Archive for the ‘Universidad Catolica’ Category

Libertadores 2020 – Universidad Catolica 2×0 Grêmio

September 17, 2020

Foto: Marcelo Hernandez (POOL/AFP)

 

O Grêmio entrou em campo com uma meia azul marinho (ou seria royal?), num tom de azul completamente distinto dos outros usados na camisa. Aliás, seria possível fazer uma cartela pantone só com os diferentes azuis que o Grêmio vem usando no seu uniforme.

Pois bem, vendo essa combinação bizarra, eu deveria ter deveria ter encarado essa meia azul da mesma forma que o David Lee Roth encarava o M&M marrom no camarim do Van Halen (Quem não consegue acertar as coisas simples não vai conseguir acertar as difíceis também).

Seria bem mais negócio ter abandonado o jogo ali. Porque o desenrolar da partida foi muito feio. O segundo gol é um lance inaceitável até mesmo na saudosa pelada do fim de semana.

 

Foto: Staff Images / Conmebol

Foto: Staff Images / Conmebol

Foto: Marcelo Hernandez (POOL/AFP)

Foto: Staff Images / Conmebol

 

Universidad Catolica 2×0 Grêmio

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Matías Dituro; Fuenzalida, Huerta, Lanaro e Rebolledo; Saavedra (Francisco Silva, 37’/2T); Luciano Aued , César Pinares (Núñez, 37/2ºT); Lezcano (Munder, 44/2T); Zampedri (Diego Valencia, 37’/2T); Edson Puch (Diego Buonanotte, 46,’2T).
Técnico: Ariel Holan

GRÊMIO: Vanderlei; Orejuela, Geromel (Rodriguez, 41/1ºT), David Braz e Cortez; Matheus Henrique, Darlan (Guilherme Azevedo, 24/2ºT); Alisson (Rildo, 24/2ºT), Isaque (Robinho, 6/2ºT), Luiz Fernando (Ferreira, 6/2ºT) e Diego Souza.
Técnico: Renato Portaluppi

Libertadores 2020 – Grupo E – 3ª Rodada
Data: 16 de setembro de 2020, quarta-feira, 21h30min
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, Santiago, Chile
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Assistentes: Julio Fernandez (ARG) e Cristian Navarro (ARG)
Cartões Amarelos: Zampedri
Cartões Vermelhos: David Braz (41 do 2ºT)
Gols: Zampedri, aos 43 minutos do 1º tempo; Pinares, aos 45 minutos do 1º tempo

Trofeo Ciudad de Valladolid 1985 – Universidad Catolica 2×2 Grêmio (U. Catolica 3×0 nos pênaltis)

September 16, 2020

Foto: Zero Hora

 

O primeiro confronto da história entre Universidad Catolica e Grêmio ocorreu em solo europeu, em 1985. Era oitavo de onze jogos que o tricolor fez na sua excursão ao velho continente naquela temporada. Vale lembrar que o Grêmio havia encerrado sua participação no Brasileirão daquele ano em meados de abril e só iria estrear no Gauchão em setembro.

Sem Renato, com uma lesão muscular, o Grêmio não fez uma grande partida, cedendo o empate nos minutos finais e desperdiçando todas suas cobranças na disputa de pênaltis.

Foto: Zero Hora

GRÊMIO FRACASSA DE NOVO

Torneio de Valladolid – Universidad Católica chegou ao empate no final. Depois venceu nos pênaltis. Equipe de Minelli acabou na última colocação

 

De favorito para ganhar o 13º Torneio Cidade de Valladolld (que conquistou em 1981), o Grêmio terminou como último colocado após a derrota de ontem, na decisão por pênaltis para o Universidad Catolica do Chile, por 3 a 0. No tempo regulamentar o resultado foi de 2 a 2, com o Grêmio cedendo o empate nos últimos cinco minutos do jogo, quando ganhava por 2 a O. Os espanhóis não gostaram da partida e vaiaram as duas equipes. Bonamigo e Lepe foram expulsos.

 

O temor de sofrer gols nos contra-ataques, como ocorrera na estréia, contra o Ujpest, mostrou um Grêmio excessivamente cauteloso no primeiro tempo. Os laterais Raul e Ronaldo ficaram presos na marcação, o meio-de-campo não se organizou e a defesa acabou sobrecarregada, com destaque para Luis Eduardo, que fez uma ótima apresentação. Bonamigo recuado, Osvaldo temeroso e Sabella sem lucidez, formavam um meio-de-campo frágil. Por isso Bira, isolado, só concluiu uma vez a gol, de cabeça. E Valdo e Ademir, em lances individuais, não conseguiram objetividade.

 

Melhor posicionado o time chileno explorou bem os deslocamentos de Neira e Mardonez, para as conclusões de Vargas e até do lateral Espinoza. O Universidad chegou a merecer um gol, pois criou cinco boas chances, algumas defendidas por Mazaropi e outras para fora. A defesa estava firme porque Bira, isolado, pouco trabalho apresentava e assim os laterais foram ao apoio.

 

No segundo tempo o Grêmio voltou modificado, com China no lugar de Sabella, mas jogando como centromédio. Assim, Bonamigo foi liberado para armar jogadas e junto com Osvaldo aproximar-se do centroavante e tabelar com os ponteiros. Caio Jr. substituiu Bira. Minelli queria mais chutes a gol e aos três minutos Osvaldo fez 1 a O em cruzamento de Valdo.

 

Até os 20 minutos o Grêmio foi superior, perdendo algumas chances com Caio Jr., Valdo e Osvaldo. O Universidad, aparentemente cansado, não tinha pressa e aos 32 minutos sofreu o segundo gol, em jogada de China. Mas o técnico Prieto reagiu e colocou Soto, depois Abarca e Lepe em campo, aos 35 minutos buscando a recuperação. E deu certo, pois aos 40 minutos, Baidek fez pênalti em Soto, que Neira converteu. Bonamigo e Lepe se agrediram mutuamente e foram expulsos. Perturbada, a defesa do Grêmio falhou logo a seguir, permitindo o empate, por Diaz, aos 44 minutos. Na decisão por pênaltis, Neira, Espinoza e Oscar Lyn converteram, enquanto Valdo chutou mal e Toledo defendeu, para logo depois Osvaldo cobrar para fora e Caio Jr. também chutar para o goleiro defender.” (João Carlos Belmonte, Enviado Especial, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

O placar

– OSVALDO, para o Grêmio, 1 a 0, aos três minutos do segundo tempo — Valdo cruzou da direita e Osvaldo, na área, concluiu de pé direito.

– CHINA, para o Grêmio, 2 a 0, aos 32 minutos do segundo tempo — Bonamigo roubou a bola na intermediária, tabelou com China, que avançou e na saída de Toledo chutou forte de pé esquerdo.

– NEIRA, de pênalti, para o Universidad, 2 a 1, aos 40 minutos do segundo tempo. Baidek fez falta em Soto na grande área, pelo setor esquerdo.  Neira cobrou o pênalti no centro do gol, convertendo.

– DIAZ, para o Universidad, 2 a 2, aos 44 minutos do segundo tempo. Mardonez cobrou o escanteio com rapidez. A defesa do Grêmio ficou parada e Diaz saltou sozinho, concluindo de cabeça.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

MINELLI, IRRITADO, CRITICA OS JOGADORES

O técnico Rubens Minelli estava muito irritado após o mau resultado do Grêmio, ontem à tarde, na Espanha. Ele criticou duramente o comportamento dos seus jogadores e usou uma frase forte para caracterizar o momento do Grémio, — Tem gente comendo mortadela e arrotando peru — disse Minelli, após o Grêmio ter terminado o Torneio Cidade de Valladolid em quarto lugar Minelli garantiu que o Grêmio subestimou o adversário, que 24 horas antes havia perdido para o Real Atlético Valladolid por 3 a O: — Tinha gente (jogadores) gozando o Universidad. Mas alerto a todos dizendo que uma partida é diferente da outra e sempre, é necessário respeitar o adversário. Hoje o Grêmio é um time bem diferente daquele que venceu os torneios de Rotterdam e Palma de Mallorca. Mas não posso me queixar. O resultado da partida foi justo, principalmente pelo número de gols que o time chileno perdeu no primeiro tempo. E depois, na cobrança de pênaltis, os jogadores foram simplesmente horríveis — explicou o inconformado Minelli.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

ESQUEMA, DIFICULDADE PARA BIRA

O jogo contra o Universidad Catolica deveria servir para que Bira fosse observado e, a partir disso, efetivado como titular da equipe. Mas o centroavante foi substituído no intervalo para que Minelil tentasse mudar o jogo com Caio Jr. no comando do ataque. É verdade que Bira não teve urna boa atuação nos primeiros 45 minutos, mas por culpa do esquema de jogo, retraído e cauteloso do Grêmio:

— Só tive chance de cabecear urna bola a gol e dar um chute em condições ruins — justificou o centroavante ao sair de campo.

Bira foi prejudicado porque o Grêmio encontrou dificuldades para organizar as jogadas de ataque, pois Sabella esteve mal, Osvaldo recuado e o centroavante ficou isolado entre os zagueiros. O técnico Rubens Minelli não quis confirmar a equipe que joga em Cádiz, pois estava tão irritado que preferiu deixar a definição para hoje à tarde. Mas é certo que fará mudanças.” (Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

RUY CARLOS OSTERMANN – A DENÚNCIA

Minelli, chateado, lembrou uma tendência do comportamento do jogador brasileiro de futebol. No dia anterior, assistindo ao jogo do Real de Valladolid e do Universidad Católica do Chile, os jogadores se divertiram com os erros, as precariedades gerais com que jogavam. Estavam, por isso, certos de sua irremediável superioridade. Minelli disse ao Belmonte que falou com os jogadores que nem sempre é assim, que o adversário na hora se supera, etc. Enfim, falou que jogo só se ganha no campo, jamais na arquibancada.

O time do Grêmio ontem fracassou diante da Universidad. Terminou o primeiro tempo jogando muito mal e a zero. No intervalo, além da repreensão do vestiário, Minelli tirou Sabella e colocou China, tirou Bira e colocou Caio Jr. Não sei se foi por essas trocas mas a dois minutos do segundo tempo Osvaldo fazia o primeiro gol. Mais tarde, China fazia o segundo. E dali para frente, afundou tudo: houve pênalti de Baidek, gol do Universidad, expulsões de Bonamigo e um chileno, e, no fim do jogo, haveria ainda gol de empate do Universidad. Um desastre só piorado pelas cobranças dos pênaltis que o Grêmio, melancolicamente, não acertou nenhum.

Não poderia ter sido pior. Foi ruim contra o Ujpest, foi pior ontem. Ficam, como lembranças as vitórias contra o Feynoord, Bayern, Gijon e Barcelona. Elas dão razão ao técnico e denunciam os jogadores.

 

Pequena conclusão

O Grêmio tem, agora, o Torneio Ramon Carranza em Cádiz. Joga contra o Sevilha na estréia. Depois desse torneio, terá um amistoso de despedida em Madrid.” (Ruy Carlos Ostermann, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

PAULO SANT´ANA – TERCEIRA DERROTA

A campanha do Grêmio começa a se tornar perigosamente irregular na Europa. Perdeu três para fraquíssimos adversários: Pádua, Ujpest e Universidad Católica. Nas duas primeiras através de cinco gols de contra-ataques, ridicularizando a tática de impedimento de Minelli, exaltada pelo treinador gremista como fórmula infalível de jogar contra os europeus. Ontem, com falhas horrorosas na defesa, depois de estar ganhando por 2 a 0 e ceder o empate. Mais vexaminoso ainda: dos três pênaltis cobrados pelo Grêmio no desempate, nenhum foi aproveitado. Nem por Osvaldo nem por Valdo nem por Caio Jr. Isto é, enquanto o Minelli não faz o que todo mundo quer (nomear logo o Bira centroavante titular) e não joga o Renato, a defesa é uma peneira e os atacantes parecem que não treinam nem chutes de pênaltis. Que deveriam treinar porque é assim que se decidem os jogos em torneios europeus. Lógico que a volta de Renato e uma providência que talvez tenha que ser até administrativa de fazer o Bira titular melhorarão o time. Mas a defesa do Grêmio não inspira confiança para o Regional. E a excursão, em vez de prometer para o Gauchão, está começando a nos meter medo. “ (Paulo Sant´ana, Zero Hora, sexta-feira, 23 de agosto de 1985)

 

 

 

 

 

 

U. CATOLICA: Toledo; Espinosa, Marchioni, Lihn e Yonma (Abarca); Neira, Mardones e Pérez; Díaz, Vargas (Lepe) e Astudillo (Sotó)
Técnico: Ignacio Prieto

GRÊMIO: Mazaropi; Raul, Baidek, Luis Eduardo, Renaldo; Bonamigo, Osvaldo e Sabella (China); Valdo, Bira (Caio Junior) e Ademir
Técnico: Rubens Minelli

Troféu Ciudad de Valladolid – Decisão 3º Lugar
Data: 22 de agosto de 1985, quinta-feira
Local: Estádio Municipal José Zorrilla, em Valladolid (ESP)
Árbitro: José Enrique Rubio Valdivieso
Auxiliares: Araus Nunez e Hernandez Velasquez
Cartões vermelhos: Bonamigo e Lepe
Gols: Osvaldo aos 3 minutos do 2º tempo, China aos 32, Neira (de pênalti) aos 40 e Diaz aos 44 minutos do 2º tempo

Libertadores 2019 – Grêmio 2×0 Universidad Católica

May 10, 2019

superior norte instagram

O Grêmio teve uma atuação segura. Jogou o suficiente para superar a Universidad Católica sem levar maiores sustos (E essa segurança defensiva talvez tenha sido a melhor notícia da noite, tendo em vista os 8 gols sofridos nos últimos 3 jogos). Alisson marcou no primeiro tempo (aproveitando grande lançamento de Michel) e Thaciano ampliou na etapa final (concluindo cruzamento de Leonardo Gomes).

Gremio x Universidad CatolicaGremio x Universidad Catolica

Curiosamente o Grêmio usou meias pretas nos três jogos que fez como mandante nessa fase de grupo. E assim como aconteceu contra o Fluminense, o Grêmio usou o calção com o distintivo colorido, diferente do monocromático usado contra Santos e Figueirense.

– Média de público do Grêmio na Libertadores 2019:
32.745 (30.075 pagantes)

– Média de público do Grêmio na temporada:
23.927 (21.848 pagantes)

Gremio x Universidad CatolicaFotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Superior Norte (Instagram)

Grêmio 2×0 Universidad Católica

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez (Juninho Capixaba, intervalo); Michel e Maicon (Luan, 33/2ºT); Alisson, Jean Pyerre (Thaciano, 2’/2°T) e Everton; André.
Técnico: Renato Portaluppi

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Dituro; Magnasco (Lobos, 10/2º), Kuscevic, Lanaro e Cornejo; Fuentes (Buonanotte, 37/2ºT), Aued e Pinares; Fuenzalida, Riascos (Sáez, 28’/2º) e Puch.
Técnico: Gustavo Quinteros

Libertadores 2019 – Grupo H – 6ª Rodada
Data: 08 de maio, quarta-feira, 19h15min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Público: 34.187 (31.814 pagantes)
Renda: R$1.478.779,00
Árbitro: Nestor Pitana-ARG
Assistentes: Hernan Maidana-ARG e Juan Belatti-ARG
Cartão amarelo: Kannemann; Cornejo, Fuentes e Lanaro
Gols: Alisson, aos 28 minutos do primeiro tempo e Thaciano, aos 30 minutos do segundo tempo.

Copa Mercosul 1998 – Grêmio 5×1 Universidad Católica

May 8, 2019

Em 1998, o Grêmio recebeu a Universidad Católica pela segunda rodada da Copa Mercosul.

O 5×1 marcou a primeira de Celso Roth comandando o tricolor (ele fora contratado para o lugar de Edinho pouco menos de um mês antes).

1998 gremio universidad catolica scheidt b

Grêmio goleia, faz festa e anuncia atacante uruguaio “El loco” Abreu

O presidente Luís Carlos Silveira Martins confirmou ontem, antes da goleada reabilitadora sobre o Universidad Católica, do Chile, que o Grêmio está contratando o centroavante uruguaio Sebastian Abreu (21 anos, 1,91m), emprestado pelo La Coru”a.

Conhecido por “El Loco” Abreu, o atacante jogou na seleção sub-17 do Uruguai. Destacou-se depois no San Lorenzo, da Argentina. Em 97, saiu por US$ 7 milhões para atuar na Espanha. O jornalista Alvaro Levrero, do El País, disse que o jogador, além de ‘ótimo cabeceador, chuta bem com os dois pés, se movimenta muito e é habilidoso.’

Além da boa notícia do reforço, a torcida lavou a alma com os 5 a 1 sobre os chilenos. Foi a primeira vitória do Grêmio depois de um jejum de 14 jogos. A goleada começou com Itaqui, de cabeça, aos 21min, no cruzamento de Zé Alcino. Aos 26, Zé Alcino ampliou. Scheidt, aos 29, de cabeça, fez 3 a 0. Aos 43, Ronaldinho, cobrando pênalti, marcou. No 2O tempo, Cornejo, aos 18, descontou. Aos 20, Itaqui (destaque ao lado de Zé Afonso e Zé Alcino) fez 5 a 1.” (Correio do Povo, 2 de setembro de 1998)

1998 zh

1998 gremio universidad catolica scheidt valdir friolin zh

Foto: Valdir Friolin (Zero Hora)

ingressos 1998 catolica1998 catolica gaucha

GRÊMIO: Danrlei; Walmir, Rodrigo Costa, Scheidt (Éder) e Roger; Djair, Goiano, Itaqui e Ronaldinho; Zé Alcino (Rodrigo Mendes) e Zé Afonso (Clóvis)
Técnico: Celso Roth

U.CATÓLICA: Tapia; Cornejo, Ramirez, Poli e Garrido; Ormozabal, Parraguez (Pizarro) Mirosevic (Lepe), Edu Manga; Perez e Osorio (Diaz)
Técnico: Fernando Carvallo

Copa Mercosul 1998 – Grupo E – Segunda Rodada
Data: 1º de setembro de 1998, terça-feira, 21h40min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 4.235 (3.223 pagantes)
Renda: R$ 16.058,00
Árbitro: Gustavo Gallesio-URU
Auxiliares: Olivier Vieira e Carlos Lopez
Cartões Amarelos: Djair, Walmi e Ramirez

Libertadores 2019 – U. Católica 1×0 Grêmio

April 5, 2019

Gremio x Universidad Catolica

O Grêmio teve (mais) uma fraca atuação na Libertadores e foi merecidamente derrotado pela Universidad Católica em Santiago.

Pelo desempenho dos atletas em campo a sensação que fica é que o time está sem ritmo, como se estive fazendo seu primeiro jogo no ano. Não é o caso. Essa foi a 17ª partida do tricolor em 2019 (a 3ª pela Libertadores). Na falta de brilho, poderia se esperar um pouco mais de combatividade nessa altura da temporada, mas ontem o Grêmio parecia um time sem reação.

Quem é o centroavante titular do Grêmio? Qual a posição do Montoya? Quem faz a função que Ramiro fez em nas últimas temporadas? Estamos no trimestre do ano e ainda não temos respostas para essas perguntas.

 

Gremio x Universidad Catolica
Fotos: Lucas Uebel (Grêmio.net)

U. Católica 1×0 Grêmio

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Dituro; Magnasco, Kusevic, Lanaro e Cornejo; Fuentes, Pinares e Aued; Fuenzalida, Sáez (Riascos, aos 43/2ºT) e Puch (Lobos, aos 29/2ºT)
Técnico: Gustavo Quinteros

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Maicon, Montoya (Alisson, aos 28/2ºT), Luan (André, aos 18/2ºT) e Everton; Diego Tardelli (Jean Pyerre, aoos 18/2ºT)
Técnico: Renato Portaluppi

Libertadores 2019 – Grupo H – 3ª Rodada
Data: 04/04/2019 (Quinta-feira)
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago (Chile)
Público: 11.600
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Auxiliares: John León (COL) e Dionísio Ruiz (COL)
Cartões amarelos: Magnasco, Cornejo, Aued; Geromel
Gol: Sáez,  aos 16 minutos do primeiro tempo

Copa Mercosul 1998 – Universidad Catolica 1×1 Grêmio

April 4, 2019

O primeiro confronto entre Universidad Catolica e Grêmio em solo chileno aconteceu na quarta rodada do Grupo E da primeira edição da Copa Mercosul, em 1998.

O empate em 1×1 acabou sendo ruim para o tricolor, que permaneceu fora da zona de classificação para a próxima fase da competição.

Vale lembrar que o jogo teve transmissão ao vivo pelo Sportv e um VT, que se iniciava as 22h35min, no SBT.

UM EMPATE COM PROBLEMAS DE LESÕES
Itaqui e Djair retomam machucados do Chile e são dúvidas para o jogo contra o Sport, domingo, em Recife

A festa dos 95 anos não foi compita. O Grêmio perdeu ontem à noite a chance de assumir a liderança do Grupo E da Copa Mercosul. O empate em 1 a 1 com o time misto do Universidad Católica, em Santiago, reduziu as chances de se classificar para as quartas-de-final do torneio e reforçar o caixa em mais US$ 600 mil. Agora, os gaúchos estão em terceiro no Grupo E, com quatro pontos. Além da fraca atuação, o técnico Celso Roth ganhou dois problemas para enfrentar o Sport, no domingo. Itaqui sofreu urna entorse no tornozelo. Pela sua reação ainda em campo, pedindo substituição imediata, Itaqui preocupa. O volante Djair, que substituiria Goiano no Recife, machucou o joelho, deixou o campo chorando, carregado na maca.

O Grêmio parecia ressentir-se do cansaço da vitória sobre o Santos. Os jogadores erravam jogadas triviais. O resultado era uma equipe estática, apática, quase sonolenta Era o Grêmio de algumas semanas atrás, o que desesperava Roth. As reclamações aumentaram aos 12 minutos. Goiano, afoito, errou em bola ao tentar desarmar Figueroa e cometeu pênalti, convertido por Lépe.

Depois disso, o Universidad contagiou-se com a pasmaceira do Grêmio. O jogo se resumiu a um duelo dos volantes e defensores nas intermediárias. Uma tortura para os pouco mais de 2 mil torcedores que enfrentaram o frio e foram assistir ao jogo. Os lances mais agudos do Grêmio se resumiam a jogadas individuais de Ronaldo. Numa delas, 27 minutos, o meia deixou Itaqui livre para cruzar. Lembrando os tempos de lateral. Itaqui encontrou Goiano livre na área, mas o volante chutou para fora. Apesar da baixa estatura dos zagueiros chilenos, os gaúchos insistiam em carimbar os adversários.

Os gritos de Roth no intervalo despertaram os jogadores. Logo aos oito minutos, Itaqui acertou outro cruzamento — o segundo — e Rodrigo Mendes empatou o jogo. O gol, ao contrário do que se esperava, não estimulou o Universidad a procurar a vitória. Muito menos o Grêmio, que se conformou com a igualdade. Para azar de Celso Roth, as lesões sofridas por Djair e Itaqui aumentam a preocupação na armação do time para domingo, contra o Sport.” (Zero Hora, quarta-feira, 16 de setembro de 1998)

Empate com prejuízo para o Grêmio
Itaqui e Djair saem machucados no 1 a 1 contra o Universidade Católica, pela Mercosul. Time ocupa o 3º lugar do grupo E

O Grêmio não conseguiu comemorar seus 95 anos de fundação com uma vitória. Ficou no empate em 1 a 1 com o Universidad Católica, ontem à noite, no estádio San Carlos, em Santiago. Com isso, o Grêmio fica em 3º lugar no grupo E da Copa Mercosul, com 4 pontos. River Plate e Vasco lideram com 5. O Universidad é o último, com 3 pontos.

Com um toque de bola envolvente no começo do jogo, o time chileno conseguiu controlar o Grêmio. Aos 12 minutos, Goiano entrou mal na jogada e cometeu pênalti. Lepe cobrou com categoria e marcou 1 a 0. Mal posicionado e sem força na frente, o Grêmio foi mal no primeiro tempo. O Universidad, com mais posse de bola, não soube aproveitar o domínio na partida.

No segundo tempo, o treinador Celso Roth deslocou Itaqui para o lado direito. Aos 8min, Itaqui foi ao fundo e cruzou na medida para Rodrigo Mendes, que havia iniciado a jogada. O atacante desviou de cabeça e empatou o jogo. O Grêmio passou a pressionar em busca do segundo gol, mas o Universidad resistiu e, aos poucos, começou a levar perigo. Preocupado, Roth reforçou a marcação com Djair em lugar de Ronaldinho.

Próximo dos 30 minutos, Itaqui, lesionado, pediu para sair. Quase ao mesmo tempo, Djair sofreu uma torção de joelho. Marcelo Müller e Éder entraram, deixando o Grêmio muito descaracterizado. A partir daí, o time gaúcho tratou de resistir, tentando contra-ataques puxados por Rodrigo Mendes.” (Correio do Povo, quarta-feira, 16 de setembro de 1998)

Universidad Catolica 1×1 Grêmio

UNIVERSIDAD CATOLICA: Tapia; Cornejo, Ramirez, Vargas e Pizzarro; Ormazábal, Lépe, Edu Manga (Osorio) e Mirosevic (Goldberg); Moya e Figueroa
Técnico: Fernando Carvallo

GRÊMIO: Danrlei: Walmir, Scheidt, Rodrigo Costa e Roger; Fabinho, Luiz Carlos Goiano, Ronaldinho (Djair, depois Eder) e Itaqui (Marcelo Miller); Clóvis e Rodrigo Mendes.
Técnico: Celso Roth

Copa Mercosul 1998 – Grupo E – Quarta Rodada
Data: 15 de setembro de 1998, terça-feira, 21h40min
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago do Chile.
Arbitragem: Robert Troxler (PAR)
Auxiliares: Carlos Torres e Luiz Mereles
Cartões Amarelos: Moya, Lépe, Goiano
Cartão vermelho: Moya
Gols: Lépe (de pênalti) aos 12 minutos do primeiro tempo; Rodrigo Mendes aos 8 minutos do segundo tempo

Libertadores – Universidad Católica 1 x 0 Grêmio

May 5, 2011

A eliminação do Grêmio na Libertadores passa muito mais pelos jogos anteriores do que por essa partida derradeira em Santiago.

Com um time desfacelado, o tricolor fez o que pode, tendo um bom início de partida, com presença no campo de ataque. O time teve algumas oportunidades em cobranças de faltas e escanteios, mas a bola parada não foi bem aproveitada e logo se viu que o conjunto carecia de maior entrosamento e criatividade. Por sua vez, a Católica parecia não saber bem o que fazer com sua vantagem, esperando timidamente que o Grêmio tomasse a iniciativa.

No segundo tempo o Grêmio ensaiou uma rápida e insuficente pressão, ficando perto de abrir o marcador no voleio de Viçosa. Mas não se viu nenhuma outra grande chance depois de tal lance. O problema da falta de combate, da marcação tardia, da ausência de roubadas de bola apareceu muitas vezes. Os cruzados seguiam fazendo pouco e se contentando com a passagem do tempo. O gol de Mirosevic só foi acontecer aos 41, depois de Renato escancarar o time na busca do tudo ou nada.

O resultado era esperado e foi, de certo modo, aceitável. O problema não está em perder um jogo de oitavas fora de casa por diferença mínima. Está em fazer uma partida tão atabalhoada no primeiro jogo. Está nas lesões (em quem quer que seja o culpado por elas, podendo mesmo ser o azar). Está nos fracos resultados e desempenhos nos jogos na Bolívia e no Peru.

Mas são diversos os fatores que resultaram na precoce desclassificação gremista. Se precipita quem já tem um único diagnóstico feito e uma única solução imaginada.

Fotos: Emol e La Cuarta

Universidad Católica 1 x 0 Grêmio
Mirosevic 86´

U. CATÓLICA : Garcés, Valenzuela, Martínez, Henríquez e Eluchans; Ormeño, Silva, Meneses, Costa (Mirosevic, 8’/2ºT) e Cañete; Lucas Pratto (R. Gutiérrez, 45’/2ºT).
Técnico: Juan Pizzi.


GRÊMIO _: Marcelo Grohe, Mário Fernandes (Vinícius Pacheco, 38/2ºT), Rafael Marques (Leandro, 18’/2ºT), Rodolfo, e Gilson; Vílson, Adilson, Fernando e Douglas; Lins (Escudero, 33’/2ºT) e Junior Viçosa.
Técnico: Renato Portaluppi


Oitavas de Final – Jogo de Volta – Libertadores 2011
Data: 04/05/2011, quarta-feira, 21h50min.
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, Santiago, Chile.
Árbitro: Carlos Amarilla
Auxiliares: Rodney Aquino e Cesar Franco.
Cartões amarelos : Eluchans, Costa, Ormeño, Felipe Gutierrez e Vilson
Gol: Mirosevic, aos 41min do 2º tempo (Católica).

Libertadores – Grêmio 1 x 2 Universidad Católica

April 27, 2011


Foi uma noite desastrosa a de ontem no Olímpico, onde muitas coisas saíram erradas para o Grêmio. Poderia fazer um longo inventário dos erros tricolores, mas é muito mais simples citar o que saiu certo: O golaço do Douglas e uma grande defesa de M.Grohe aos 48 minutos do segundo tempo.
O Grêmio ensaiou um abafa, tendo uma série de escanteios. A torcida se inflou e Douglas quase abriu o placar aos 10 minutos, mas seu chute parou na trave. Borges também ficou no quase, aos 24, quando fez o giro em cima da zaga e bateu pra fora. Mas aos 28 minutos o time do Universidad Católica teve um contra-ataque (puxado por Cañete e concluído por Pratto) que só foi parar dentro do gol gremista. Pra piorar a situação, Borges foi expulso seis minutos depois, ao acertar cotovelada no adversário. O cenário passou a ser amplamente favorável aos chilenos.

O Grêmio tentou minimizar o prejuízo no segundo tempo e sem muito brilho foi pra cima, tentando se aproveitar do contentamento do adversário com a situação. Los cruzados trocaram passes despretensiosos nos primeiro minutos da etapa final, mas aos 14 Douglas empatou o jogo num chutaço da intermediária. O empate animou o Grêmio, que cresceu na partida, mas acabou levando o segundo gol em novo contra-ataque concluído por Pratto (dessa vez de cabeça)


É preciso que o time “entenda” o espírito do jogo e do campeonato que está participando. Me parece que o Grêmio não conseguiu fazer esta leitura ontem.

Um exemplo: O Grêmio fez somente 10 faltas ontem, contra 17 do U.Católica. Levou apenas dois cartões amarelos (sendo que o do Adílson foi fora do lance), enquanto os chilenos foram advertidos em cinco ocasiões.

O time poderia e deveria ter feito mais faltas no jogo de ontem. Como já vem acontecendo, o ataque do time adversário raramente é interrompido pelo Grêmio.

O time poderia e deveria ter se aproveitado da ruindade do árbitro. Rochemback foi pisado na cara e a reclamação foi muito tímida.

Ficou difícil, mas não impossível. Não acho que o U.Católica tenha mais time do que o Grêmio. Ontem pareceu que os comandos de Pizzi foram superiores pelo maior conjunto/entrosamento e pela maior consciência/tranquilidade em campo. Apesar de alguns bons valores, tem claros furos no time. O Grêmio é que precisa jogar mais (e pode jogar mais) para explorar essas deficiências em Santiago (onde, não custa lembrar, os chilenos tomaram 3×1 do Caracas)

Fotos: Richard Ducker e Luciano Leon (FinalSports)

Grêmio 1 x 2 Universidad Católica
Pratto 28´
Douglas 59´
Pratto 74´

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Escudero 45’/2ºT); Fábio Rochemback, Willian Magrão (Lins – Intervalo), Adilson e Douglas; Leandro (Carlos Alberto 32’/2ºT) e Borges
Técnico: Renato Portaluppi

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Henríquez, Martínez e Eluchans; Ormeño, Silva (Felipe Gutiérrez 18’/2ºT), Costa (Sepúlveda 38’/2ºT), Meneses e Cañete (Villanueva 30’/2ºT); Pratto
Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Oitavas de Final – Jogo de Ida – Libertadores 2011
Data: 26/4/2011, terça-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Público Total: 35.101 (31.559 pagantes)
Renda: R$ 766.807,50
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Alejo Castan (ARG)
Cartões amarelos: Martínez, Costa, Silva, Eluchans e Valenzuela (UCA); Willian Magrão e Adilson (GRE)
Cartões vermelhos: Borges 34’/1ºT (GRE)
Gols: Pratto (U), aos 28min, no 1º tempo; Douglas (G), aos 14min, e Pratto, aos 29min, no 2º tempo.