Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Copa do Brasil 2021 – Grêmio 0x4 Flamengo

August 29, 2021

Foto: Alexandre Vidal (C.R. Flamengo)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Foto: Marcelo Oliveira (Staff Images)

Olhando pelo momento vivido pelas equipes o favoritismo do Flamengo era inegável. Diante desse quadro era de se imaginar que uma vitória gremista passaria por uma atuação com pouco ou nenhum erro.

Infelizmente o time cometeu um erro grosseiro no início dos segundo tempo, quando um escanteio mal batido pelo Flamengo passou baixo pelo primeiro pau e atravessou a área até chegar em Bruno Viana, que fez um 1×0. Foi um erro que custou caro, pois o Grêmio havia feito um bom primeiro tempo e sentiu demais o golpe. Depois disso o time se jogou de forma atabalhoada ao ataque e sempre esteve mais próximo de levar um segundo gol do que de empatar. Nos últimos 15 minutos de jogo o time não só levou o segundo, como também o terceiro e o quarto.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Foto: Lucas Bubols (Globo Esporte)

Grêmio 0x4 Flamengo

GRÊMIO: Gabriel Chapecó; Vanderson, Rodrigues, Kannemann e Rafinha; Thiago Santos (Diego Souza, 25’/2ºT); Douglas Costa (Ferreira, 28’/1ºT), Lucas Silva (Campaz, 13’/2ºT), Villasanti e Alisson (Luiz Fernando, 25’/2ºT); Borja
Técnico: Luiz Felipe Scolari

FLAMENGO: Diego Alves; Isla, Gustavo Henrique, Bruno Viana e Filipe Luís; Willian Arão e Diego (Matheuzinho, intervalo); Everton Ribeiro (Vitinho, 31’/2ºT), Arrascaeta (Thiago Maia, intervalo) e Bruno Henrique (Michael, 41’/1ºT); Gabigol (Rodinei, 41’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

Data: 25 de agosto de 2021, Quarta-feira, 21h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Lucas Silva, Luiz Fernando e Ferreirinha (Grêmio); Diego e Gabigol (Flamengo)
Cartões vermelhos: Vanderson (Grêmio); Isla (Flamengo)
Gols: Bruno Viana, aos 7 minutos do segundo tempo; Michael, aos 39min do segundo tempo; Rodinei, aos 45min do segundo tempo; Vitinho (de pênalti) aos 51min do segundo tempo

Copa do Brasil 1997 – Vitória 3×3 Grêmio

July 27, 2021

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

 

Este foi o segundo confronto entre Grêmio e Vitória pela Copa do Brasil em Salvador (o primeiro havia sido em 1994, também pelo jogo de volta pelas quartas de final).

O Grêmio tinha tudo para encaminhar a classificação com tranquilidade. Havia vencido a partida de ida por 2×0 e saiu na frente na Fonte Nova logo aos 8 minutos. Rodrigo Gral marcou o segundo aos 27, mas Gil Baiano descontou dois minutos depois. Foi aí que Danrlei foi expulso na sua folclórica mania de não permitir que os adversários buscassem a bola no fundos das redes. Obviamente a situação tricolor na partida piorou muito, mas no fim os comandados de Evaristo de Macedo conseguiram a classificação para as semifinais com um empate em 3×3.

Neste jogo o time utilizou a peculiar combinação de um calção azul royal com a tradicional camisa tricolor (algo que foi repetido em, ao menos, outras 5 oportunidades na temporada de 1997)

Foto: Edson Ruiz (Correio do Povo)

GRÊMIO PERDE TITULARES NA DECISÃO
Expulsão de Danrlei pôs em risco a vaga na Copa Brasil. Amanhã não jogarão Rivarola e Zé Alcino

Vários titulares desfalcarão o time do Grêmio em dois jogos decisivos, esta semana. Amanhã, no Olímpico, contra o Guarany do Paraguai, pela Libertadores, não atuarão Rivarola, cumprindo suspensão, Émerson, com lesão no joelho e, possivelmente Zé Alcino, ainda se recuperando de problema no joelho. O time gaúcho precisa vencer para chegar às quartas-de-final. Quinta, em São Paulo, frente ao Corinthians, não atuará Danrlei, expulso de forma inconseqüente em Salvador. O time empatou em 3 a 3 com o Vitória, sábado, num jogo que tornou-se dramático pela inferioridade numérica do Grémio a partir dos 29 minutos do 1° tempo.

Para quem podia até perder por diferença mínima, o Grémio arrancou com uma grande vantagem. Aos 7 minutos, fez 1 a 0, gol contra de Nilson, que jogou a bola para dentro das próprias redes, num escanteio cobrado por Arce. Aos 27, Rodrigo Gral, de cabeça, fez 2 a 0, em notável jogada de Carlos Miguel. O Vitória descontou por Gil Baiano, aos 29, e chegou ao empate com Agnaldo, aos 40. Com apenas 10, o Grêmio recuou todo. Sofreu o 3° gol aos 10 do 2° tempo, por Chiquinho. A classificação veio aos 32, por Paulo Nunes, em grande jogada individual pela direita.” (Correio do Povo, segunda-feira, 5 de maio de 1997)

 

DANRLEI É CRITICADO POR EXPULSÃO

O goleiro Danrlei foi repreendido por alguns jogadores do Grêmio no intervalo da partida contra o Vitória, devido a sua expulsão. “Ele sabe que ninguém tem o direito de deixar os companheiros na mão”, afirmou Luiz Carlos Goiano. Danrlei garante que ninguém fez cobranças, até porque outros jogadores também já foram expulsos e ninguém chamou a atenção”. Aos 29 minutos da partida de sábado, ao tentar reter a bola dentro da goleira, após o l° gol do Vitória, Danrlei envolveu-se numa grande confusão. Terminou por dar uma cabeçada em Agnaldo e foi expulso. No intervalo, Evaristo Macedo afirmou que o goleiro colocara a classificação em risco. Danrlei está ameaçado de ser multado pela diretoria.

Irritado com perguntas sobre a mudança feita na equipe – o questionamento quanto a saída de Otacílio para a entrada do goleiro Silvio -, Evaristo Macedo recusou-se a seguir dando entrevista a um repórter de rádio. Em altos brados, disse que não admitia ser chamado de burro.

O departamento médico do Grêmio aguarda para hoje a chegada de uma tornozeleira inflável, importada dos Estados Unidos, que poderá possibilitar a utilização de Zé Alcino no jogo de amanhã, contra o Guarany. Em condições normais, o jogador está afastado até da partida frente ao Corinthians, 5′ feira, em São Paulo. “Zé Alcino sofreu lesão nos ligamentos do tornozelo e suas chances de jogar são de apenas 5%”, informa o médico João Zanini. O lateral Roger sofreu novas dores no púbis após o jogo contra o Vitória.”(Correio do Povo, segunda-feira, 5 de maio de 1997)

 

 

 

“UMA TARDE DE SOFRIMENTO E NERVOSISMO

Uma lenda na história recente das imediações da Avenida Azenha diz que cada etapa ultrapassada pelo clube em qualquer campeonato sempre deixa o seu torcedor à beira de um ataque de nervos ou de uma visita ao cardiologista mais próximo. Ontem, em Salvador, contra o Vitória, tudo apontava para o contrário. Até os 31 minutos do primeiro tempo, o campeão brasileiro passeava no gamado alto e fofo da Fonte Nova. Entrara em campo podendo perder de 1 a 0 e ganhava por 2 a 0. Se todas as imagens de santos veneradas nas 365 igrejas de Salvador se unissem em uma corrente improvável, ainda assim seria difícil supor qualquer esboço de reação baiana. O Vitória precisava fazer cinco gols. Mas diz a lenda que no Estádio Olímpico nada pode ser tranquilo, nada. Veio a expulsão do goleiro Danrlei. E o sábado gremista virou algo próximo às batalhas heróicas do tempo das Cruzadas, na Idade Média.

Parecia não haver mais tempo para os pouco mais de 50 mil torcedores emoldurarem o cenário imaginado pelos rubro-negros: o abafa desde o começo da partida, como prometera o técnico Arthurzinho. Mas ao sofrer o gol de Gil Baiano, aos 29 minutos do primeiro tempo, Danrlei retardou a reposição da bola em jogo. Terminou expulso. Como o reserva Sílvio está com dedo mínimo da mão esquerda quebrado e inacreditavelmente torto, começava ali o drama gremista. A torcida, que já estava revoltada com o gol de Galvão, se inflamou com a expulsão de Danrlei. Quando Agnaldo empatou, aos 41, a Fonte Nova entrou em ebulição e só não desabou por alguma obra de engenharia eficaz.

Das gerais, choviam pilhas, pedras, latas de cerveja, tênis, pedaços de pau. Próximo às cabines de rádio improvisadas em meio às sociais, um torcedor ensandecido circulava entre os jornalistas. “Digam o que estão fazendo na nossa casa, vocês têm que dizer!”, berrava, batendo nas mesas, atrapalhando a visão dos profissionais gaúchos e utilizando um vocabulário bem menos elegante que o usado pela diplomacia britânica. No campo, a temperatura estava bem acima dos 28°C apontados pelos termômetros.

Irritado com os repórteres baianos, que tinham permissão para ficar ao lado dos reservados, o técnico Evaristo de Macedo discutiu com um deles. O preparador físico Francisco Gonzales, um monges budista de serenidade, perdeu a calma e o empurrou. Confusão. Mais revolta da torcida e policiais militares no reservado gremista. Quando os episódios tornavam rumos realmente perigosos —dois torcedores já tinham invadido o campo para bater no juiz — a Polícia Militar radicalizou: despejou 82 homens dentro na pista atlética. Ao final do jogo, este contingente ultrapassava os 100 policiais. Era como se estivessem em campo Iraque e Arábia Saudita, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. “Foi um jogo para quem tem coração forte, desabafou Evaristo, ofegante. “O mais difícil desde que cheguei ao Grêmio”. Passar pelo inferno da Fonte Nova valeu mais que uma vaga nas semifinais. De acordo com o vice de finanças. Carlos Biedermann, o resultado significará um ingresso de receita de USS 1 milhão nos cofres. Projetando rendas contra o Guarani, pela Libertadores, a as partida de volta contra o Corinthians, no Olímpico, e a venda de objetos com a marca Grêmio.” (Zero Hora, segunda-feira, 5 de maio de 1997)

 

 

“MESMO COM DEZ, GRÊMIO SE CLASSIFCA
Sem o goleiro Danrlei durante a maior parte do jogo (ele foi expulso aos 28min do primeiro tempo), o Grêmio empatou em 3 a 3 com o Vitória, anteontem, em Salvador, e se classificou para as semifinais da Copa do Brasil.
O adversário do time gaúcho será o Corinthians, e a primeira partida acontece na próxima quinta-feira, em São Paulo.
Arce, cobrando escanteio, Rodrigo Graal e Paulo Nunes marcaram para o Grêmio. Gil Baiano, Agnaldo e Chiquinho descontaram para os baianos.” (Folha de São Paulo, 5 maio de 1997)

 

Juca Kfouri: “Para variar, o Grêmio chega à sua quinta semifinal seguida na Copa do Brasil. E chega heroicamente, na Fonte Nova cheia. E com apenas dez jogadores, graças a mais um gesto impensado do goleiro Danrlei, bem expulso por tentativa de retenção de bola pelo árbitro Cerdeira _que, também, validou incorretamente o primeiro gol gaúcho, não marcando a intenção de mão na bola de Mauro Galvão.

Paulo Nunes pode até não ter lugar na seleção mas, sem dúvida, terá um lugar eterno no coração gremista, tal sua competência e dedicação.
O Vitória bem que tentou, mas não foi capaz de tirar a diferença diante do mais copeiro dos times brasileiros. E Bebeto decepcionou.
Em vez de uma semifinal entre os dois clubes patrocinados pelo Excel, teremos a repetição da final de 1995 e a vantagem corintiana é óbvia: joga a primeira em casa contra uma equipe que jogou na quinta-feira pelo Campeonato Gaúcho, sofreu um desgaste brutal em Salvador no sábado e volta a campo amanhã no Olímpico para virar o resultado de 1 a 2 contra o Guarani, do Paraguai, pelas oitavas de final da Taça Libertadores.
Menos mal para o Grêmio que, sem Danrlei, não enfrentará o turbinado Mirandinha, suspenso.
Mas o que se exige do Grêmio mereceria um protesto da Sociedade Protetora dos Animais, já que as entidades defensoras dos direitos humanos não costumam se ocupar das mazelas do calendário do futebol brasileiro.” (Juca Kfouri, Folha de São Paulo, 5 de maio de 1997)

O CHAVECO DO GOLEIRO
O Grêmio vencia o Vitória por 2 x 0, em Salvador, quando o goleiro Danrlei aprontou mais uma das suas. O tricolor brigão engalfinhou-se com os jogadores do Vitória ao catimbar após o primeiro gol baiano. Foi expulso pelo juiz Cláudio Cerdeira e complicou a vida do Grêmio, que se classificou com as calças na mão após um empate de 3 x 3. Mas Danrlei se redimiu. Por uma “incrível coincidência”, na volta de Salvador, o goleiro acabou sentando ao lado do juiz no avião. Conversa vai, conversa vem , os dois acabaram amiguinhos. E em vez de colocar na súmula do jogo a agressão de Danrlei, Cerdeira escreveu “tentiva de retardar a partida”, um crime bem menos grave para o tribunal da CBF” (Placar, Edição n.º 1.128,  Junho de 1997)

Foto: Pisco del Gaiso (Placar)

Coisas do coração
Após o empate com o Vitória em 3 a 3 a classificação para as semifinais da Copa do Brasil, o técnico do Grêmio, Evaristo de Macedo, disse para o presidente do clube, Luís Carlos Silveira Martins, o Cacalo: “Quando as coisas são resultado de uma obrigação profissional, é ótimo. Quando vêm do coração, são melhores ainda.” Cacalo, se disse “emocionado” com o carinho dedicado pelo treinador ao clube.” (Folha de São Paulo, 5 de maio de 1997)

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

 

Vitória 3×3 Grêmio

VITÓRIA: Nílson; Uéslei (Renato 30/1), Flávio Tanajura, Júnior, Esquerdinha; Hélcio (Humberto 43/2), Bebeto Campos (Baiano 40/2), Chiquinho, Gil Baiano; Agnaldo, Bebeto.
Técnico: Arthurzinho

GRÊMIO: Danrlei; Arce, Luciano, Mauro Galvão e Roger; Dinho (Djair 11/2), Luiz Carlos Goiano, Otacílio (Sílvio 30/1) e Carlos Miguel; Paulo Nunes e Rodrigo Gral (Marco Antonio 10/2)
Técnico: Evaristo de Macedo

Copa do Brasil 1997 – Quartas de Final – Jogo de Volta
Data: 3/5/1997, Sábado, 16h00min
Local: Fonte Nova, em Salvador, BA
Público: 52.229 (42.239 pagantes)
Renda: R$ 445.445,00
Juiz: Cláudio Vinícius Cerdeira-RJ
Auxiliares: Aristeu Tavares e Djalma Beltrami
Cartões Amarelos: Luciano, Rodrigo Gral, Djair
Cartão Vermelho: Danrlei 30/1
Gols: Nílson 08/1T (contra), Rodrigo Gral 27/1T, Gil Baiano 29/1T, Agnaldo 40/1T, Chiquinho 09/2T, Paulo Nunes 31/2T

Brasileirão 2021 – Grêmio 0x0 Inter

July 11, 2021

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Uma boa notícia do jogo foi que o jovem goleiro Chapecó saiu-se muito bem e foi o melhor jogador em campo. Uma má notícia é que o Grêmio precisava ganhar e o seu goleiro foi o melhor jogador em campo.

Essa aplicação do patrocínio do Banrisul ficou muito ruim. A marca já estava demasiadamente grande antes e a frase inserida abaixo ficou praticamente ilegível.

Foto: Eduardo Moura (Globo Esporte)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)


Grêmio 0x0 Inter

GRÊMIO: Gabriel Chapecó; Rafinha (Vanderson, 29’/2ºT), Geromel, Kannemann e Cortez; Fernando Henrique e Victor Bobsin; Alisson, Douglas Costa (Jean Pyerre, 21’/2ºT) e Ferreira (Léo Pereira, INT.); Diego Souza (Ricardinho, 21’/2ºT)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

INTER: Daniel; Saravia, Bruno Méndez, Víctor Cuesta e Moisés (Paulo Victor, 20’/2ºT); Rodrigo Dourado; Edenilson (Johnny, 27’/2ºT), Taison (Boschilia, intervalo), Caio Vidal (Thiago Galhardo, 20’/2ºT) e Patrick; Yuri Alberto
Técnico: Diego Aguirre

11ª Rodada – Brasileirão 2021
Data: 10 de julho de 2021, sábado, 16h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (FIFA – SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Daniel Luis Marques (SP)
VAR: Marcio Henrique de Gois (SP)
Cartões Amarelos: Victor Bobsin; Bruno Méndez, Rodrigo Dourado

Brasileirão 2021 – Sport Recife 1×0 Grêmio

June 20, 2021

Foto: Paulo Paiva (AGIF)

0 pontos em 9 disputados. E a verdade é que o Grêmio não jogou o suficiente para ter uma campanha muito diferente dessa nos seus três primeiros jogos do Brasileirão 2021.

O gol de Thiago Santos foi corretamente anulado pela arbitragem. Mas antes disso parece ter havido um pênalti em Geromel. Não achei nenhum comentário sobre este lance.

É compreensível que Tiago Nunes e o Presidente Romildo Bolzan queiram defender o goleiro Paulo Victor. Mas não dá pra negar ó óbvio. Sem falar que a resposta do nosso treinador, além de grosseira, foi um tiro no pé, visto que ele mesmo nunca jogou profissionalmente.

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Sport Recife 1×0 Grêmio

SPORT: Mailson; Rafael Thyere, Iago Maidana e Sabino; Hayner  (Tréllez, 21’/2ºT), Marcão, Thiago Lopes (José Welison,  21’/2ºT) e Sander; Marquinhos (Gustavo Oliveira, 15’/2ºT) e André (Neilton, 39’/2ºT) e Paulinho Moccelin (Patric, 15’/2ºT)
Técnico: Umberto Louzer

GRÊMIO: Paulo Victor; Rafinha, Geromel, Kannemann e Cortez (Diogo Barbosa, INT); Thiago Santos (Victor Bobsin, Intervalo); Luiz Fernando (Douglas Costa, 17’/2ºT), Matheus Henrique (Jean Pyerre, 33’/2ºT), Jhonata Robert e Ferreira (Ricardinho, 28’/2ºT); Diego Souza
Técnico: Tiago Nunes

4ª rodada – Brasileirão 2021
Data: 17 de junho de 2021, quinta-feira, 19h00min
Local: Ilha do Retiro, no Recife, PE
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Brigida Cirilo Ferreira
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro
Cartões amarelos: Iago Maidana, Paulinho Moccelin Gustavo Oliveira; Matheus Henrique, Luiz Fernando, Kannemann e Rafinha
Gol: Sander, aos 33 minutos do 1º tempo

Copa do Brasil 2021 – Brasiliense 0x0 Grêmio

June 12, 2021

Foto: Alan Rones (Futura Press)

Mais um jogo marcado para o meio da tarde de um dia útil sem que nenhuma “autoridade” tenha dado uma justificativa para isso.

Eu acho legal quando o Grêmio joga com o calção branco, só não entendi porque essa combinação foi a escolhida para essa partida, visto que o Brasiliense também tem calção e meia em tom claro.

 

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

BRASILIENSE: Edson Sucuri; Diogo, Badhuga, Keynan, Peu; Lídio (Tobinha, 11’/2ºT), Sandy (Ballottelli, 38’/2ºT), Zotti; Peninha (Carlos Eduardo, 26’/2ºT), Luquinhas (Didira, 38’/2ºT), Zé Love (Vitor Rangel, 26’/2ºT).
Técnico: Vilson Tadei

GRÊMIO: Paulo Victor; Vanderson, Geromel, Kanneman e Cortez; Thiago Santos, Lucas Silva (Maicon, 30’/2), Jhonata Robert (Victor Bobsin, 41’/2ºT), Jean Pyerre (Luiz Fernando, 20’/2ºT) e Léo Chú (Ferreira, intervalo); Ricardinho (Diego Souza, intervalo)
Técnico: Tiago Nunes

Copa do Brasil 2021 –
Data: 10 de junho de 2021, quinta-feira, 15h30min
Local: Estádio Boca do Jacaré, em Brasília, DF)
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza
Cartões Amarelos: Peu, Lídio, Diogo, Vílson Taddei, Luquinhas, Zotti e Zé Eduardo; Geromel
Cartão Vermelho: Zotti (Brasiliense)

Copa do Brasil 2021 – Grêmio 2×0 Brasiliense

June 4, 2021

Não encontrei nenhuma explicação para esse jogo ter sido marcado às 16h30min de uma quarta-feira. Suponho que tem a ver com o fato do Sportv não ter canais suficientes para transmitir todos jogos da Copa do Brasil e os play-offs da NBA à noite. De qualquer forma eu fico pasmo com a naturalidade que esses horários esdrúxulos são aceitos.

Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 2×0 Brasiliense

GRÊMIO: Paulo Victor; Vanderson, Geromel, Kannemann, Cortez; Thiago Santos; Jhonata Robert (Guilherme Azevedo, 38’/2ºT), Lucas Silva (Victor Bobsin, 38’/2ºT), Jean Pyerre e Léo Chú (Léo Pereira, 25’/2ºT); Ricardinho (Churín, 25’/2ºT)
Técnico: Pedro Sotero (analista de desempenho)

BRASILIENSE: Edmar Sucuri; Diogo, Badhuga, Gustavo Henrique, Weverton Goduxo (Bolotelli, INT); Lídio, Sandy, Peninha (Jorge Henrique, 43’/2ºT); Didira (Zotti, 33’/2ºT), Zé Love (Romarinho, 33’/2ºT) e Luquinhas (Milton Júnior, 33’/2ºT)
Técnico: Vilson Taddei

Data: 02 de junho de 2021, quarta-feira, 16h30min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Árbitro: Alexandre Tavares de Jesus (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Carlos Henrique de Lima Filho (RJ)
Cartões amarelos: Vanderson, Lucas Silva e Jean Pyerre; Badhuga, Goduxo, Zé Love e Lídio
Gols: Ricardinho, aos 43 do 1º tempo e Jean Pyerre aos 3 do 2º tempo

Brasileirão 2021 – Ceará 3×2 Grêmio

May 31, 2021

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Essa foi a 18ª partida de estreia do Grêmio na história do Brasileirão por pontos corridos. Somente em sete ocasiões o Grêmio saiu com vitória na primeira rodada. Mais de 50% aproveitamento nas duas primeiras rodadas do Brasileirão por pontos corridos o Grêmio também só atingiu em 7 das suas 18 participações (sendo que 6 pontos nos dois primeiros jogos só conseguiu em 2017). Cabe lembrar, novamente, a lição de Guardiola sobre pontos corridos:  “As ligas são ganhas nas últimas oito rodadas, e são perdidas nas oito primeiras.”

Não consigo porque a Umbro não faz (ou ainda não fez) uma meia azul celeste para o Grêmio. E desconfio que alguém no Grêmio gosta muito dessa combinação de camisa e calções azuis com a meia branca. Eu não gosto. Acho é a pior alternativa para quando o adversário joga com calções e meias pretos (gosto mais do calção branco com meia azul e calção e meias brancos).

O VAR não ajudou muito no jogo de hoje. Em nenhum momento as imagens esclareceram por completo os lances. Não ficou claro que a bola não saiu no segundo gol do Grêmio. O VAR não exibiu nada que comprovasse que o árbitro cometeu um  “erro claro e óbvio” no pênalti marcado sobre Cortez e a legalidade da posição dos atletas do Ceará no terceiro gol também não ficou tão evidente.

Foto: Caio Rocha (FramePhoto/Gazeta Press)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio.net)

Ceará 3×2 Grêmio

CEARÁ: João Ricardo Vinicius Machado, INT);  Buiú, Messias, Gabriel Lacerda e Kelvyn;  Oliveira e Pedro Naressi (Charles, 30’/2ºT); Jorginho, Rick (Wendson, 47’/2ºT) e Saulo (Yony González, 26’/2ºT); Cléber (João Victor, 30’/2ºT)
Técnico: Guto Ferreira

GRÊMIO: Brenno; Vanderson, Geromel, Ruan, Diogo Barbosa (Cortez, INT), Thiago Santos e Lucas Silva (Jean Pyerre, INT);  Léo Pereira   Jhonata Robert, INT), Matheus Henrique e Léo Chú (Guilherme Azevedo, 47’/2ºT) ; Ricardinho

Técnico:  Evandro Fornari (auxiliar)

1ª Rodada – Brasileirão 2021
Data: 30 de maio de 2021, domingo, 16h00min
Local: Estádio Castelão, em Fortaleza, CE
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Henrique Andrade (DF) e José Reinaldo Jr. (DF)
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Cartões amarelos: Messias, Buiú e Charles (Ceará); Thiago Santos, Geromel e Robert (Grêmio)
Gols Cléber, aos 35min, Rick, aos 41min, e Vanderson, aos 47min do 1º tempo; Ricardinho, aos 3min e Jorginho aos 48min do 2º tempo.

Gauchão 2021 – Inter 1×2 Grêmio

May 17, 2021

Foto: Diego Souza (Twitter)

Foto: Richard Dücker (@Ducker_Gremio)

 

Como a imensa maioria dos Gre-Nais, esse foi um jogo decidido nos detalhes. Matheus Henrique esteve envolvido em dois lances que poderiam ter mudado/mudaram a história da partida. No final do primeiro tempo ele perdeu um gol de um modo que não se pode perder em clássico. Mas não se abalou e ganhou a dividida e roubou a bola na origem do gol da virada do Grêmio.

Apesar da participação decisiva de Matheus Henrique e Lucas Silva o setor de meio de campo do Grêmio não funcionou tão bem (deu uma melhorada após a entrada de Darlan). Tiago Nunes vai ter que se acostumar com o fato de que, à exceção de Jean Pyerre, o Grêmio só tem jogadores de lado de campo ou volantes com bom passe. Faltam meias que joguem por dentro e se aproximem da área adversária.

Entendo que a Federação queira fazer ações para valorizar a final do campeonato, mas colocar um escudo do Inter na camisa do Grêmio (e vice-versa) passa de todos os limites. Os times não deveriam ter aceitado isso.

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

 

Foto: Ricardo Duarte (Inter)

 

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Foto: Richard Dücker (@Ducker_Gremio)

Inter 1×2 Grêmio

INTER: Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel (Lucas Ribeiro, 40’/2ºT), Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Dourado, Edenilson, Nonato (Marcos Guilherme, 40’/2ºT); Mauricio (Caio Vidal, 22’/2ºT), Palacios (Yuri Alberto, 14’/2ºT) e Thiago Galhardo (Praxedes, 22’/2ºT)
Técnico: Miguel Ángel Ramírez

GRÊMIO: Brenno; Rafinha, Geromel, Ruan e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Fernando Henrique, 35’/2ºT), Luiz Fernando (Léo Pereira, 17’/1ºT), Maicon (Darlan, 19’/2ºT), Matheus Henrique e Ferreira; Diego Souza (Ricardinho, 35’/2ºT)
Técnico: Tiago Nunes

Gauchão 2021 – Final – Jogo de Ida
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS
Data: 16 de maio de 2021, domingo, 16h00min
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Lúcio Flor e André Bittencourt
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Rodrigo Dourado; Léo Pereira, Rafinha, Ruan e Maicon
Gols: Thiago Galhardo, aos 26 minutos do 1º tempo, Diego Souza, aos 12min e Ricardinho, aos 42min do 2ºT

Gauchão 2021 – Semifinal – Jogo de Ida – Caxias 1×2 Grêmio

May 2, 2021

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Nesse jogo o Grêmio voltou a usar o calção da temporada passada.

Acho (só acho) que esse patch de Campeão Gaúcho ficaria melhor colocado na manga (o que é permitido pelo regulamento)

Foto: Diego Souza (Instagram)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Caxias 1×2 Grêmio

CAXIAS: Marcelo Pitol; John Lennon, Guilherme Mattis, Thiago Sales e Bruno Ré; Juliano, Marlon (Matheuzinho, 22/2T); Gustavo Ramos, Felipe Tontini (Carlos Alberto, 12/2t) e Jhon Cley (Milla, 42/2T); Giovane Gomez.
Técnico: Rafael Lacerda

GRÊMIO: Brenno; Rafinha (Vanderson, 40/2ºT), Pedro Geromel, Ruan e Cortez; Thiago Santos (Lucas Silva, 25/2º) e Matheus Henrique (Maicon, 19/2º); Léo Pereira (Luiz Fernando, 19/2º), Jean Pyerre e Ferreira; Diego Souza (Churín, 40/2º)
Técnico: Tiago Nunes

Gauchão 2021 – Semifinal – Jogo de Ida
Data: 02 de maio de 2021, domingo, 19h00min
Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul, RS
Árbitro: Vinícius Gomes do Amaral
Assistente: Michael Stanislau e Luiza Naujorks Reis
VAR: Adriano Milczvski
Cartão Amarelo: Marcelo Pitol e Giovane Gomez; Geromel, Thiago Santos, Churín e Rafinha
Gols: Diego Souza, aos 22 minutos do 1º tempo e Marlon, aos 46 minutos do 1º tempo. Diego Souza (de pênalti) aos 38 minutos do 2º tempo

Brasileirão 1981 – Semifinal – Jogo de Volta – Grêmio 0x1 Ponte Preta

April 26, 2021

Foto: Luiz Avila (Zero Hora)

Há exatos 40 anos se registrava, no  estádio Olímpico, o maior público presente da história do futebol gaúcho. Mais de 98 mil pessoas presenciaram a classificação do Grêmio as finais do Brasileirão 1981, perdendo por 1×0 para a Ponte Preta mas se valendo do bom resultado feito em Campinas no jogo de ida das semifinais.

Eu sempre achei bastante peculiar que esse público seja tão maior do que os demais registrados no Olímpico na década de 80. Há uma diferença de mais de 15% em relação ao segundo maior público pagante registrado na Azenha (74.238 pagantes no segundo jogo da final do Brasileirão de 1982). Lembro de, certa feita, ter visto o Antônio Augusto sustentar que essa diferença se deve ao fato de que para esse jogo foram exigidos dois ingressos para cada pessoa que decidisse ir na social como acompanhante de sócio. Não encontrei nenhuma evidência dessa exigência nos jornais da época, como pode ser visto no material transcrito abaixo (contudo, vi essa exigência no anúncio do preço dos ingressos da final da Libertadores de 1995).

Acho interessante também notar que o site oficial do Grêmio, bem como diversas outras páginas citam o número de 98.421 (85.751 pagantes) enquanto nos jornais da época é informado o público de 98.499 (85.721 pagantes).

 

Foto: Luiz Armando Vaz (Zero Hora)

Foto: Jurandir Silveira (Correio do Povo)

Foto: Manchete (Fonte: Acervo Histórico do Grêmio)

Foto: Nico Esteves (Placar)

 

O time de Tarciso – De León, Baltazar, China, Casemiro, Paulo Isidoro e companhia – poderia até perder por 1 a 0. Foi justamente o placar do embate com os paulistas. Apesar da derrota, a torcida comemorou fervorosamente a classificação para a decisão do campeonato. “Eu nunca tinha visto o Olímpico com torcedores tão empolgados. Foi uma loucura. Era um momento de busca por algo inédito, mas havia uma grande organização da torcida”, comenta Tarciso.

Para o ex-atacante, o tropeço em casa diante de quase 100 mil torcedores mudou a postura do time para a final contra o São Paulo: “A gente sabia que seria um jogo difícil. Só que o problema foi que a Ponte apareceu aqui com outro esquema de jogo. Nos enganaram e a gente demorou para entender como eles estavam jogando. Acabou que a Ponte nos empurrou para trás e conseguiu o gol. Acho que nos fechamos muito por causa da vantagem. Mas o erro ensina”.

E ensinou. Na decisão de 81, o Tricolor gaúcho não deu chances para os são-paulinos. O primeiro jogo no Olímpico terminou 2 a 1. No duelo de volta, outra vitória dos gremistas, agora por 1 a 0. “A derrota na semifinal foi muito importante, porque nos deu uma visão bem ampla do que precisaríamos para ser campeões. Não basta só querer, tem que jogar e ter vontade”, conclui Flecha Negra.” (Correio do  Povo – 27 de novembro de 2012)

Foto: Luiz Armando Vaz (Zero Hora)

 

 

 

“GRÊMIO PREVÊ RENDA DE Cr$ 11 milhões
Expectativa de 85 mil torcedores

 
Se os 75 mil ingressos forem vendidos, a renda de hoje no Olímpico deverá chegar aos Cr$ 11 milhões – um recorde no Rio Grande do Sul. Os dirigentes gremistas acreditam que o Olímpico receberá mais de 85 mil torcedores, pois os sócios pagam separado o seu ingresso e o dinheiro é repassado depois para o borderô da partida.

 
Os preços para o jogo de hoje forma aumentados em relação a outras partidas: mil cadeiras numeradas a Cr$ 300; 25 mil arquibancadas superiores a Cr$ 3000; 25 mil arquibancadas inferiores a Cr$ 70,00; 10 mil sociais a Cr$ 70,00; 5 mil menores a Cr$ 20,00. É certo que a maior parte dos ingressos já deve estar nas mãos de cambistas, e por isto mesmo bem mais caras. As bilheterias do Estádio Olímpico deverão abrir às 9 horas da manhã. A direção do Grêmio recebeu diversos pedidos de reservas de ingressos do interior do estado, o que deverá trazer alguma dificuldade para a compra hoje.” (Zero Hora, domingo, 26 de abril de 1981)

 

OS RECORDES DESTA TORCIDA
Maior público e renda no Rio Grande do Sul. E o público no Olímpico sofreu muito também

 
Foram 98.499 corações batendo apressadamente durante 90 minutos, vibrando com o Grêmio que perdeu por 1 a 0 para a Ponte Preta, mas garantindo a sua vaga na decisão da Taça de Ouro e na Libertadores. Foi uma torcida que sofreu deste o momento do gol de Osvaldo aos 20 minutos do primeiro tempo. Mas esta torcida bateu todos os recordes de público e renda no Rio Grande do Sul. Os ingressos um pouco mais caros resultaram num total de Cr$ 11.142.990,00 – e 85.721 foram quem pagaram ingressos; 12.778 não pagaram: eram menores de 12 que não pagam nada no Olímpico, pessoal de imprensa e convidados especiais do próprio Grêmio. […]” (Zero Hora, segunda-feira, 27 de abril de 1981)

 

 

Ruy Carlos Ostermann  – “DERROTA INSUFICIENTE

Um público maravilhoso, o maior que já pagou ingresso em Porto Alegre e o maior que já assistiu a um jogo — foram 12.721 que entraram com carteirinha, a serviço ou no bolo — teve de resignar-se com uma derrota do Grêmio para a Ponte. E teve de admitir a curiosa mas verdadeira ambigüidade: que a derrota não era suficiente e havia a classificação para a Libertadores depois dela e o direito de decidir com o São Paulo sexta no Olímpico e domingo no Morumbi. Por isto, na saída do estádio havia, no melhor exemplo que era o Patrono Fernando Kroeff, um rosto amargurado pela derrota quase anulando o sorriso e os olhos brilhantes motivados pela classificação.

Dizer-se que foi capricho de um campeonato mal planejado e erro: o Grêmio se classificou derrotado por 1 a 0 pela Ponte por força indiscutível do retrospecto melhor que conquistara no campo, nos jogos anteriores. Foi a vitória em Campinas, num jogo de surpresa e muita determinação, que permitiu a sobra de ontem, tão grande que nela coube esta derrota insuficiente.

  • • • •

Mas o Grêmio, pelo que jogou ontem, não ganharia o jogo para sua imensa e entusiasmada torcida: jogou mal, descontrolado, errado na maior parte do tempo, com erros técnicos e coletivos e muito descompassado. A Ponte jogou bem melhor do que fizera em Campinas. Tocou a bola, como sempre, aproximou seus principais ¡jogadores (Edson, Odirlei, Lola, Osvaldo, Humberto, Nenê, não pela ordem nem pelo lugar mas pela importância de cada um). No primeiro tempo avançou Osvaldo, juntou-o a Lola em cima de Newmar e De León e formou assim o Grêmio a atrasar China para a cobertura dos zagueiros de área; abriu-se um espaço dolorosamente grande entre China e seus dois companheiros, Paulo Isidoro e Vilson Tadei — era a área de manobra da Ponte.

O resultado de primeiro tempo, 1 a 0, foi correto, mas a incapacidade da Ponte em chegar a um gol mais também pareceu correta.

  • • • •

 Baltazar chutou uma vez só, Tarciso lambem só uma vez, o Grêmio no total chutou apenas 9 vezes em 90 minutos de jogo. Mas a Ponte, que precisava fazer ao menos dois gols, fez um, de cabeça, numa cobrança de falta da linha de fundo, e chutou menos ainda do que o Grêmio, sete vezes no total. Pouco, tão pouco que fazer gois, ontem, era tarefa duríssima para quem perdeu e para quem ganhou. A Ponte, que teve maior insistência, iniciativa e bola sob controle, insistiu — por força da característica dominante de seus jogadores que estavam na frente — no toque de bola mesmo na hora em que se exigia o chute.

Foi, inegavelmente, uma das vantagens materiais que o Grêmio teve a seu favor.

  • • • •

E ganha, agora, do São Paulo? Pois pode ganhar, se o Botafogo ganhou uma vez e ontem estava ganhando de 2 a 0 quando começou a perder num gol de pênalti do São Paulo. O futebol é uma atividade lógica: o São Paulo tem mais time do que qualquer outro time em atividade no pais este ano mas leva gols (três na decisão com o Botafogo) e pode continuar levando. No Olímpico ao menos.

O Grêmio terá de melhorar muito. Mas nem precisa porque ¡á está na Libertadores e agora tudo é vantagem.” (Ruy Carlos Ostermann, Zero Hora, segunda-feira, 27 de abril de 1981)

 

Foto: Correio do Povo

Foto: Correio do Povo

 

 

Foto: Antônio Pacheco (Zero Hora)

 

 

Grêmio 0x1 Ponte Preta

GRÊMIO: Leão; Uchôa, Newmar, De Léon e Casemiro; China, Paulo Isidoro, Vilson Tadei e Renato Sá (Jurandir); Tarciso e Baltazar.
Técnico: Ênio Andrade

PONTE PRETA: Carlos; Edson Boaro, Nenê Santana, Juinho Fonseca e Odirlei; Celso, Humberto, Osvaldo e Zé Mário; Serginho e Lola
Técnico: Jair Picerni

Brasileirão 1981 – Semifinal – Jogo de Volta
Data: 26 de abril de 1981, domingo, 17h00min
Local: Olímpico, Porto Alegre-RS;
Público: 98.499 (85.721 pagantes)
Renda: Cr$ 11.142.990,00
Árbitro: Maurílio José Santiago (MG)
Auxiliares: Alvimar Gaspar dos Reis e Edson Alcântara de Amorim
Cartão Amarelo: Odirlei (PP)
Gol: Osvaldo, aos 20 minutos do 1º tempo