Archive for the ‘Taça Brasil 1963’ Category

Taça Brasil 1963 – Santos 4 x 3 Grêmio

May 18, 2010


A grande curiosidade envolvendo o jogo de volta entre Grêmio e Santos, pela semifinal da Taça Brasil 1963, foi a presença de Pelé jogando como goleiro, no final do segundo tempo após a expulsão de Gilmar.

Também chama atenção o fato de a arbitragem ter sido severamente criticado.

GRÊMIO: Alberto; Valério, Airton, Aureo e Ortunho; Cleo e Milton; Marino, Joãozinho, Paulo Lumumba e Vieira
Técnico: Froner

SANTOS: Gilmar ; Dalmo, João Carlos (Joel) e Geraldino; Haroldo e Zito; Batista, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula.

Taça Brasil 1963 – semifinal – jogo de volta
Data: 19/01/1964, domingo, 17h00min
Local: Estádio Pacaembu – São Paulo (SP)
Renda: Cr$ 11.931.500,00
Juiz: Teodoro Nitti
Expulsão: Gilmar 86′
Gols: Pepe 6′, Paulo Lumumba 9′ e 15′, Marino 14′, Pelé 30′ (pên), 58′ e 84′ (pên)

“Na verdade, foi um espetáculo de futebol. Venceu o jogo a represetanção do Santos, numa grande injustiça para o futebol do Rio Grande. Foi mais uma experiência para os sulinos. Apenas com a diferença: o Grêmio mostrou sua classe e perdeu por uma dessas coisas que só acontecem em futebol”

“[…] PELÉ – 31′ – Pepe adiantou o balão e tentou penetrar na área. Valério foi combatê-lo e levou o pé para cortar a trajetória da pelota. Houve o choque – fora da área, no nosso entender – e, para supresa geral de todos (mesmo dos bimundiais) Teodoro Nitti marcou penalty. […]

[…]ARBITRAGEM
Péssimo o Argentino Teodoro Nitti. Influiu decisivamente na derrota do Grêmio. Fez “tabelinha” com Pelé… Bons nas laterias Romulado Arpi Filho e Eunápio de Queiroz. Aos 43′ expulsou Gilmar. O arqueiro disse “nome feio” para o árbitro. “

“O técnico Carlos Froner irritou-se violentamente contra o juiz do match, quando da cobrança do 1.º penalty, realmente um gravíssimo erro. Tentou invadir o gramado e a muito custo foi contido.”

“[…] Quando Gilmar foi expulso – disse um palavrão ao juiz – o Pacaembu vibrou… porque Pelé vestiu a jaqueta negra de arqueiro! O “Rei”, provando que é genial mesmo, fez duas grandes defesas, principalmente uma que – felinamente – deu um “peixinho” nos pés de João Severiano, que vinha com tudo para marcar. A torcida em peso torceu para a linha do Grêmio; queria ver Pelé trabalhar como arqueiro…”

Airton

Gol de Pepe

Primeiro gol do Grêmio

Alberto, Pelé e Valério

“[…] Daí a pouco, ainda nos três a um, Paulo Sousa, do Grêmio, perdeu o quarto gol, na cara de Gilmar. […]

[…] Pelé sozinho descontou a diferença, empatou e depois desempatou e foi acabar o jogo fechando o gol do Santos no lugar de Gilmar que fora expulso de campo. E fez tudo aquilo sorrindo, absolutamente descontraído como se estivesse batendo bola em dia de treino do Santos ou da seleção brasileira. No finalzinho do jogo, conta-me um amigo, Paulo Souza chutou com violência ao ângulo superior da trave, ali na última gaveta. Pois o crioulo saiu do chão, catou a bola e- aqui é que está a diferença entre ele e todos os outros goleiros do mundo – devolveu a bola não com um tiro de meta mas com uma passe preciso para Pepe”

Batista e Airton

Lance do 2º penalti para o Santos


Alberto Vs Pelé

Pelé jogando de goleiro

—————————————————————————————————
Fontes: Correio do Povo, Folha da Tarde e Jornal do Brasil

Taça Brasil 1963 – Grêmio 1 x 3 Santos

May 17, 2010

Em janeiro de 1964, Grêmio e Santos jogaram pelas semifinais da Taça Brasil de 1963. O Grêmio havia passado pelo Metropol (1×1 no Olímpico, 2×0 em Cricíuma) e pelo Atlético-MG (1×1 no Independência e 2×1 no Olímpico).

Os paulistas, assim como os cariocas, entravam direto nas semifinais.

Neste post está o material que coletei sobre o jogo de ida, disputado no Estádio Olímpico.

É interessante verificar a discrepância nos relatos dos jornais. Áureo foi elogiado pelo Correio do Povo, e criticado pelo Jornal do Brasil. Da mesma forma, a questão da organização do jogo foi vista de forma distinta pelos jornais.

GRÊMIO: Alberto; Valério, Airton, Aureo e Ortunho; Cleo e Milton; Marino (Madureira), Joãozinho, Paulo Lumumba e Vieira.

Técnico: Froner
SANTOS: Gilmar; Dalmo, João Carlos e Geraldino; Haroldo e Zito; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Batista.
Técnico: Lula.

Data: 16 de janeiro de 1964, quinta-feira.
Local: Estádio Olímpico – Porto Alegre (RS)
Renda: Cr$ 21.357.000,00
Público: 45.000
Juiz: Eunápio de Queiros
Gols: Paulo Lumumba 6′, Coutinho 25′, Coutinho 70′ e Pelé 76′

“[…] O elemento que mais impressionou no Grêmio foi Paulo Souza no ataque. Seu trabalho agradou sempre. Deslocou-se bem e acompanhou todos os movimentos da dianteira do Grêmio,a a bem da verdade, não andou como se esperava […]

[…] O grande valor do Grêmio foi Aureo, que na noite de ontem deixou para traz Aírton, em muitos pontos. Foi mais seguro e mais positivo, apesar da apresentação dos demais. […]”

“A renda de Cr$ 21.357 mil quebra quase pelo dobro o recorde gaúcho, com 45 mil pessoas presentes”

“[…] Haroldo salvou atabalhoadamente, para, aos seis minutos, Vieira fazer excelente jogada, driblando dois defensores do Santos e lançando Paulo Souza em profundidade, para este marcar 1 a 0, num chute violento e cruzado, de baixo para cima, sem dar oportunidade ao goleiro Gilmar.”

[…] O movimento em Porto Alegre surgido com a realização do jogo Santos X Grêmio foi sem precedentes, chegando a causar, a exploração de cambistas, reclamações no plenário da Câmara Municipal, onde diversos vereadores protestaram contra a falta de combate aos aproveitadores que estavam cobrando Cr$ 500,00 por uma geral, diante da omissão total das autoridades. Três mil cadeiras especiais numeradas foram colocadas na pista e, como todas as demais localidades, integralmente vendidas.”


“O melhor lance do jogo nasceu com Coutinho, que deu um lençol em Áureo e empurrou para Pelé, que cobriu a Aírton e voltou de cabeça a Coutinho. O mesmo feitio de jogada foi feito até dentro da área gaúcha, mas faltou equilíbrio e só restaram os aplausos do público.”

O gol do Grêmio

Alberto Vs. Coutinho

“Realizando um total de 58 ataques durante a partida de quinta-feira, o Santos F.C. realmente esteve mais com a bola, mas atirou menos ao gol que o tricolor […]”

“[…]O Grêmio, no primeiro tempo realizou 25 avançadas, desviou 3 bolas e acertou 4 vezes o arco. Obteve 1 gol. No segundo tempo, conduziu 28 ataques, desviou 5 bolas e acertou três na meta, exigindo defesas de Gilmar”


“As cadeiras colocadas no gramado tiveram garantia completa e o público correspondeu plenamente as solicitações da Polícia, pois tudo correu bem, sem nenhuma nota dissonante. O serviço de copa andou bem e o povo não usou foguetes e rojões, para dar expansão às suas alegrias”

—————————————————————————————————-
Fontes: Correio do Povo, Folha da Tarde e Jornal do Brasil