico
7. Perea
8. Rafael Carioca
9. Marcel
10. Tcheco
11. Willian Magrão
12. Marcelo Grohe
13. William Thiego
14. Jean
15. Felipe Mattione
16. Orteman
17. Amaral
18. Makelele
19. Hélder
20. Reinaldo
21. Souza
22. André Luís
23. Soares
24. Adilson
25. Rudnei

Quase nenhuma surpresa na lista de jogadores inscritos pelo Grêmio na Copa Sulamericana. Adilson talvez seja o nome que causa maior estranheza, uma vez que (salvo engano meu) ainda não jogou com Roth.

Havia alguma expectativa de inscrição de algum jogador de categoria de base, como Douglas, mas isso nao aconteceu. Contudo, o regulamento permite a inscrição de jogadores já vinculados ao clube no início do torneio em fases posteriores, vejam:
ARTÍCULO 4: LISTAS DE JUGADORES

1. La Confederación Sudamericana de Fútbol recibirá de cada Asociación la inscripción de la LISTA BUENA FE de sus equipos, las cuales constarán de 25 jugadores, enumerados del 1 al 25, quienes serán los únicos habilitados para el torneo. La presentación de la lista podrá hacerse hasta cuarenta y ocho (48) horas antes de la iniciación del partido de cada equipo.

2. Hasta la etapa Semifinal, y 48 horas antes del primer partido de dicha fase, se podrán sustituir hasta tres jugadores, los cuales deberán pertenecer a los registros del club, a la fecha establecida como inicio del torneo. Cada Asociación será responsable de la certificación de tal situación. Las sustituciones deberán realizarse antes del inicio de cada fase, nunca en el medio de las fases.

3. No podrá ser incluido en la LISTA DE BUENA FE el jugador que no estuviese reglamentariamente inscripto en su Asociación Nacional a la fecha establecida para la presentación de la lista a favor del club participante. La inscripción del jugador estar sujeta a las disposiciones vigentes en la respectiva Asociación Nacional y, tratándose de jugadores con transferencia internacional, conforme a las reglas de la FIFA.

4. Será de exclusiva responsabilidad de cada Asociación Nacional certificar la inscripción en el club del jugador que participará del torneo.

5. En cada partido, los jugadores se identificarán al delegado de la CONMEBOL con sus respectivos pasaportes o cédula de identidad.