Archive for the ‘Vasco’ Category

Série B 2022 – Vasco 0x0 Grêmio

June 3, 2022
https://conteudo.cbf.com.br/cdn/202206/20220602212623_399.jpeg

Foto: Thiago Ribeiro (AGIF/CBF)

https://i.imgur.com/dftGRjP.jpg

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Em “abstrato”, um empate em São Januário não pode ser considerado um mau resultado. Na partida de ontem, o Grêmio fez um primeiro tempo de “razoável pra bom” e um segundo tempo não mais do que razoável. O 0x0 ficou de bom tamanho.

O problema é que já passamos 1/4 do campeonato e podemos acabar a rodada 4 pontos atrás do G4.

Bonito o fardamento do Vasco, especialmente a meia listrada (que serviu para demonstrar que o Grêmio deveria ter jogado com meia azul)

Foto: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

https://static.vasco.com.br/wp-content/uploads/2022/06/514B5196-C277-4C6F-82E4-7FC8F3594077-1024x683.jpeg

Foto: Daniel Ramalho (Vasco)

Vasco 0x0 Grêmio

VASCO: Thiago Rodrigues, Gabriel Dias (Weverton, 22’/2ºT), Quintero, Anderson Conceição e Edimar; Yuri Lara, Andrey (Matheus Barbosa, 26’/2ºT) e Nene (Palacios, 26’/2ºT); Gabriel Pec, Getúlio (Raniel, 22’/2ºT) e Figueiredo (Vinícius, 34’/2ºT)
Técnico: Zé Ricardo

GRÊMIO: Brenno, Bruno Alves, Geromel e Kannemann; Edilson (Jonathan Varela, 19’/2ºT), Thiago Santos, Bitello (Lucas Silva, 18’/2ºT) e Nicolas (Diogo Barbosa, 18’/2ºT); Benítez (Janderson, Intervalo), Diego Souza (Elkeson, 28’/2ºT) e Gabriel Teixeira
Técnico: Roger Machado.

10ª Rodada – Série B 2022
Data: 2de de junho de 2022, quinta-feira, 20h00min
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, RJ
Público: 21.075 (19.403 pagantes)
Renda: R$ 624.424,00
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (FIFA-SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: Herman Brumel Vani (SP)
Cartões Amarelos: Gabriel Dias, Quintero, Andrey, Palacios e Figueiredo; Kannemann, Thiago Santos e Benítez

Brasileirão 1982 – Vasco 1×1 Grêmio

June 2, 2022
https://64.media.tumblr.com/e8cfbec385bc279800005f703e5927ae/tumblr_nws7x7WN6U1unkqbzo1_1280.jpg

Foto: Ignácio Ferreira (Placar)

No Brasileirão de 1982, o Grêmio empatou em 1×1 com o Vasco em São Januário no jogo de ida das oitavas-de-final da competição.

Nas matérias abaixo podemos ver que o jogo teve a presença de alguns eventos folclóricos do futebol nacional, como Antônio Lopes tentando prender um integrante da arbitragem e Eurico Miranda tentando avacalhar o jogo e a competição.

Na foto abaixo, dá pra perceber que Ênio Andrade repetiu um costume que havia adotado na campanha do título do ano anterior, que era a de usar uma camisa tricolor no banco de reservas. O último jogo do Vasco na fase anterior foi contra o Inter de Santa Maria, no estádio Presidente Vargas, e o técnico gremista esteve in loco na “Baixada Melancólica” para estudar o adversário.

Na época a carga de ingressos colocados à venda era de 39.500 (contra os atuais 21 mil)

https://64.media.tumblr.com/ec7bbe0d158fbae47bf963eae8ca8c84/9199b0b4883711a7-3f/s2048x3072/3c402e40644e9a4859c2a5e3a828316956c6caeb.jpg

Foto: Correio do Povo

OPINIÃO: O Vasco esteve totalmente confuso no ataque diante de um Grêmio bem armado na defesa” (Hideki Takizawa, Placar, edição n.º 619, 2 de abril de 1982)

https://i.imgur.com/a6CtxRD.jpg

https://i.imgur.com/ppTmIPg.jpg

https://i.imgur.com/MoAZiBc.jpg

https://i.imgur.com/p6uyN8N.jpg

 

“Apesar de toda a reclamação vascaína, a atuação do árbitro Manoel Serapião não influiu no resultado. É verdade que ele começou o jogo omisso em alguns lances desleais de lado a lado, mas foram lances sem maiores conseqüências, quando poderia ter distribuído cartão.” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 29 de março de 1982)

https://i.imgur.com/rzc4IOb.jpg

“Pedrinho, que não aparece na foto, chuta de longe e Leão aceita um dos maiores frangos de sua carreira. Bola na rede, o lateral do Vasco explode em Alegria: Vasco 1×0

Mazaropi derruba Paulo Isidoro em pênalti indiscutível. Baltazar cobra, Mazaropi quase defende, mas a bola passa por baixo do seu corpo e vai à rede: Grêmio 1 a 1.” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 29 de março de 1982)

 

https://64.media.tumblr.com/e5db42edab7042cd0f45b1976b845051/be7cc73d41e45253-c7/s640x960/6b6a02fdd554b92e5c15259f963ee6c1758d54c7.jpg

Foto: Ignácio Ferreira (Placar)

https://i.imgur.com/Q79kX2o.png

 Vasco 1×1 Grêmio

VASCO: Mazarópi; Rosemiro, Rondinelli, Ivã e Pedrinho: Serginho, Dudu e Cláudio Adão; Wilsinho, Roberto e Marquinho
Técnico: Antônio Lopes

GRÊMIO: Leão; Paulo Roberto, Vantuir, De León e Dirceu: Bonamigo, Batista e Paulo Isidoro; Tarciso, Baltazar (Paulinho) e Júlio César (Tonho)
Técnico: Enio Andrade

Brasileirão 1982 – Oitavas de Final – Jogo de ida
Data: 28 de março de 1982, domingo, 16h00min
Local: São Januário, no Rio de Janeiro, RJ
Público: 22.899
Renda: Cr$ 7.826.400,00
Juiz: Manuel Serapião Filho (BA)
Auxiliares: Anivaldo Seixas Magalhães e Ademário Teixeira Bastos
Cartões amarelos: Wilsinho, Mazarópi, De León e Baltazar
Gols: Pedrinho 36 do 1.° e Baltazar (de pênalti) 7 do 2º

 

Brasileirão 1996 – Vasco 1×1 Grêmio

June 1, 2022
https://64.media.tumblr.com/9857496aacf4f6afc0f60465bfba2b6f/1acf99bb7e8615d8-5b/s1280x1920/77ee151d0dd0a4afff23db6acde55c519854d2aa.jpg

Foto: Agliberto Lima (Revista Nação Tricolor 1996, Ano I, nº 02)

https://64.media.tumblr.com/9c6f2ce86d607b72e198598486082693/1acf99bb7e8615d8-70/s1280x1920/ca3a532839c1a22b2450012398a8b4bd6c2ca961.jpg

Foto: Agliberto Lima (Revista Nação Tricolor 1996, Ano I, nº 02)

https://64.media.tumblr.com/ad0cbbe4735fddbca5f113af9104d9c6/1acf99bb7e8615d8-04/s1280x1920/b9106aba396644f2761c687c5dd240922243fc7c.jpg

Foto: Agliberto Lima (Revista Nação Tricolor 1996, Ano I, nº 02)

No Brasileirão de 1996, o Grêmio conseguiu um empate com o Vasco graças à um gol marcado por Paulo Nunes aos 48 minutos dos segundo tempo. Esse foi o tipo de jogo que demonstra bem como aquele time de Felipão tinha capacidade de terminar a fase de classificação mais bem colocado do que a 6ª posição que acabou conquistando.

Curiosa a reclamação pelos cinco minutos de acréscimos (que hoje são corriqueiros).

Uma vez que o Vasco atuou com seu fardamento branco, o Grêmio optou por utilizar meias pretas, o que só aconteceria mais outra vez na competição.

https://64.media.tumblr.com/9b7f3aadebadbcadf74fbe2f439fd207/tumblr_nws7j1dF4q1unkqbzo1_r1_1280.jpg

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

 

GOL NO FIM EVITA A DERROTA DO GRÊMIO
O time gaúcho dominou o Vasco, mas por pouco não saiu de São Januário com um resultado inesperado

LEONARDO OLIVEIRA Enviado Especial/Rio

O Grêmio dominou, empurrou o Vasco para trás, mas acabou saindo de campo com a convicção de que teve muita sorte, ao arrancar um empate de 1 a 1 com o Vasco, ontem à tarde, no Estádio de São Januário, depois de sofrer um gol aos 40 minutos do segundo tempo. Apesar do resultado favorável, a equipe do técnico Luiz Felipe perdeu uma grande chance de conseguir três pontos fora de casa. Os cariocas ficaram com um jogador a menos logo aos 11 minutos, depois que o estreante Borçato fez uma falta violenta em Carlos Miguel. O bicampeão gaúcho disputa na quarta-feira o seu terceiro jogo consecutivo fora de casa, contra o Atlético-PR, em Curitiba.

O Vasco preparou uma verdadeira festa para enfrentar o Grêmio. Antes do jogo, as jogadoras do clube que serviram à Seleção Brasileira na Olimpíada foram homenageadas pela diretoria. Os 20 mil torcedores presentes (o público divulgado foi de 9.010) ao estádio foram ao delírio quando o folclórico massagista Santana saudou a todos vestindo um fraque branco e uma camiseta do clube. Mas bastou a bola rolar para o Grêmio acabar com a euforia dos cariocas. Nos primeiros 10 minutos, o domínio foi total dos gaúchos.

Quando o Vasco equilibrou, o volante Borçato — que segundo a imprensa carioca está na equipe apenas por ser amigo de Edmundo — foi expulso. Com um jogador a menos, o técnico Alcir Portela colocou o volante Sidnei no lugar do atacante Toninho. A mudança deixou Edmundo isolado entre os zagueiros do Grêmio. Apesar da inoperância do ataque adversário e da vantagem no meio-campo, a equipe de Luiz Felipe não tinha objetividade, exagerando nos toques laterais na intermediária.

A conversa com Luiz Felipe no intervalo alertou os jogadores. Aos dois minutos, Émerson perdeu uma grande chance de marcar, chutando, sozinho, para fora. Depois da entrada de Afonso no lugar do confuso Émerson, aos 15 minutos, os passes laterais foram trocados por cruzamentos para a área. Aos 40, o lateral Pimentel cansou de defender e puxou um contra-ataque da sua defesa. Depois de tabelar com Macedo, encobriu o goleiro Danrlei, marcando um bonito gol. Aos 48 minutos, quando tudo parecia perdido e os alto-falantes de São Januário gritavam que estava na hora de o árbitro terminar o jogo, o Grêmio chegou ao empate. Depois da cobrança de escanteio, o goleiro Caetano falhou, Adilson cabeceou na trave e Paulo Nunes, na volta, colocou para a rede, garantindo um resultado mais justo para a partida de São Januário.” (Leonardo Oliveira, Zero Hora, segunda-feira, 2 de setembro de 1996)

https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjF1_XjvlEXQxWJ_SC-1ciHVV-sggP-6zwRjiOKRFOuThKkBWI0YQRbKZ3h8bt1HG_b0NaH7IHMGsKAVm3FWNG1ngE6T-MUjBdMUKTtXFnV9heefieHNmlSmCBx9vtWYvLJzt60HWYIZx5efJljTUthprRUzQRoO-HTxZRQHY2kdtIxbwjbTkoIarhDnQ/s3520/zh%20placar.jpg

 “HERÓI PAULO NUNES SALVA O TIME

Ao final de cada jogo do Grêmio, o atacante Paulo Nunes é saudado como o melhor jogador da equipe em campo. O reconhecimento já virou rotina. Ontem, no Estádio de São Januário, no Rio, não foi diferente. Quando a equipe já dava por perdido um jogo que estava dominando, o atacante marcou seu quarto gol na competição e garantiu o empate salvador. Enquanto o técnico Luiz Felipe trabalha para enquadrar os candidatos a substitutos de Jardel, Paulo Nunes se encarrega de assumir a posição de goleador da equipe — e não decepciona.

Antes da partida, os vascaínos fizeram questão de lembrar que a passagem de Paulo Nunes pelo arqui-rival Flamengo ainda não tinha sido esquecida. Mas os cânticos que colocavam em questão a masculinidade do atacante gremista não o perturbaram. Durante toda a partida, foi o jogador mais competente da equipe, deslocando-se por todos os lados e participando ativamente da marcação no meio-campo. Nunca deu sossego para os atacantes. Dos pés deles saíram as jogadas mais perigosas.

A determinação do ponteiro pretendido por times espanhóis foi recompensada com o gol heróico aos 48 minutos do segundo tempo. Depois de vencer o goleiro Caetano, desviando de cabeça para a rede, Paulo Nunes fez questão de correr em direção às gerais de São Januário e debochar dos incrédulos vascaínos. O empate foi bem ao estilo do time armado por Luiz Felipe: nos descontos e sofrido.

Estilo a que Paulo Nunes conseguiu se adaptar com perfeição, contrariando todos os prognósticos. Quando chegou a Porto d Alegre, no início do ano passado, muitos que conseguisse vencer no disputado futebol gaúcho. Os críticos até tinham subsídios para tanto descrédito. Franzino e com o jeito malemolente dos cariocas, o surfista nas horas vagas Paulo Nunes tinha tudo para não acertar no Grêmio.

Mas Paulo Nunes não só superou o descrédito, como venceu o frio do Sul e as marcações duras do disputado futebol gaúcho e comprovou para os cariocas, principalmente os flamenguistas, que ainda poderia jogar em uma grande equipe.

A saída da Gávea não foi nada pacífica, O jogador recém havia se recuperado de uma cirurgia e amargava a reserva. Fora da noite carioca (ele confessa que era um freqüentador assíduo) e com o auxílio de Luiz Felipe, sagrou-se bicampeão da Copa Libertadores da América e, depois da saída do seu companheiro de ataque Jardel, transformou-se no maior destaque da equipe. “Tudo o que eu tenho hoje, eu agradeço ao Luiz Felipe, ele é como se fosse o meu segundo pai“, reconhece. (Zero Hora, segunda-feira, 2 de setembro de 1996)

 

https://gremio1983.files.wordpress.com/2022/06/85e77-img_2307.jpg

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

 

GRÊMIO EMPATA CONTRA O VASCO NOS ACRÉSCIMOS
Com um futebol de ritmo preguiçoso e desprovido de criatividade, o Grêmio ficou apenas no empate em 1 a 1, ontem à tarde, no São Januário, diante de um Vasco da Gama que jogou desde os 11 minutos com um jogador a menos devido à expulsão do volante Borçato. No final, o resultado até foi festejado pelos gremistas, já que o time conseguiu empatar apenas nos acréscimos.

Foi a terceira partida consecutiva em que o Grémio perdeu uma grande oportunidade de somar não um, mas 3 pontos. A primeira foi contra o Vitória, a segunda contra o Corinthians, e a terceira ontem. Com isso, o time manteve uma honrosa, mas inútil invencibilidade, e caiu na tabela de classificação, ficando na obrigação de vencer o Atlético, em Curitiba, quarta-feira.

A torcida do Vasco ainda fazia festa para Edmundo, quando aos 11 minutos, Borçato foi expulso após levar o segundo cartão amarelo. A partir daí, o Grêmio assumiu o controle do jogo. O Vasco recuou, ficando somente Edmundo, em grande atuação, na frente. Com toques para os lados, cruzamentos fracos e imprecisos e poucas jogadas pelas pontas, o Grêmio não soube aproveitar a chance de somar 3 pontos em pleno São Januário.

O Grêmio parecia acreditar que o gol sairia ao natural, sem maior esforço. Acabou surpreendido por Pimentel, que, aos 40 minutos, avançou meio campo sem ser combatido, e chutou por cobertura para fazer 1 a O. O Grêmio acordou e, na pressão, empatou aos 48 minutos, por Paulo Nunes, de cabeça.” (Correio do Povo, segunda-feira, 2 de setembro de 1996)

https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiy9pb8fayRQNOEM8mzQSbcdp2_s9kRC2aVRHzRaAzhSW2y_cIZ8NiqZIq3ZLGEyy3YVsD0YQj8neZAeVG1jMmwx1DmdnM1RYjZqQiEWT4ULNJM_MOcI5RTB1IFmnFotq2fR186ANQFM1fsOi0iCjgR-6zq--mvQS5xb3LAy6_VxkcUwF45LzPCJwX6zg/s950/correio%20do%20povo%20foto.jpg

Foto: Correio do Povo

 

“FELIPÃO AGRADECE A DEUS E FAZ CRÍTICAS

“Temos que erguer as mãos para o céu e agradecer a Deus pelo resultado”, desabafou o técnico do Grêmio, após o jogo contra Vasco. Luiz Felipe Scolari ficou irritado com a falta de poder ofensivo do seu time, “que dominou o jogo, mas não criou”. Na sua avaliação, o Grêmio jogou errado, tentando entrar pelo meio. “Deveríamos explorar bolas aéreas e cavar faltas perto da grande área do Vasco”.

Luiz Felipe disse também que Danrlei falhou no gol de Pimentel, “pois estava adiantado e errou a mão na hora de fazer a defesa”. Ele voltou a criticar os jogadores de meio e defesa, que permitiram que o lateral do Vasco penetrasse livre. “Os jogadores não querem se expor ao ridículo e só ficam cercando”. (Correio do Povo, segunda-feira, 2 de setembro de 1996)

 

https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgLbm2Ok9PF2YCmsPNNF_1LmR4EPu6HhbTdVSFB_xwMl-e1affoTvj3g60775ERatDs3XhFXt0FRRv6t9g8zy1zaVzRZ6tQYjhe_R3E49zFyLguHXTFW7Dg0aKFVvOhiCXN64LGdqvPy7XRAh_ids98Kgh0tWCoML4a0FV83XVuo_ovDNFr2PCopEQgRA/s2708/VASCO%20ZH%20SAULO.jpg

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

“O empate com o Vasco teve um sabor de derrota para o Grêmio. Com a expulsão de Borçato, aos 11 minutos do primeiro tempo, o Vasco perdeu força ofensiva, permitindo ao Grêmio tomar o controle da partida.O empate veio nos descontos, com Paulo Nunes.” (Zero Hora, segunda-feira, 16 de dezembro de 1996)

 

“O JOGO: Apesar de atuar com um jogador a mais durante 80 minutos, o Grêmio não ousou e o Vasco viu facilitado seu trabalho de equilibrar a partida.” (Tabelão Placar 1996)

 

https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEin5mJdMDpVIO3BehCXLrxp4q1JVkGp_QgqXkPKzL3ST9Gsn1MF8rymLdLBG8CYZXdtKt3wUlLiU8xuNKNcV8UjbvY2oN_smnVIEYE1Lw-tVYN7w5xwVCgu9J8JAw47-iBo91cNNvOYecEktFARAfP_gpo_CI9W6cxol5MJV8sWVA5qBRvt0WMi2dWpUw/s2952/correio%20do%20povo.jpg

 

DIRIGENTES PROTESTAM

O fato de o árbitro Oscar Roberto de Godói ter dado 50 minutos de jogo no segundo tempo — o Grêmio empatou aos 48min — fez alguns vascaínos perderem a cabeça após o jogo. O choro era livre. O advogado do clube, Paulo Reis, berrava pateticamente que o Vasco não vence por culpa da imprensa.

Outros também não mediam as palavras, como o ex-jogador e deputado estadual Roberto Dinamite. ‘”Não é querer justificar esses atos, mas se o que aconteceu aqui fosse lá no Sul. a delegação do Vasco e a Arbitragem nem sairiam do estádio”. comentou Roberto.

No mesmo tom, o vice-presidente de futebol. Eurico Miranda, não Se conformava com o empate do Grêmio. “Os clubes não têm nada a fazer. É por isso que se um juiz como esse tem dois ou três dentes quebrados depois do jogo não vai poder reclamar”, ameaçava. Segundo Eurico, há um esquema organizado pelo diretor da Comissão de Arbitragem da CBF, Ivens Mendes, para prejudicar o Vasco.

“Não é de hoje que eu venho afirmando que os árbitros têm uma orientação dele, no sentido de que o Vasco não se classifique entre os oito em hipótese alguma. Os jogadores do Vasco já estavam avisados sobre isso. Eu pedi a abertura de inquérito na CBF e ninguém fez nada. Mandaram para o Tribunal julgar e dizer que eu estava ofendendo o Ivens”, reclamava o dirigente.

Lucidez mesmo era mais fácil de ser encontrada entre os jogadores. Como Pimentel, que não satisfeito em sair como o melhor do time e marcar um golaço, deu uma lição aos dirigentes e assessores: “Tudo bem, o árbitro não precisava dar cinco minutos de acréscimo, um ou dois estava bom. Mas o nosso time bobeou. Não podíamos tomar um gol daqueles naquela hora”. (Ricardo Gonzalez, Jornal do Brasil, segunda-feira, 2 de setembro de 1996)

 

https://gremio1983.files.wordpress.com/2022/06/3a4a2-19962bjornal2bdo2bbrasil.jpg

 

 

https://gremio1983.files.wordpress.com/2022/06/d11ac-img_2303-cc3b3pia.jpg

Foto: Fernando Gomes (Zero Hora)

 

https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjrqbbDWVS7MZFd61qcQevtAQEYwyDOi7fGtU9Y04ZY27MVf-gAJaSmy0lgMcU72urWPa1uiMi7h4aX5gPFLVaFinpiyAYJ0lxisCm0YyT6f9UmLUuk1ACxj-56zjYE8uCNe8yYJ90qTNbkjxNmQEVRPGjjFvJbOIHvhaaiIDbhMG7mPCbO5jYLf3bR9A/s557/classifica%C3%A7%C3%A3o%20pioneiro.jpg

Fonte: Pioneiro

https://i.imgur.com/jSrSKF7.png
https://i.imgur.com/UQEQCTm.png

Vasco 1×1 Grêmio

VASCO: Caetano; Pimentel, João Luiz, Alex e Cássio; Luisinho, Borçato, Juninho (Macedo) e Válber (Ranielli); Edmundo e Toninho (Sydnei)
Técnico: Alcir Portela

GRÊMIO: Danrlei; Aílton, Mauro Galvão, Adílson e Roger; Dinho, Goiano, Émerson (Zé Afonso) e Carlos Miguel; Paulo Nunes e Saulo (Rogério)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Brasileirão 1996 – 7ª Rodada – 1ªFase
Data: 1º de setembro de 1996, domingo, 17h00min
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ
Público: 9.010
Renda: R$ 96.970,00
Árbitro: Oscar Roberto de Godói (SP)
Auxiliares: Carlos Roberto da Silva e Jovair de Almeida
Cartões Amarelos: Sydnei; Aílton, Roger, Goiano, Mauro Galvão, Zé Afonso e Adílson
Cartão Vermelho: Borçato
Gols: Pimentel, 40 minutos do 2º tempo e Paulo Nunes,aos  48 minutos  do 2° tempo

Brasileirão 1995 – Grêmio 2×1 Vasco

December 4, 2020

Foto: Paulo Franken (Zero Hora)

No Brasileirão de 1995, o Grêmio venceu em casa o Vasco por 2 a 1, num dos seus último compromissos antes de enfrentar o Ajax no Mundial.

É interessante notar que as crônicas da Zero Hora e do Jornal do Brasil transcritas abaixo, bem como o infográfico da Placar, afirmam que Jardel marcou seu 45º gol na naquela temporada, superando a marca de Baltazar em 1980.

Ocorre que nenhuma dessas afirmativas é verdadeira. Jardel teve um gol erroneamente atribuído a ele, que na realidade foi marcado por Jacques (Jardel sequer entrou em campo na vitória do Grêmio contra o El Nacional, no Olímpico, pela Libertadores).

Jardel viria a fazer o seu gol de número 45 seis dias depois contra o São Paulo, mas com isso ele apenas empatou com Baltazar, que segundo diversas fontes, fez o mesmo número de gols na temporada de 1980.

Foto: Zero Hora

 

“GRÊMIO VENCE E DEIXA O GRUPO DE RISCO
O campeão da Libertadores pode vender Arílson depois da decisão de Tóquio por US$ 3,2 milhões

O domingo de verão em Porto Alegre foi aproveitado pela torcida do Grêmio para comemorar a vitória de 2 a 1 sobre o Vasco, no Estádio Olímpico, e a pontuação necessária para garantir a permanência na primeira divisão do campeonato Brasileiro. O Grêmio soma 25 pontos na classificação geral e elimina a possibilidade de rebaixamento. A partir de hoje o bicampeão da América passa a se preparar com mais tranquilidade para a decisão do Mundial interclubes, dia 28, contra o Ajax, em Tóquio. Talvez o último jogo do habilidoso meia-esquerda Arilson no Grêmio, praticamente vendido por US$ 3,2 milhões ao clube alemão Kaiserslautern.

O time carioca sentiu por que os atacantes Paulo Nunes e Jardel e o meia Arilson estão nos planos de equipes europeias e japonesas. Aos cinco minutos, Carlos Miguel lançou Arilson. O cruzamento foi desviado pelo goleiro Carlos Germano, mas o oportunista ponta Paulo Nunes concluiu no canto esquerdo e fez 1 a 0.

A disposição’) e a habilidade de Arilson, 22 anos, é que levaram os dirigentes do Kaiserslautern assistir a vídeos do Grêmio e mandar o seu gerente Rainer Geye conversar com o presidente -Fábio Koff. O dirigente gremista estipulou o preço em US$ 3,2 milhões. Geye voltou para a Alemanha, mas telefonou avisando que pode fechar o negócio até a próxima quinta-feira. “Mas Arilson joga na decisão com o Ajax”, garantiu Koff.

No segundo tempo, o técnico Luiz Felipe retirou Paulo Nunes, Arilson e Roger. O treinador colocou Magno, Nildo e Mancini. Manteve Jardel. Aos 40 minutos, o centroavante esperou Magno driblar três adversários e colocou no canto direito. Foi o 45º gol de Jardel na temporada, um a mais que o recorde de Baltazar e o primeiro contra o seu ex-clube. Enquanto comemorava Leonardo fez o único gol do Vasco.” (Álvaro Laranjeira, Zero Hora, segunda-feira, 6 de novembro de 1995)

O DESEMPEHO DAS EQUIPES (Zero Hora, 6 de novembro de 1995)
GRÊMIO VASCO
Conclusões a gol 16 16
Escanteios cedidos 3 5
Faltas cometidas 24 16
Impedimentos 2 1

OS PRINCIPAIS MOMENTOS
PRIMEIRO TEMPO

4min – Zinho cruza, Marcelo cabeceia fraco, sem perigo para o gol de Murilo

5min – O meia Arilson cruza, o goleiro Carlos Germano rebate para o lado e o ponta Paulo Nunes faz, de pé direito, 1 a 0 para o Grêmio.

7min – Marcelo dribla o zagueiro-central Luciano e chuta forte, mas desviado

14min – O centroavante do Vasco, Valdir, recebe na área e chuta. Murilo segura.

22min – O atacante Marcelo tenta acertar o ângulo esquerdo, mias Murilo espalma a bola e impede o gol do time carioca

26min – O arbitro Marcio Resende anula um gol do meia Carlos Miguel ao marcar uma falta anterior no centroavante Jardel

30min – O meia Padrinho cobra falta no ângulo e Murilo faz outra defesa

19min – Goiano domina um rebote e bate com força, mas muito alto

SEGUNDO TEMPO
3min – Arílson faz o passe e Jardel erra o gol na frente de Carlos Germano.

6min – Tabela de Pimentel, Valdir e Marcelo finaliza próximo do canto direito.

30min – O meia Carlos Miguel não consegue concluir ao lado da trave direita.

32min – Marcelo chuta na entrada da área, a bola bate trave esquerda e Murilo segura.

33min – O zagueiro Alex cabeceia dentro da área e coloca fora, pelo lado esquerdo.

34min – Magno lança Jardel, que dribla Alex e cruza. Pimentel salva

40min – Magno dribla três adversários e deixa Jardel concluir no canto direito: 2 a 0.

42min – O atacante Leonardo surpreende a defesa gremista e toca no canto esquerdo de Murilo, marcando para o Vasco: 2 a 1

45min – Magno passa por um zagueiro e acera o chute na trave direita.” (Zero Hora, segunda-feira, 6 de novembro de 1995)

 

Foto: Paulo Franken (Zero Hora)

 

“GRÊMIO DERROTA VASCO E FOGE DO REBAIXAMENTO
O Grêmio venceu o Vasco por 2 a 1 ontem à tarde no estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Com isso, o time chegou aos 13 pontos ganhos e afastou o risco de rebaixamento à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.
Paulo Nunes abriu o placar, aos 5min, em rebote do goleiro Carlos Germano.
O Vasco teve dificuldade para entrar na área do Grêmio e somente arriscava em chutes de fora da área.
O segundo tempo começou num ritmo forte, com Jardel perdendo boa chance logo no primeiro minuto.
O Grêmio retomou o seu ritmo de jogo e, aos 42min, Jardel fez 2 a 0 após uma boa jogada de Magno. Um minuto depois, após tabelar com Valdir, Leonardo fez o único gol do Vasco.
Arílson confirmou após o jogo que poderá ser vendido ao Kaiserlautern, da Alemanha, por US$ 3,2 milhões.” (Carlos Alberto Fruet, Folha de São Paulo, segunda-feira, 6 de novembro de 1995)

 

O JOGO: O Grêmio atuou melhor que o Vasco e poderia ter vencido com uma diferença maior de gols. O time carioca tentou alguns ataques, mas perdeu o duelo pelo domínio do meio-campo.” (Tabelão Placar 1995 – n.º 10, página 206)

 

Foto: Jornal do Brasil

“VASCO, DERROTADO, AGORA DIVIDE A LIDERANÇA
Apesar da luta, time perde de 2 a 1 para o Grêmio, num jogo em que Jardel registra recorde de gols por temporada no Grêmio

PORTO ALEGRE — O Vasco bem que lutou, sob um calor carioca de 40 graus no Estádio Olímpico, mas não conseguiu evitar que o Grêmio, em sua 91ª partida da temporada, vencesse o jogo de ontem, por 2 a 1, gols de Paulo Nunes e Jardel, descontando Leonardo. O resultado impediu que o Vasco continuasse isolado na liderança do Grupo B, que agora divide com Fluminense, Goiás e Atlético, e permitiu que o Grêmio mantivesse a primeira posição no Grupo A, embora com três jogos a mais em relação aos outros concorrentes.

A atração maior da partida era a presença dos dois artilheiros, Valdir e Jardel. Mas ambos foram muito bem marcados e tiveram poucas chances. Brilhou mais a estrela do matador Jardel, que aos 40 do segundo tempo conseguiu fazer seu “gol-arrependimento” contra o clube que não acreditou no seu potencial no início da carreira. E com o pé, para provar que não é só goleador de cabeça. Após concluir para as redes, Jardel saiu correndo para a torcida, gritando “45, 45”, referindo-se ao novo recorde de 45 gols numa temporada no Grêmio. Levou cartão amarelo pela longa comemoração, mas tudo bem.

O calor era tão forte que até os vascaínos reclamavam. O mormaço prejudicou a movimentação dos dois times, mas para alegria dos torcedores, os dois ataques produziram muitos lances de perigo. Logo aos 5 minutos, Arilson cruzou da esquerda, o goleiro Carlos Germano defendeu parcialmente e Paulo Nunes completou para fazer 1 a 0. O susto inicial passou e o Vasco começou a reagir numa sucessão de jogadas em que o destaque era Marcelo

Mas a bola não entrava. O goleiro Murilo brilhava, como aos 23m, quando Marcelo tentou encobri-lo e o goleiro desviou para córner. Aos 27m, Jardel driblou três, foi derrubado e a bola sobrou para Carlos Miguel, impedido, concluir para as redes. O juiz acertou marcando a primeira falta e anulando o gol. A torcida reclamou, mas o árbitro estava certo neste lance, embora tenha errado muito em outros. Pedrinho, cobrando falta aos 30m, quase empatou: chutou no ângulo, mas lá estava Murilo.

No segundo tempo, os lances de gol se alternavam, com boas defesas dos goleiros. Marcelo mandou uma bola na trave de Murilo aos 37m. mas numa bela jogada de Magno, driblando todo mundo, aos 40m. Jardel praticamente definiu o jogo, fazendo 2 a 0. Nem assim o Vasco se entregou. Aos 42m. Leonardo descontou para o Vasco, que continuou forçando, em busca do empate. O juiz prolongou a partida até os 48m, para desespero dos gremistas, mas o placar ficou mesmo em 2 a 1. Mas que o Vasco assustou no fim, assustou.” (José Mitchell, Jornal do Brasil, segunda-feira, 6 de novembro de 1995)

TIME PÕE CULPA NO AZAR

Azar. Foi a palavra mais citada no vestiário do Vasco da Gama, após a derrota de 2 x 1 para o Grêmio, em que os jogadores não acertaram a conclusão das jogadas e até a trave salvou o time gaúcho. “‘Eles tiveram a sorte de fazer o gol logo aos cinco minutos, mas depois nós reagimos. Mas tudo bem, continuamos vivos e com chances de vencer o segundo turno”, analisou o técnico Zanata.

Um dos que mais se lamentava era o centroavante Marcelo, que teve boa atuação, mas não acertou o pé, “Tentei de tudo, mas a bola não entrou”. O zagueiro Ricardo Rocha lamentou a jogada de Magno no fim, que terminou com o gol de Jardel. “Marcamos ele todo o tempo, não deu uma única cabeçada com perigo e num lance isolado, ele marcou”.

O apoiador Charles estava chateado com a bobeira da defesa no gol de Jardel, mas não desanimou. Valdir, artilheiro do Vasco, foi muito bem marcado pela defesa do Grêmio na partida de ontem e pouco conseguiu de útil em termos ofensivos “Isso acontece. Vamos para a próxima”. disse o cabeça-de-área, o mais alegre no vestiário, não pelo jogo, mas pela convocação para a Seleção Brasileira: “Não sai magoado do Flamengo, mas essa convocação representa a volta por cima”.

Grêmio — No vestiário do Grêmio, o mais feliz era Arilson. Ele comemorava o fato de ter sido escolhido um dos melhores em campo e vibrava com a apresentação a seleção brasileira hoje. Sorrindo, desconversava sobre sua venda praticamente acertada ao Kaiserlautern, da Alemanha, por USS 3.2 milhões, conforme negociação confirmada ontem pelo presidente Fábio Koff, e que será concretizada após a final do Mundial Interclubes contra o Ajax, no Japão, no próximo dia 28. “Cumpri minha promessa”, brincou, alegre, Jardel, sobre o gol contra seu ex-clube.” (Jornal do Brasil, segunda-feira, 6 de novembro de 1995)

Foto: Ricardo Chaves (Zero Hora)

Grêmio 2×1 Vasco

GRÊMIO: Murilo; André Vieira, Luciano, Scheidt e Roger (Nildo); Dinho, Goiano, Arilson (Vágner Mancini) e Carlos Miguel, Paulo Nunes (Magno) e Jardel
Técnico: Luiz Felipe Scolari

VASCO: Carlos Germano; Pimentel, Alex, Ricardo Rocha e Zinho; Charles. Nelson (Richardson), Pedrinho e Juninho (Leonardo); Valdir e Marcelo
Técnico: Zanata

Brasileirão 1995 – Segundo Turno
Data: 5 de novembro de 1995, domingo
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 5.075 pagantes
Renda: RS 49.201,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas
Auxiliares: Márcio Antônio Lima e Herbert Andrade
Cartões amarelos: Luciano, Jardel, Zinho, Alex e Marcelo
Gols: Paulo Nunes, aos 5 minutos do primeiro tempo; Jardel, aos 41 minutos e Leonardo, aos 42 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2019 – Vasco 1×3 Grêmio

October 31, 2019

vasco gol Rafael Ribeiro

O Grêmio ganhou “com autoridade” do Vasco em Januário. Mas a superioridade tricolor só apareceu depois dos 25 minutos da primeira etapa, quando Renato (vendo seu time em desvantagem no marcador) desfez o esquema com três volantes e colocou Pepê em campo. O camisa 25 marcou o gol de empate 3 minutos de entrar na partida. No segundo tempo Everton fez o gol da virada em grande arrancada iniciada após um bom desarme de Darlan e Luciano fez o 3×1 convertendo um pênalti marcado após o toque de mão de Leandro Castán.

Paulo Victor, infelizmente, falhou de novo. A bola não poderia ter passado por baixo da barreira, mas o chute de Guarin não foi tão forte e entrou quase no meio do gol.

Everton parece jogar em uma velocidade diferente dos demais jogadores. Foi impressionante a facilidade com que ele passou pelos adversários antes de marcar o gol da virada.

A iluminação de São Januário ficou bem estranha na transmissão da Rede Globo.

48989222917_a402bf3354_oFotos: Rafael Ribeiro (Vasco) e Rudy Trindade (Grêmio)

Vasco 1×3 Grêmio

VASCO: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Ricardo, Leandro Castan e Henrique; Richard, Raul, Bruno Gomes (Bruno César, 20/2ºT), Guarín (Tiago Reis, 29/2ºT); Marrony e Ribamar (Gabriel Pec, intervalo)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura (Rodrigues, 23/2ºT), Paulo Miranda, David Braz e Cortez; Michel (Pepê, 29/1ºT), Rômulo e Thaciano (Darlan, 36/1ºT); Diego Tardelli, Luciano e Everton
Técnico: Renato Portaluppi

29ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2019
Data: 30/10/2019, quarta-feira, às 21h30min
Local: São Januário, no Rio de Janeiro – RJ
Público: 15.708 pagantes
Renda: R$ 538.333,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto (MG)
Cartões amarelos: Marrony, Leandro Castan; Michel, Bruno Cortez
Gols: Fredy Guarín, aos nove minutos, Pepê, aos 32 minutos do primeiro tempo; Everton, aos oito minutos e Luciano (de pênalti) aos 22 minutos do segundo tempo

Brasileirão 1975 – Vasco 2×1 Grêmio

October 30, 2019

1975 vasco fora Ronaldo Theobald JB

No Brasileirão de 1975, Vasco e Grêmio se enfrentaram em São Januário. Vitória dos mandantes por 2×1.

Nesse jogo o Grêmio voltou a usar a camisa tricolor, depois de ter utilizado a camisa celeste nas finais do Gauchão e na estreia daquele campeonato brasileiro contra o CSA em Maceió.

1975 vasco fora gol dinamite js

VASCO MOSTRA ESPÍRITO DE COMPETIÇÃO NA VITÓRIA

Mostrando ser uma equipe competitiva, de muito espirito de luta, além de uma aplicação tática invejável, o Vasco derrotou o Grêmio por 2 a 1, ontem em São Januário, em sua estréia no Campeonato Nacional.

A equipe carioca deixou a forte impressão de que será muito difícil algum adversário derrotá-la em São Januário, onde os jogadores sentem de perto o calor da torcida, que lotou o estádio. Tanto assim que, durante todo o primeiro tempo, número grande de torcedores ainda entrava pelos velhos portões do campo do Vasco.

Quem chegou tarde teve de se contentar em assistir a partida de pé, colado ao alambrado, atrás do gol das piscinas, onde não há arquibancadas. Nas sociais, as dificuldades eram as mesmas, pois lugares não havia mais. Atrás do outro gol, a pequena e barulhenta torcida do Grêmio marcava sua presença com uma buzina que acabou servindo para que os torcedores do Vasco incentivassem o time a cada buzinada.

Até os 15 minutos de partida, a torcida do Vasco esteve com o grito de gol na garganta, porque a equipe já tinha perdido inúmeras oportunidades. Mas foi o Grêmio quem marcou aos f9 minutos, através de Zequinha, que emendou da entrada da área, aproveitando um passe de Nenê depois de um cruzamento do lateral-direito Wilson.

Após a saída, o Vasco perdeu um gol incrível, com Dé finalizando em cima de Picasso dentro da pequena área. Com a vantagem, o Grêmio recuou todo, dando ao adversário o domínio completo do jogo. Depois de várias chances perdidas, o Vasco conseguiu empatar aos 40 minutos, numa cabeçada de Roberto, após cruzamento de Luis Carlos. Picasso falho no lance, saindo mal do gol

OPORTUNISMO DE DÉ

O Vasco iniciou o segundo tempo com a mesma disposição, e até marcar o segundo gol, aos 20 minutos, seus atacantes já tinham desperdiçado várias chances. Dé fez o gol aproveitando uma jogada de Roberto. Depois do gol, o Vasco continuou melhor e se houvesse mais calma nas finalizações a vantagem poderia ter sido aumentada.

O Grêmio só mostrou poder ofensivo nos 10 minutos finais, quando, embora desorganizado, foi todo à frente, perdendo algumas oportunidades para empatar. A essa altura o nervosismo era geral e o time do Vasco procurava gastar o tempo de toda maneira.

Até o preparador físico Hélio Vigio fez cera. Ele, que assistiu a todo o segundo tempo atrás do gol do Vasco, depois de um ataque do Grêmio jogou para longe a bola chutada para fora por um atacante gaúcho. Mas, de qualquer maneira, a vitória do Vasco foi justa, principalmente porque a equipe mostrou uma indiscutível determinação de vitória.

O juiz foi José de Assis Aragão, que deixou de marcar dois pênaltis. Um de René em Cacau e outro de Ancheta em Roberto. Os bandeirinhas foram Wilson Dias Durão e José Valeriano Correia e a renda somou Cr$ 289 mil 220, com 18 mil 237 pagantes.

As equipes formaram assim: Vasco: Mazarópi, Paulo César, Joel, Renê e Alfinete (Celso Alonso); Alcir e Zanata; Jair Pereira, Roberto, Dé e Luís Carlos. Grêmio: Picasso, Wilson, Ancheta, Beto e Sérgio Vieira; Bolívar (Loivo), Cacau (Osmar) e Neca; Zequinha, Tarciso e Nenê.” (Carlos Alberto Rodrigues, Jornal do Brasil, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

—–

1975 vasco fora gol zequinha js

VASCO ENCHE SEU CAMPO E FESTEJA O BOM RESULTADO
Casa cheia, o Vasco provou que foi acertada sua decisão em marcar para São Januário alguns jogos do Campeonato Nacional.
Sem as exorbitantes taxas do Maracanã, o clube teve um bom lucro na renda de mais de Cr$ 280 mil.
E, para alegrar ainda mais, a equipe derrotou o Grêmio por 2 a 1.” (Jornal do Brasil, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

—-

NO CAMPO, TODAS AS FACILIDADES
Os jogos em São Januário podem não ser bons para o adversário, mas para o Vasco é da maior importância. Primeiro, porque alguns dirigentes se aproveitam das facilidades e ficam atrás do gol torcendo entusiasticamente para seus atacantes. Depois, porque o comando técnico pode instruir tranqüilamente seus jogadores em campo, sem se preocupar com o juiz. Ontem, o preparador físico Hélio Vigio, que está suspenso 20 dias pelo TJD da Federação Carioca, ficou junto ao gramado, ajudando ao técnico Mário Travaglini a orientar a equipe. Os jogos em estádios menores mostram muito mais a participação da torcida e dos dirigentes do que quando são realizados no Maracanã, onde a segurança é quase perfeita. O Vasco jogou bem e não teve problemas para derrotar o Grêmio. No entanto, a situação pode ficar ruim no dia em que o Vasco perder o jogo, porque é fácil para torcida invadir o campo .” (Jornal do Brasil, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

1975 vasco fora gol dinamite 2 js

CAMPO NEUTRO – José Inácio Werneck

ESCREVI outro dia que o Campeonato Carioca com jogos de turno e returno nos campos dos clubes, como sugeriu o presidente Francisco Horta, só seria possível com a volta dos bondes. Pensaram tratar-se de piada, mas minha intenção não era apenas a de compor ambiente. Realmente, com as ruas estreitas ao redor de nossos estádios e a massa de automóveis em que hoje se locomovem os torcedores, há uma quase impossibilidade física de realizar-se um jogo importante num campo como o do Vasco.

Acredito que além, lá por Bangu e Campo Grande, ainda haja espaço para se parar. Mas em São Januário, positivamente, não é o caso. Baseado em informações otimistas, dirigi-me confiante ao pretenso estacionamento para a imprensa que, se existe, não vi. O portão estava trancado, não apenas à chave como por uma imensa massa de automóveis largados de qualquer maneira à sua porta. A massa originava-se aliás pouco depois da Quinta da Boa Vista e praticamente não se movia. Carregado em sua lenta fluência, tive que contornar duas vezes o estádio antes de abandonar o carro, também de qualquer jeito, perto da Avenida Brasil. (Com o que, aproveito para agradecer à Dona Orozimba, por ter-me permitido atravancar sua garagem).

Pude assim, já com a partida em andamento, verificar que a fila de torcedores nas apertadas bilheterias era enorme, até que afinal muitos começaram a desistir, pelo fim do primeiro tempo. Quanto o clube perdeu na renda, não sei. Mas com a sangria das arrecadações no Maracanã é possível que, umas coisas pelas outras, tudo tenha dado no mesmo.

NÃO vi, portanto, o tão falado pênalti de René em Cacau, mas o resto da arbitragem do senhor José de Assis Aragão me pareceu bom, com uma exceção. Trago-a não com o sentido de crítica, mas de colaboração com a Comissão Nacional de Arbitragem, cujo diretor anda interessado em padronizar a interpretação das regras.

Seria interessante que essa padronização fosse feita não só em termos nacionais como também internacionais. Diz a regra que o goleiro não pode ser tocado dentro da pequena área, mas nossos juízes (e não só o senhor Aragão) tendem a dilatar este limite. Houve um lance em que Mazzaropi atirou-se ali pela altura da marca do pênalti para defender uma bola aos pés de um atacante gaúcho. Machucou-se, em conseqüência de um choque natural, e ficou no chão. Não vou falar em gol anulado, porque antes de Osmar pegar o rebote na entrada da área, e chutar a bola às redes, o senhor Aragão já marcara falta. Se não houvesse o apito é possível que os jogadores do Vasco bloqueassem a conclusão da jogada, sei lá. Não reclamo em termos de marcador, falo apenas em tese: numa partida internacional, com juiz estrangeiro, o lance teria prosseguido.

TECNICAMENTE, o segundo tempo que eu vi dividiu-se com nitidez em domínio franco do Vasco, quando a defesa do Grêmio andou cometendo tolices seguidas, e reação gaúcha a partir do gol de Dé. Até então o Grêmio andava claramente interessado em garantir seu pontinho do empate e até Zequinha cometia o gesto, para os observadores cariocas inédito, de descer para lutar na defesa.

Dé cavava faltas, falsas e verdadeiras, mas não precisou delas. A zaga gaúcha estava insegura e o goleiro Picasso soltava bolas a toda hora, apesar de suas luvas (ou, quem sabe?, por causa delas). Depois, especialmente nos últimos 10 minutos, veio a reação desesperada do Grêmio. Duas ou três vezes o Vasco salvou-se com sorte e noutra Mazzaropi fez uma excelente defesa com o pé. Mas o Grêmio não merecia o empate, pois cometeu o pecado de tentar defender muito cedo o marcador.” (José Inácio Werneck, Jornal do Brasil, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

—–

1975 vasco fora gol dé js1975 vasco fora gol de Ronaldo Theobald JB

VASCO MOSTRA RAÇA E VIRA O JOGO DE NOVO: 2 A 1

Com uma atuação firme e decidida, o Vasco venceu o Grêmio por 2 a 1, ontem à tarde, em São Januário, confirmando que é forte candidato ao bi-campeonato. Os gols foram marcados por Zequinha e Roberto, no primeiro tempo, e Dé, no segundo. O time carioca podia ter marcado o terceiro gol, mas não contou com a ajuda da sorte, num lance de Jair Pereira, que tentou surpreender Picasso, chutando de longe, mas a bola cobriu o travessão.

Os primeiros cinco minutos foram de estudos. Depois a iniciativa do jogo foi do Vasco, que foi logo à frente numa jogada de contra-ataque, onde Dé e Roberto envolveram a defesa do Grêmio. Depois dos dez minutos o Grêmio passou a marcar sob pressão, para não dar campo para o Vasco armar as jogadas. E foi assim que conseguiu abrir o escore.

O Vasco não se entregou e partiu para o empate. Dos 15 aos 30min, as jogadas de perigo foram todas do time de São Januário. Nos minutos finais do primeiro tempo, o Vasco forçou o jogo e acabou empatando.

O Vasco voltou para o segundo tempo com Celso Alonso em lugar de Alfinete que sentiu dores musculares na coxa esquerda. A alteração não quebrou o ritmo e entrosamento da equipe que passou a dominar o Grêmio até marcar o gol da vitória. O time gaúcho reagiu, mas o Vasco estava bem armado, suportou bem a pressão adversária e continuou jogando como se estivesse decidindo um título. Foi uma vitória justa. O Grêmio teve o mérito de lutar durante os 90min. Os três minutos finais foram todos do time porto-alegrense, mas a defesa do Vasco suportou e garantiu o escore.

OS GOLS

GRÊMIO 1 a O — O Jogo estava muito corrido, com os dois ataques procurando abrir o escore. O Vasco vai à frente, numa boa jogada de Zanata para Roberto, Ancheta cortou e entregou a Bolivar que com um toque rápido, passou para o lateral-dlreito Wilson, já na frente como um ponta-direita. Wilson centrou à meia altura para Zequinha, que emendou de primeira, marcando o primeiro gol, aos 19 minutos.

VASCO 1 a 1 — O Vasco passou cinco minutos praticamente dentro da área do Grêmio, forçando o Jogo pelas pontas. A defesa do Grêmio se defendia bem. Mas aos 42 minutos, Luis Carlos passou por Wilson e centrou, Roberto de lado para o gol, cabeceou com violência, vencendo Picasso, que ainda tentou a defesa.

VASCO 2 a 1 — Domínio total do Vasco, com o Grêmio se defendendo da melhor maneira possível. O meio-decampo do Vasco Jogando dentro do campo adversário. Aos 20 minutos, confusão na área do Grêmio a bola sobrou para Dé, que chutou para desempatar.” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

—–

1975 vasco fora dinamite js

GRÊMIO SENTIU A BARRA PESADA NO 1º TEMPO

O Vasco foi bem melhor no primeiro tempo, apesar de o Grêmio fazer vários contra-ataques perigosas. O time gaúcho cuidou mais do seu sistema defensivo, por isso os primeiros minutos foram lentos. Depois o jogo ganhou maior movimentação. Aos 5 minutos, numa tabela, entre Dé e Roberto, quase o Vasco abriu o escore, Picasso agarrou firme a bola chutada por Dé. Mas o Grêmio marcou primeiro, quando o Vasco era melhor.

7 minutos — Dé foi lançado, passou por Wilson, ficou com boa situação para marcar, foi empurrado por Ancheta, mas o juiz mandou seguir o lance. O Vasco continuou dominando e, aos 10 minutos, Luís Carlos centrou para Roberto, que matou a bola no peito, chutou mas Picasso defendeu.

15 minutos — Tarciso foi lançado por Bolivar, passou por Alcir, mas Renê salvou, chutando para a frente.

18 minutos — Boa jogada do ataque do Vasco mas a defesa do Grêmio
defendeu bem, salvando a situação. No minuto seguinte, o Grêmio abriu o escore, num bom chute de Zequinha Aos 23, novo ataque rápido do time gaúcho que Joel salvou chutando a bola para a arquibancada.

33 minutos — Cacau avançou, Renê foi na jogada, se apoiou no adversário e a jogada prosseguiu, com a defesa aliviando.

37 minutos — Falta de Beto em Zanata. O apoiador cobrou por cima, dando a impressão de gol.

40 minutos — Luis Carlos cobrou córner, Picasso falhou na jogada. Tocou mal na bola mas ninguém aproveitou o lance.

44 minutos — Nova falta de Beto. Zanata cobrou e Picasso agarrou firme.

O Vasco conseguiu manter a bola mais tempo em seu poder, criando assim mais jogadas. Seus ataques eram mais rápidos, mas a defesa do time de Porto Alegre tinha sempre em Ancheta um jogador eficiente. Picasso orientou muito sua linha de zagueiros, principalmente quando a bola caía nos pés do atacante Dé. Ele gritava e gesticulava. Roberto também foi sempre uma preocupação para o goleiro, que só deixou passar dois gols, numa tarde em que o Vasco esteve bem

FIRMEZA DE MAZAROPI TRANQÜILIZOU A EQUIPE

Os primeiros minutos mostraram o time do Vasco com mais disposição. Com cinco minutos de jogo, fez dois ataques perigosos. O Grêmio recuou seu meio-campo, para garantir o empate. Só atacou em jogadas isoladas. Mas nos dez minutos finais, o Grêmio tentou o empate no desespero, mas a defesa do Vasco, com Renê em primeiro plano, garantiu a vitória.

Ao primeiro minuto desta fase o Vasco foi à frente. Zanata lançou Dé, que entrou pela área e foi agarrado por Ancheta, chegando a cair, o juiz não marcou o pênalte, com a torcida vaiando. Aos 7 minutos nova tabela entre Dé e Roberto, mas Beto rebateu firme, evitando o perigo.

No minuto seguinte, Jogada sensacional de Jair Pereira, de fora da área, tentando encobrir o goleiro. A bola bateu na rede, junto ao travessão dando a impressão de gol.

Aos 11 minutos, penetração de Cacau, mas Mazaropi numa grande defesa salvou. Nesse lance o goleiro do Vasco deu tranquilidade à sua defesa.

21 minutos — Neca, impedido invalidou uma boa jogada do ataque do Grêmio.

25 minutos — Jair Pereira lançou Dé. Beto salvou colocando a córner.

27 minutos — Vasco perde grande chance de aumentar o escore. Luís Carlos, em boa situação, se atrapalhou na hora de chutar e permitiu que a defesa do Grêmio salvasse.

Mazaropi teve muito trabalho nos minutos finais. O time do Grêmio foi todo à frente, em busca do gol de empate. Tarciso, Loivo, Nenê e Valdir deram chutes perigosos e num deles do lateral-direito, o goleiro do Vasco salvou de pé. Foi um lance de muito perigo. O jogo terminou com a bola no meio-de-campo, com Jair Pereira caído, sofrendo falta de Beto.” (Jornal dos Sports, segunda-feira, 25 de agosto de 1975)

1975 vasco fora guaiba

Fotos: Ronaldo Theobald (Jornal do Brasil) Juscelino Sorrentino e Jair Motta (Jornal dos Sports)

Vasco 2×1 Grêmio

VASCO: Mazarópi; Paulo César, Joel Santana, Renê e Alfinete (Celso Alonso); Alcir, Zanata e Luís Carlos; Jair Pereira, Roberto Dinamite e Dé.
Técnico: Mário Travaglini

GRÊMIO: Picasso, Vilson Cavalo, Ancheta, Beto Bacamarte e Sérgio Vieira; Bolívar (Loivo), Cacau (Osmar) e Neca; Zequinha, Tarciso e Nenê
Técnico: Ênio Andrade

Brasileirão 1975 – Primeira Fase – 2ª Rodada
Data: 25 de agosto de 1975, domingo, 16h00min
Local: São Januário, no Rio de Janeiro – RJ
Público: 18.373 pagantes
Renda: Cr$ 289.220,00
Árbitro: José de Assis Aragão
Auxiliares: Wilson Dias Durão e José Valeriano Correia
Gols: Zequinha, aos 19 minutos e Roberto Dinamite aos 42 minutos do primeiro tempo; Dé, aos 20 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2019 – Grêmio 2×1 Vasco

July 15, 2019

Brasileiro Championship - Gremio v Vasco da Gamagremio vasco Jeferson Guareze AGIF

 

Ao meu ver o segundo gol do Vasco foi bem anulado. Não vejo justificativa para o Rossi ter colocado a mão na cara do Matheus Henrique no início da jogada.

 

gremio vasco diego vara reuters pp

– Média de público do Grêmio na Arena na atual temporada:
21.951 (19.962 pagantes)

– Média de público do Grêmio como mandante em 2019:
22.900 (20.862 pagantes)

– Média de Público do Grêmio no Brasileirão 2019:
18.872 (17.197 pagantes)

– Média de público nos últimos dez jogos contra o Vasco pelo Brasileirão em casa:
20.891 (18.414 pagantes)

– Média de público nos jogos contra o Vasco pelo Brasileirão na Arena:
21.628 (19.274 pagantes)

gremio vasco diego vara reuters da silva
Fotos: Diego Vara (Veja) e Jeferson Guareze (CBF)

Grêmio 2×1 Vasco

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, David Braz, Rodriguez e Juninho Capixaba; Rômulo (Everton), Matheus Henrique (Da Silva), Thaciano, Jean Pyerre e Pepê; Luan (Patrick)
Técnico: Renato Portaluppi

VASCO: Fernando Miguel; Pikachu, Henríquez, Ricardo e Danilo Barcelos; Richard, Raul e Marcos Júnior (Lucas Mineiro); Rossi, Valdívia (Marrone) e Marquinho (Talles)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Data: 13/07/2019 (Sábado), às 17h
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre – RS
Público: 11.281 (9.701 pagantes)
Renda: R$ 362.148.00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
VAR: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Cartões amarelos: Juninho Capixaba, Thaciano; Richard, Rossi, Henríquez, Fernando Miguel
Gols: Yago Pikachu,(de pênalti) aos 14 minutos do primeiro tempo; Pepê, aos 15 minutos do segundo tempo e aos 41 minutos do segundo tempo

Brasileirão 2018 – Grêmio 2×1 Vasco

November 12, 2018

2018 vasco maxi2018 vasco gol

O Grêmio venceu a segunda partida seguida no Brasileirão após a eliminação da Libertadores e ingressou no G4. Venceu, mas não teve uma grande atuação. Ainda sem Luan e com Everton sem ritmo, o tricolor teve um meio campo de pouca mobilidade com Michel, Maicon e Cícero. O Vasco saiu na frente, com Thiago Galhardo aproveitando uma bela assistência de calcanhar de Maxi Lopez. Jael empatou ainda no primeiro tempo, completando de cabeça a grande jogada feita por Leo Moura na ponta direito. E a virada gremista só saiu graças ao frango de Martin Silva, que se atrapalhou com o chute de fora da área de Matheus Henrique.

Eu gostaria de ter 1/10 da autoestima do Jael.

Gremio x Vasco

– Média de público da Arena na atual temporada:
25.843 (23.699 pagantes)

– Média de público do Grêmio como mandante no Brasileirão 2018:
23.719 (21.761 pagantes)

Gremio x Vasco
Fotos: Rafael Ribeiro (Vasco) e Lucas Uebel (Grêmio.net)

Grêmio 2×1 Vasco

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura (Marinho  33’/2ºT), Paulo Miranda, Pedro Geromel e Bruno Cortez; Michel, Maicon (Matheus Henrique  24’/2ºT) e Cícero; Alisson (Jean Pyerre 13’/2ºT), Jael e Everton
Técnico: Renato Portaluppi

VASCO: Martín Silva, Luiz Gustavo (Lucas Kal 41’/2ºT), Henríquez, Ricardo Graça e Ramon; Willian Maranhão, Andrey, Marrony (Rildo  11’/2ºT) e Thiago Galhardo (Raul  33’/2ºT); Yago Pikachu e Maxi López
Técnico: Alberto Valentim

33ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 11 de novembro de 2018, Domingo, 17h00min
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 22.622  (20.763 pagantes)
Renda: R$ 666.258,00
Árbitro: Raphael Claus (FIFA-SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Cartões Amarelos: Paulo Miranda, Marinho; Ricardo, Thiago Galhardo, Yago Pikachu, Lucas Kal
Gols:  Thiago Galhardo, aos 12 minutos e Jael, aos 19 minutos do 1º tempo; Matheus Henrique, aos 49 minutos do 2º tempo

Brasileirão 2018 – Vasco 1×0 Grêmio

July 23, 2018

Gremio x VascoVasco x Grêmio - Brasileirão 2018

Dos defeitos apresentados pelo Grêmio no jogo de ontem, o mais fácil de aceitar foi a desatenção que resultou no gol do Vasco logo aos 2 minutos. Difícil de entender foi a falta de reação nos mais de 90 minutos seguintes. A apatia tricolor fica ainda mais inexplicável se considerarmos que o Grêmio jogou mais de uma hora com um jogador a mais. Martin Silva teve que fazer somente 3 defesas, e todas elas com imensa facilidade.

Gremio x Vasco

Na camisa celeste a transferência do logo da iPlace para cima do símbolo na Umbro não resultou num quadro tão pavoroso como nas imagens da camisa tricolor que circulavam nas redes sociais. Mas a colocação de um patrocínio no ombro, depois de toda a papagaiada de pesquisa que justificou o não-patrocínio em 2016, é de uma incoerência incrível.

Gremio x VascoGremio x VascoFotos: Lucas Uebel (Grêmio.net) e Rafael Ribeiro (Vasco.com.br)

Vasco 1×0 Grêmio

VASCO: Martín Silva; Luiz Gustavo, Breno, Ricardo e Henrique; Desábato, Andrey e Giovanni Augusto (Henríquez – 30’/2ºT); Yago Pikachu; Kelvin (Thiago Galhardo 38’/1º T) e Andrés Ríos (Paulo Vitor – 18’/2ºT)
Técnico: Jorginho

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Léo Moura (Douglas – 14’/2ºT); Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira (Marinho 37’/1º T); Jailson (Jael – 23’/2ºT), Cícero, Ramiro, Luane Everton; André.
Técnico: Renato Portaluppi

14ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2018
Data: 22/7/2018, domingo, 16h00min (de Brasília)
Local: Estádio São Januário, Rio de Janeiro-RJ
Público: 8.242 (7.567 pagantes)
Renda: R$ 171.160,00
Árbitro: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Auxiliares: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (MG)
Cartões amarelos: Breno, Henrique, Thiago Galhardo (VAS); Marcelo Oliveira, Marinho, Jael, André, Ramiro, Douglas (GRE)
Cartão vermelho: Henrique, (31’/1ºT)
Gol: Andrés Ríos, aos 2 minutos do 1º tempo

Brasileirão 2017 – Vasco 1×0 Grêmio

September 10, 2017

vasco 1x0 gremio 2017 marcelodejesusframephotogp36318354943_135da62770_k36295952234_2ad00f5fdd_k

Fotos: Marcelo de Jesus (Terra) e Paulo Fernandes (Vasco.com.br)

Vasco 1×0 Grêmio

VASCO: Martin Silva, Madson (Yago Pikachu), Breno, Anderson Martins e Ramon; Wellington, Escudero (Bruno Paulista), Mateus Vital, Wagner (Paulinho) e Nenê; Andrés Rios
Técnico: Zé Ricardo

GRÊMIO: Paulo Victor, Edílson, Bressan, Walter Kannemann e Bruno Cortez; Michel, Artur, Ramiro (Patrick) e Léo Moura (Éverton); Fernandinho e Lucas Barrios (Michel Arroyo)
Técnico: Renato Portaluppi

23ª Rodada – Campeonato Brasileiro 2017
Data: 9 de setembro de 2017, Sábado, 18h00
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Helton Nunes (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)
Cartões amarelos: Escudero, Bruno Paulista e Wellington (Vasco)
Gol: Mateus Vital, aos 42min do primeiro tempo