Archive for the ‘1991’ Category

Copa do Brasil 1991 – Coritiba 1×1 Grêmio

August 19, 2015

O primeiro confronto entre Grêmio e Coritiba pela Copa do Brasil ocorreu no dia 22 de maio de 1991, no Couto Pereira. Era o primeiro compromisso do tricolor após o rebaixamento sofrido após a derrota para o Botafogo em Caio Martins 72 horas antes.
Surpreendentemente o time de Dino Sani teve um bom início de jogo (válido como partida de ida da semifinal da competição) e saiu na frente aos 16 minutos, num belo gol de Caio (foto abaixo).  O Coxa, que tinha Sérgio Ramirez estreando no comando da equipe, só chegou ao empate aos 24 minutos do segundo tempo, numa cabeçada de Hélcio após falta cobrada por Nardela.

Fontes: Correio do Povo e Zero Hora
Fotos:
José Doval (Zero Hora)  e Gazeta do Povo

Coritiba 1×1 Grêmio

CORITIBA: Luís Henrique; Márcio, Pinela, Heraldo e Paulo César (Ricardo); Hélcio, Émerson e Pedrinho (Nardela aos 32/1ºT), Ronaldo, Chicão e Pachequinho:
Técnico: Sergio Ramirez
GRÊMIO: Gomes; Chiquinho, João Marcelo, Ion e Hélcio; Norberto, Donizete Oliveira (Jamir), João Antônio e Caio; Maurício  (Darci aos 12/2ºT e Nando.
Técnico: Dino Sani

Copa do Brasil 1991 – Grêmio 1×1 Criciúma

July 14, 2015

O primeiro confronto entre Grêmio e Criciúma pela Copa do Brasil aconteceu no Olímpico no dia 30 de maio de 1991. O bizarro é que o tricolor chegara na final da competição (a sua segunda em três edições) apenas 11 dias após ser rebaixado no Campeonato Brasileiro daquele ano.

A equipe gremista, comandada por Dino Sani (Contratado em 19 de março daquele ano) acabou sofrendo um gol cedo, na tradicional bola parada treinada por Felipão e só conseguiu chegar ao empate aos 38 minutos do segundo tempo, num pênalti batido por Maurício.

Eu lembro vagamente dessa partida, de ter ficado atrás da goleira que o Grêmio fez o gol e de como o grande número de torcedores visitantes impressionava as pessoas na minha volta.


Fontes: Correio do Povo e Zero Hora
Fotos: Fernando Gomes (ZH)

Grêmio 1×1 Criciúma

GRÊMIO: Gomes; China (Jamir), João Marcelo, Vilson, Hélcio; Norberto, Donizete Oliveira (Darci), João Antônio, Caio; Maurício, Nando.
Técnico: Dino Sani

CRICIÚMA: Alexandre; Sarandi, Vilmar, Altair, Itá; Roberto Cavalo, Zé Roberto, Grizzo; Gélson, Soares, Jairo Lenzi (Vanderlei)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Copa do Brasil 1991 – Final – Jogo de ida
Data: 30/05/1991 – Quinta-feira – 18h30min
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Público: 32.052 pagantes
Renda: Cr$ 36.090.000,00
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (MG)
Auxiliares: Evaristo Franco Souza e Luis Soares Azevedo
Cartões Amarelos: Alexandre, Itá, Vanderlei
Gols: Vilmar, aos 15 minutos do 1º tempo e  Maurício (de pênalti) aos 38 minutos do 2º tempo.

Hamburgo em Porto Alegre

July 23, 2012

Para desespero de alguns, alegria de outros e, espero eu, indiferença da maioria, um jornal alemão se confundiu ao anunciar a vinda do Hamburger SV para inagurar o a arena gremista no final do ano. É verdade que o mau jornalismo não se restringe a Alemanha. É um problema global e temos vários exemplos disso bem próximos a nós.

Mas talvez exista alguma explicação, algum atenuante para a desatenção do períodico germânico. Algum trauma reprimido do jornalista que redigiu a matéria, alguma evocação de uma lembrança positiva do passado. Tergiverso apenas para lembrar de um fato que não foi mencionado por jornalistas europeus e brasileiros: O Hamburgo já jogou (e venceu) em Porto Alegre.

Foi em janeiro 1991. Os alemães já haviam jogado com Palmeiras e Corinthians nos dias anteriores e enfrentariam o Inter no Beira-Rio, na primeira partida do co-irmão naquela temporada.

A estrela da noite deveria ser Cuca, que fazia sua estréia com a camisa vermelha e foi aplaudido por 11 mil pagantes. Mas quem efetivamente se destacou no jogo foi o atacante Thomas Doll, marcando o único gol da partida logo aos 5 minutos.

As fotos são dos jornais Zero Hora e Correio do Povo

Camisa Comissão Técnica 1991 – Holanda 1988

February 6, 2012

Além da camisa do treinador “inspirada” na camisa da Alemanha na Copa de 1990, outra peça curiosa produzia pela Penalty para o Grêmio é essa da foto acima.

Trata-se de uma clara cópia (ou seria homenagem?) do desenho criado pela Adidas para Eurocopa de 1988, que ficou eternizado pela Seleção de Holandesa de Van Basten & Cia. A URSS usou a mesma estampa no referido torneio. O uniforme da reserva da Alemanha entre 1988 e 1990 valia-se do mesmo desenho. E a Argentina chegou a usar uma camisa assim antes da Copa de 1990.

Alguns colecionadores afirmam que essa versão gremista é de 1988. Contudo, nas minhas pesquisas, eu só achei imagens dela sendo usada, por membros da comissão técnica, no começo dos anos 90, como nas fotos abaixo que registram treinos em 1991.

Outra curiosidade é que, recentemente, a Adidas fez uma releitura desse desenho, aplicando-o em azul numa hipotética camisa Jedi, na coleção em homenagem ao filme “Guerra nas Estrelas”

Camisa Treino Penalty 1991/1992 – Alemanha 1990

January 25, 2012
Certamente um dos desenhos mais famosos da história das camisetas de futebol é o que Adidas fez para a seleção da Alemanha Ocidental usar na Eurocopa de 1988 e na Copa de 1990. Um design que marcou e influenciou muito. A própria Adidas repetiu esse padrão em outras equipes, como o Boca Juniors em 1989.

Existe um site que se arrisca a montar camisas imaginárias, aplicando este desenho na camisa de times brasileiros. Achei a do Fluminense interessante, mas não gostei muito do resultado da camisa imaginada para o Grêmio (no dos outros sempre é refresco).

O curioso é que o tricolor já teve um uniforme inspirado nesse clássico alemão, mas era uma camisa de treino, feita pela Penalty. Nas fotos acima e abaixo, Valdir Espinosa usa tal peça no início de 1992 e no final de 1991.

Link

P.S. Nessa mesma época, a penalty também aplicou esse desenho na camisa titular do América Mineiro. O coelho inclusive usou ela nos confrontos contra o tricolor em 1992.

P.S. 2: A NR fez uma camisa parecida com essa para o Napoli, na temporada 1989/1990.

Amistoso 1991 – Grêmio 5 x 0 Seleção de Capão da Canoa

January 18, 2012
A organização da Copa de 2014 é uma fonte inesgotável de assunto. Confesso que fico um pouco supreso com a grande quantidade de cidades gáuchas que de se candidatam a ser subsede na Copa do Mundo. Na última segunda-feira, ao ler as notícias que davam conta da vistoria feita por técnicos da Fifa em Capão da Canoa, imediatamente lembrei dos jogos que o Grêmio fez no litoral gáucho nos anos 90.

Um deles foi realizado em 26 de janeiro de 1991 no Estádio Mariscão (que até hoje resiste a especulação imobiliária). Uma goleada na “seleção de Capao da Canoa”. Foi o segundo jogo do Grêmio naquele (triste) ano.

Abaixo relato da partida segundo o Correio do Povo:

Goleada do Grêmio em Capão da Canoa

Com Assis marcando três gols, o Grêmio goleou a seleção de Capão da Canoa, sábado, por 5 a 0. Em seu segundo amistoso na temporada e último antes da estréia no campeonato brasileiro, dia 4, contra o Goiás, o time treinado por Cláudio Duarte já mostrou um futebol superior ao apresentado no empate diante do Novo Hamburgo. Os destaques foram Assis e João Antônio, além de Nilson, que voltou a marcar.

O estádio do Capão da Canoa F.C lotou. O espetáculo para os veranistas só não foi melhor porque o adversário do Grêmio era muito frágil. Já aos 3 minutoi, Nílsonn venceu a zaga e cabeceou para fazer 1 a 0. Aos 38, Santo marcou contra. No segundo tempo, Assis ampliou para 3 a 0, aos 26. Aos 34, ele voltou a marcar. Aos 42, de pênalti, Aos 42, de pênalti, Assis completou a goleada (Correio do Povo – 27 de janeiro de 1991)

Grêmio 5 x 0 Seleção de Capão da Canoa

GRÊMIO: Sidmar (Gérson): China (Luciano), Luis Fernando (Ion), Vilson e Marco Antônio; João Antônio, Donizete e Caio; Maurício (Biro-Biro), Nilson (Rodrigo) e Assis
Técnico: Cláudio Duarte

SELEÇÃO DE CAPÃO: Beto (Rato), Amarildo, Kiko, Santo e Giba; Cidinho, Zico (Fernando) e Jair; Tarciso, Spina e Jorjão.

Amistoso
Data: 26 de Janeiro de 1991
Horário: 17 horas
Juiz: Antônio Howes
Gols: Nilson, Santo (contra) e Assis (3 vezes)

Chegada do Renato em 1991

August 12, 2010


Acima, a foto da chegada de Renato Portaluppi em 1991.

Naquela oportunidade, a torcida lotou o antigo Aeroporto Salgado Filho, causando um certo tumulto (a porta de vidro do corredor de acesso a Polícia Federal foi quebrada por torcedores ansiosos em ver o ídolo).
E assim como agora, Renato chegava em um momento ruim (por outros motivos é verdade) e envolto num clima de messianismo.
Se o Grêmio se fixar somente nisso a vinda de Renato provavelmente não vai dar certo. Portaluppi pode no máximo ser um catalisador, uma faísca no processo de mudanças. A virada depende do esforço de todos os gremistas.


Fontes – Jornal do Brasil, Zero Hora e “Anjo ou Demônio: a Polêmica Trajetória de Renato Gaúcho