Sulamericana – Grêmio 0 x 2 Goiás

O primeiro tempo do Grêmio foi pavoroso. O Goiás abriu o placar cedo, com Amaral, num momento em que o tricolor não conseguiu tirar a bola da sua defesa. Os esmeraldinos passaram a tocar a bola com calma. O meio do campo gremista estava perdido entre os demais setores. Jonas ficou isolado na frente e longe do gol, e a nossa defesa literalmente batia cabeça, dando chances para o Goiás.

Renato não fez substituições no intervalo, mas a equipe mudou. Se postou mais no campo de ataque, com jogadores abertos nos dois do lados do campo. Maylson teve duas boas chances de marcar, mas depois disso o time insistiu em infrutíferos toques na frente da área. O empate chegou numa bola alçada na área, Jonas ganhou de Harlei e André Lima completou, mas Paulo César de Oliveira, sabe-se lá porque (“diarréia mental” talvez) anulou o gol. No apagar das luzes, Everton Santos ainda marcou o segundo tento do Goiás.


É muito cedo para qualquer avaliação sobre o trabalho do Renato, mas duas coisas me agradaram: 1) o time voltou melhor para o segundo tempo (até mesmo porque era impossível piorar). 2) A serenidade da sua entrevista coletiva. Prometeu trabalho e não soluções mágicas.

Acho o 4-5-1 um esquema interessante, mas não sei se Jonas tem a característica de jogar sozinho no ataque.

Neuton pareceu um pouco afoito na zaga. A bem da verdade o time todo demonstrou alto grau de um compreensível nervosismo.

Essa anulação do gol do André Lima foi muito estranha. Juiz e bandeira confirmam o gol, estádio inteiro comemora e aí decidem voltar atrás. Mais estranha ainda é a passividade do Grêmio com um erro grosseiro desses. No vestiário, somente o recém-chegado Renato falou, muito por cima, do lance. Duda Kroeff e Alberto Guerra não tocaram no assunto. Durante o jogo, somente Rafael Marques correu pra cima do bandeira, e no final poucos jogadores cercaram o árbitro. Não resolveria o problema, mas é preciso mostrar indignação. Desde a elaboração do calendário do brasileirão ficou bem claro que a cartolagem anda tirando o Grêmio pra trouxa.

Souza deu um declaração extremamente feliz: “Não dá para justificar qualquer coisa, mas quando a gente está tentando buscar as vitórias e acontece um erro como esse, que mexe diretamente com o resultado do jogo, fica difícil para o time. A coisa já está feia, e ainda não marcam um gol, quando conseguimos…”

É óbvio que os problemas do Grêmio não se limitam aos juízes. São muitos maiores do que isso. Mas os erros de arbitragem (tanto aqui como em Goiânia) transformaram uma classificação sofrida em uma eliminação precoce.

Fotos: Terra (Lucas Uebel), Correio do Povo (Fabiano do Amaral) e UOL (Neco Varella)

Grêmio 0 x 2 Goiás
Amaral 8´
Everton Santos 89´

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Rafael Marques, Neuton e Fábio Santos; Ferdinando, Willian Magrão, Maylson (Hugo), Souza (Roberson) e Douglas (André Lima); Jonas
Técnico: Renato Gaúcho

GOIÁS: Harlei; Wandel Santos, Rafael Tolói, Ernando e Júnior (Marcão); Jonílson, Amaral, Wellington Monteiro e Bernardo (Rithely); Everton Santos e Rafael Moura
Técnico: Emerson Leão

Copa Sulamericana 2010 – 1ª Fase – jogo de volta
Data: 12/8/2010, Quinta-feira, 19h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 14.260
Renda: R$ 208.142,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Assistentes: Ednílson Corona e Émerson Augusto de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Rafael Moura , Wendel Santos , Willian Magrão , Edílson e Neuton
Gols: Amaral, aos 8 minutos do primeiro tempo; Everton Santos, aos 44 minutos do segundo tempo;

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: