Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Médias de Público – Primeiros 200 jogos na Arena X Últimos 200 jogos no Olímpico

September 21, 2018

200 arenameio final

Contra o Paraná, no sábado passado, o Grêmio fez seu jogo de número 200 na Arena. A média de público nesses duzentos jogos foi de 24.598 (22.371 pagantes).

Considerando que a capacidade da Arena, segundo o Cadastro Nacional de Estádios de Futebol da CBF, é 55.662 pessoas, a ocupação média é de 44%. (o que revela uma “capacidade ociosa/potencial de exploração considerável)

Na tabela acima é possível notar que os jogos de meio de semana acabam tendo uma média de público levemente maior do que os jogos do fim de semana. Isso em parte se explica quando dividimos as médias por competição e percebemos que a Copa do Brasil e a Libertadores (jogadas sempre no meio de semana) são os campeonatos que mais levam gente a Arena.

200 ARENA competiçãoz

Abaixo fiz uma divisão dessas duzentas partidas pelas faixas de público. Quase 70% dos jogos tiveram um público inferior a 30 mil pessoas. E só 16% das partidas tiveram públicos maiores de 40 mil espectadores.

200 arena faixas

Fiquei bastante curioso em comparar esses primeiros duzentos jogos da Arena com os últimos 200 jogos do Olímpico (que vai do 4×0 contra o Caxias pelo Gauchão de 2007 até o 1×0 contra o Veranópolis em 2013).

A média de público dos últimos 200 jogos do Grêmio no Olímpico foi de 23.447 (20.187 pagantes).

Francamente, eu esperava que o acréscimo de público da Arena em relação ao Olímpico fosse maior. Esse pequena diferença (um aumento inferior a 5%) não acompanha o crescimento do quadro social no período e não acompanha o aumento da capacidade do estádio (que cresceu mais de 15%).

É possível afirmar que mudança do Olímpico para Arena visava trazer maior conforto e segurança para quem já frequentava o estádio antigo (objetivo que, até certo ponto, foi atingido) ao mesmo tempo que pretendia aumentar a média de público nos jogos do Grêmio como mandante (o que ainda não aconteceu, ao menos não de maneira significativa).

200 olimpico meio final

O Cadastro Nacional de Estádios de Futebol da CBF de 2013 afirmava que a capacidade do Olímpico era 45.000 espectadores. Contudo, nesses últimos 200 jogos foram registrados público superiores a esta marca em 13 ocasiões. Assim, para fins de cálculo ocupação média acho válido considerar a capacidade do Olímpico como 48 mil, o que deixaria a ocupação média de 48%.

200 olimpico competição

No Olímpico, a média dos finais de semana é um pouco maior do que do meio de semana.

O Brasileirão tem uma média de público maior neste período final do Olímpico do que nos jogos da Arena.

200 OLIMPICO faixas

 

Abaixo deixo os gráficos com as comparações lado a lado para facilitar a visualização.

Acho curioso que a média de público dos jogos de Libertadores no Olímpico nesse período seja maior do que a média dos jogos de Libertadores na Arena.

11 dos primeiros 200 jogos na Arena foram Gre-Nais. Média de público desses Gre-Nais é de:
44.354 (41.145 pagantes)

10 dos últimos 200 jogos do Olímpico Arena foram Gre-Nais. Média de público desses Gre-nais é de:
37.073 (33.544 pagantes)

arena olimpico meio fimarena olimpico competiçaoarena olimpico frequencia

Advertisements

Libertadores 2018 – Atlético Tucumán 0x2 Grêmio

September 19, 2018

Gremio x Atletico TucumanGremio x Atletico Tucuman

O Grêmio teve uma atuação digna de time que está defendendo o título. Na primeira meia hora de jogo teve paciência se resguardar e suportar o entusiasmo inicial dos mandantes (período no qual Geromel, Kannemann e Marcelo Grohe demonstraram grande solidez na proteção do arco gremista) e abriu o marcador numa das primeiras oportunidades que surgiram, com Alisson aproveitando a “casquinha” de Cícero aos 34 minutos.

Nos 45 minutos finais, já com um jogador a mais (Gervasio Nunez foi expulso pouco antes do intervalo) o Grêmio manteve a tranquilidade e chegou ao 2×0 numa jogada de velocidade dos seus dois “pontas”, na qual Alisson cruzou rasteiro para Everton mandar para as redes.

2018 libertadores tucuman dado moura 4Gremio x Atletico TucumanGremio x Atletico Tucuman
tucuman Diego Aráoz la gaceta

As escolhas de Renato para o jogo se mostraram certeiras. Alisson foi o nome da partida e Leonardo Gomes teve grande atuação.

Com essa nova formação (4-3-3 ou 4-1-4-1) houve uma alteração no meio de campo. Cícero atuou mais adiantado do que o Ramiro, e os dois tiveram um crescimento de produção com esse posicionamento. Aliás, é impressionante a impulsão e o tempo de bola do Cícero nas jogadas aéreas.

Os atletas do Tucumán forçam a amizade ao argumentar que Gervasio Nunez não teve a intenção de pisar em Alisson. Com o VAR não há mais desculpa para que o Juiz não apresente cartão vermelho nesse tipo de lance.

Como era imaginado e anunciado, o Grêmio estreou sua nova camisa preta na Argentina. O estranho é que não foi usado o calção visto nas fotos do lançamento (todo preto com o logo da Umbro em azul) e sim o calção do uniforme titular desse ano (ainda com a fonte do número de 2016)

2018 libertadores tucuman dado moura2
walter monteros afp infobaewalter monteros afp2018 libertadores tucuman dado moura
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net), Diego Aráoz (La Gaceta), Eduardo Moura (Globo Esporte) e Walter Monteros (AFP/Infobae/Gazeta Esportiva)

Atlético Tucumán 0x2 Grêmio

ATLÉTICO TUCUMÁN: Lucchetti; San Román, Bianchi, Cabral e Abero; Aliendro (Mauro Matos, aos 28/2ºT), Mercier, Acosta e Noir (Gervásio Núñez, aos 6/1ºT); Luis Rodríguez e Leandro Díaz (David Barbona, aos 39/2ºT).
Técnico: Ricardo Zielinski

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Thaciano, aos 24/2ºT), Ramiro e Cícero; Alisson (Pepê, aos 31/2ºT), Luan (Douglas, aos 34/2ºT) e Everton
Técnico: Renato Portaluppi

Libertadores 2018 – Quartas de final – Jogo de ida
Data: 18/9/2018, terça-feira, 21h40min
Local: Monumental José Fierro, Tucumán (ARG)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Auxiliares: Cristian De La Cruz (COL) e Jhon Alexander León (COL)
Cartões amarelos: Kannemann, Maicon, Cortez (G), Bianchi, Nuñez, Díaz (T).
Cartão vermelho: Gervasio Núñez (aos 46 do 1º tempo)
Gols: Alisson, aos 34 minutos do primeiro tempo e Everton, aos 9 minutos do 2º tempo.

Carga de ingressos para torcida gremista no Beira-Rio no Borderô é sempre menor do que a carga divulgada pela imprensa

September 12, 2018

grenais diferenças

Já falei sobre esse “fenômeno” em 20132015, e ele vem se repetindo desde então. No último clássico Gre-Nal no Beira-Rio o roteiro não foi diferente: Os clubes divulgam a quantidade de ingressos disponíveis para a torcida gremista no Beira-Rio. Os clubes informam que todos esses ingressos foram vendidos. Mas no Borderô o quantidade de ingressos comprados pela torcida gremista sempre é menor do que a divulgada anteriormente.

Nesse último Gre-nal, o Globo Esporte noticiou que: “a torcida do Grêmio também adquiriu todos os 2 mil ingressos colocados à venda para o setor visitante“. Contudo,  no borderô, só constam como vendidos 1.700 ingressos para a torcida tricolor (imagem abaixo)

grenal 417

Nos Gre-Nais pós reabertura do Beira-Rio, esse desencontro entre borderô e noticíais só não aconteceu no clássico do Brasileirão 2014. Depois disso sempre essa discrepância nos números se verifica. Gostaria muito de entender a razão disso.

Gre-Nal n.º 417 – Inter 1×0 Grêmio – Data: 09/09/2018
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.000 – ”
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 2.000 ” diretoria Tricolor colocou à disposição os 2 mil bilhetes e eles foram adquiridos em poucas horas” (UOL)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.700
– Diferença: 300 ingressos

Gre-Nal n.º415 – Inter 2X0 Grêmio – Data: 21/03/2018
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.000 – “os torcedores do Grêmio esgotaram as 2 mil entradas disponíveis para a torcida visitante ” (GloboEsporte)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 2.000 – “A torcida do Grêmio adquiriu os dois mil ingressos reservados ao clube, ao preço de R$ 40, para o Gre-Nal desta quarta-feira (20), no Beira-Rio ” (Zero Hora)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.640
– Diferença: 360 ingressos

grenal 415

Gre-Nal n.º413 – Inter 1X2 Grêmio – Data: 11/03/2018
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.000 – “Saiba quantos ingressos terá a torcida do Grêmio no Gre-Nal. Somente na área exclusiva para os torcedores do clube serão 2 mil lugares“(Zero Hora)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 2.000 – ” Em apenas cinco minutos, os torcedores do Tricolor esgotaram todos os 2 mil ingressos destinados ao seu setor” (Gazeta Esportiva)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.700
– Diferença: 300 ingressos

grenal 413

Gre-Nal n.º410 – Inter 0X1 Grêmio – Data: 03/07/2016
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.500 – “No total, 3,5 mil gremistas poderão estar no Beira-Rio, mil deles na zona mista” (Zero Hora)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista:  2.200 – ” O Grêmio anunciou, nesta sexta-feira, que dos 2500 ingressos destinados ao time ainda restam cerca de 300 para o clássico deste domingo” (Zero Hora)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.484
– Diferença: 716 ingressos
grenal 410

Gre-Nal n.º408 – Inter 1X0 Grêmio – Data: 22/11/2015
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.500 – “Foram destinados 3,5 mil ingressos para a torcida adversária, sendo 1 mil deles para a torcida mista” (Internacional.com.br)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista:  2.500 – “Restam ingressos apenas para Cadeiras Centrais”(Internacional.com.br)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.304
– Diferença: 1.196 ingressos

grenal 408

Gre-Nal n.º406 – Inter 2X1 Grêmio – Data: 03/05/2015
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 2.500 – “A previsão é que o Inter ceda 3,5 mil ingressos para o Grêmio, sendo que mil para gremistas e colorados assistirem à partida lado a lado” (Zero Hora)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 2.500 – “2.500 ingressos destinados ao torcedor gremista foram reservados em poucos minutos após serem disponibilizados no site do Clube. Restam apenas camarotes” (Grêmio.net)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.768
– Diferença: 732 ingressos

grenal 406

Gre-Nal n.º404 – Inter 0x0 Grêmio – Data: 01/03/2015
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 1.300 – “Além dos mil bilhetes mistos, os gremistas ainda terão 1,3 mil entradas para um espaço destinado apenas a eles no Beira-Rio” (UOL)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 1.100 – “aos gremistas a comercialização foi encerrada ao meio-dia. Sobraram 200 entradas, que serão devolvida” (Globo Esporte)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 962
– Diferença: 138 ingressosgrenal 404

Gre-Nal n.º402 – Inter 2X0 Grêmio – Data:10/08/2014
– Quantidade de ingressos supostamente destinados para a torcida gremista: 1.300 – Uma reunião na sede do Ministério Público do Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira, definiu que os gremistas terão direito a 1,3 mil entradas para o clássico Gre-Nal do próximo domingo, no Beira-Rio” (UOL)
– Quantidade de ingressos supostamente vendidos para a torcida gremista: 1.300 – “Com todos os ingressos vendidos, exceto as áreas VIP” (Jornal do Comércio)
– Ingressos vendidos segundo o borderô: 1.300
– Diferença: 0
grenal 402

Não consegui encontrar notícias sobre vendas de todos os Gre-Nais na Arena, mas mesmo assim é possível dizer que o fenômeno se repete também na cargas dos visitantes nos Gre-Nais com mando do Grêmio.

grenais diferenças arena

Brasileirão 2018 – Grêmio 4×0 Botafogo

September 1, 2018

Gremio x Botafogo2018 Gremio 4x0 Botafogo Dado Moura Globo Esporte - Copia

Dois vira, quatro ganha. Jael duas vezes no primeiro tempo. Alisson e André no segundo. A vitória do Grêmio  foi tão irrepreensível que a única lamentação a se fazer é retroativa, quando constatamos que o tricolor, caso tivesse jogado com uma equipe um pouco mais reforçada, poderia ter somado pontos sobre esse mesmo Botafogo no Engenhão no primeiro turno.

Contra o Flamengo, diante de Diego Alves, Jael cobrou pênalti com um chute forte, mas de maneira displicente. Hoje Jael se valeu da cavadinha para efetuar uma bem mais diligente.

Eu teria marcado o pênalti pedido por Joel Carli aos 14 minutos do primeiro tempo (Geromel não pulou na bola e empurrou o argentino pelas costas)  e não teria dado o pênalti que André converteu (Joel Carli não praticou um “ato deliberado” de colocar a mão na bola).

Gremio x BotafogoGremio x Botafogo

O Botafogo conseguiu algo bem legal para seu uniforme, que foi colocar o patrocínio principal, da Caixa, em tons de cinza. Mas daí um patrocínio secundário, do Felipe Neto (?!?), fica como único elemento colorido, ganhando destaque exagerado no fardamento.

Por falar em fardamento, não dá pra entender essa insistência do Grêmio em usar essa camisa azul marinho como mandante no Brasileirão.

– Média de público da Arena na temporada:
24.099 (21.983 pagantes)

– Média de público do Grêmio no Brasileirão 2018:
23.010 (21.014 pagantes)

– Média de público dos 10 jogos anteriores em casa contra o Botafogo pelo Brasileirão:
26.472 (23.616 pagantes)

– Média dos 3 jogos anteriores contra o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro:
Média de 22.106 (20.222 pagantes)

Gremio x Botafogo2018 gremio 4x0 botafogo lucas uebel (4)Gremio x Botafogo
Fotos: Eduardo Moura (Globo Esporte) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 4×0 Botafogo

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon (Alisson, 16’/2ºT), Cícero (Douglas, 32’/2ºT), Ramiro, Luan e Everton; Jael (André, 24’/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

BOTAFOGO: Saulo; Marcinho, Carli, Yago e Moisés; Jean e Matheus Fernandes (Marcelo, intervalo); Erik, Valencia e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão, 17’/2ºT); Brenner (Aguirre, 29’/2ºT)
Técnico: Zé Ricardo

22ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 1º de setembro de 2018, sábado, 16h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS
Público: 16.589 (14.852 pagantes)
Renda: R$ 538.966,00
​Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro A. Rocha de Matos (FIFA/BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Cartões amarelos: Cícero e Cortez (GRE); Carli, Marcelo e Rodrigo Pimpão (BOT)
Gols: Jael (de pênalti), aos 11 minutos e aos 44 minutos do primeiro tempo, Alisson, aos 15 minutos e André (de pênalti), aos 30 minutos do segundo tempo.

Amistoso em 1952 – Grêmio 1×1 Estudiantes

August 28, 2018
CP fotoa

Uma fase do embate de ontem, vendo-se Gago em plena ação, ao defender uma centrada de Pelegrina” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

O segundo confronto Grêmio e Estudiantes da história aconteceu em janeiro de 1952. Os relatos da época (transcritos abaixo) fazem loas a maneira  cavalheiresca que a partida transcorreu, citando um lance de fair-play do meio-campista Carraquini. Esse temor, em parte,  se explicava pelo desfecho pouco civilizado que o amistoso de 1948 teve.

Mas eventos mais próximos também geraram essa insegurança quanto ao comportamento no estádio. Cinco dias antes, o Grêmio derrotou o Ferro Carril, por 1×0, na Colina Melacólica, e a torcida tricolor invadiu o campo em duas ocasiões: Aos 7 minutos do segundo tempo, para comemorar o gol de Camacho e ao final da partida, na tentativa de agredir os jogadores argentinos. Por essa razão o amistoso com o Estudiantes foi marcado para os Eucaliptos, um dos poucos estádios da cidade que tinha alambrado ao redor do campo de jogo.

Como curiosidade, vale citar que o Estudiantes era treinado pelo escocês Neil McBain, que, como jogador, chegou a atuar em uma partida da terceira divisão inglesa aos 51 anos (o detalhe é que ele jogou como goleiro, apesar de ter feito carreira, com passagens por Manchester United e Liverpool, como meio campista).

CP 1

GRÊMIO E ESTUDIANTES DE LA PLATA
TERMINARAM EMPATADOS NUMA PELEJA SENSACIONAL
Continuam os tricolores invictos frente a esquadrões argentinos — 1 x 1, o marcador, goals de Pedrinho e infante — Ótima arbitragem de Foguinho — Renda muito boa: Cr$ 110,745,00

Um espetáculo magnífico o nosso público apreciou, ontem, quando, à luz dos refletores do Estádio do Eucaliptos, o esquadrão de profissionais do Estudiantes de La Plata, da capital argentina, estreou em nossos gramados, enfrentando o homogêneo conjunto do Grêmio Porto-Alegrense.
Desde o início da pura, antecedida de uma gentil troca de flâmulas entre os capitães das duas equipes, notou-se perfeito equilíbrio nas ações, com cargas de parte a parte e constante perigo para as duas métas.
Os argentinos, não há negar, mostravam-se mais perfeitos no jogo de conjunto, tramando com habilidade e procurando o arco gremista por meio de tiros de longe, alguns dos quais passaram rentes ao arco de Sergio, enquanto outros eram defendidos pelo keeper e pelos zagueiros.
Coube, entretanto, ao Grêmio marcar em primeiro lugar, o que sucedeu aos 7 minutos de luta: Ferraz deu ótimo centro e Pedrinho emendou espetacularmente, conquistando um dos mais sensacionais e indefensáveis tentos dos últimos tempos entre nós.
Houve a consequente reação dos visitantes, mas os tricolores, agora mais calmos, voltaram a controlar habilmente as jogadas, lutando de igual para igual e fazendo a assistência vibrar de instante a instante.
Um gesto altamente esportivo e digno de aplausos teve o médio Carriquini aos 34 minutos: vendo Sarará machucado e caído ao chão, o craque argentino mandou, propositalmente, a bola para fora do campo, a fim de que o adversário fosse conveniente socorrido, o que lhe valeu os aplausos populares.
Até o antepenúltimo minuto da fase final, o embate prosseguiu com a supremacia do Grêmio no marcador, parecendo que o triunfo tricolor já estava plenamente assegurado.
O Estudiantes, entretanto, reagiu espetacularmente e, nos últimos dez minutos, começou a tirar vantagens do cansaço dos locais.
Cargas repetidas eram levadas a área do clube da Baixada, notadamente por intermédio do ponteiro Giosa, vendo seus esforços coroados ele êxito, aos 43 minutos, ocasião em que Infante, valendo-se de uma defesa parcial, empurrou o balão para o fundo das malhas porto-alegrenses.

Pouco depois, terminava o sensacional embate, com o marcador acusando um golo para cada, como justo prêmio ao esforço, á combatividade e á técnica evidenciada pelos dois valorosos antagonistas.
Brasileiros e argentinos confraternizaram, assim, em uma peleja á altura das suas tradições esportivas, por intermédios dos seus disciplinados atletas do Grêmio Porto-Alegrense e do Estudiantes de La Plata. — Jogaram as seguintes equipes:

GRÊMIO – Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion).
ESTUDIANTES — Ogando (Gioffre); : Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.

– Sarará foi “a melhor figura da equipe local, apoiando e defendendo com oportunismo. Seguiram-se-lhe em méritos, Gago e Bentevi, na defesa, e Farraz e Camacho no ataque. Quanto aos argentinos, destacaram-se o zagueiro Violini, Garcerón, uni veterano cancheiro e muito técnico, Ferretti„ Giosa, Infante e Pelegrina, este último mais pelos tiros perigosos ao arco, que punham em polvorosa a defesa gremista.

– Para completar o cenário da magnifica noitada esportiva, o árbitro Foguinho teve correto desempenho, controlando a peleja com energia e segurança.
– A renda foi excelente, passando pelas bilheterias a importância de Cr$ 110.745,00, com uma assistência de 8.020 pessoas.” (Correio do Povo – 22 de janeiro de 1952)

cp vespera

cp antevespera (1500x875)1952 estudiantes b

EMPATE SENSACIONAL NOS EUCALIPTOS
Grêmio Pôrto Alegrense e Estudiantes de La Plata, dividiram as honras do triunfo, empatando em 1 tento – Pedrinho, num “sem pulo” espetacular, conquistou o tento dos locais – Infante, faltando dois minutos para o final do prélio, marcou para os argentinos – ótima arrecadação: Cr$ 110.745 – Belo gesto de Carriquiri – Oswaldo Rola foi o árbitro” (Jornal do Dia, 22 de janeiro de 1952)

1952 estudiantes a

I0012747-20Alt002140Lar001500LargOri003727AltOri005318

Grêmio 1×1 Estudiantes

GRÊMIO: Sergio; Gago e Danton: Hugo, Sarará Bentevi (Altino); Balejo (Dario), Ferraz, Camacho (Geada), Pedrinho e Robinson (Gorrion)
Técnico: Telêmaco Frazão de Lima

ESTUDIANTES: Ogando (Gioffre);  Violini e Bouché (Casenueva); Garcerón, Ferretti e Carriquini: Giosa, Barreiro (Baiocco), Infante, Antonio e Pelegrina.
Técnico: Neil McBain

Data: 21 de janeiro de 1952, segunda-feira
Local: Estádio dos Eucaliptos
Juiz: Oswaldo Rolla
Público: 8.020 pessoas
Renda: Cr$ 110.745,00,
Gols: Pedrinho, aos 7 minutos do primeiro tempo e Infante, aos 43 minutos do segundo tempo

Supercopa 1990 – Grêmio 1×0 Estudiantes

August 28, 2018

1990 Gremio1x0 Estudiantes supercopa jandir peinado valdir friolin a2

Em 1990, Grêmio e Estudiantes se enfrentaram pelo segundo ano seguido na Supercopa.Novamente nas quartas de final. Novamente com o jogo de ida sendo realizado em Porto Alegre.

Mas em 1990 o Grêmio, já sob o comando de Evaristo de Macedo, saiu na frente, fazendo o 1×0 em casa com um gol contra de Prátola.

Interessante notar nas matérias abaixo (mais precisamente na reportagem do Pioneiro), que já havia um debate sobre poupar jogadores no Brasileirão
1990 Gremio1x0 Estudiantes supercopa Craviotto Assis valdir friolin b

GRÊMIO VENCE ESTUDIANTES NA RAÇA
O jogo foi violento, teve três expulsões, mas o Grêmio mostrou bom preparo físico e venceu por 1 a 0. Agora o empate serve

Numa partida extremamente nervosa e com muitos lances violentos, o Grêmio venceu ao Estudiantes por 1 a 0, ontem à noite, no Estádio Olímpico, em sua estréia na terceira edição da Supercopa. O gol foi do zagueiro Pratula, contra, aos 33 minutos do segundo tempo. Agora, o clube gaúcho enfrenta os argentinos em La Plata, no próximo dia 8, jogando apenas por um empate.

Uma derrota por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.
No primeiro tempo, houve de tudo. Menos futebol. O Grêmio bem que tentou, mas ficou muito difícil. O Estudiantes fechava os espaços. As
ações ofensivas ficaram limitadas a algumas iniciativas de Assis, de fora da área e a uma cabeçada de Nilson, que Yorno defendeu bem. Em compensação, o árbitro paraguaio Carlos Maciel foi obrigado a distribuir vários cartões para conter a violência.

No segundo tempo, um pouco mais calmos, os dois times trataram de jogar futebol. Os argentinos continuaram eficientes na marcação, mas inexistentes no ataque. Em contrapartida, o Grêmio seguiu tentando e mostrou porque é vice-líder do Campeonato Brasileiro, mostrando excelente preparo físico, superando os argentinos. O gol aconteceu aos 33 minutos, depois de excelente jogada de Caio: depois do chute, a bola bateu no zagueiro Pratula e entrou. O time gaúcho perdeu várias oportunidades para ampliar o placar. No outro jogo da noite, pela Supercopa, o, River Plate goleou o Olímpia por 3 a O. gois de Berti e Medina Bello (2), em Buenos Aires. ” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

DEPOIS DA GUERRA, UM AMBIENTE DE ALEGRIA
Foi um jogo muito disputado, catimbado pelos argentinos que resistiram até os 33 minutos do segundo tempo. Mas o Grémio venceu e garantiu a vantagem para a partida de volta, quarta-feira da próxima semana, em La Plata. O técnico Evaristo de Macedo estava muito contente com o resultado final:
— Foi excelente para nós. Jogamos melhor, atacamos mais. Eles chegaram poucas vezes no nosso gol. No início, o pessoal entrou um pouco na catimba deles, mas no intervalo, com calma, nos recompomos e chegamos à vitória, que foi mesmo o resultado mais justo.
Entre os jogadores o sentimento era o mesmo. Todos reconheceram que foi muito difícil, mas importante, vencer em Porto Alegre:
— O que se viu em campo hoje ontem não foi um jogo, mas sim uma guerra. E o Grémio mostrou que está pronto para superar todo o tipo de dificuldade que enfrentar — destacou o ponteiro Maurício.
O meio-campista Assis mostrava aos repórteres as marcas em suas pernas dos pontapés recebidos pelos adversários e confia em novo resultado positivo em La Plata:
— O Grêmio mostrou ter uma equipe mais entrosada e o estado do gramado, pesado, nos prejudicou muito. Se não tivesse chovido, creio que poderíamos ter vencido por mais gols. ” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

BANDEIRA PREVIU AS EXPULSÕES
O vice de futebol do Grêmio, Rafael Bandeira dos Santos, confessou ter vivido momentos de muita apreensão durante o jogo de ontem, especialmente no primeiro tempo, devido à catimba do Estudiantes:
— Senti que o árbitro estava muito complacente e previ que só com expulsões o ambiente ficaria mais calmo. Bastou isso acontecer para o Grêmio se impor e poderíamos ter deixado o campo com um resultado ainda mais favorável. Houve uma melhora significativa em relação ao ano passado, quando perdemos em Porto Alegre para o mesmo adversário — lembrou.
Bandeira disse que o Estudiantes veio a Porto Alegre pensando apenas em não perder e tentando complicar. Mas confia na obtenção de outro bom resultado em La Plata:
— Passamos por uma grande fase e, por isso, a idéia é jogar com os titulares disponíveis em Juiz de Fora, contra o Flamengo, para manter o conjunto.
Jandir, com três amarelos, está fora. Donizete retorna.” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

TRISTEZA DE VILSON, UM GUERREIRO
Ele esteve envolvido em atritos com os adversários desde o inicio da partida. Vilson entrou duro nos lances, reagiu à catimba dos adversários, levou cartão amarelo e depois o vermelho. Teve seu nome gritado pela torcida quando deixou o campo:
– Fico chateado por ter sido expulso, mas mantive meu estilo de jogo sério, enquanto os adversários queriam confusão. Infelizmente, recebi cartão amarelo e, depois de uma outra confusão causada pelos argentinos no segundo tempo, acabei expulso.
Vilson garante que será um torcedor especial de seus companheiros em La Plata:
– No ano passado, estava na reserva do Edinho, que foi expulso no início, e entrei. Também deu muita confusão em campo, mas o Grêmio mostrou muita raça, não se intimidou com o ambiente hostil criado e obteve o resultado positivo. Tenho certeza de que meus companheiros não irão decepcionar.” (Antonio Bavaresco e José Evaristo Villalobos, Zero Hora, 1º de novembro de 1990)

GRÊMIO ESTRÉIA COM VITÓRIA NA SUPERCOPA
O Grêmio estreou com o pé direito na Supercopa dos Campeões da América, vencendo o Estudiantes de La Plata por 1×0, ontem à noite no Estádio Olímpico. O gol foi contra, num cruzamento de Caio que foi chutado por Alfinete, aos 34 minutos da etapa final. O jogo teve ainda duas expulsões: Vílson, do Grêmio, e Craviotto do Estudiantes. O Grêmio só não ampliou o marcador porque encontrou uma equipe de marcação muito forte, não deixando a equipe gremista jogar. Mas no segundo tempo o Grêmio voltou determinado a marcar e desde os primeiros minutos levava perigo ao gol de Yorno. Até que aos 34 minutos, num cruzamento de Caio, Alfinete chutou e a bola desviou no zagueiro argentino, abrindo o marcador. Aos 42 minutos da etapa final quase Assis amplia o marcador, não fosse a grande defesa do goleiro argentino. O Grêmio volta a jogar pela Supercopa no dia 8 de novembro, quando fará a partida de volta, contra o mesmo Estudiantes. A equipe de Evaristo precisa somente de um empate para chegar à semifinal e sonhar com o único título que ainda falta. ” (Folha de Hoje, 1º de novembro de 1990)

GRÊMIO ARRANCA COM VITÓRIA NA SUPERCOPA

Depois de enfrentar o Estudiantes pela Supercopa ontem à noite e vencer por 1 a 0 com gol contra de Patrula no final do 2º tempo, o Grémio volta a pensar no Campeonato Brasileiro e convive com um dilema: usar os melhores jogadores contra o Flamengo, domingo em Juiz de Fora — o Maracanã esta interditado — e lutar pela liderança geral, ou preservar alguns titulares visando o jogo de volta da Supercopa, quarta-feira, em La Plata contra o mesmo Estudiantes. O técnico Evaristo de Macedo prefere ser cauteloso: – é uma questão para se pensar. Já estamos classificados no Campeonato Brasileiro, mas realmente seria ótimo assumir a liderança, caso consigamos nova vitória e o Atlético perca ponto. Mas não podemos esquecer que vamos enfrentar o Estudiantes de novo. E lá fora.

No jogo de ontem o Grêmio cometeu alguns erros, principalmente no setor de meio campo quando o time foi envolvido pela catimba dos argentinos. Assim, depois da revisão médica de hoje o Evaristo decide se preserva alguns jogadores. O técnico, com certeza, não poderá contar com Jandir — terceiro cartão amarelo —, mas terá a volta de Donizete, que jogou a partida da Seleção Brasileira contra o resto do mundo, ontem à tarde, na festa dos 50 anos de Pele, em Milão. Porém, que o goleiro Sidmar tenha uma nova chance, assim como o lateral China e o meia Darci, reservas que precisam de movimentação. A vitória de ontem deu um pouco de tranqüilidade ao time gremista, porém sabe que o jogo em La Plata vai ser uma verdadeira guerra. ” (Pioneiro – 1º de novembro de 1990)

Fotos: Valdir Friolin (Zero Hora)

Grêmio 1×0 Estudiantes

GRÊMIO: Gomes; Alfinete, João Marcelo, Wilson e Hélcio; João Antonio (Darci), Jandir, Caio e Assis; Mauricio e Nilson
Técnico: Evaristo de Macedo

ESTUDIANTES: Yorno; Craviotto, Iribarren, Prátola e Erbin; Peinado, Trotta e Commiso; Gonzalez, Luna (MacAllister), Centurión (Loza)
Técnico: Humberto Zucarelli

Supercopa 1990 – Quartas de final – jogo de ida
Data: 31 de Outubro de 1990, quarta-feira
Local: Estádio Olímpico Monumental, em Porto Alegre, RS
Público: 15.103 pagantes
Renda: Cr$ 6.659.000,00
Árbitro: Carlos Maciel (Paraguai)
Auxiliares: Astério Martins e Sabino Faria
Cartões Amarelos: Vilson, Craviotto e MacAllister
Cartões Vermelhos: Vilson, Centurion e MacAllister
Gol: Prátola, contra, aos 33 minutos do segundo tempoo

Médias de público do Grêmio nas Oitavas de Final da Libertadores

August 28, 2018

Médias Libertadores Oitavas

Grêmio x Estudiantes será a 14ª partida de Oitavas de Final de Libertadores que o tricolor realiza em seus domínios.

A média de público nos 13 jogos anteriores é de 36.431 (32.804 pagantes)

Só na Arena foram 4 partidas de Oitavas. Média de 39.078 (36.611 pagantes)

Confrontos contra o Flamengo pela Copa do Brasil no Maracanã

August 15, 2018

O Grêmio já enfrentou o Flamengo em seis ocasiões no Maracanã pela Copa do Brasil. Abaixo a relação com links para fichas e reportagens de cada um desses jogos:

1989 – Semifinal – Jogo de Ida – Flamengo 2×2 Grêmio
1993 – Semifinal – Jogo de Ida –  Flamengo 4×3 Grêmio
1995 – Semifinal – Jogo de Ida – Flamengo 2×1 Grêmio
1997 – Final – Jogo de Volta – Flamengo 2×2 Grêmio
1999 – Oitavas de final – Jogo de Volta – Flamengo 2×2 Grêmio
2004 – Quartas de final – Jogo de Volta – Flamengo 0x0 Grêmio

A média desses públicos nesses jogos é de 31.519 pagantes.

Copa do Brasil 1999 – Flamengo 2×2 Grêmio

August 13, 2018
IMG_1190

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

Na partida de volta das quartas de final da Copa de Brasil de 1999, o Grêmio precisa de uma vitória no Maracanã para avançar a próxima fase. Não conseguiu, ficando num empate por 2×2 que garantiu a classificação flamenguista.

Depois dessa partida o elenco tricolor sofre algumas reformulações (a mais notada delas foi a titularidade de Ronaldinho) que foram resultar no título de campeão gaúcho daquela temporada

IMG_1194 - Cópia

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

 

IMG_1193

 

QUASE DEU GRÊMIO
Empate em 2 a 2 com o Flamengo elimina o time de Celso Roth, que anuncia contratações e lista dispensas
Sabe aquela sensação de que faltou um pouquinho apenas para chegar lá. Foi isso que o Grêmio experimentou ontem no Maracanã. Mesmo com o time aos pedaços, fez o Flamengo passar por momentos de pavor antes de garantir o 2 a 2 e a classificação. Mas não faltou apenas o gol. O Grêmio careceu de um pouco mais de qualidade. Nunca Roger, Agnaldo, Capitão e, principalmente, o lateral Zé Carlos tiveram as suas ausências tão sentidas. Agora, resta ao Grêmio se dedicar ao Gauchão e a azeitar o time para o segundo semestre. Ao final do jogo, Roth anunciou a elaboração de uma lista de dispensas e a retomada das contratações. Mas, por mais que isso seja válido, ninguém digere a forma como o Grêmio foi desclassificado. O Flamengo, historicamente, parece jogar anestesiado no Maracanã. Como estava com a vantagem construída em Porto Alegre, passava a impressão de estar desinteressado. Tão manso quanto a fala do seu técnico, Carlinhos. Um carioca legítimo, daqueles que utilizam boné com a aba para cima. Fabão marcou de cabeça aos oito minutos, numa falha da defesa gremista, e deixou o Flamengo ainda mais relaxado em campo. O Grémio entrou com três volantes e Itaqui no meio-campo. Éder tem boa vontade em jogar na lateral, mas apenas isso. É zagueiro. No lado direito, Walmir foi decepcionante. A questão é que, enquanto Fabão marcava o gol, o meia Beto deixava o campo com uma lesão no tornozelo. A desvantagem fez com que Roth trocasse Djair por Ronaldinho. Foi a sua decisão mais feliz da noite. O Flamengo é generoso quando joga no ataque. Concede espaços, deixa o adversário solto. E Ronaldinho é craque, joga fácil, desequilibra. Em apenas 10 minutos, criou quatro chances de gol. Na última delas, aos 37, deixou Zé Alcino livre para empatar. Depois dessa atuação exuberante, Roth admitiu no vestiário que Ronaldinho está virando titular. O problema é que o Grêmio teve um segundo de desatenção e, contra Romário, isso é fatal. Num contra-ataque, aos 41, Leandro cruzou e ele desempatou o jogo, se antecipando como um jato a Danrlei e Scheidt, de quem virou amigo na viagem de volta da Espanha. O troco do zagueiro veio no início do segundo tempo. Aos 13, Scheidt empatou de cabeça. O risco iminente de eliminação deixou o Flamengo em estado de alerta. Mas ainda vulnerável. Roth colocou Arílson no meio e formou o ataque com Ronaldo e Rodrigo Gral. O jogo ficou eletrizante. O Grêmio perdeu, ao menos, cinco chances de marcar. O Flamengo, aturdido, só conseguiu chutar a gol aos 33 minutos, com Rodrigo Mendes. Depois disso, a partida ficou aberta, emocionante. O Grêmio investia, o Flamengo respondia com contra-ataques. Arílson quase marcou. Mas ficou nisso. Restou o reconhecimento pela valentia e o sentimento de que faltou muito pouco. — Foi difícil por que o adversário era o Grêmio — disse Romário ao deixar o campo, cercado por dezenas de repórteres e seguranças. “(Leonardo Oliveira, Zero Hora, Sexta-feira, 30 de abril de 1999)

 

fla 2x2 gremio o globo capa

FLA GARANTE VAGA NA COPA DO BRASIL COM UM EMPATE DRAMÁTICO: 2 A 2
Time rubro-negro elimina o Grêmio e enfrentará o Palmeiras nas quartas-de-final
• O Grêmio, como de costume, complicou. Só não estragou a festa porque o Flamengo com uma resistência dramática, sustentou o empate em 2 a 2, ontem à noite, no Maracanã, garantindo a vaga nas quartas-de-final na Copa do Brasil. O adversário é o Palmeiras e o primeiro jogo será no Rio, dia 14. O segundo, dia 21. O Flamengo começou pressionando e depois de estar vencendo por duas vezes, caiu de produção, deixou o time gaúcho empatar. Logo aos dois minutos, o rubro-negro perdeu Beto, machucado no tornozelo direito. Mas Iranildo ia cumprindo bem sua missão, de armar as jogadas de ataque. Aos 8 minutos, Iranildo cobrou falta da esquerda, Fabão raspou de cabeça, marcou 1 a O para o Flamengo e, imitando Romário, exibiu uma camisa pedindo paz. Inexplicavelmente, o rubro-negro deu espaço ao Grêmio, que de tanto pressionar acabou empatando aos 37, numa jogada individual de Zé Alcino. Mas o time gaúcho não teve muito tempo para festejar. Quatro minutos mais tarde, Leandro recebeu passe de Iranildo e centrou na medida para Romário mamar 2 a I, com um toque sutil de direita.
Mantendo a tradição, o craque, que marcou seu 22º gol em 21 jogos este ano, tinha uma camisa por baixo da rubro-negra, uma mensagem antidrogas: “Be a winner, don’t take drugs” (Seja um vencedor, não use drogas). No segundo tempo, Romário cansado e Leonardo substituindo Pimentel machucado, o Flamengo caiu de produção e passou a errar jogadas fáceis. Aos 13 minutos, Scheidt empatou, de cabeça. Começou aí o drama. O Grêmio atacou, criou chances mas esbarrou nas boas defesas de Clemer.” (Antonio Maria Filho e Paulo Julio Clement, O Globo, Sexta-feira, 30 de abril de 1999)

IMG_1189

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

Flamengo Flamengo 2×2 Grêmio Grêmio

FLAMENGO: Clemer; Pimentel (Leonardo Inácio), Fabão, Luiz Alberto e Athirson; Jorginho, Maurinho, Iranildo e Beto (Vágner e depois Rodrigo Mendes), Leandro Machado e Romário.
Técnico: Carlinhos

GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Ronaldo Alves, Scheidt e Éder; Djair (Ronaldinho), Fabinho, Goiano e Itaqui; Macedo (Arílson) e Zé Alcino (Rodrigo Gral).
Técnico: Celso Roth

Copa do Brasil 1999 – Oitavas de final – Jogo de volta
Data: 29 de abril de 1999, quinta-feira, 20h30min
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Público: 20.366 pagantes
Renda: R$ 133.708,00.
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Martins e Helbert Costa Andrade
Cartões Amarelos: Leandro Machado, Goiano e Itaqui
Gols: Fabão aos 8 minutos do 1º tempo, Zé Alcino aos 37 e Romário aos 41; Scheidt aos 13 minutos do 2º tempo

Média de público no Primeiro Turno do Brasileirão

August 13, 2018

pRIMEIRO TURNO

Ontem o Grêmio fez seu último jogo como mandante no primeiro turno do Brasileirão. Nesses 10 jogos em casa a média de público foi de 24.497 (24.455 pagantes).

Na tabela acima podemos ver a média do primeiro turno do Brasileirão nos cincos anos anteriores. Vale lembrar que em 2013 o Grêmio fez um jogo do primeiro turno no Alfredo Jaconi e em 2014 isso aconteceu duas vezes.

Em 2012 (último ano do Olímpico no Brasileirão) a média de público nos 9 jogos do primeiro turno foi de 23.927 (19.124 pagantes).