Gauchão 1995 – Juventude 2×1 Grêmio

by

Foto: Porthus Junior (Pioneiro)

 

Em 22 de de julho de 1995, o Grêmio perdeu para o Juventude por 2×1, no Alfredo Jaconi, no jogo de ida da semifinal do Gauchão daquela temporada.

O confronto contra o Palmeiras pela Libertadores estava marcado para o dia 26, então o Grêmio utilizou apenas 4 titulares em Caxias do Sul.  O detalhe é que Arílson atuou como lateral esquerdo, enquanto Carlos Miguel permaneceu na meia, opção que havia sido descartada por Felipão na final da Copa do Brasil, disputada um mês antes.

Antes da bola rolar na Serra, o Presidente Koff declarou que preferia “ficar em segundo lugar na Copa Libertadores do que ser campeão gaúcho“.

Gauchão 1995 - Juventude 2x1 Grêmio - Cuca Vs. Rivarolafonte: Zero Hora

Foto: Zero Hora

 

“JUVENTUDE ESTÁ A UM EMPATE DA FINAL
Vitória de 2 a 1 sobre o Grêmio deixou alviverde em vantagem para o jogo do Estádio Olímpico

Caxias do Sul – O Juventude deu um importante passo rumo às finais do Campeonato Gaúcho ao vencer o Grêmio, sábado, no Estádio Alfredo Jaconi, por 2 a 1. Com o resultado, a equipe caxiense precisa de um empate, no próximo final de semana, no Estádio Olímpico, para disputar o título de campeão estadual desta temporada. Cuca e Jean Carlo marcaram para o alviverde, enquanto que Carlos Miguel descontou. O árbitro Fabiano Gonçalves expulsou Cuca e Nildo por troca de agressões.

Até os 20 minutos, a iniciativa foi da equipe do técnico Heron Ferreira. Depois o Grêmio dominou, até o Ju retomar o controle nos dez minutos finais. Aos 6min, o atacante Mário chutou de fora da área com perigo para o gol defendido por Sílvio. O tricolor respondeu com Carlos Miguel, numa cobrança de falta defendida com tranqüilidade por Isoton. Aos 23min, depois da jogada pela esquerda de Paulo Sérgio, Jean Cario pegou a sobra e chutou para fora. Aos 40min o Juventude abriu o marcador. Mário recebeu a bola e encontrou Itaqui desmarcado. O lateral improvisado entregou para Cuca. Com consciência, ele tocou na saída do goleiro Sílvio para determinar a vantagem alviverde.

Na primeira oportunidade que teve no 2° tempo o Juventude ampliou para 2 a 0. A jogada nasceu com Galeano, que foi derrubado próximo a risca da grande área por Marco Antônio. Jean Carlo cobrou com perfeição no canto esquerdo de Sílvio, que não teve chances de defesa. O Grêmio respondeu em seguida. Aos 6min, o lateral Marco Antônio avançou pela direita e entregou para o ponta Márcio. Ele cruzou certo para Carlos Miguel, de cabeça, fazer 2 a 1.

O Juventude não chegou a se retrair em seu campo, uma vez que a equipe gremista atacava mas não levava perigo ao goleiro Isoton. Aos 28min, o centroavante Nildo fez falta violenta em Cuca, o jogador do Juventude reagiu e os dois acabaram expulsos. O Grêmio seguiu pressionando, mas sem nenhuma objetividade.”

LATERAIS SÃO DÚVIDAS NO TIME

Principal destaque na vitória de 2 a 1 do Juventude sobre o Grêmio, o meio-campista Cuca era uma mistura de alegria e desolação ao final do jogo. Com a expulsão ele não poderá disputar uma das mais importantes partidas do clube nesta temporada.”Eu não merecia ser expulso, dei o carrinho na bola. A gente trabalha sério O ano todo e agora fica de fora da semifinal em Porto Alegre”, lamentou.

Os laterais Odair e Paulo Sérgio têm a semana para se recuperarem de lesões musculares. O médico do Juventude, Iran Cercatto, preferiu não fazer previsões em relação ao aproveitamento dos jogadores para a segunda partida. “A recuperação depende muito da constituição física de cada atleta. O Paulo Sérgio fez um leste antes do jogo e nada sentiu. Foi sentir somente durante o jogo”, explicou.

O técnico Heron Ricardo espera o decorrer da semana para definir os substitutos dos laterais, caso os dois não tenham condições. Outra posição a ser alterada será o meio-campo. Recuperado de lesão muscular, Julinho é o mais cotado para voltar ao time. Outro jogador que pode ser escalado no setor é Itaqui.

“Não é porque temos a vantagem do empate que vamos a nossa maneira de atuar. No Estádio Olímpico vamos jogar para a frente buscando a vitória”, garantiu o treinador, que tenta levar o Ju a segunda final – a primeira foi na Série B, em 1994.

 

MEIA ITAQUI É O NOVO ´CORINGA´
O jogador Itaqui pode ser considerado como o ‘coringa’ do time do Juventude. Oriundo das categorias de base do clube, a sua posição original é o meio-campo, mas ele tem sido utilizado pelo técnico Heron Ricardo Ferreira em outras posições.

Para a partida contra o Grêmio, ele recebeu a missão de substituir Odair. Ao final do jogo, recebeu o reconhecimento do treinador por sua atuação e pela passe que deu para Cuca marcar o primeiro gol.

“O mais importante não foi a minha atuação e sim a vitória que nós conseguimos, pois ela nos dá a vantagem do empate para a segunda partida em Porto Alegre”, analisou o jogador.

Para o atleta, o técnico Heron é uma pessoa muito importante dentro do grupo alviverde, principalmente pela confiança depositada no seu futebol. “Sempre que eu entro dentro de campo procuro dar o melhor para ajudar os companheiros. Graças a Deus o treinador confia em mim para jogar em tantas posições, com isso tento corresponder ao máximo. Mesmo que eu não vá bem ele me apoia”, disse.”

 

COTAÇÕES
JUVENTUDE
5 Isoton — Uma boa defesa no 1° tempo. Se complicou nas bolas aéreas
7 Itaqui — Bem na marcação, com apoios eficientes. Deu a ‘assistência’ para o gol de Cuca
6 Sandro — Dificuldades com a bola área. De resto esteve bem
6 João Batista — Boa atuação, ajudando a neutralizar Nildo
5 Paulo Sérgio — Não comprometeu até sair. Paulo Marcelo – Entrou bem. Nota 6
8 Galeano — Ótimo na marcação. Criou a jogada do 2° gol
6 Lauro — Bem na marcação, ao lado de Galeano
8 Cuca — Deu mais movimentação ao time e fez o primeiro gol
7 Jean Cario — Um pouco apático no 1° tempo. Melhorou após o gol
6 Mario — Muito isolado, com participação decisiva no 1° gol.
4 Edson — Perdeu a bola no lance que terminou com o gol gremista. Junior — Melhorou o toque de bola e quebrou a pressão gremista. Nota 6.

GRÊMIO
5 Sílvio — Sem culpa nos dois gois
6 Março Antônio — Anulou o ponteiro Edson.
6 Rivarola — Forte na marcação, buscou o apoio. Concluiu três bolas, todas erradas
5 Scheidt — Mais discreto que Rivarola, mas sem comprometer
5 Arilson — Marcou com violência (5 faltas). Apoiou, mas sem criar chances. Jacques • Entrou no final, mas pouco fez. Sem nota
5 Adilson— Fez uma marcação forte no meio-de-campo.
5 Gélson — Também priorizou a marcação, como Adilson
5 Mancini — Buscou abrir espaços. Fez duas conclusões, uma certa
5 Márcio — Também priorizou a marcação. Uma conclusão, certa
4 Nildo – Não fez nada, até ser expulso, levando junto Cuca
6 Carlos Miguel — Ajudou na marcação e fez o gol. Alexandre — Não conseguiu fazer nada nos minutos que jogou. Sem nota.”

 

GRÊMIO CULPA A ARBITRAGEM
O Grêmio culpou, sem citar o nome do juiz Fabiano Gonçalves, a arbitragem pela derrota de 2 a 1 para o Juventude, sábado, no estádio Alfredo Jaconi. Tanto para o técnico Luiz Felipe como para a direção, não houve falta de Marco Antônio em Galeano, no lance que originou o segundo gol do alviverde, marcado pelo meio-campista Jean Cario.

“Não houve falta do segundo gol do Ju, no máximo uma obstrução. Nesse caso ele teria que ter marcado dois toques”, afirmou Luiz Felipe. Para o presidente Fábio Koff, não houve falia e o resultado mais justo “teria sido o empate”.

Felipe, em sua análise, dividiu o jogo em dois momentos distintos. “No primeiro tempo, o Juventude foi melhor e mereceu a vantagem. Na etapa final, o Grêmio esteve melhor, mas não conseguiu chances claras, fora em um ou dois lances”, disse o treinador.

Koff viu o tricolor superior. “O Grêmio, quando se dispôs a sair para o jogo, dominou”, declarou o presidente. Ele acha “lógico” conseguir duas vitórias — no tempo normal e na prorrogação ou pênaltis – sobre o Ju, no próximo final de semana.

O atacante Nildo, que ‘pisou’ no meio-campista Cuca em um lance que determinou a expulsão dos dois jogadores, foi pedir desculpas ao jogador após a partida. “Eu levantei o pé um pouco demais, mas foi sem querer”, afirmou. (Luiz Carlos Erbes)”

 

FELIPE DEFENDE EQUIPE MISTA
O técnico do Grêmio, Luiz Felipe, rebateu críticas por ter escalado uma equipe mista contra o Juventude, sábado à tarde, no primeiro jogo das semifinais do Gauchão. “Não temos como jogar sem termos que correr riscos”, disse, referindo-se ao falo de ter deixado oito titulares em Porto Alegre. Ele temia que algum titular se lesionasse.

Perguntado porque não escalou os titulares, a exemplo do Palmeiras – jogou a semifinal do Campeonato Paulista com todos os titulares também no sábado contra o Mogi Mirim -, ele respondeu: “É um problema deles. Eles tem um grupo grande de jogadores, nós só temos 18.”

Luiz Felipe não definiu qual equipe enfrentará o Ju no jogo de volta, no Estádio Olímpico. “Vamos estudar”, disse apenas. A definição pode depender da partida de quarta-feira, contra o Palmeiras, pela Taça Libertadores da América.

Felipe definiu sábado o time que receberá o Verdão, em Porto Alegre. A equipe terá Danrlei; Arce, Luciano, Adílson e Roger; Dinho, Goiano, Carlos Miguel e Arílson; Paulo Nunes e Jardel.” (Milton Simas Junior, PIONEIRO, Segunda-feira, 24 de julho de 1995)

95ZH 151

JUVENTUDE GANHA E FICA PERTO DA VAGA NA FINAL

O time caxiense venceu o Grêmio por 2 a 1 no sábado e basta empatar no Olímpico para tentar um título inédito

O Grêmio não resistiu à força do Juventude em Caxias do Sul e perdeu por 2 a 1 a primeira das duas partidas pelas semifinais do Gauchão. O resultado dá vantagem ao Juventude no segundo jogo – a partida pode ser antecipada de domingo para o próximo sábado -, no Estádio Olímpico. Com um empate, o time de Heron Ferreira passa as finais, tirando o Grêmio da competição. O risco de perder o título gaúcho foi calculado pela diretoria gremista, que prefere abrir mão da disputa do regional para se dedicar à Libertadores. Tanto que o técnico Luiz Felipe não escalou o time titular contra o Juventude, poupando jogadores para a partida de quarta-feira contra o Palmeiras, em Porto Alegre. O Presidente Fábio Koff foi enfático antes do jogo em Caxias do Sul. “Eu prefiro ficar em segundo lugar na Copa Libertadores do que ser campeão gaúcho” […] “(Juan Domingues, Zero Hora, Segunda-feira, 24 de julho de 1995)

1995 juventude 2x1 gremio - pioneiro c

Foto: Porthus Junior (Pioneiro)

GRÊMIO ESTÁ PRONTO E ESPERA PELA TORCIDA

A declaração do presidente do Grêmio Fábio Koff de que prefere ser vice-campeão da Copa Libertadores a conquistar o título do Gauchão de 1995 demonstra a mobilização da diretoria e da comissão técnica gremistas. A batalha para avançar na Libertadores recomeça na quarta-feira à noite contra o Palmeiras, em Porto Alegre, mas todos estão empenhados em vencer o primeiro jogo. Os jogadores, que treinaram ontem pela manhã, já estão concentrados e esperam pela torcida. “Vamos lotar o Estádio Olímpico”, apela o presidente Koff. Conforme o experiente e vitorioso dirigente. “Se o Grêmio passar pelo Palmeiras será bicampeão da Libertadores”, prevê Koff, projetando um faturamento de US$ 1 milhão na próxima fase da competição, entre arrecadação e direitos de transmissão.

Luiz Felipe está tranquilo quanto ao time que vai colocar em campo. Da equipe titular apenas Arce está com uma leve lesão no joelho direito. O lateral paraguaio, porém, faz tratamento diferenciado de recuperação e garante que estará em campo. O goleiro titular Danrlei retorna da Seleção Brasileira e é um grande reforço para a partida decisiva. O otimismo de Fábio Koff com relação ao futuro do Grêmio na Libertadores se justifica pelos cruzamentos. Se o forte Palmeiras não resistir ao time de Luiz Felipe, o Grêmio enfrentará o Emelec, do Equador, ou o Sporting Cristal, do Peru — dois times sem tradição campeonato, nas semifinais. “Temos todas as condições de chegar às finais”, acredita Koff.” (Zero Hora, Segunda-feira, 24 de julho de 1995)

 

1995 juventude 2x1 gremio - pioneiro b

Foto: Porthus Junior (Pioneiro)

1995 juventude 2x1 gremio - pioneiro

Foto: Porthus Junior (Pioneiro)

 
Juventude 2×1 Grêmio

JUVENTUDE: Isoton; Itaqui, Sandro, João Batista e Paulo Sérgio (Paulo Marcelo); Galeano, Lauro, Jean Carlo e Cuca; Mário e Edson (Dorival Júnior).
Técnico: Heron Ferreira

GRÊMIO: Sílvio; Marco Antônio, Rivarola, Scheidt e Arílson (Jacques); Adílson, Gélson, Vagner Mancini; Márcio e Nildo
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Gauchão 1995 – Semifinal – Jogo de ida
Data: 22 de julho de 1995, sábado, 16h05min
Local: Estádio Alfredo Jaconi
Público: 6.318 pagantes
Renda: R$ 38.358,00
Árbitro: Fabiano Gonçalves
Auxiliares: Cesar Arruda e Luiz Carlos Mendonça
Cartões Amarelos: Gelson, Scheidt, Rivarola, Lauro, Galeano e Sandro
Cartões Vermelhos: Cuca e Nildo
Gols: Cuca, aos 40 mintos do 1 ° tempo: Jean Carlo, aos 3 min, e Carlos Miguel, aos 6 minutos do 2° tempo

2 Responses to “Gauchão 1995 – Juventude 2×1 Grêmio”

  1. Grêmio Campeão Gaúcho de 1995 | Grêmio1983 Says:

    […] 22/07/1995 – Juventude 2×1 Grêmio […]

  2. Retrospectiva do Blog em 2020 | Grêmio1983 Says:

    […] Gauchão 1995 – Juventude 2×1 Grêmio […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: